19.7.13

Talking In Your Sleep (14/21)

Resumo: Intrépida repórter para o Planeta Diário, Chloe Sullivan, tem seu coração roubado por um herói mascarado, o Arqueiro Verde, mas ela ficará satisfeita em não saber sua verdadeira identidade?
Autorathe_bluesuede
Classificação: NC-17
Linha de tempo: Sexta temporada
Banner552158
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06 :: 07 :: 08.1 :: 08.2 :: 09 :: 10 :: 11 :: 12 :: 13




Deixe seus sonhos de lado por mais um dia
E eu vou te levar a lugares em seu coração
Desejar uma estrela nunca te levou longe
Então é hora de recomeçar.

Put Your Dreams Away
Frank Sinatra



12 Dias Depois

Era um dia lindo e ensolarado, e mesmo a temperatura fria não incomodava Chloe quando estava tão bonito lá fora. Ela tirou o cachecol do pescoço e o guardou na bolsa enquanto descia a calçada em direção ao Planeta Diário naquela manhã.

Ela tinha finalmente conseguido três noites de sono sem ter algum tipo de sexo psicótico com Oliver Queen ou o Arqueiro Verde, e o descanso tinha lhe feito maravilhas. Ela tomou um gole do café enquanto apertava o botão para ativar o semáforo e esperou o tráfego parar.

Claro, ela ainda estava um pouco magoada por não ter tido notícias do elusivo Arqueiro há duas semanas. Ela não tinha certeza do que deveria esperar, mas pensou que o Arqueiro Verde teria ao menos entrando em contato para pedir ajuda em alguma missão.

Oliver, pelo menos, tinha lhe mandando um e-mail para lhe parabenizar pela matéria sobre o prefeito, e ela educadamente agradeceu, mas além disso, não ouviu mais dele.

Ela tomou um gole do café e começou a atravessar a rua quando viu a luz do pedestre se acender pelo canto do olho.

"Opa!" Uma voz masculina exclamou e uma mão a agarrou, puxando-a de volta para a calçada a tempo de um corvete passar a um centímetro dela.

Chloe arfou, derramando o café e levando a mão ao coração. "Oh, meu Deus!"

"Você está bem?" seu salvador perguntou enquanto Chloe tentava recuperar o fôlego. "Aquele cara deveria ser preso", ele acrescentou na direção onde o carro tinha desaparecido.

Chloe balançou a cabeça. "Estou bem, obrigada. Eu não estava prestando atenção, eu acho. Eu-" ela olhou pra cima para agradecê-lo e parou brevemente, sua boca abrindo um pouco em surpresa. Ela a fechou prontamente e engoliu.

O homem sorrindo pra ela era mais do que um pouco atraente. Alto, musculoso, cabelo castanho, e olhos castanho-escuro com um tom de travessura, ele estava olhando pra ela preocupado pelo momento, mas ela podia dizer que sua boca tinha um sorriso torto e malandro.

De repente ela percebeu que ele tinha dito algo. Ela voltou ao foco. "Desculpe, o quê?" ela perguntou.

Ele sorriu e ela viu que estava certa sobre seu potencial sorriso. "Eu perguntei se você estava bem?"

Ela assentiu. "Eu estou bem. Muito obrigada."

"Claro. Desculpe pelo seu café", ele acrescentou, olhando para o copo jogado no chão. "Eu sou Hal Jordan, a propósito", ele acrescentou, estendendo a mão.

Ela apertou a dele de bom grado. "Chloe Sullivan."

Ele piscou. "Sério?"

Ela lhe deu um olhar estranho. "Sim...", disse lentamente.

Ele deu risada. "Desculpe. É que eu li muitos artigos seus para o Planeta. Você faz meio que uma cruzada heroica. Tem seguidores", ele piscou.

Ela sorriu e ele apertou o botão do semáforo novamente, os dois tendo perdido a oportunidade de atravessar. "Então, eu posso te oferecer outro copo de café?" ele ofereceu quando a luz verde acendeu. Os dois checaram se os carros iam de fato parar antes de atravessar desta vez.

Ela hesitou e olhou para o relógio, balançando a cabeça em seguida. "Desculpe, eu realmente não posso. Já estou atrasada para o trabalho." Ela olhou pra ele num pedido de desculpas.

"Tem certeza?" ele perguntou.

Ela assentiu. "Graças a Deus tem uma cafeteira na sala de cópias!" ela brincou e ele deu risada. Eles chegaram a uma esquina e ela acenou com a cabeça na direção em que estava indo. "Vou pra lá", ela disse quando ele parou, obviamente não indo para o mesmo lado.

Ele assentiu. "É um prazer conhecê-la, Srta. Sullivan."

"Chloe", ela disse, sorrindo enquanto voltava para o Planeta. "Conhecer você também!" ela acrescentou antes de virar e apressar o passo na direção de seu prédio, internamente lamentando a perda do café.

__________

"SULLIVAN! Em meu escritório agora!"

Ela pulou surpresa, quase derramando seu segundo café naquele dia. Ela olhou na direção do escritório de Perry, onde a porta tinha acabado de ser fechada e ergueu uma sobrancelha.

Lois fez o mesmo. "Jesus, o que você fez?"

Chloe deu de ombros. "Você me diz." Levantando-se da mesa, ela arrumou algumas de suas coisas e desligou o computador. Então foi para o escritório de Perry e esperou o pior. Ela entrou direto, não se importando em bater.

Ele olhou pra cima quando ela entrou e olhou feio. "Sullivan, seu trabalho está fraco."

Chloe abriu a boca em protesto. "Meu artigo sobre o prefeito-" ela começou.

"-foi há quase duas semanas atrás. Você não me trouxe nada de valor desde então."

"Isso não é verdade, minha matéria sobre o julgamento foi-"

"-uma sequência do artigo de duas semanas atrás sobre o prefeito. Vamos, Sullivan. O que aconteceu com suas histórias sobre o Arqueiro Verde. Com você e sua prima, eu nunca vendi tanto jornal. E então do nada, você decide manter seu romance com o cara privado."

Chloe corou horrorizada. "O que você quer dizer com isso?"

"Ah, qual é, Sullivan. Você é quase igual sua prima. A paixão escorre da página. Mas eu não me importo-"

Chloe mal conteve um suspiro de alívio. Por um momento ela pensou que ele de fato soubesse de seu relacionamento com o Arqueiro Verde.

"-o que estou querendo dizer é que de repente você parou de falar sobre ele. O que está acontecendo? Ele fez alguma coisa errada que você não conseguiu suportar ou o quê?"

Chloe olhou para o teto, tentando controlar suas emoções. Assim que conseguiu, foi capaz de olhar para Perry e responder. "Ele não fez nada. Literalmente. Eu não vejo nem sombra do homem desde meu último artigo. E acredite quando eu digo que estou de olho."

"Então pergunte a ele o que está acontecendo."

Chloe deu risada. "O que, você acha que eu posso simplesmente conjurá-lo ou algo assim? Aqui não é Gotham. Não existe um Bat-Sinal pra chamá-lo."

"Sullivan, eu me recuso a acreditar que você usou todas os seus recursos pra encontrar esse cara."

Ela começou a protestar de novo, mas ele ergueu uma mão para impedi-la.

"Chega. Eu não vou perguntar qual é sua verdadeira relação com ele. Como eu disse: eu não me importo. Eu só estou dizendo que você está me devendo, e eu quero a história. Ele pendurou as meias-calças? É isso que você está tentando esconder?"

"Não são meias-calças", ela respondeu antes que pudesse se impedir.

"Tanto faz. Você entende o que eu quero dizer, não é, Sullivan?"

"Sim, Chefe", ela disse, derrotada.

"Traga-me alguma coisa sobre o Arqueiro Verde."

"Farei o melhor."

"Ótimo. No meio tempo, eu tenho uma tarefa pra você."

Ela olhou pra cima surpresa.

"Não pareça tão chocada, como se isso nunca acontecesse. Tem um grande show aéreo acontecendo na cidade, patrocinado pela Ferris Aircraft. Eu quero que você faça a cobertura. Começa em três dias."

Chloe sorriu. "Pode deixar."

"Ótimo. Agora dá o fora daqui. Estou cansado de olhar pra você. E diga a sua prima que ainda estou esperando aquela matéria sobre roubo de carros que ela me prometeu."

Chloe assentiu e deixou a sala. De volta à sua mesa ela encontrou Clark e Lois conversando sobre alguma coisa, e Chloe sorriu, parando um momento para estudá-los.

Há uma semana, Lois e Bruce tinham inexplicavelmente terminado o relacionamento. Lois não falou muito sobre o assunto, exceto que foi uma decisão mútua, e Chloe deixou pra lá só porque Lois não parecia tão arrasada quanto ela esperava.

Tirando isso, desde que Clark cuidou dela quando Lois estava doente, Chloe percebeu sua prima corando sempre que Clark estava por perto. Parecia que Clark finalmente estava conseguindo ganhar Lois, e Chloe estava feliz por eles. Ela sabia desde o primeiro dia que o par se conheceu que eles formariam um excelente casal.

Antes que ela pudesse acordar de seus pensamentos, Lois a avistou, parecendo verdadeiramente animada com alguma coisa. "Chlo, adivinha!"

Chloe sorriu. "O quê?"

"O General está em Metrópolis!"

Chloe piscou surpresa, sorrindo aberto. "Sério? Isso é fantástico, Lois. O que ele está fazendo aqui?" Ela não via o tio há alguns anos.

"Tem um show aéreo na cidade e eu acho que o General olhará alguns dos aviões que serão testados. Enfim, ele me ligou e disse que quer nos levar pra jantar depois que a abertura terminar!"

Chloe estava brilhando agora. "Parece ótimo."

Lois assentiu. "Sim. Enfim, eu tenho que ir. Vou almoçar com ele agora", ela disse, passando a bolsa pelo ombro. "Até mais tarde, Clark", ela acrescentou, bochechas vermelhas antes de se virar e sair.

Chloe ergueu uma sobrancelha para Clark, que também ficou vermelho. "O quê?" ele perguntou defensivamente.

"O que foi isso?" ela perguntou, gesticulando entre ele e o lugar onde Lois estava antes.

"O que foi o quê?" ele bancou o bobo, sentando-se para ligar o rádio da polícia novamente.

Chloe bufou. "Certo." Ela balançou a cabeça, voltando a ler a correspondência que tinha deixado em sua mesa. Ela franziu a testa ao ver um envelope branco e o virou. Sem endereço. Ela suspirou e o abriu.

Você vai pagar.

Ela engoliu ansiosamente ao ler a única frase digitada. Que delícia são as cartas de ódio, ela revirou os olhos antes de jogar a carta no lixo. Acho que isso significa que estou fazendo meu trabalho.

__________

Do outro lado do mundo, Oliver estava cerrando os dentes, sentado em outra reunião na qual um parceiro em potencial estava pensando se ia ou não assinar com ele.

Seu mais recente e-mail de Hal corria por sua mente repetidamente.

De: ... Assunto: (nenhum)

Que droga que você ainda está preso na Sibéria, cara. Espero que saia daí logo.

Então, sabe aquela mulher que escreve todos aqueles artigos sobre o Arqueiro Verde para o Planeta? Você não vai acreditar, mas eu a conheci esta manhã. Sabia que ela é linda? Sério, completamente maravilhosa. Convidei-a para um café, mas não tive sorte. Estou pensando em tentar de novo depois.

Enfim, boa sorte com a reunião. Mostre a eles quem manda na casa.

-Hal

Antes que Oliver soubesse o que estava acontecendo, de repente ele se tornou ciente do fato de que ele não estava mais sentado e tinha a vaga impressão de que tinha acabado de gritar alguma coisa com os homens em russo. Respirando fundo, ele olhou feio para todos eles. Continuando a falar em russo, ele abaixou a voz, fazendo o melhor para falar calmamente e deixar clara sua intenção.

"Olha, eu não gosto do fato de vocês estarem me fazendo perder tempo com isso. Minha empresa precisa de mim. Eu estou indo embora, e não me importo se isso significa que os Luthors ganham o negócio porque, honestamente, eu cansei. Tem uma mulher em Metrópolis que está prestes a se apaixonar por outro homem se eu não for pra casa e fazê-la perceber que ela está apaixonada por mim e isso é mais importante do que qualquer porra de negócio desse mundo."

E então ele estava saindo pela porta, sem olhar pra trás. Ele abriu o celular e ligou para o piloto, dizendo para estar pronto pra ir para os Estados Unidos dentro de uma hora. "Oh, e me faça um favor e acidentalmente deixe a mídia saber que estou indo embora. Tem alguém que precisa saber que estou indo pra casa."

Ele estava indo pra casa.

Curiosamente, quando ele voltou para o hotel e começou a jogar as coisas na mala, recebeu uma mensagem de voz do diretor administrativo da empresa.

"Sr. Queen, em quarenta anos trabalhando para esta empresa, eu nunca vi algo parecido. Parabéns. Estamos assinando. E qualquer homem que é tão apaixonado por alguma coisa, especialmente por alguém que ele ama, é exatamente o tipo de pessoa com quem queremos fazer negócio."

___________

Dois dias depois, Chloe tomava um longo gole de seu café e erguia a sobrancelha à quantidade de capas de revista diante dela. Ela normalmente não dava mais do que uma olhadinha na banca de jornais a caminho do trabalho, mas desta vez as fotos brilhantes e manchetes em negrito chamaram sua atenção.

"Ei, eu sou o que, uma biblioteca?" exigiu o dono da banca e Chloe se encolheu em desculpa, momentaneamente debatendo se deveria comprar uma das revistas, mas então rapidamente desistindo da ideia, virando-se e deixando as manchetes pra trás.

Queen Está Voltando

Oliver Queen Fecha o Negócio

De Volta a Metrópolis?

St. Petersburg, Star City, Metrópolis

A última mostrando seus destinos de voo. Agora que ele tinha deixado St. Petersburg mais cedo do que imaginava, ele informou aos repórteres em Nova Iorque enquanto seu avião reabastecia que voltaria para Star City para resolver alguns problemas rapidamente antes de voltar para sua residência em Metrópolis, onde 'assuntos particulares' precisavam 'ser resolvidos'.

O estômago de Chloe deu um pulo ao anúncio. Ela tentou se impedir de perguntar se ele a tinha incluído na categoria 'assuntos particulares'.

Balançando a cabeça, ela se repreendeu.

Ele está longe há semanas. Provavelmente já está noivo de alguma princesa russa ou algo assim. Ele é Oliver Queen pelo amor de Deus. Quem sabe porque eu chamei a atenção dele pra começar-

"Opa, cuidado!" uma voz familiar disse enquanto mãos fortes a seguravam para impedi-la de se chocar com ele.

Chloe olhou pra cima, surpresa, e viu o rosto sorridente de Hal Jordan.

"Temos que parar de nos encontrar desse jeito", ele brincou.

Chloe deu risada. "Você está certo. Desculpe. Eu estava perdida em pensamentos. É bom ver você de novo, Sr. Jordan."

"Hal", ele corrigiu. "E é bom ver você também. Então me diga", ele continuou. "Se eu tivesse deixado você derramar o café agora, você me deixaria te comprar um outro desta vez? Porque eu ficaria feliz em ter um momento desastrado e-"

Chloe deu risada.

"Isso é um não?"

Ela sorriu em desculpa. "Acho que sim. Honestamente, eu iria, mas estou um pouco atrasada, e esqueci minha credencial de imprensa no trabalho ontem, então preciso ir pegar."

Hal olhou para seu relógio e suspirou arrependido. "Tudo bem. Também estou um pouco em cima da hora."

Chloe ergueu uma sobrancelha pra ele. "Fico lisonjeada pelo tempo que você me ofereceu, então", ela disse.

Ele piscou enquanto acenava para um táxi. "Para o amor verdadeiro? Eu sempre arranjarei tempo", ele brincou, fazendo-a rir de novo. "E, enfim, o show realmente não pode continuar sem mim, então todo mundo vai ter que esperar."

Chloe balançou a cabeça, olhos brilhando. "O que quer que você diga, colega. Bom encontrar você de novo, Hal", ela ergueu o copo de café pra ele antes de se virar e continuar sua caminhada até o Planeta, rindo sozinha.

__________

Mais tarde naquela manhã o vento jogava o cabelo de Chloe em seu rosto enquanto ela olhava os muitos aviões experimentais que pertenciam a Ferris Aircraft. Ela o tirou do rosto, no exato momento em que ouviu alguém gritar seu nome a alguns metros de distância.

"Chloe!"

Chloe virou, sorrindo animada para um homem em uniforme militar, com um cigarro entre os dentes. "Tio Sam!" ela exclamou, apressando-se na direção dele sem registrar o rosto do jovem ao lado do General. Ela se jogou animadamente nos braços dele, cuidadosamente evitando o cigarro que ele prontamente jogou no chão e pisou antes de abraçá-la de volta.

"Como você está, minha pequena repórter?" ele perguntou carinhosamente, e o homem parado ao lado deles, se é que era possível, ergueu ainda mais as sobrancelhas.

Chloe sorriu pra ele, não o soltando ainda. "Eu estou bem. Senti sua falta. Você não veio pra casa na Páscoa este ano."

Ele deu um tapinha em sua cabeça. "Sim, bem, ando ocupado. Quando Lois vai chegar?" ele acrescentou olhando ao redor pra ter certeza que não tinha deixado de ver sua filha.

Chloe balançou a cabeça enquanto o soltava. "Ela vem mais tarde no final da abertura. Eu vim mais cedo pra dar uma olhada e talvez arranjar algumas entrevistas", ela disse.

"Bem", o General respondeu animado. "Eu estou com o homem certo aqui", ele fechou a mão no ombro do homem ao seu lado e Chloe piscou surpresa. "Chloe, este é-"

"Hal!" ela disse.

"Chloe", ele cumprimentou, finalmente se recuperando do efeito de testemunhar o lado suave do General, que ninguém imaginava que existisse pra começar. "Bom te ver de novo."

O General pareceu satisfeito. "Vocês dois se conhecem?"

"Bem, na verdade... não", Chloe disse.

"Nos trombamos algumas vezes", Hal explicou. "Eu sou um grande fã do trabalho dela", ele acrescentou.

"Hmm... sim", o General disse, a linha de sua boca ficando um pouco fina. Chloe não disse nada. Não era segredo que seu tio não aprovava a ligação dela e Lois com vigilantes, e além do mais, em favor de manter as visitas animadas, eles evitavam o assunto o máximo possível. "Enfim", ele continuou. "O Sr. Jordan aqui é o piloto de testes da Ferris."

"Ele é?" Chloe ergueu a sobrancelha, curiosa.

"Ele é... quer dizer, eu sou", Hal disse.

O General se balançou sobre os calcanhares, olhando de um para o outro, claramente satisfeito. "Eu ia convidar este jovem pra se juntar a nós na ceia desta noite. Acho que Lois não vai se importar?" ele perguntou a Chloe.

Percebendo o que seu tio estava tentando fazer, Chloe tentou não gemer. Restringindo apenas a um quase imperceptível suspiro, Chloe sorriu. "Tenho certeza que não."

"Eu ficaria honrado", Hal aceitou. Hal parecia satisfeito como se não fosse possível ter conseguido algo melhor.

E também estava o General.

Chloe tentou não revirar os olhos. Homens.

________
QUINZE

_____________________________________________________________________

6 comentários:

  1. CONCORRÊNCIA!!!!!!!!!!!!!! UHUUUUUUUU!!!

    Não é por nada, mas agora que o Arqueiro Verde tá fora da jogada, a chegada do Hal vai deixar a Chloe e o Oliver mais balançados... Mais emoções pela frente!!! [quero cenas de ciúmes!!!]

    Fantástico o 'chutando o balde' do Ollie na Rússia!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :D Essa fic não deixa a gente respirar, não é, Ciça? Nossa, também adorei!

      Excluir
  2. Kkkk Que sina é essa... coitado do Oliver!!

    Próximo...

    GIL

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative