13.7.13

Talking In Your Sleep (10/21)


Resumo: Intrépida repórter para o Planeta Diário, Chloe Sullivan, tem seu coração roubado por um herói mascarado, o Arqueiro Verde, mas ela ficará satisfeita em não saber sua verdadeira identidade?
Autorathe_bluesuede
Classificação: NC-17
Linha de tempo: Sexta temporada
Banner552158
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06 :: 07 :: 08.1 :: 08.2 :: 09





E estes são meus sonhos
Que nunca vivi antes.
Alguém me acorde
Porque eu, eu devo estar dormindo.

So Far Away
Staind



"Então, Chloe, eu venho seguindo seu trabalho no Planeta Diário ultimamente. Estou impressionado", Bruce sorriu pra ela. Eles estavam sentados no salão, Lois enroscada ao lado de Bruce, seu pé agora descalço sob ela. Ela estava bonita no vestido vermelho que escolhera para a noite, Oliver decidiu, embora não pudesse deixar de preferir o esquema de cores de Chloe, ele acrescentou pra si mesmo enquanto mais uma vez apreciava o vestido escolhido por ela. Ela o pegou olhando, e ele rapidamente desviou o olhar, não querendo dar a ela mais oportunidades para rejeitá-lo.

Ela ergueu a sobrancelha e seus olhos correram por Oliver, que rapidamente tomou um longo gole de seu uísque, Chloe respondeu o elogio de Bruce. "Obrigada, Bruce. Eu só tenho tido sorte. Lugar certo na hora certa." Ela parou momentaneamente, e Oliver a viu ficar um pouco vermelha. "E eu tive um pouco de ajuda."

"Ajuda?" Bruce perguntou enquanto Oliver dava um risinho de satisfação.

"Fonte anônima?" Oliver perguntou, tentando não sorrir muito obviamente. "Que interessante."

O rosto de Chloe estava escarlate, ele percebeu com prazer. "Não é?" ela disse entredentes, dando um olhar de alerta a Lois. Oliver descobriu que não estava mais incomodado com a tensão na voz dela. Por mais que ele fosse a causa direta do desconforto dela durante a maior parte da noite, estava agora desfrutando do fato de o Arqueiro Verde ser a nova causa.

__________

"Oliver Queen gosta de você."

Chloe parou, seu garfo a meio caminho da boca, a atenção voltada para sua prima claramente maluca. "Enlouqueceu?" ela declarou, incapaz de impedir as palavras de saírem.

Elas estavam aproveitando um almoço juntas num restaurante recomendado por Bruce. O homem estava atendendo uma reunião com um de seus administradores - um tal Lucius Fox. Ele tinha dito que era urgente e que era uma ótima oportunidade para Lois e Chloe desfrutarem do tal 'tempo de primas' que Lois vinha insistindo em ter.

Lois revirou os olhos, tomando um gole de seu vinho. "Era tão óbvio. Você viu ele babando naquele vestido? Eu te disse que estava maravilhoso."

Chloe balançou a cabeça. "Lois, Oliver Queen é homem. Ele pode me achar atraente. Talvez. Mas ele ainda pode apreciar meu colo sem ter que gostar de mim. Existe uma diferença."

"Sim, mas ele gosta de você", Lois persistiu. "E eu não entendo porque você é tão rude com ele." Ela acrescentou, erguendo uma sobrancelha para a prima.

Chloe suspirou. "Foi tão ruim assim?"

"Mais que ruim."

Ela devolveu o garfo ao prato, perdendo um pouco o apetite de repente. "Eu não estava tentando ser rude. Ele faz eu ficar envergonhada e eu estava tão distraída com tudo que aconteceu com o Arqueiro Verde, que acabei trocando os pés pelas mãos. Foi ridículo. De qualquer jeito, eu posso dizer com absoluta certeza que Oliver Queen não gosta de mim. Eu tenho certeza que ele pensa que sou uma anti-social no mínimo."

Lois bufou. "Certo. E deve ser por isso que ele passou a noite inteira tentando fazer você olhar pra ele por mais que dois segundos inteiros. Eu tenho que dizer, eu meio que gostei dele. Qualquer amigo de Bruce é legal pra mim, pra começar. E enfim, por mais que eu aprove você ter sexo maravilhoso com o Geléia Verde-"

"Pelo amor de Deus, Lois. Esta é a última vez que eu te peço pra parar de falar tão alto sobre minha vida sexual em público." 

Lois acenou com o garfo para Chloe. "Não me interrompa. Por mais que eu aprove aquele acontecimento - Feliz? - nós duas concordamos que você não pode ter um relacionamento normal com ele. Então eu digo pra manter as possibilidades em aberto."

Chloe ficou apenas olhando pra ela. E então começou a gargalhar. "Com Oliver Queen? Oh, Lois, você realmente enlouqueceu. Olha, mesmo que isso fosse possível, que Queen goste de mim, isso não significa que ele queira me namorar. E vamos lá, você lê o que a mídia escreve sobre ele? Ele não é do tipo que namora. Eu poderia até me arriscar que qualquer tipo de relacionamento que eu tenha com Você-Sabe-Quem seria mais normal do que um com Oliver Queen." Ela voltou ao macarrão com repentino vigor. 

Lois deu um risinho. "Ok, primeiro, não vamos chamá-lo de 'Você-Sabe-Quem'. Vou achar que estamos falando de Voldemort. Segundo, você sabe que não deve confiar na mídia. Você trabalha nela. E enfim, olhe para Bruce. Ele faz muita besteira - menos agora que estou por perto, mas faz besteira. E ele é realmente um grande cara. Metade das coisas que saem nos jornais são exageros e a outra metade vem de pessoas que o subestimam como homem de negócios."

Não, Chloe discordou internamente, a outra metade é porque ele anda por aí num colete à noite combatendo o crime. Oliver Queen não tem tal desculpa. Claro, ela não podia dizer isso em voz alta, então apenas respondeu. "Eu te entendo. Mas nem todo mundo é legal como Bruce."

Lois sorriu. "Verdade."

Chloe bufou. Então seu telefone soou.

arqueiroesmeralda1 quando você volta pra Metrópolis?

Ela sorriu, mandando uma mensagem de volta enquanto Lois a observava do outro lado da mesa com olhos estreitos.

__________

arqueiroesmeralda1 Planeta Diário em uma hora.

Chloe olhou para a mensagem pela milionésima vez e olhou para o relógio. A qualquer minuto agora. Ela tinha chegado de Gotham há menos de um dia, e para sua surpresa, ao invés de falar sobre o que tinham feito na horizontal, ele lhe mandou uma mensagem sobre o fato de que tinha informação sobre Lex Luthor. Algo sobre o qual ele achou que o Planeta estaria interessado.

O que era ótimo, claro. Era parte da dinâmica. Eles trocavam informações sobre os caras maus essencialmente.

Ela tremia convulsivamente, incapaz de suportar mais o frio. Com outra olhada para o relógio ela balançou a cabeça e foi para a porta. Ela deu um grito surpreso quando uma flecha passou em sua frente, bloqueando seu caminho e se prendendo numa parede que estava a poucos passos. Ela olhou feio na direção de onde a flecha veio. E claro, lá estava ele, indo até ela, sua expressão ilegível nas sombras. Quando ele falou, no entanto, até com o distorcedor não era possível esconder a diversão em sua voz. "Já cansou de esperar por mim? Meu relógio deve estar atrasado. Achei que estivesse adiantado."

Ela continuou olhando feio. "Você podia ter me acertado, seu neandertal. E eu não estava indo embora. Só ia esperar lá dentro. Está frio e eu esqueci meu casaco."

Ele deu um risinho, passando um braço ao redor da cintura dela e arrastando-a pra ele; ela lutou contra um sorriso. "Como se eu fosse te acertar", ele brincou. "Oh, que pouca fé. Eu nunca erro." Ele se inclinou e a beijou gentilmente e suspirou em sua boca, seus olhos se fechando, irritação se dissolvendo.

"Senti sua falta", ela murmurou contra seus lábios.

"Senti falta da sua boca", ele brincou. "E de outras partes. Mas mais da sua boca."

Ela o empurrou pra trás, revirando os olhos, sorrindo mesmo assim, mas ele não a soltou. "Então você disse que tinha informação para uma matéria?" ela perguntou se agarrando ao mínimo profissionalismo que lhe restava.

Ela viu o leve desânimo passar pelo rosto dele enquanto assentia, soltando seus quadris para pegar um flash drive. "Aqui tem uma gravação de vídeo", ele disse simplesmente entregando a ela.

Ela pegou, sentindo-se estranhamente nervosa sobre o conteúdo do pequeno pedaço de plástico. "Do quê?"

"Do que ele anda fazendo. Aquela instalação para pesquisa sobre doenças mentais?" Ele parou, e ela mal suprimiu um tremor ao sentir a raiva que emanava dele. "Não é bem isso."

Ela engoliu com dificuldade. "Vou dar uma olhada. Obrigada."

Ele acenou com a cabeça.

Ela ergueu uma sobrancelha à evidente tensão. "É ruim, não é?"

"Muito."

Ela abriu a boca para dizer alguma coisa, embora não soubesse ao certo o que, então a fechou novamente. Ela estava ciente do vago senso de desapontamento, embora preferisse morrer a admitir. Maldito seja, Lex Luthor, ela pensou sem humor, atrapalhando minha vida sexual. Ela suspirou, resignando-se a outra noite sozinha no Planeta. "Bem", ela disse, guardando o dispositivo na bolsa. "É melhor eu ir, então."

O mau humor dele sumindo quase imediatamente enquanto a segurava. "Mas já?" ele brincou, inclinando-se para capturar seus lábios de novo, como se não conseguisse imaginar o que a faria sonhar em ir embora tão cedo. Ela deu um risinho contra sua boca, mão subindo por seu pescoço. "Por quê? Você tem uma sugestão melhor?" ela brincou, então deu um grito quando ele a empurrou contra a parede e segurou seus quadris com um pouco mais de força. Ele a silenciou efetivamente quando forçou a entrada da língua em sua boca, e ela gemeu, olhos se fechando. Ele correu os polegares pelo quadril dela, e ela podia sentir a dor familiar começando a crescer entre suas coxas. Ela estava planejando sugerir que ele a encontrasse em seu apartamento - assim que conseguisse encontrar um jeito de dizer isso sem soar absolutamente ridícula. Mas o processo de pensamento foi banido de sua mente quando sentiu a mão dele roçar seu seio através da blusa, e ela de repente percebeu que aparentemente ele não via nada de errado com o lugar onde estavam. Ela pressionou os seios ainda mais contra suas mãos, encorajando-o a continuar. Ela bateu os quadris pra frente, pressionando o volume endurecido e ele gemeu, a mão ainda em seu quadril.

"Chloe", ele arfou, e ela estremeceu. Houve de novo aquele distinto som que ela quase podia separar do distorcedor, mas só quase. "Deus, Sidekick", ele gemeu, involuntariamente se esfregando nela. "O fim de semana inteiro eu senti que você estava a meu alcance. Eu queria você", ele sussurrou em seu ouvido, roçando seus lábios ali.

Chloe arfou, cabeça caindo pra trás enquanto suas coxas tremiam em necessidade. "Eu estou aqui", ela arfou. "Estou aqui."

Ele a soltou e ela choramingou, recostando-se contra o frio e áspero tijolo atrás dela, sentindo os lábios dele correrem por sua garganta, o corpo dele se abaixando em sua frente. A respiração dela acelerou quando as mãos dele subiram sua saia e ela sentiu o ar frio atingir suas coxas nuas. Ela apoiou as mãos na parede para não cair, olhos se fechando em antecipação. E então, para seu choque, a boca dele se fechou sobre ela através da renda de sua já molhada calcinha. Ela arfou alto, o calor da boca dele inundando seu centro, o hálito quente delicioso em suas dobras. Ela gemeu no fundo da garganta, se empurrando contra a boca dele. Ele fechou as mãos ao redor de suas coxas, abrindo-as ainda mais pra ele e ela gemeu ao sentir o couro, perguntando-se qual seria a sensação das mãos nuas, mais do que apenas as pontas dos dedos expostas roçando a linha de sua calcinha. "Mais", ela pediu. "Por favor."

Ele lambeu todo o caminho de sua fenda através da renda e ela gritou de novo, um baixo, estrangulado gemido que se tornou um grito. E então, de repente, ela o sentiu arrancando sua calcinha, se levantando e libertando seu pau. Ela estava tão ocupada tentando recuperar o fôlego que não estava preparada pra ele tomá-la, forçando suas coxas a se envolverem no quadril dele enquanto ele se afundava. Ela mordeu seu ombro, tremendo enquanto ele a preenchia, girando os quadris, esfregando o clitóris contra ele enquanto ele se enfiava dentro dela, pressionando com força contra a parede. Ela estava vagamente ciente dos arranhões e hematomas que teria da parede na manhã seguinte, mas também estava convencida que valeria à pena. Ele se afundou dentro dela repetidamente até ela poder sentir o clímax se aproximando, a ponta do pau dele esfregando seu ponto G, seu clitóris inchado sendo esfregado contra ele a cada investida. Ela se agarrou a ele, unhas cravando o couro, choramingando cada vez que ele se retirava, só pra afundar de volta. Finalmente ela soltou um grito, gozando ao redor dele, corpo ficando tenso e em seguida relaxando, o alívio dele seguindo o dela em segundos.

Eles ficaram em pé - ou melhor, ele ficou em pé, e ela ficou suspensa no ar, pernas ainda envolvidas com força ao redor dele, pressionada contra entre a parede dura e seu corpo duro - em silêncio, os dois arfando, o ar frio do outono bem-vindo ao redor deles enquanto ele a segurava, não se retirando de dentro dela séculos depois dos dois terem gozado.

Ele correu beijos por seu rosto e cabelo, agarrando-a junto a ele, seu peito subindo e descendo tão pesadamente quanto o dela. Então, finalmente, quando a respiração dos dois se acalmou, ele se retirou dela e gentilmente a colocou no chão. Ele arrumou a calça e ela abaixou a saia, embora isso não fosse ajudar a resolver o amassado do tecido. Ela se recostou no muro, as pernas parecendo um pouco gelatina, e ele colocou as mãos ao lado do rosto dela, beijando-a longamente. Sua boca se afastou da dela depois de um momento, traçando a linha de sua mandíbula em direção a seu ouvido. "Da próxima vez vou demorar com você", ele prometeu e ela estremeceu.

"Próxima vez?" ela questionou, não havendo muito espaço em sua mente para pensamentos coerentes no momento.

Ele parou. "Amanhã?"

Ela deu risada, descendo a cabeça até o pescoço dele e inspirando profundamente. "Correndo o risco de parecer muito ansiosa. Quando quiser."

Ele deu um risinho, beijando o alto de sua cabeça convencidamente.

__________

Chloe bocejou, cruzando os braços sobre a mesa e deitando a cabeça ali.

Clark ergueu uma sobrancelha. "Sabe, é possível escrever uma matéria no horário normal de trabalho", ele sugeriu, agradecendo alguém que lhe entregava algumas fotos. "Você não é uma pessoa noturna."

Chloe deu risada no escuro que seus braços criavam. "Não sou."

Ele franziu a testa. "O que isso quer dizer?"

"Nada", ela suspirou, recostando-se. "Eu acho que peguei informações na hora errada da noite, e não consegui adiar o artigo até esta manhã, não quando é algo sobre Lex Luthor fazendo experimentos em infectados por meteoro."

Clark ficou sério enquanto olhava para as manchetes da manhã. "Mas você não conseguiu conectar isso a ele?" ele perguntou resignado, correndo os olhos pelo artigo.

Ela balançou a cabeça, dando uma olhada na manchete também. "Ele cobre os rastros muito bem. Ele não aparece em nenhuma das gravações de vídeo que eu recebi. Não há papeis com sua assinatura, pelo menos não que eu pudesse encontrar. Infelizmente, tudo que consegui publicar foi que os médicos da instalação eram trapaceiros. Mas ele não pode se esconder pra sempre. Lex vem abrindo instalações para vários projetos ao redor do país há mais de um mês. Eu aposto que noventa por cento delas tem objetivos iguais a esta." Ela pegou a garrafa térmica e se levantou, indo para a sala de cópia, onde o café ficava. "Assim que eu conseguir provar, vai ficar dolorosamente óbvio que ele está por trás de tudo. Ele não pode dizer que todo mundo que ele contratou é um trapaceiro."

"Chloe", Clark disse, seguindo-a até ela chegar a cafeteira, sua voz repleta de preocupação. "Você não pode derrubar Lex Luthor sozinha."

"Eu não estou sozinha", ela disse sem pensar. Ela viu a expressão surpresa de Clark enquanto se servia de café. "Quer dizer", ela completou rapidamente. "Eu tenho você", ela disse. Afinal, ele era o Super Homem. "E Lois, e praticamente toda a cidade de Metrópolis. Estamos todos só esperando pelo dia em que poderemos finalmente expor Luthor pela escória que ele é."

Clark balançou a cabeça, desaprovando. "Talvez, Chloe, mas eu não acho muito esperto deliberadamente ir atrás dele. Nós dois sabemos o tipo de problema que ele pode causar. Sem mencionar o risco que é pra você", ele disse, colocando as mãos nos ombros dela para impedi-la de passar por ele. "Chloe, estou preocupado com você. Prometa-se que será cuidadosa e vai se afastar disso por um tempo."

Chloe fez cara feia, não conseguindo se soltar. "Clark, você sabe como eu me sinto sobre isso. Esta é a razão do jornalismo, derrubar pessoas como Lex. Para expor a verdade, independente do perigo que eu corro. Eu sempre sou cuidadosa, mas não sou covarde."

Ele suspirou, soltando-a. "Se você diz. Apenas se lembre que-"

"Eu posso te chamar se precisar. Eu chamo", ela sorriu calorosamente pra ele.

Enquanto voltavam para suas mesas, Lois apareceu, tirando o casaco e jogando-o para Clark, que foi pego de surpresa. "Bom dia, Smallville", ela cumprimentou, mandando a ele um raro, mas breve sorriso enquanto se afundava na cadeira. "Ei, prima", ela falou, parecendo positivamente um gato que engoliu um canário. "Diga o quanto eu sou maravilhosa", ela disse, sorrindo pra ela.

Clark ergueu uma sobrancelha observando Lois curiosamente. Ele tinha aquela sensação de que as mulheres-Sullivan-Lane-iam-se-meter-em-encrenca.

Chloe sorriu, suprimindo um bocejo e tomando um gole do cafré. "Você é muito maravilhosa, Lo", ela brincou. "Por que estou tendo que te elogiar?"

Lois se inclinou pra frente, um brilho nos olhos. "Porque nós temos uma história."

Chloe ergueu as sobrancelhas. "Oh?"

"Sim", ela disse, inclinando-se pra frente e descansando o queixo nas mãos. "E você vai me amar por isso."

"Oh?" ela repetiu.

"Sim", ela deu um risinho.

Chloe revirou os olhos, dando risada. "Bem, vamos, Lo, o que é?" ela perguntou, incapaz de conter a curiosidade.

"Eu conto no almoço", Lois disse. "Pegue suas coisas." Ela se levantou de novo, procurando o casaco. Ela o avistou ainda nas mãos de Clark. Ela deu risada, balançando a cabeça enquanto pegava dele. "Você é um bom cabide, Smallville", ela brincou, piscando enquanto o vestia novamente. Ela olhou para Chloe, que não tinha pego as coisas ainda. "Bem, vamos", ela encorajou. "Não vamos ficar mais jovens com o tempo."

Com esta declaração ela foi para a porta, esperando que Chloe a seguisse. Chloe vestiu o próprio casaco, observando Clark em diversão. "Sabe", ela disse, olhos dançando. "Você não deveria deixá-la fazer isso."

Ele revirou os olhos, voltando à realidade e empurrando o ombro dela gentilmente. "Vai", ele disse.

"Tchau, Clark", ela deu risada enquanto ia atrás da prima.

Do lado de fora, Lois agarrou o braço de Chloe para apressá-la.

"Por que a pressa?" Chloe perguntou confusa, fazendo o melhor para acompanhá-la.

"Vamos encontrar alguém."

"Vamos?"

"Sim. Então, eu fui arrumar meu cabelo hoje de manhã -"

"Está legal, por falar nisso. Você escureceu um tom?"

Lois sorriu. "Na verdade sim. Obrigada. Enfim, eu fui e você nunca vai imaginar quem mais estava lá." Ela olhou animada para Chloe, aparentemente esperando que ela adivinhasse.

Chloe suspirou, olhando para o céu por respostas. "Eu não sei... O Coringa."

Lois olhou pra ela de cara feia. "Não tem graça. E não. Era a assistente pessoal do prefeito, Laura."

Chloe arregalou os olhos. "Você está brincando!"

Lois balançou a cabeça. "Sim, eu não teria adivinhado que era ela, exceto quando ela mencionou o nome do chefe, e eu lembrei o que você disse sobre a assistente do prefeito, então eu subornei a moça do xampu pra me dar o nome dela e acabou que era ela mesmo. Então você sabe, eu comecei a bater papo enquanto pintávamos o cabelo, e eu consegui que ela admitisse quem era e pra quem trabalhava. E então eu mencionei que adoraria almoçar com ela esta tarde e ela concordou, mesmo depois de eu ter dito que trabalho para o Planeta Diário."

"Inacreditável. Eu venho tentando encontrar com ela-"

"-Há séculos, eu sei. E é por isso que você vai comigo. Este é seu bebê. Parceiras?" ela perguntou sorrindo.

Chloe retornou o sorriso. "Parceiras." Ela vinha tentando rastrear a secretária de Prinn, mas a mulher tinha aversão a imprensa.  Aparentemente encontrar Lois em pessoa a fez se sentir mais confortável.

"Ótimo. Prefeito Prinn... vai cair." Lois deu um risinho triunfante.


______
ONZE

___________________________________________________________________________

21 comentários:

  1. Essas partes quentes estão óootimas!

    Não vai fazer o menor sentido isso mas,
    Eu estou ficando irritada com o Arqueiro e estou torcendo para o Oliver. É muita doidera né? hahaha Essa confusão de indentidades do Oliver está me deixando doida ;)

    "... não vamos chamá-lo de "Você-Sabe-Quem". Vou achar que estamos falando de Voldemort" kkkkkkk Tô com a Lois nessa!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Paula... são ótimas... Haha, acho que é normal, ele devia contar logo! Rs... Lois tem umas tiradas boas de quando em vez, rs...

      Excluir
    2. hahaha
      Imagina para o pobre, ter que disputar com si mesmo!!

      GIL

      Excluir
    3. Pois é, isso é tão esquizofrênico... rs Força, Oliver!

      Excluir
    4. Haha... pois é, meninas, olha o problemão que ele arrumou, lol

      Excluir
  2. capitulos hot e bem escritos são as melhores partes.... pelo menos pra mim : )

    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alice, não só pra você, rs...

      Excluir
  3. Valei-me, Nossinhora do Couro Verde!!!! Oliver Queen mostrando que é um homem 'do contra': contra a parede!!!! *correndo pra buscar água*

    Uh, quero só ver esse almoço com a assistente do prefeito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkk
      Adorei, Ciça...

      GIL

      Excluir
    2. kkkkkk esse jeito de ser do contra é bem melhor.

      Excluir
    3. LOL! Ciça, seu comentário, simplesmente ÓTIMO!!!!! kkk

      Excluir
  4. Eu quero mais!!... =D

    Gente, como estou me divertindo, viu?!
    Agora não consigo nem imaginar como é que o Oliver vai se aproximar da Chloe como Queen e depois está com ela como o Arqueiro, é muita confusão hahaha... e a Chloe, vai ficar na dúvida entre um e outro? Imagina?!! Ao fim da fic os dois vão ter que fazer terapia rs...

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe que eu também fico imaginando como é que vai ser quando ele contar ou ela descobrir??? Tenho a sensação de que a Chloe não vai ficar lá muito contente no início não... Mas depois, putz, ela tem dois em um, já pensou??? kkkkkkk

      Excluir
    2. Bom, no fim a Chloe sempre ganha!!!!!

      Excluir
    3. Sim, acredito que ela surte, mas de qualquer jeito a Chloe ganha =D

      GIL

      Excluir
  5. Sofia, quando a gente procura uma fic na barra de busca ali em cima, é certeza que se não aparecer é porque não tem aqui? Porque estou com uma fic para traduzir e tenho uma forte impressão que já li antes mas procurei aqui e no JustChlollie e não encontrei.
    Talvez eu esteja confundindo com blog em inglês, mas jurava que já li ela traduzida :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, manda o nome da fic e autora pra mim e eu posso te dar uma certeza maior...

      Excluir
  6. OK Vou colocar lá como rascunho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paula, sinal verde... Nunca foi traduzida... :D

      Excluir
  7. Legal!!! Fiz confusão então.
    Vou começar, obrigada Sofia! :)

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative