16.7.13

Talking In Your Sleep (12/21)


Resumo: Intrépida repórter para o Planeta Diário, Chloe Sullivan, tem seu coração roubado por um herói mascarado, o Arqueiro Verde, mas ela ficará satisfeita em não saber sua verdadeira identidade?
Autorathe_bluesuede
Classificação: NC-17
Linha de tempo: Sexta temporada
Banner552158
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06 :: 07 :: 08.1 :: 08.2 :: 09 :: 10 :: 11





Quando você está sonhando com um coração partido,
Acordar é a pior parte.

Dreaming With A Broken Heart
John Mayer



Chloe se surpreendeu quando o ouviu rir em resposta. "Oh?" ele perguntou, não muito surpreso com a declaração dela. Um tom de irritação a atingiu, não porque ele riu, mas por causa do distorcedor que ele ainda estava usando. O que antes havia sido misterioso e sexy agora a irritava. O maldito aparelho era só mais um jeito de ele se esconder dela.

Ela suspirou, tentando afastar o pensamento negativo. Ela sabia como seria. Afinal, Clark estava completamente apaixonado por Lois, mas não conseguia dizer a ela que era o Super Homem. E não era por egoísmo, ou porque não confiasse nela. Era só que ele queria protegê-la.

Com os olhos fechados, ela falou. "Esta tarde, alguém me convidou pra sair-"

Ela sentiu o corpo dele ficando tenso.

"-e eu disse sim."

Oliver poderia ter dado um tiro no próprio pé. De fato, ele tinha. A repercussão do que tinha feito naquela tarde o atingiu com força total. Como ele não viu que isso ia acontecer? Ele realmente deveria ter pensado melhor. Claro que Chloe se sentiria culpada. Era como se ela o estivesse traindo!

...embora ele não tivesse certeza qual dele ela estava traindo, agora que parou pra pensar.

Droga, eu preciso de terapia. O que eu sou? Esquizofrênico?

Ele balançou a cabeça, então parou, percebendo o rosto de Chloe ainda enterrado em seu pescoço. Gentilmente ele a afastou para que pudesse ficar de frente pra ele. Ele sabia que ela não conseguia vê-lo, mas ele queria vê-la.

"Tudo bem."

Uma pontada de dor atravessou o rosto dela e ele xingou mentalmente.

Merda. Coisa errada a se dizer. Ótimo. Ela provavelmente deseja que eu ficasse bravo ou com ciúmes. De mim mesmo. Puta merda. Eu estou tão ferrado agora. Como não percebi que isso ia acontecer?

Ele ficou em silêncio um momento, continuamente se perguntando como tinha conseguido ser tão estúpido. Em sua mente, isso não importava porque ele era a mesma pessoa. Não lhe ocorreu que o Arqueiro Verde poderia ficar chateado que Chloe fosse sair com Oliver Queen porque eles eram a mesma pessoa. Mas ela não sabia disso.

Merda.

Finalmente, ele respirou fundo. "Quer dizer, não é que esteja tudo bem, mas é que é melhor pra você. Eu - isso não é justo com você, o que estamos fazendo." E não era. Isso, pelo menos, ele sabia desde o início. Ele desejava com toda fibra do seu ser que pudesse contar tudo a ela agora, mas sabia que não podia. Ela correria pra longe dele mais rápido que qualquer coisa. Ela confiava no Arqueiro Verde. Ela precisava de tempo para que pudesse confiar em Oliver Queen agora.

Preparando-se, ele fez a pergunta que sabia que precisava fazer. "Você quer que eu pare de vir te ver?"

"Não!" ela disse antes que pudesse se impedir. Então ela gemeu, deitando a cabeça na curva de seu pescoço. "Sim."

Mesmo com seu coração apertando, ele não conseguiu suprimir um pequeno sorriso ao quanto ela era adorável. Ele correu uma mão por suas costas antes de acariciar seu cabelo, brincando levemente com ele, sentindo-se um idiota. "Ok."

Ele se sentiu ainda pior quando sentiu algo muito parecido com uma lágrima em seu ombro. Ele se perguntou o quão difícil seria pra ela segurar o que ele sabia que ela queria dizer naquele momento. Ele sabia o quanto ela era curiosa, sabia que a estava matando não saber quem ele era. Neste momento deveria estar sendo uma tortura simplesmente não exigir saber quem ele era.

Aguente firme, Chloe, ele disse silenciosamente. Não desista, ainda.

Depois de alguns longos minutos, ele percebeu que era melhor se partisse. Quanto mais adiasse, pior seria pra ela. Mas quando se moveu, ela imediatamente protestou. "Não vai", ela disse.

Ele fechou os olhos, sentindo a culpa. Ele causou isso a ela. Era completamente desnecessário fazê-la passar por isso. O que havia de errado com ele? "O que você quer que eu faça, Chloe? Você sabe que eu não posso ficar muito tempo", ele a relembrou, odiando-se por isso, sabendo que a estava fazendo sentir uma qualquer, mesmo não havendo razão pra isso.

Ela saiu de cima dele, enterrando o rosto no travesseiro. "Tá bom."

Outra pontada de dor. "Eu só... Chloe."

Ela não respondeu.

"Chloe, eu posso ir agora ou posso ir quando você adormecer." Ele ia perguntar o que ela preferia, mas decidiu ser direto. "De que jeito é pior?"

Ela não respondeu a princípio, mas ele percebeu que ela estava debatendo internamente. Finalmente ela se sentou, aparentemente tendo se recomposto. "É melhor ir agora."

Ele olhou pra baixo, resignando-se antes de se levantar da cama e começar a procurar por seu uniforme, recolhendo tudo, odiando-se a cada momento.

Idiota, ele se xingou. Idiota, egoísta, estúpido... Deus, você é pior do que a mídia diz que você é, Queen!

Ela o assustou quando falou de novo. "Você está vestido?" perguntou.

Colocando o capuz de volta ele assentiu, então se lembrou que ela não conseguia vê-lo. "Sim."

Ela acendeu o abajur, desceu da cama, enrolada no lençol, tendo tirado sua camiseta ensopada de suor. Ela foi até ele ao lado da janela. Para sua surpresa, ela ficou na ponta dos pés e o puxou para um beijo. Quando se afastou, ela pressionou a testa contra a dele e disse, com os olhos fechados. "Você ainda pode me procurar. Por ajuda, eu digo. Eu não preciso que você me abandone completamente." Ela se afastou dele, abrindo os olhos de novo e dando um sorriso. "E enfim, eu sentiria falta de discutir com você."

Seu coração partiu. Ele balançou a cabeça, querendo colocar algum senso nela. Ele se inclinou e a beijou de novo, com força. Quando se afastou, olhou pra ela preocupado, mas havia um mínimo tom de brincadeira em sua voz. "Faça a você mesma um favor e aprenda a ser um pouco egoísta, ok?"

________

Dia 1

Chloe acordou na manhã seguinte, por um momento incerta de porque seu peito parecia apertado e ela queria chorar. Então, lentamente, a noite anterior voltou a sua mente e ela gemeu, rolando e enterrando o rosto no travesseiro.

O que ela tinha feito?

Sua mente voltou a Oliver Queen e ela deu um murro no travesseiro, percebendo como era idiota. Ela terminou com alguém por quem estava possivelmente apaixonada em favor de alguém que ela nem gostava. O que havia de errado com ela?

Claro, havia mais do que isso, mas porque ela não tinha ao menos seguido o conselho de Lois e esperado? Ela deveria ter segurado a língua sobre o assunto, a não ser que fosse alguém sério. Até onde sabia, seu encontro com Oliver Queen seria o primeiro e último.

Falando nisso, ela ainda nem sabia porque o lunático tinha lhe convidado pra sair. Ela não estava exatamente orgulhosa de seu comportamento perto dele, mas o fato de ela ter sido abominável com ele permanecia. O que no mundo o faria querer convidá-la pra sair?

"Psicopata... arrogante... atraente... bilionário!" ela resmungou os xingamentos em seu travesseiro.

Ela rolou e olhou para o teto, perguntando-se se havia alguma resposta pra ela.

Uma coisa era certa. Ela não ia trabalhar hoje. Absolutamente não. Se havia um momento pra ficar em casa e se acabar de tomar sorvete com sabor de café, era hoje.

Ela se arrastou pra fora da cama e encontrou algumas roupas, com a intenção de ligar para Lois primeiro e então para o trabalho, mas seu telefone foi mais rápido. Assim que o pegou, o toque de Lois começou a soar.

Franzindo a testa, ela o pegou e atendeu.

"Lo?"

"Ei, prima", Lois gemeu no telefone.

"Lois, você está bem?"

"Sim... mais ou menos. Eu estou com um tipo de vírus estomacal e eu-" ela parou e Chloe teve a suspeita que ela estava engasgando. "E eu não vou conseguir trabalhar. Você tem que se encontrar com a secretária de Prinn sem mim. Eu sinto muito."

Chloe sentiu o coração afundar. Claro que isso tinha que acontecer. Claro que tinha. "Tem certeza que vai ficar bem? Você parece mal."

"Acredite ou não, Smallville está vindo."

"O quê?" Chloe ergueu uma sobrancelha, momentaneamente distraída.

"Eu estava - oh, Deus, espera." O telefone de repente ficou silencioso enquanto Lois corria para o banheiro. Chloe podia ouvir vagamente os sons de vômito a distância. Alguns minutos depois, Lois estava de volta.

"Lois, talvez você devesse ir ao médico."

"Já marquei uma consulta. Como eu disse, Smallville está vindo porque... bem, eu não sei ao certo o porquê, mas eu disse que não podia ir com ele em uma tarefa porque eu estava doente, e a próxima coisa que eu sei é que ele disse que estava vindo. Algo sobre uma sopa. Eu não sei. Mas eu vou fazê-lo me levar ao médico. Vou ficar bem."

Chloe não pôde impedir o pequeno sorriso ao fato de Clark ter aproveitado a situação, mas ainda estava preocupada. "Ok, mas me avise se precisar de alguma coisa, ok, Lo?"

"Obrigada, prima. Me avise como as coisas correram no almoço. Eu te mandei um e-mail com os detalhes."

"Obrigada, querida. Fique bem, ok?"

"Obrigada. Tchau. boa sorte."

Elas desligaram e Chloe sentou no chão em miséria. "Não é justo", ela acusou o telefone. Ela se deitou no chão por alguns minutos, tentando se motivar a se mover. Não estava funcionando muito bem.

Finalmente, resignada com o fato de que se sentiria angustiada não importa o que fizesse, ela se levantou e foi para a cozinha, concluindo que era melhor começar a injetar cafeína em suas veias o mais cedo possível. Ela ligou o laptop e então se serviu de uma xícara, puro. Ela tomou um gole enquanto abria a porta e pegava o jornal da manhã. Assim que viu a manchete, no entanto, o jogou no balcão e não olhou pra ele pelo resto do dia. Era seu último artigo sobre o Arqueiro Verde e como ele resgatou um casal de crianças presas em um apartamento que tinha sido incendiado.

Ao invés, ela foi para o computador e sem pensar abriu o e-mail, um hábito que tinha desde antes de conhecer o Arqueiro Verde.

Isso não tornou menor o choque de ver sua caixa de entrada vazia. Ela não tinha pensado em checar por algo dele, mas agora que estava olhando para a tela, a falta de mensagens pareceu um balde de água fria.

Ela deitou a cabeça nas mãos e soltou um soluço silencioso.

______

Chloe estava no trabalho há apenas algumas horas quando seu telefone tocou.

"Chloe?"

"Oliver?" ela perguntou, reconhecendo a voz. Seu coração disparou levemente. Isso era ruim. O cara não tinha ideia de quanta pressão havia sobre ele. Ela estava rezando pra ele surpreendê-la e pra noite anterior não ter sido o maior erro de sua vida, mas ao mesmo tempo, não estava alimentando muita esperança.

Ele hesitou, e quando falou de novo, ela podia sentir um pouco de culpa em sua voz. "Eu-" ele suspirou pesadamente. "Deus, eu só estou muito nervoso comigo mesmo agora - você nem pode imaginar, acredite em mim - mas vou ter que cancelar com você."

"Cancelar?" ela perguntou, seu coração afundando. "Nem tínhamos decidido o dia."

Ela ouviu um som frustrado do outro lado. "Eu sei. Por favor, por favor acredite em mim quando eu digo que se tivesse outro jeito-" ele parou, aparentemente muito triste pra continuar.

Ela franziu a testa ao quanto ele soava culpado. "O que está acontecendo?" ela perguntou, tentando descobrir porque ele estava tão mal. Claro, ela estava sentindo o estômago revirar, mas da perspectiva dele, bem, era só um encontro.

"Acontece que estou deixando o país por tempo indeterminado. Eu não sei o que te dizer. Eu realmente sinto muito. Não tem nada que eu possa fazer."

"Indeterminado?" ela se agarrou a palavra. "Mas... bem, quer dizer, você vai voltar eventualmente, certo?"

Ele suspirou exausto. "Sim, é só... que provavelmente vai demorar muito mais do que uma semana antes de eu conseguir voltar. Eu realmente não sei quanto tempo por enquanto. Eu só... você sabe, eu tinha planejado tudo pra você-"

Ela piscou, levemente surpresa ao quão importante aparentemente ela era pra ele. Não era o que ela esperava dele.

"-e eu sei que você pensa que eu sou... imprestável, mas-"

Ela franziu a testa. "Eu não te acho imprestável."

"Olha, está tudo bem, só-"

"Oliver", ela o cortou. "Eu sei que não fui amigável com você, mas... bem, não foi intencional. E enfim, eu não sairia com alguém que considero imprestável. Claro, eu não sei se gosto de você ou não, mas eu estava disposta a descobrir. Olha, só... eu não sei. Me ligue quando voltar."

Ele fez uma longa pausa. "Eu ligo. Eu vou tentar te avisar o mais rápido possível quando estarei de volta. Você tem um e-mail pra eu entrar em contato?" ele acrescentou.

"Claro, meu e-mail está no Planeta desta manhã." Ela suspirou, olhando feio para a primeira página no canto de sua mesa.

"Certo. Não tinha pensado nisso. Hum... então... eu acho, eu não sei, tente não se envolver em problemas enquanto estou fora?" ele brincou fracamente.

Ela deu risada. "Eu sinceramente duvido que corra esse risco." Ela suspirou. "Então só por curiosidade, o que você tinha planejado?"

"Eu não vou contar."

Ela parou. "Por que não?"

"Ainda existe a possibilidade de eu conseguir fazer o que pensei quando eu voltar", ele explicou.

"Certo", ela revirou os olhos sarcasticamente. "Cinco dólares como você não tem ideia do que ia fazer comigo."

Ele deu risada sombriamente do outro lado. "Bem, eu tinha algumas ideias..."

"Se você diz, Queen", ela falou.

"Sim, sim. Espere e verá, Sullivan."

Ela suspirou. "Se você está dizendo. Enfim, eu imagino que você tem que ir, já que precisa partir tão de repente, e, infelizmente", ela checou o relógio. "Eu tenho um almoço daqui a pouco."

"Oh." Houve uma longa pausa. "Ok... bem-" ele parou de novo. "Ok, isso vai soar realmente estranho e possivelmente assustador, mas não me julgue, ok?"

Chloe ergueu uma sobrancelha. "O-kay?"

"Vou sentir sua falta."

Ela deu risada. "Que seja, Queen. Ligue quando voltar para o meu lado do mundo", ela disse antes de desligar.

________

Kate Masters era uma mulher magra, com um rosto pequeno e cabelo castanho. Ela usava um par de óculos que pareciam cair eternamente por seu nariz, e encarnava com perfeição aguda a ideia de  'esquecível'.

Também acontecia de ela ser a assistente pessoal do Prefeito Prinn nos últimos três anos.

"Os piores três anos da minha vida", ela gemeu pela centésima vez, e Chloe deu um tapinha em seu braço em simpatia.

"Bem, tudo que eu posso dizer é que não posso agradecê-la o suficiente por concordar em me encontrar hoje. Lois realmente sente muito por não ter conseguido vir." Ela tomou outro gole de café, em contagem regressiva.

Três... dois...

"Eu trouxe os arquivos que você pediu." Kate falou.

FINALMENTE! "Oh! Muito obrigada. Mesmo."

A mulher sorriu, segurando o flash drive fora de alcance por um breve momento. "E você pode jurar que isso vai derrubá-lo, certo?" Ela falou mais baixo, olhando ao redor da cafeteria pra ter certeza que não estavam sendo observadas. "Quer dizer, eu odeio o cara, mas não entregaria o Hitler pra ser chantageado." Ela parou. "Ok, bem, talvez Hitler, mas-"

"Eu entendi. E eu posso garantir, Kate, estou fazendo isso por razões nada egoístas."

Ela assentiu. "Eu sei. Eu sei disso", ela repetiu, quase como se estivesse dizendo a si mesma. "Eu tenho lido seu trabalho no Planeta. Você sempre escreve sobre aquele Arqueiro Verde."

O coração de Chloe parecia ter sido espetado por uma agulha. Ótimo, ela olhou discretamente para o relógio, calculando. Vinte minutos desde a última vez que pensei nele. O recorde do dia. Uhu.

"Você está bem?"

Chloe voltou a atenção pra ela. "Desculpe. Estou bem. Só tem muita coisa na minha cabeça."

Kate entregou a ela o flash drive. "Eu tenho que ir. Meu horário de almoço está quase acabando. E se eu me atrasar um minuto... juro, eu odeio aquele cara", ela gemeu.

"Bem, se isso faz você se sentir melhor", Chloe disse, guardando o dispositivo na bolsa. "Hoje você é uma heroína." Ela sorriu encorajadoramente antes de jogar algumas notas na mesa.

________

Naquela noite...

Oliver segurou seu rosto nas mãos e a puxou pra frente, afundando seus lábios nos dela. Era suave e gentil e ela sentiu os olhos se fecharem, respirando com ele. Seus olhos se abriram de novo quando sentiu um segundo corpo pressionado atrás dela no sofá, o braço dele dando a volta em sua cintura e subindo a seda verde de seu vestido, encontrando seu calor e segurando-o com a mão enluvada.

Ela arfou surpresa e Oliver tomou vantagem de sua boca aberta, enfiando sua língua dentro e acariciando a dela com força. Ela agarrou seus braços por apoio, batendo os quadris enquanto o Arqueiro Verde continuava a esfregar a mão sobre seu centro, lentamente deixando-a mais e mais excitada. Ela beijou Oliver com vigor, tentando saciar sua necessidade, sentindo a ereção pressionada contra sua bunda.

As mãos de Oliver deslizaram de seu rosto e pescoço e moveram-se para seus seios, agarrando-os através do tecido, polegares roçando seus mamilos apertados, fazendo Chloe gemer, batendo-se contra a mão ainda a acariciando. Ela agarrou a camisa de Oliver, abrindo-a, forçando as mãos dele a se afastarem dela momentaneamente enquanto tirava a peça de roupa do corpo dele, precisando sentir a pele nua. Ela ouviu o Arqueiro Verde rir atrás dela, os lábios dele beijando seu ombro e então seu pescoço, encontrando seu ouvido em seguida, mordiscando ali enquanto empurrava sua calcinha para o lado e enfiava dois dedos dentro de sua passagem úmida.

Ela gritou e Oliver cobriu sua boca com a dele para engolir o som. Ele deslizou as alças do vestido pra baixo, expondo os seios dela. Ele apertou seus bicos enquanto ela gemia em sua boca, arqueando em suas mãos e cavalgando os dois dedos agora bombeando pra dentro e fora dela. A boca de Oliver desceu mais e sua cabeça descansou no ombro do Arqueiro Verde. Ele fechou os lábios sobre um de seus seios, chupando o bico e puxando, arrancando uma mistura de soluço e grito dos lábios de Chloe. Ela segurou sua cabeça perto dela enquanto sua língua estalava rapidamente seu mamilo e o polegar do Arqueiro Verde roçava seu clitóris enquanto a fodia com os dedos.

"Oh, Deus", ela gritou, seu corpo pedindo mais, querendo mais. "Por favor."

E então os dois homens a estavam soltando, o Arqueiro Verde tirando os dedos ensopados de dentro dela e os pressionando em sua boca, Chloe choramingou à perda e chupou os dedos dele. Assim que ele retirou os dedos, a boca de Oliver estava sobre a dela novamente, correndo a língua por sua boca para provar o remanescente de seu sabor. Ela choramingou no fundo da garganta enquanto as mãos enluvadas do Arqueiro cobriam seus seios agora, o couro frio um choque repentino quando ele apertou seus bicos, então começou a correr círculos sobre eles com os polegares.

Oliver se afastou de seus lábios novamente e então se ajoelhou na frente dela no chão, arrancando sua calcinha e abrindo suas coxas o mais que pôde, tirando a saia dela do caminho, encontrando o olhar de Chloe para garantir que ela estivesse olhando antes de se abaixar e fechar os lábios ao redor de seu clitóris, chupando-o com força. Chloe gritou e jogou a cabeça pra trás novamente, suas coxas se apertando. As mãos de Oliver as afastaram, segurando-as abertas pra ele, e por trás dela o Arqueiro Verde emaranhava uma mão em seu cabelo, empurrando sua cabeça pra frente para que ela fosse forçada a assistir o progresso de Oliver. Ela observou ele estalar a língua sobre seu clitóris, então lamber suas dobras molhadas, seus polegares roçando suas coxas trêmulas. Ela gemeu quando ele sugou um de seus lábios inferiores na boca, puxando-o e esticando-o antes de se mover para o outro lado e dar o mesmo tratamento. Ela bateu os quadris, as mãos de Oliver a segurando no lugar na maior parte, mas o Arqueiro Verde gemeu atrás dela quando ela se bateu contra seu pau, e ela desejou que um deles a fodesse de uma vez.

Como se estivesse respondendo seu pensamento, a língua de Oliver a penetrou, enfiando-se dentro e fora, fazendo-a se contorcer de prazer, seus olhos nunca deixando os dele, seus seios ardendo das ministrações do Arqueiro Verde. Chloe podia sentir o clímax se aproximando enquanto Oliver continuava enfiando a língua dentro dela, o nariz roçando contra seu clitóris, e de repente seu olhar foi arrancado dele quando o Arqueiro Verde virou sua cabeça para encontrar seus lábios, beijando-a possessivamente enquanto ela gritava em sua boca, gozando na boca de Oliver...

Dia 2

Chloe abriu os olhos, seu corpo quente e vermelho. "Puta merda."

_____

"Ei, prima, eu - oh, meu Deus, o que aconteceu?"

Chloe piscou, olhando pra cima em sua mesa no Planeta. "Oi, Lois. Vejo que você está melhor."

"Não vem com essa. O que aconteceu?"

Chloe revirou os olhos. Ela deveria saber que Lois perceberia em minutos, mas desejava que não fosse tão óbvio. Ela debateu. Ela podia negar que tinha acontecido alguma coisa então evitaria conversar sobre o assunto, ou podia pelo menos adiar um pouco. Ela suspirou. "Eu terminei tudo."

Lois ficou olhando pra ela em confusão. "Terminou o quê?"

Espere pra ver, Chloe pensou. Quatro... três... dois...

"OH MEU DEUS!"

Ding ding ding.

Algumas pessoas ao redor da reação olharam pra cima surpresos à repentina exclamação de Lois. Lois se encolheu. "Os Cubs perderam?" ela disse, gesticulando para a seção de esportes em sua frente.

"Lois, ainda nem é temporada de beisebol", Chloe deu risada enquanto todo mundo mandava um olhar estranho a Lois antes de voltar ao trabalho.

"Esquece isso", Lois disse, puxando a cadeira para sentar perto de Chloe, inclinando-se pra frente. "O que aconteceu? Achei que você fosse esperar pra ver o que acontecia."

Chloe fechou os olhos. "Eu também achei. Mas então... ele veio me ver... e bem, você sabe", ela disse significativamente, "e então eu me senti culpada, como se o estivesse traindo, mais ou menos, então eu disse a ele que Queen me chamou pra sair, e então uma coisa levou a outra e... bem, você entendeu."

"Oh, Chlo", Lois disse, puxando-a para um abraço. "Sinto muito. Eu sei que você gostava dele."

Chloe se permitiu receber o abraço de sua prima e aceitou um pouco de conforto por um momento antes de serem interrompidas.

"Sullivan! Lane! Que terapia é essa?"

Elas se separaram para encontrar Perry olhando feio.

"Desculpe, Chefe", Lois disse rapidamente, dando a volta na própria mesa e indo ler sua correspondência.

Perry passou perto de Chloe e murmurou preocupado. "Tudo bem, Sullivan?"

Dando um sorriso fraco, Chloe assentiu.

"Ótimo", ele disse, o mal humor retornando. "Volte ao trabalho. Isso aqui não é uma creche."

"Ok, Chefe", Chloe brincou, usando o apelido de Lois pra ele.

Ele piscou pra ela antes de voltar para seu escritório, gritando com outras pessoas no caminho.

Quando ele se foi, Lois olhou para Chloe por sobre o computador. "Então você conseguiu tudo com Masters?"

Chloe assentiu.

"Legal." Ela olhou ao redor. "Meu apartamento depois do trabalho?" ela perguntou.

"Combinado."

Quando a noite chegou, Chloe ficou agradecida pela diminuição do ritmo de trabalho que teve durante todo o dia, e ainda mais agradecida pelo projeto que a aguardava. Ela precisava de distração. No almoço, ela conseguiu contar toda a história a Lois, sobre como as coisas tinham acontecido com o homem de seus sonhos em favor de Oliver Queen, alguém que ela nem tinha certeza se gostava, que acabou indo para outro país.

Lois elegantemente xingou os dois homens, dependendo a quem ela atribuía a culpa a cada momento.

Além disso, Chloe conseguiu manter-se ocupada o máximo possível, em sua tentativa fútil de passar o menor tempo possível pensando em cada um deles. Ela não conseguia decidir com qual dos dois estava mais chateada: o Arqueiro Verde por não ter revelado sua identidade mesmo depois de ter dormido com ela ou Oliver Queen por ter arruinado sua vida sexual/amorosa com seu cancelamento estúpido.

Ela e Lois trabalharam até tarde. O artigo sobre o prefeito, com as duas, não demorou muito, mas depois disso houve sorvete e filmes para chorar enquanto trabalhavam suas emoções sobre os homens.

________

Chloe voltou para seu apartamento naquela noite perto das duas da manhã, pensando no fundo de sua mente que pelo menos deveria dormir logo, contando o quanto estava exausta, ela provavelmente nem sonharia. Sua mente voltando ao sonho que tivera na noite anterior e ela gemeu quando se deitou, mal lembrando de apagar a luz antes de sua cabeça atingir o travesseiro e ela adormecer...

__________

"Oh, Deus, sim!" Mãos enluvadas agarraram suas coxas com força e ela sentiu quando o Arqueiro Verde se pressionou contra ela por trás, inclinando-se e beijando seu ombro, mas sua mente estava em Oliver enquanto estendia a mão e acariciava seu pau com a mão. Uma pequena quantidade de líquido apareceu, e ela lambeu antes de fechar a boca ao redor dele e chupar, desfrutando do gemido dele em resposta. Ela gemeu ao redor dele enquanto o Arqueiro Verde começava a esfregar seu clitóris...

Dia 3

Chloe acordou com um gemido, enterrando a cabeça no travesseiro em frustração, sentindo o desespero entre suas coxas. Seu rosto ficou vermelho ao relembrar cada detalhe do sonho psicótico que tivera.

"Droga", ela murmurou no travesseiro.

_________

Chloe se recostou contra a cadeira, olhando para o jornal da manhã com um sorriso satisfeito.

O Preço de Prinn: Você Pode Pagar?

O artigo expunha o dinheiro desviado da cidade e de fundações de caridade, e também o fato de ele receber propinas desde sua eleição. Naquele momento, o promotor estava interrogando o prefeito, e Chloe e Lois estavam tilintando as xícaras de café em comemoração.

"Oi, Lois. Eu não te vi ontem. Está se sentindo melhor?"

Lois se virou, quase derramando o café, fazendo Chloe observá-la curiosamente. "Oh, ei, Smallville. Sim. Obrigada." Ela imediatamente se ocupou com trabalho imaginário enquanto Clark falava bom dia para Chloe e ia para sua própria mesa atrás dela. Chloe estudou as orelhas vermelhas de Lois que fingia estar ocupada com uma carta fechada.

Chloe ergueu uma sobrancelha. "Huh", foi sua reação minimalista ao novo rumo das coisas.

Lois olhou pra cima defensivamente. "O quê?"

"Nada", Chloe disse simplesmente, virando-se para seu computador para abrir seu e-mail. Então, depois de alguns momentos, "Então, Clark foi até sua casa outro dia quando você estava doente, huh?"

"O quê?" Lois pulou de novo. "Ah é, ele foi."

"Interessante", ela disse simplesmente antes de voltar ao computador, perguntando-se porque a internet estava tão lenta.

A palavra ficou no ar por algum momento antes de Lois falar.

"O que você quer dizer com 'interessante'?"

"Hum? Nada."

"Não, você disse. O que isso significa?"

"Bem, é só que eu sempre pensei que..." ela olhou para Clark enquanto ele ia pegar água, 'acidentalmente' trombando em alguém no processo. "Esquece, é besteira."

Lois olhou feio. "Chloe Ann Sullivan, me diz o que está acontecendo neste instante."

Chloe suspirou. "Oh, eu não sei. Eu acho que sempre pensei que havia alguma coisa... aí." Ela acenou com desdém. "Mas é besteira. Você está saindo com Bruce."

"Certo..." Lois murmurou pensativa. "Bruce."

"Aham", Chloe disse, momentaneamente perdendo interesse enquanto era recebida por uma caixa de entrada vazia pelo terceiro dia seguido. Ela vinha debatendo se era melhor ou não mandar um e-mail pra ele. Mas talvez ele achasse melhor não conversar com ela. Talvez ele estivesse certo, neste caso. Respirando fundo, ela se forçou a relaxar e voltou sua atenção para Lois. "Mas você sabe, não é como se você e Bruce seja sério. Quer dizer... eu gosto dele e tudo, mas Clark é muito..." ela sorriu, "Clark."

Um passo muito largo. Lois ficou defensiva. "Smallville não está interessado em mim. E de qualquer forma, eu não estou interessada nele. Eu não sei de onde você tirou uma ideia tão insana", ela acrescentou, ficando vermelha.

Chloe deu um risinho. "Certo. O que eu estava pensando?" Ela revirou os olhos, olhando carinhosamente para o alheio Clark Kent, que agora mandava olhares nervosos a Lois do outro lado da sala.

Estou rodeada de pombinhos apaixonados, ela suspirou. Acho que era só questão de tempo antes deles me infectarem.

Naquela noite...

Ela estava no vestido verde do baile em Gotham, descansando a cabeça contra o ombro dele e dançando sob o teto de vidro do prédio. A mão de Oliver segurou seu queixo, erguendo-o pra ele para que pudesse beijá-la, e ela emaranhou as mãos em seu cabelo loiro, permitindo que a língua dele deslizasse contra a sua. Uma mão enluvada entrou pela fenda do vestido, passando a mão ao redor de sua coxa e pressionando-a contra ele. Chloe estendeu a mão e abriu o zíper do colete dele, descendo-o por seus ombros.

"Eu te amo..."

_______

Horas depois naquela manhã, Chloe acordou novamente, peito pesado, a pele escorregadia de suor. Seus olhos ainda pesados do sono, ela se levantou da cama, arrastando-se para o banheiro. Ela acendeu a luz e estreitou os olhos se ajustando a luminosidade.

Oliver Queen no uniforme do Arqueiro Verde.

Ela precisava de terapia.

Cansada, ela tirou as roupas uma a uma, e foi para o chuveiro, meio adormecida enquanto abria a água, o máximo para conseguir água gelada e entrou.

No andar de baixo, um velho casal acordou num susto, abrindo os olhos em choque e olhando pra cima preocupados, a fonte do grito que ouviram.

_______
TREZE

_________________________________________________________________________

14 comentários:

  1. Eu ia lamentar pelo Oliver ter cancelado o encontro que já foi aceito com tanta má vontade e dizer o quanto eu quero que a Chloe descubra logo que ele é o Arqueiro e tal. Mas esses sonhos dominaram o capítulo de um jeito que... Wow!... mil vezes wow!
    Só isso mesmo kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, Paula... os sonhos são realmente... wow...

      Excluir
  2. Que sonho foi esse sério .. sem pensamentos coerentes no momento : o

    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, Alice... perfeitamente compreensível!!!

      Excluir
  3. Ai caramba... Tô ficando louca também, o rompimento da Chloe com o Arqueiro e a viagem do Ollie me deprimiram...

    Então, de repente, TÓIN! Que sonho foi aquele, pelamordedeus?????? E depois outro... E...
    Chloe, minha filha, dê mais crédito à sua intuição, ela tá gritando nos seus sonhos!!! kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, Ciça... não deu nem pra ficar triste, né?

      Excluir
  4. :O

    Céus!!

    W.O.W............... O.O

    GIL

    ResponderExcluir
  5. Gente é o subconsciente da Chloe, será que ela finalmente descobriu o enigma, através dos sonhos? e que sonhos são esses? Minha nossa senhora das piriquitas abandonadas. KKKKKKKK

    ResponderExcluir
  6. Preciso fazer outro comentário: Oliver ele tá doidin, doidin, com o alter ego dele,não é possível está revoltado consigo próprio, porque fez a Chloe chorar, se ele e o arqueiro são a mesma pessoa, meu fi resolva logo isso e esfrie o fogo da chloe, eu não estou aguentando e fui logo ler o próximo capítulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha... entendo, Michelle, rs...

      Excluir
  7. gente não aguentei, o proximo capitulo é tão maluco quanto esse, e também tem sonhos, adivinha de quem agora, kkkkkkkkk. Desculpem tá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problema, Michelle, já postei o 13 pra matar a curiosidade de todo mundo, rs...

      Excluir

Google Analytics Alternative