7.7.13

Talking In Your Sleep (4/21)

Resumo: Intrépida repórter para o Planeta Diário, Chloe Sullivan, tem seu coração roubado por um herói mascarado, o Arqueiro Verde, mas ela ficará satisfeita em não saber sua verdadeira identidade? 
Autorathe_bluesuede
Classificação: NC-17
Linha de tempo: Sexta temporada
Banner: 552158
Anteriores: 01 :: 02 :: 03




Satélite, leitura de informações
Você vê os segredos de alguém
Olhos e ouvidos no céu
Satélite no meu quintal
Conte-me mais, conte-me mais
Quem é o rei do seu castelo satélite?

Satellite
The Dave Matthews Band




Chloe fechou os olhos, mortificada. Clark se mexeu desconfortavelmente, rosto ficando vermelho. Bruce boquiaberto em surpresa. Lois, sem nada perceber, continuou metendo os pés pelas mãos.

"Ok!" Bruce interveio antes que ela pudesse causar mais danos, passando um braço ao redor dela e conduzindo-a pra longe do empreendedor de quem ela aparentemente não gostava nenhum pouco. "Acho que vi alguém ali."

"Adorável", disse Arthur Douglas secamente, um homem que Chloe não poderia detestar menos, não que fosse fazer algo em relação a isso.

"Ela não é?" Chloe sorriu brilhantemente, levando a taça de vinho branco aos lábios.

"Desculpe, não guardei o nome de vocês", o homem mais velho disse, estendendo a mão para Clark.

"Esta é Chloe Sullivan, e eu sou Clark Kent, filho da Senadora", Clark se apresentou nada caloroso.

"Oh, entendo", o homem disse, interessando que soubesse quem era Clark. "E, Srta. Sullivan é sua...?" ele deixou que Clark completasse.

"Amiga. Trabalhamos juntos no Planeta Diário."

O sorriso do homem sumiu do rosto. "Vocês dois também são repórteres?" ele perguntou esforçando-se pouco em esconder seu desgosto.

Chloe assentiu, dando um risinho. "Mmhmm."

"Bem", ele disse, mudando o peso de um pé para o outro nervosamente. "Bem... oh, Deus, estou vendo que minha mulher está de volta. Se me dão licença", ele pediu, não dando a eles a chance de responder enquanto os deixava para atravessar a sala até onde sua mulher estava parada, correndo o dedo por um colar ao redor de seu pescoço.

Clark olhou feio pra ele e Chloe deu risada. "É isto que sua mãe vai ter que aturar para se reeleger?" ela perguntou.

Clark suspirou. "São todos iguais. Escória."

"Bem, eu gosto de pensar que não somos todos iguais", disse uma voz atrás deles, assustando-os. Chloe e Clark viraram-se para ver Oliver Queen parado atrás deles, com uma expressão divertida no rosto, copo de uísque na mão. "Oliver Queen", ele se apresentou, estendendo a mão para Clark, forçando-se a não encarar Chloe. Ele tinha esquecido o quanto ela era linda. E ela estava particularmente atraente na seda marfim que usava. O estilo do decote fazendo uma linha delicada na curva de seus ombros, as costas expostas, de dar água na boca com vontade de tocá-la. "Eu ouvi você dizendo que é filho da Senadora Kent?" ele perguntou, centrando-se em Clark ao invés. "É um prazer."

Chloe engoliu em seco enquanto o observava, a boca de repente um pouco seca. Ela tinha reconhecido quando Bobby lhe disse no bar que Oliver Queen era atraente, mas de perto ela percebeu que ele não era só atraente. Ele era maravilhoso. Ele era possivelmente um dos homens mais atraentes que já conhecera, e vindo de uma mulher que chegou acompanhada de Clark Kent e Bruce Wayne, isso era alguma coisa.

Clark assentiu, apertando a mão de Oliver com certa desconfiança, incerto do que falar e um pouco envergonhado pelo que ele ouviu.

Chloe ergueu a sobrancelha pra ele. "Ouvindo conversas alheias?" ela perguntou, nada impressionada.

Ele ergueu um ombro casualmente. "Bisbilhotando... ouvindo... algo assim. Eu sinto muito, não ouvi seu nome, no entanto, Senhorita...?" ele lhe deu um sorriso charmoso.

Impassível, Chloe respondeu sem empolgação. "Chloe Sullivan."

"Sullivan? O nome é familiar", ele disse, então, fingindo se lembrar. "Não foi você quem escreveu o artigo que expôs a LuthorCorp semana passada? Trabalho impressionante", ele elogiou sinceramente.

Chloe ergueu ainda mais as sobrancelhas. "Você achou, hmm? Sim, bem, eu imagino que isso não tenha feito nada pra incomodar a Queen Industries, certo?" ela perguntou, deduzindo que ele só deveria estar interessado por razões puramente mercenárias.

Oliver franziu a testa quase imperceptivelmente. Wow. Ela estava falando com ele há dois minutos e realmente parecia detestá-lo. Desafio aceito, Srta. Sullivan, ele pensou. "Você realmente acha que esta é a única razão pra eu gostar do artigo, não é? Isso é um pouco 'mente pequena' para uma repórter, você não acha?"

Chloe deu de ombros. "Eu falo o que eu vejo. Talvez você tenha sorte e prove que estou errada."

Clark ficou parado olhando a troca com as sobrancelhas erguidas, ciente de que o par parecia ter esquecido de sua presença... e possivelmente sua existência junto.

"Então em outras palavras: culpado até que prove inocência. Não é exatamente assim que nosso país funciona. Interessante." Oliver continuou, sua expressão desafiadora e repleta de diversão.

Chloe abriu a boca para continuar, mas Bruce Wayne escolheu aquele momento para apresentar Martha.

Oliver sorriu aos dois. "Foi um prazer conhecê-los", ele disse e pareceu sincero. Ele não deu a nenhum dos dois chance de responder antes de se afastar, e Clark e Chloe foram forçados a voltar a atenção para Bruce, que estava esperando o barulho diminuir.

Clark dava a Chloe um olhar divertido e ela não gostou. "O que foi?"

Ele deu um risinho. "Alguém já te disse que você é um pouco esnobe?"

Ela estava prestes a se defender quando Clark assumiu uma expressão distante e distraída. Chloe suspirou. "Vai. Eu explico pra sua mãe depois." Ele assentiu e foi para a porta, onde ela tinha certeza que ele desapareceu pra cumprir seus propósitos.

Martha tinha acabado de falar com a platéia quando Chloe ouviu algo assobiar pelo ar e as luzes apagaram. Ela piscou rapidamente, tentando ajustar os olhos a repentina escuridão quando ouviu um arfar na multidão. Ela conseguiu ver uma figura encapuzada atravessando as pessoas atônitas, parando na frente da Sra. Douglas e arrancando o colar de seu pescoço, murmurando alguma coisa antes de sair pela porta novamente. Todo mundo ao redor pareceu muito estupefato pra fazer alguma coisa.

Chloe se recuperou logo e mais do que rapidamente foi atrás dele, seguindo pelo corredor até uma janela onde ele estava parado. Enquanto ela corria, percebeu que as costas do capuz parecia familiar. Mas com certeza não... "Pare!" ela gritou pra ele, incerta do que faria se o alcançasse.

Ela não teve a chance de descobrir, no entanto, quando ele alcançou a janela, subiu no peitoril e atirou um cabo. Ele se virou pra olhar pra ela e com um insuportável risinho no rosto jogou um beijo pra ela antes de subir pelo cabo e escapar.

Chloe colidiu com a janela, tentando vê-lo, mas ele já tinha desaparecido.

Ela xingou. Fantástico. Que belo 'herói', ela pensou ironicamente, sentindo-se horrivelmente decepcionada.

Ela mordeu o lábio. Tinha que dar a ele o benefício da dúvida. Talvez houvesse mais coisa nessa história.

Talvez.

Mas mesmo que haja isso não justifica o roubo, ela pensou amargamente. Ela se virou pra sair, sabendo que não havia mais nada que pudesse fazer no momento, além de ver se os convidados estavam todos bem.

Enquanto se virava, seu pé acidentalmente chutou um pequeno objeto que deslizou pelo chão. Ela franziu a testa, indo até ele e pegando-o. Era um anel, e olhando de volta para a janela, viu uma corrente de metal partida. Era algo que ele estava usando? Ela olhou o anel atentamente, o metal gelado em sua mão. Ela olhou para a corrente e de volta para o anel e mordeu o lábio.

Adulterar a cena do crime ou não adulterar a cena do crime. O que devo... oh, quem estou enganando? Ela pegou a corrente quebrada e o anel e cuidadosamente os guardou dentro do sutiã.

__________

Observando-a do outro lado da rua, Oliver suspirou. Lá se foi sua única fã, ele deduziu. Não que ela estivesse necessariamente acenando pompons nem nada disso. Mas ele gostara dela. Ele a tinha visto espionar o barco na outra semana, e podia dizer que ela era engenhosa, inteligente e rápida. Ele tinha a suspeita de que mesmo que não estivesse por perto pra salvá-la, ela encontraria um jeito de se salvar. Talvez não tão fácil como com a ajuda dele, mas mesmo assim.

Agora parecia que ela seriamente não gostava de Oliver Queen sem nenhuma razão, e ela provavelmente perdera a maior parte de sua fé no Arqueiro Verde, se é que teve algum dia pra começo de conversa. Ele olhou para seus espólios, fechando o colar na mão.

Valeu à pena. Eu não faço isso por mim.

Pelo menos, era o que ele se dizia. Mas tinha a estranha sensação na boca do estômago que não precisava necessariamente concordar consigo mesmo.

Ele observou Chloe se virar, claramente frustrada e confusa, e então ela parou, algo chamando sua atenção. Ele franziu a testa e ativou o zoom dos óculos, tentando ver o que ela estava fazendo. Ela deu alguns passos no corredor e pegou algo, alguma coisa pequena. Então ela olhou de volta pra janela e hesitou antes de voltar e pegar outra coisa.

Ele não conseguia ver o que ela estava fazendo a princípio, mas então a viu segurando um anel, examiná-lo e então pegar a corrente e guardar dentro do decote.

Ele quase caiu do prédio, agarrando o pescoço pra garantir que tinha visto o que achou que tinha visto.

Ele falou alguns palavrões. Se não subestimasse sua inteligência... ele estava com problemas.

__________

"Eu não entendo qual é a dificuldade", Lois franziu a testa irritada na noite seguinte, lendo as anotações de Chloe. "O cara é desprezível. Um criminoso."

Chloe suspirou. Ela sentiu que tinha ido um pouco longe, mas Lois estava incensada com a crença de que o Arqueiro Verde tinha verdadeiramente envergonhado Martha Kent - o maior de todos os pecados mortais - e seriamente prejudicado suas chances de reeleição. De certa forma, Chloe concordava, mas não estava pronta como Lois para amarrar o Arqueiro Verde em uma árvore.

Ela vinha evitando o artigo durante todo o dia, trabalhando nas tarefas extras que tinha prometido a Perry.

Mas quando o dia foi terminando ela não pôde mais evitar. Perry sabia que havia ocorrido um incidente, e aparentemente ele tinha deixado tudo referente ao Arqueiro Verde sob a responsabilidade de Chloe, particularmente porque ela esteve na cena do crime.

Lois pegou uma caneta e se debruçou sobre as notas de Chloe, escrevendo algumas coisas, e então acrescentando a palavra 'Bandido' perto das palavras 'Arqueiro Verde' no topo da página.

"Pronto", ela disse num tom satisfeito. "Isso deve ajudar. Agora eu tenho um encontro com Bruce já que ele não vai ficar muito tempo na cidade." Ela olhou para a sala de redação quase vazia, quase todo mundo tendo ido pra casa. Ela olhou para Chloe e colocou uma mão em seu ombro. "Apenas lembre-se: justa e imparcial. E tente não ficar aqui até muito tarde, prima."

"Obrigada, Lo." Chloe disse enquanto Lois jogava a bolsa no ombro.

Lois saiu e Chloe  logo se encontrou sozinha com suas anotações, o anel que tinha encontrado em seu bolso.

Tomada de súbita paranoia, ela olhou ao redor pra ter certeza que todo mundo realmente tinha ido embora, os pelos em sua nuca eriçados por alguma razão. Ela afastou o pensamento, virando-se para a tarefa em mãos. Ela suspirou, correndo a mão pelo rosto cansadamente. Ela não ia olhar o anel agora. Faria isso depois. Precisava escrever o artigo primeiro, e o anel não tinha nada a ver com o colar roubado. Pelo menos era o que estava dizendo a si mesma.

A verdade era que ela não via o anel como uma evidência direta, mas uma chave para a identidade do Arqueiro Verde. Ladrão ou não, ele tinha impedido um assalto a banco, lhe ajudado a expor um crime e salvo sua vida. Ela não ia revelar sua identidade ao mundo.

Ela balançou a cabeça e olhou para as notas. As adições de Lois combinadas aos fatos lhe davam tristeza, como se estivessem lhe dizendo: "Anime-se garota. Você obviamente não é tão boa julgadora de caráter quanto pensou que fosse todos esses anos."

Ela zombou, como se os papeis tivessem lhe ofendido, murmurando. "Não tão boa julgadora de caráter, huh?" Ela pegou a caneta, com a intenção de riscar a palavra 'Bandido', mas de repente a voz de Lois ecoou em seus ouvidos: justa e imparcial.

Mordendo o lábio, ela colocou a palavra entre parênteses e fez um sinal de interrogação. Então pegou o anel e começou a fotografá-lo com sua nova câmera. Havia uma pequena gravação nele, e ela desejava que ao aumentar a imagem digitalizada, pudesse ter uma pista sobre sua identidade. Ela não estava preparada para expô-lo ainda, mas talvez se soubesse quem ele era, isso lhe daria alguma ideia do motivo do roubo.

Ela tinha acabado de carregar as fotos no computador, colocando o anel temporariamente ao lado quando um dardo atingiu sua mesa, liberando algum tipo de fumaça. Antes que tivesse tempo pra reagir, sentiu o gás tomando conta de seus sentidos, levando-a a inconsciência.

__________

Oliver - ou melhor, o Arqueiro Verde - saiu das sombras, sentindo só uma leve pontada de culpa ao vê-la desacordada na cadeira.

Ele foi forçado a segui-la até em casa na noite anterior e então extensivamente vasculhar seu apartamento quando ela saiu para o trabalho. Convencido de que ela claramente havia levado o anel com ela, ele a seguiu até o Planeta Diário, escondendo-se no duto de ventilação e esperando uma oportunidade surgir.

Não era o jeito como pretendia passar seu sábado.

Quando ela não mostrou o anel para sua amiga morena, ele começou a se perguntar se ela realmente o tinha com ela. E suspirou aliviado quando ela finalmente o mostrou.

Ele pegou o anel e guardou no bolso, preparando-se pra sair, mas sua curiosidade venceu. Ele olhou para Chloe, dando um risinho. "Você não se importa, não é?" Ele parou, como se esperasse uma resposta antes de sorrir. "Bom, tudo bem então."

Ele se moveu até atrás da mesa dela, olhando para os papéis espalhados. Sua sobrancelha arqueou, impressionado. Ela tinha feito a lição de casa. Tinha imprimido todas as informações sobre todos os roubos ocorridos no último mês. Todos que ele esteve por trás tinham os títulos grifados, e os outros um grande 'X' com caneta permanente. Ela tinha descoberto que nenhum dos roubos foi reportado a polícia, inclusive o do colar da Sra. Douglas. E ela tinha percebido algo que ele mesmo tinha falhado em conectar: todas as chamadas vítimas contrataram a mesma empresa de seguros. Havia um retrato falado da polícia com o qual ela havia obviamente contribuído, com desconcertante precisão, embora felizmente, mesmo no desenho, ele estava usando o capuz e os óculos.

Finalmente, na frente dela havia um bloco de notas com sua letra, e no computador havia uma foto do brasão de sua família que estava encrustado no anel. Ele ergueu uma sobrancelha a isso e prontamente apagou as fotos da câmera e do computador. Ele olhou para as anotações pra ter certeza que ela não havia conectado nada ao brasão e sentiu o coração afundar um pouco quando leu as palavras no alto da página. 'Arqueiro Verde (BANDIDO)?'

Ele olhou pra ela. "Qual é, Linda. Me dá um tempo." Remexendo ao redor, ele conseguiu encontrar uma caneta verde e prontamente escreveu em cima da palavra 'Bandido' antes de olhar as notas pra ver o que mais ela tinha a dizer. Ele circulou a seção sobre ninguém ter reportado os itens roubados, desejando que ela focasse sua atenção nisso.

Ele ia partir, mas de repente parou. "Ah, que se dane", ele murmurou, revirando os olhos pra si mesmo. Não era como se ele se importasse em como a mídia o apresentaria. Era só que ele estava estranhamente preocupado com a opinião dela sobre ele. Ele não gostava da ideia de ela pensando tão pouco dele. Ele abriu a internet no computador dela e começou a trabalhar, abrindo a história sobre o mercado negro de colares em uma janela, deduzindo que ela usaria essa pista. Então ele abriu algumas páginas sobre as doações anônimas dos itens roubados. Ele deu outra olhada no retrato falado e considerou destruí-lo, mas então deduziu que isso seria ir longe demais, e de qualquer jeito ela daria os detalhes sobre ele novamente e outro desenho surgiria. Então, ao invés, ele procurou por um lápis na mesa e a borracha, melhorando-o. Ele se livrou de um muito incriminador furinho em seu queixo, estreitou um pouco seu pescoço, e alterou levemente sua boca. Ele se endireitou, jogando o lápis de lado. "Isso deve servir", disse satisfeito.

Ele deu outra olhada em Chloe e então tomou uma última e rápida decisão, procurando na mesa dela, encontrou um bloco de post-its. Jogando algumas palavras ali, ele colou o bilhete na testa dela, lábios pressionados juntos com humor enquanto imaginava a fúria dela quando acordasse, o que, ele percebeu nervosamente, aconteceria dentro de alguns minutos. Ele não deveria ter se demorado tanto.

Incapaz de se conter, ele se inclinou e pressionou um beijo rápido em seus lábios. "Até mais, Sidekick", ele disse em seu ouvido antes de partir.

__________

Chloe gemeu, seus sentidos retornando lentamente enquanto piscava os olhos, tentando trazer o mundo de volta ao foco. Ela estendeu a mão para esfregar a testa e encontrou um bilhete colado ali de alguma forma. Ela se endireitou na cadeira, lembrando-se do pequeno dardo caindo em sua mesa. Ela olhou ao redor e com certeza o anel havia sumido.

"Idiota", ela murmurou irritada, pegando o bilhete do chão para ler.

Sidekick-

Ela revirou os olhos ao apelido.

Ansioso pra ler.

Do seu,

Arqueiro Verde

Ela estreitou os olhos ao ver a assinatura. Ele obviamente não gostava da adição da palavra 'Bandido'. "Idiota arrogante", ela disse, percebendo que ele tinha mexido em seu bloco de notas também. Ela franziu a testa quando percebeu as adições que ele fez às notas, como se estivesse checando tudo para lhe dar sua aprovação, e circulando ao redor de um dos itens roubados. Ela pegou a câmera e viu que as fotos tinham desaparecido. E as do computador também. Ela franziu a testa, inclinando-se pra verificar as páginas abertas em seu computador.

Ela sorriu, então. Bem, ela pensou alegremente, isto coloca a história sob uma nova luz.

__________

Oliver sorriu um dia depois enquanto lia a última edição do jornal. Ele não tinha feito a manchete desta vez, só uma breve introdução na barra lateral da primeira página, direcionando a uma continuação algumas páginas depois.

Parece que ela havia aceitado seu... incentivo. Ela juntou os fatos de cada item ter algum tipo de história suja, e que cada roubo era seguido de uma doação extremamente generosa à caridade. Ele teve que rir  um pouco enquanto continuava lendo, percebendo o tom de desaprovação no artigo. Ela o defendeu de certo modo, e deixou de fora a adição ao seu nome, claramente não concordando com o ato do roubo, não importa com que intenções.

No entanto, para seu absoluto deleite, ela o comparou a Robin Hood em determinado momento.

"Certo, certo", ele disse ao artigo quando chegou ao último parágrafo. "Eu entendi."

Ele sabia que era provavelmente idiota, mas não conseguiu resistir em mandar a ela outro e-mail. Ele abriu a conta do yahoo que tinha criado somente para mandar a ela o último e-mail e se surpreendeu ao ver que ela tinha respondido. Não tinha lhe ocorrido checar.

Arqueiro, 

Obrigada. Não teria conseguido sem sua ajuda. Te devo uma.

Te vejo por aí.

Sidekick

Ele sorriu abertamente enquanto lia. Parecia que ela era relativamente modesta também. Ele abriu um novo e-mail e mandou uma resposta a seu último artigo sobre ele.

__________

Chloe, sentada em casa com Lois e desfrutando de uma tarde preguiçosa de domingo, olhou pra cima quando seu computador alertou a chegada de um novo e-mail. Ela se levantou do sofá para checar e Lois resmungou, sem tirar os olhos do filme que estavam assistindo. "Nada de trabalho. Você prometeu."

"Eu sei, eu sei. Só vou ver o que diz." Ela abriu o e-mail e sentiu o coração martelar ao nome do remetente. Ela olhou por sobre o ombro pra ter certeza que Lois estava distraída antes de abrir.

Sidekick-

Ok, ok. Entendo seu ponto de vista.

;)

O Príncipe dos Ladrões

Ela revirou os olhos a referência ao Robin Hood. Ele era realmente arrogante. Ela mandou um e-mail de volta, dando um risinho.

Bandido, 

O gás era mesmo necessário?

Ela debateu sobre como assinar, mas então de repente sorriu e terminou, apertando o botão pra enviar. Então ela fechou o laptop, sabendo que Lois não ficaria feliz se ela pulasse a cada cinco minutos pra checar os e-mails.

__________

Oliver olhou pra cima em surpresa quando viu um novo e-mail. Claro que não era dela, ele pensou, deduzindo que era só uma coincidência. Era, no entanto, e ele deu risada quando leu a mensagem, mas franziu a testa ao ver a assinatura.

Não achando nenhuma graça,

A Honorável Xerife

Sabendo que seria estúpido se irritar com isso, ele respondeu em seguida.

Eu prefiro ver você como a Donzela Marion neste cenário. Você não parece ser do tipo xerife.

_______
CINCO

_____________________________________________________________________________

8 comentários:

  1. Deus, que fantástico!!

    Gente, li todo o capítulo com um sorriso no rosto... que delícia!!!

    Estou encantada com essa fic...

    Aguardando...

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :DDDDDDDDDDDDDD

      Fico muito feliz que esteja gostando, GIL!!!!!

      Excluir
  2. Essa do gás foi sensacional! E a discussão via e-mail...
    Tô amando cada vez mais essa história!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa, que bom, Ciça. Fico muito feliz! :DDDDDDDDDDDDDDD

      Excluir
  3. Arqueiro tão sorrateiro kkkk estou amando a fic!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :DDDDDDDDDDDDDDDDD

      Ah, que bom, Paula. Fico feliz!!!

      Excluir
  4. Arqueiro Oliver safadinho.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, do jeito que a gente gosta... rs...

      Excluir

Google Analytics Alternative