2.3.15

Never A Bride (9/27)

Título: Noiva Jamais
Resumo: Quando um jornal publica uma falsa notícia de noivado entre Oliver Queen e Chloe Sullivan, e todos os seus amigos ficam animados, Chloe e Oliver decidem fingir um falso noivado e terminar, para provar a seus amigos o quão errados eles são um para o outro. Porque eles vão terminar, certo?
Autora: the_bluesuede
Classificação: NC-17
Categoria: Romance/Humor.
Banner: dandiandi22
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06 :: 07 :: 08
Nota: Esta tradução foi sugerida pela Ciça. 



"Eu ainda não posso acreditar."

"É verdade."

"Eu sabia o tempo todo."

Mia revirou os olhos. Ela estava olhando alguns papeis na parede oposta e ouvindo Louise e Vivian conversar com Edward sobre o noivado da Srta. Sullivan. Louise estava em choque. Ela não conseguia acreditar que corriam fofocas daquele tamanho sob seu nariz, e de alguma maneira não percebeu. Vivian afirmava que sabia o tempo todo - embora Mia sinceramente duvidasse. Ela trabalhava ali há pouco tempo, mas até o momento ela não via nada que indicasse que a Srta. Sullivan teria confiado tal informação a nenhuma delas. Edward, por outro lado, estava simplesmente surpreso. Mia suspeitava que ele tinha algo a esconder, mas ela não podia imaginar o quê.

"Ei, Mia, como você está, por falar nisso?" Edward perguntou casualmente naquele momento, parando para cumprimentá-la antes de ir para outro andar.

"Eu estou bem, obrigada, Edward", ela sorriu. Edward era a única pessoa além da Srta. Sullivan que a percebia. Louise e Vivian apenas a importunavam com mais trabalho ou fazendo comentários maliciosos sobre suas roupas e cabelo. Ela estava convencida de que elas estavam tentando fazê-la desistir por alguma razão. Em sua primeira semana, ela lhe deram uma lista de tarefas que seriam impossíveis de completar se ela não conhecesse muito bem as ruas da cidade e como ir de um lugar a outro o mais rápido possível. Desde então elas vinham lhe dando algumas tarefas que requeriam deixar o prédio, mas ainda assim a faziam andar em círculos.

"Essas duas harpias não estão te vencendo, estão?" ele perguntou baixinho, inclinando-se mais perto dela.

"Você está brincando?" ela sorriu. "Aguentar as duas é moleza." Era uma meia-verdade. Elas a estavam enlouquecendo, mas não a conheciam. Então ela tinha que trabalhar duro. Não havia nada que elas pudessem fazer que fosse pior do que a vida que costumava levar. Mesmo que isso não fosse motivação para continuar a qualquer custo, ela sentia uma certa obrigação, primeiro por Oliver, por tudo que ele fizera por ela. Ela não queria nada mais do que fazê-lo se orgulhar dela, e mostrar a ele o quanto estava agradecida por sua ajuda. Segundo, ela devia a Srta. Sullivan. A mulher tinha se arriscado desnecessariamente ao contratá-la. E Mia sabia que ela tinha sorte de estar ali. Ela queria se provar para a Srta. Sullivan, e mostrar que ela tomara a decisão certa ao apostar nela.

Logo depois de Edward sair, ele retornou seguindo a Srta. Sullivan em pessoa, que estava chegando bem mais tarde que o normal. Mesmo com pressa, ela deu um rápido sorriso a Mia, e Mia disse bom dia a ela e observou o par desaparecer para dentro do escritório de Chloe, onde as paredes envidraçadas eram fumê para que ninguém pudesse ver lá dentro.

"Sua mentirosa."

Chloe ficou vermelha.

"Eu não acredito que não descobri que você estava vendo ele! Quando começou? Por que você não contou a ninguém?" Edward perguntou.

Chloe suspirou aliviada. Por um momento, ela pensou que Edward desconfiasse que era tudo uma farsa. Ela estava realmente ficando vermelha. "Sim..."

"Eu só não acredito no quanto você foi uma atriz. Quem imaginaria?" Ele se recostou contra a parede, cruzando os braços e sorrindo pra ela ansioso.

Ela conseguiu sorrir de volta. "Esta sou eu. Vencedora do Oscar."

"Bem, então. Conte a história toda."

Ok. Eu ensaiei. Eu posso fazer isso. "Bem, eu realmente não estava mentindo no começo. Eu não queria nada com ele. Mas continuávamos nos encontrando e as coisas meio que começaram a acontecer. Mas eu queria deixar fora da mídia. Quer dizer... você viu o que eles fizeram quando ainda não havia nada. E se eles soubessem que havia um relacionamento de verdade?"

Edward fez uma cara feia. "Justo. Mas e o noivado? Onde está o anel?" ele acrescentou, notando sua mão nua.

Chloe deu risada. "Sim, isso. Bem, eles exageraram um pouco. Que-Oliver não me pediu em casamento em Gotham. Especialmente não conosco indo com outras pessoas. O quanto teria sido deselegante? Mas eu acho que não disfarçamos tão bem quanto queríamos. Ele na verdade me pediu em casamento mais tarde naquela noite."

"Oh, meu Deus, é tão inacreditável. E eu imagino que sair com Dent ia espantar os boatos?"

Ela sorriu timidamente. "Culpada."

"Deus, eu juro, Darren e eu tínhamos uma aposta sobre vocês dois, mas nenhum de nós imaginou isso acontecendo. É tão repentino!"

"Bem, nosso noivado será longo", ela 'admitiu'. "Conversamos e estamos juntos há pouco tempo, sentimos que seria mais inteligente não ter pressa. Além do mais, com nossas agendas, não conseguiríamos planejar adequadamente um casamento se quiséssemos."

"Oh, meu Deus, eu tenho tantas músicas do Frank Sinatra tocando na minha mente agora."

"Você é tão gay."

"Culpado", ele sorriu. "Então", ele endireitou as mangas. "O que precisamos fazer?"

"Certo. Direto ao trabalho. Eu tenho que fazer um anúncio de noivado - um oficial - para você mandar para estes jornais--" ela o entregou um pedaço de papel com um curto parágrafo e um segundo com uma lista de jornais, "--e claro que vai aparecer na minha coluna editorial deste mês da Whistle."

"Naturalmente", Edward sorriu. "E neste meio tempo, você tem seis páginas para aprovar, uma reunião com a designer Lena Marx, e dois de seus escritores querem te ver hoje. Oh, e--"

"Sim... tudo isso vai ter que esperar."

"Como é?"

"Tudo vai ter que esperar."

"Por quê?"

"Eu tenho..." ela engoliu com dificuldade, "planos para o almoço." Ela olhava por sobre o ombro dele. Edward se virou e viu saindo do elevador Oliver Queen em carne e osso.

"Oh, merda. Ele é ainda mais atraente pessoalmente."

Chloe deu um risinho. "Ele é, não é?"

O par observou enquanto Louise e Vivian eventualmente notavam a presença de Oliver. Louise cuspiu o café e Vivian tropeçou nos fios de seu computador, mandando o teclado e o modem para o chão.

Edward deu um tapa na testa. "Oh, Deus, é melhor vocês saírem antes que as harpias incendeiem o prédio sem querer."

"Eu já estou indo", Chloe disse, já a caminho da porta. Edward a seguiu, muito curioso para ficar pra trás.

Oliver estava conversando com Mia.

"Trouxe almoço", ele sorriu, entregando a ela uma sacola.

Mia parecia tentar não dar risada de alguma coisa. "Legal", ela disse, pegando a sacola dele. "Você é o melhor." Ela lhe deu um abraço. Vivian derrubou o teclado de novo. "Então, o que está fazendo aqui?" ela perguntou.

"Buscando minha outra metade", Oliver disse facilmente, tentando pensar em alguma coisa para dizer que soasse como se estivesse noivo. Nenhum de seus relacionamentos reais tinham sido tão embaraçosos.

"E ela está pronta", Chloe respondeu, chamando a atenção de todo mundo. Oh, Deus, eu não estou confortável com isso.

Oliver se virou para olhar pra Chloe e sutilmente piscou pra ela, sorrindo. "Ótimo", ele disse. "Bem..." ele se mexeu, "vamos então?"

Chloe assentiu e se juntou a ele no meio da sala, dolorosamente ciente de cada par de olhos a seguindo.

Momentos depois, Oliver e Chloe alcançaram a luz do sol, o que, não era surpresa, chegou junto com flashes de câmeras.

"Srta. Sullivan! Srta. Sullivan! Aqui! Aqui!"

"Oliver! Nos dê um sorriso!"

"Beije-a!"

Ao ouvir a última frase, Chloe não resistiu em mandar um olhar a Oliver. "Eu te disse."

Oliver sorriu reconhecendo sua derrota e a ajudou a entrar em seu carro, protegendo-a dos fotógrafos mais agressivos antes de dar a volta para o seu lado do carro. Os dois haviam concordado que a imprensa não merecia nenhuma recompensa com nenhum comentário considerando a idiotice que tinham cometido.

Ele se sentou no assento do motorista e olhou para Chloe. Ela ainda tinha o mesmo olhar no rosto.

"E começou", ele disse, saindo com o carro, com sucesso afastando as pessoas ainda tentando fotografá-los através das janelas do carro.

"Isso é insano. Por que fizemos isso? Ninguém vai acreditar."

"Na verdade acho que fizemos porque todo mundo já acreditava, por mais estranho que possa parecer."

"Certo. Eu estou seriamente questionando a inteligência de nossos amigos e família."

"Sim, e por falar em família. Você está pronta pra isso?"

Chloe bufou. "O quê? Se eu estou, tipo, nervosa?"

Oliver olhou pra ela.

Ela deu risada. "Por alguma razão o fato de que tudo isso é um grande show me deixa menos nervosa sobre conhecer a Mãe Queen", ela brincou. Mas seu discurso também era parcialmente um show, ela admitia a si mesma. Mesmo tendo que admitir que havia algo levemente intimidador em Chloe estar mentindo para o mundo todo e isso realmente não ajudava. E se a Sra. Queen descobrisse? O que ela acharia de Chloe? O que ela faria?

Oliver sentiu a meia verdade de Chloe, mas não comentou. "Escuta, apenas, seja educada com ela, ok? Ela é minha única mãe. E também, eu gostaria que você mantivesse o sarcasmo para si mesma."

Chloe ergueu uma sobrancelha pra ele. "Como é?" ela disse, um tom de alerta em sua voz.

"Eu estou apenas dizendo que gostaria que você fingisse gostar de mim na frente da minha mãe. Afinal, eu quero que ela pense que eu trato bem a minha 'noiva'."

"Bem, então porque você simplesmente não me trata bem?" Chloe provocou. "Então você não teria que se preocupar com isso."

"Oh, Deus", Oliver suspirou. "Você vai dificultar as coisas pra mim, não vai?"

Os olhos de Chloe brilharam em resposta. "Você já ensaiou toda a história?" ela perguntou, mudando de assunto.

"Sim", ele disse ressentido. "Eu tenho certeza que tenho tudo sob controle."

Ela rolou os olhos. "Só pra ter certeza. Deus. Relaxa, ok?"

Oliver travou a mandíbula. "Eu não acredito que as pessoas acreditam que estamos noivos", ele resmungou.

"Pois acredite, colega."

__________

Eles discutiram pelo resto do trajeto até chegar ao restaurante, onde um porteiro abriu a porta do carro para Chloe e a ajudou a sair enquanto Oliver jogava as chaves para o valet. Ele foi até ela e colocou a mão em suas costas. Chloe parou por um breve momento ao toque íntimo, os olhos encontrando os dele e seu estômago apertando.

Você vai ter que se acostumar com isso, ela disse a si mesma, permitindo-o conduzi-la pela porta do restaurante.

O restaurante era um em que Chloe já estivera com clientes, e isso falava alto sobre o gosto da Sra. Queen e a personalidade que ela tinha ao escolher o lugar em que conheceria sua futura nora.

Chloe vagamente relembrou que a Whistle tinha classificado o restaurante quando de sua abertura. 'Chique', o jornalista disse. Era 'chique', 'elegante'. As paredes eram brancas, o chão de uma madeira brilhante. Porcelana fina e pinturas impressionistas decoravam as paredes em alguns lugares. Lustres de cristal pendurados em tetos texturizados. Cortinas de seda marfim cobriam as largas janelas e tafetá pesado emoldurava as portas. Cadeiras antigas e mesas vestidas com toalhas brancas, e a comida era servida em porcelana, e padrões de azul e branco brilhavam no ambiente.

E a comida era excelente. Sanduíches, sopas, quiches, saladas e bolos compunham o cardápio. 'De dar água na boca', o jornalista escrevera sobre um dos pratos. 'Suntuoso', referindo-se ao suflê de chocolate.

Chloe de repente se sentiu como uma garotinha vestida para o domingo de Páscoa, como se soubesse que deveria se comportar e combinar os laçarotes cor-de-rosa, mas por dentro estava pronta para pular sobre as mesas e começar a destruir os pratos. Ela mordeu a unha nervosamente.

Laura Queen estava esperando por eles. Ela tinha um cabelo loiro claro longo, um loiro mais suave que o do filho, e estava preso num coque levemente solto. Ela usava um calça jeans escura, um suéter verde pistache e brincos de diamante em cada ouvido. O jeito que ela andava fez com que Chloe se lembrasse de Audrey Hepburn, e ela de repente sentiu um desejo de ter um perfil escrito sobre Laura Queen para a Whistle. Ela ficou fascinada ao primeiro olhar. E quando ela viu Chloe entrar com seu filho, o sorriso encantado que se espalhou por seu rosto foi tão terno e convidativo que Chloe teve que resistir ao impulso de correr e abraçá-la, como se quase valesse a pena se casar com Oliver só por sua mãe.

Ela se controlou. Não precisa exagerar. 

Laura cumprimentou o filho primeiro. "Oliver, querido."  Ela colocou as mãos nos ombros dele e beijou sua bochecha. Então ela se virou para Chloe e pegou suas mãos, apertando-as carinhosamente, os olhos falando alto em deleite. "Eu estou tão feliz em conhecê-la. Eu quero que sejamos amigas", ela disse.

Chloe derreteu instantaneamente, apertando as mãos da Sra. Queen. "Eu também", ela sorriu verdadeiramente.

Oliver clareou a garganta, puxando a cadeira para sua mãe e outra para Chloe, sentando-se assim que as mulheres estavam sentadas. "Então, eu quero ouvir tudo", Laura disse, sentando-se. "Eu vou pular as perguntas de sempre, pois eu sei com o que você trabalha, Chloe. Quando vocês dois se conheceram?" ela perguntou.

"No casamento de Arthur Curry", Oliver respondeu.

"Certo. E há quanto tempo vocês estão namorando? Eu não acredito que ele guardou um segredo da própria mãe", ela acrescentou para Chloe.

Chloe não pôde deixar de sorrir. "Bem, isso é culpa minha. Como trabalho na mídia, eu quis evitar um escândalo. E que plano brilhante", ela brincou, como planejado, encontrando os olhos de Oliver. Oliver piscou furtivamente.

Laura observou a interação com aprovação. "Mas há quanto tempo?" ela persistiu.

"Alguns meses. E é por isso que planejamos ter um noivado longo", Oliver acrescentou. "Sabemos que estamos apressando as coisas, então queremos ir devagar daqui em diante. Aproveitar o passeio."

Laura suspirou esperançosamente. "Oh, ser jovem e apaixonado", ela brincou. "Eu lembro quando seu pai e eu nos conhecemos, Oliver. Fiquei sem chão imediatamente. Não que eu tenha dito isso a ele", ela acrescentou. "Na verdade, vocês dois estão proibidos de contar isso a ele. Eu só o provoquei durante os primeiros três meses." Ela tomou um gole de água gelada e piscou para Chloe por trás do copo.

Chloe deu risada. "Bem, se ele é um pouco parecido com Oliver, posso imaginar o motivo."

"Eles são alvos fáceis, não são?" Laura concordou, franzindo o nariz em humor.

"Exatamente!" Chloe exclamou, inclinando-se mais perto. "Você só precisa baixar um pouco o ego dele!"

Oliver a chutou por debaixo da mesa, e ela quase gritou, mas Laura não percebeu. "Exatamente." Ela concordou. "Robert era do mesmo jeito. Tão cheio de si. Ele ficou sem chão quando não me joguei em cima dele." Ela rolou os olhos em humor. "Eu não sei se isso já tinha acontecido com ele antes. Oliver é do mesmo jeito."

Chloe riu, mordendo o lábio quando olhou para Oliver, que parecia irritado. "Muito obrigado, mãe", ele disse sarcasticamente. "Você é tão doce."

Laura acenou com a mão, mandando um olhar sofredor a Chloe. "Você é tão sensível, Oliver."

Chloe deu um risinho pra ele. "Sim, Oliver. Você é tão sensível."

Oliver deu a ela um olhar infantilmente sarcástico.

Um garçom chegou e anotou seus pedidos, e então Laura fez uma pergunta mais intensa. "Então, como ele fez o pedido?" ela olhou de Chloe para Oliver. "Estou morrendo de curiosidade."

Chloe entrou levemente em pânico e pediu socorro a Oliver com o olhar. Percebendo o nervosismo, ele se propôs a ajudá-la. "Bem, não temos saído muito publicamente, você sabe. Então estávamos jantando no meu apartamento, e eu a levei até o telhado - estava uma noite maravilhosa, por falar nisso - e, bem--" ele olhou para Chloe com uma afeição tão convincente que Chloe ficou levemente sem fôlego, seus lábios se partindo enquanto imaginava a cena, "eu a pedi em casamento."

Chloe engoliu seco. Era uma cena amável de se imaginar. Quieta, pessoal, íntima. Um pedido sob as estrelas.

Laura suspirou, enxugando os olhos com o guardanapo delicadamente, e Chloe lançou um olhar a Oliver. 'Uau', ela murmurou pra ele, impressionada.

"Então... eu me atrevo a dizer que vocês não marcaram uma data ainda?" ela perguntou.

"Não, ainda não", Chloe disse, recompondo-se.

"Claro que não. Bem..." ela olhou para Chloe em tom de súplica. "Bem", ela repetiu. "Agora, eu não quero ser tão terrível, uma sogra intrometida, mas... bem, eu realmente amaria estar envolvida nos planos do casamento. Eu prometo que você terá a palavra final em tudo, mas eu quero ajudar", ela disse, pegando as mãos de Chloe por sobre a mesa. "Você se importaria muito?"

"Eu--" Chloe hesitou, incerta do que dizer. Ela teria que fazer um planejamento falso com aquela mulher maravilhosa? Ela não sabia se conseguiria ser tão cruel, mas Oliver a chutou novamente, e ela não teve escolha. "Claro. Eu não me importaria nem um pouco."

"Oh, obrigada", Laura sorriu tão calorosamente que Chloe novamente teve o impulso de abraçá-la com força. "Eu prometo que não me intrometerei, mas eu amo casamentos, e ele é meu único filho, e oh, Deus, eu estou tão emotiva", ela zombou, pegando o guardanapo novamente, os olhos brilhando. "Eu só estou feliz que ele tenha finalmente sossegado."

"Mãe", Oliver revirou os olhos.

"Bem, não posso evitar", ela disse. "Eu me preocupo tanto com você. Ele não faz nada a não ser me dar cabelos brancos", ela deu um olhar a Chloe. "Sabe, eu tenho certeza."

"Eu não sou tão ruim assim", Oliver protestou.

"Você está brincando? Você me dá palpitações", ela agarrou o peito dramaticamente. "E por falar nisso, vocês já conversaram sobre o anel?" ela perguntou.

Chloe deu um olhar a Oliver. Anel? Do que ela estava falando?

Oliver se mexeu desconfortavelmente. "Ainda não escolhemos um."

Laura Queen já estava mexendo na bolsa. "Bom. Chloe", ela disse, pegando uma caixinha de veludo de dentro da bolsa. "Se este não for do seu gosto eu entenderei, mas..." ela ofereceu a caixa, "eu ficaria honrada... Oliver ficaria honrado, se você usasse o anel da minha mãe."

Chloe tentou não demonstrar seu terror interno. "Eu... eu..." ela gaguejou. "Eu não poderia -- quer dizer -- bem", ela procurou a ajuda de Oliver, mas ele parecia igualmente em pânico. "Eu sinto como se não tivesse o direito de usar algo tão especial."

"Besteira", Laura respondeu, colocando a caixa nas mãos de Chloe. "Eu não tenho nenhuma filha, então claro que você pode tê-lo."

Chloe não sabia o que fazer. Aquilo era um nível completamente novo de baixaria, aceitar uma herança de família. "Eu não sei o que dizer." Ela parou, engolindo secamente. "Obrigada. Eu realmente não mereço", ela finalizou humildemente, odiando-se enquanto finalmente aceitava a caixa.

Laura sorriu e parecia nunca ter se sentido tão feliz.

__________

"Eu sou uma pessoa horrível", Chloe gemeu duas horas depois na casa de Oliver. "Eu sou uma pessoa horrível, muito horrível."

Oliver fez uma careta. "Não havia nada que pudéssemos fazer."

"Eu realmente sinto muito", ela disse sinceramente.

"Ei", ele ergueu a mão. "Estávamos de mãos atadas. Você não poderia ter recusado. Está tudo bem."

"É só que... é uma herança de família. Eu me sinto terrível por ter aceitado."

Oliver suspirou, correndo a mão pelo rosto. "Não precisa se sentir assim. Está tudo bem."

"Tem certeza?"

Oliver, que estava tentando não demonstrar a amargura que estava sentindo, olhou para a expressão abertamente preocupada de Chloe. "Sim", ele disse verdadeiramente. "Está tudo bem."

Ela pareceu levemente mais calma e relaxou os ombros. "Bem", ela disse, "pelo menos você não terá que conhecer meus pais por enquanto."

"Com certeza."

"Está preparado para o casamento de Vic e Katherine?" Chloe perguntou, mudando de assunto, referido-se ao evento iminente.

"Acho que daremos conta. Se conseguimos com minha mãe, podemos dar conta de todo o resto."

______
DEZ

______________________________________________________________________________

10 comentários:

  1. Chloe, toda apaixonada pela sogrinha, e daqui há pouco pelo filho :DDDD

    Amei esse capítulo, ri muito... essas situações em que eles tem que fingir vão ser demais.
    Quero só ver no casamento!

    Agora, se ele é mais sexy pessoalmente? Não sei... tenho que ver pra confirmar, Edward :P

    Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode acreditar que sim, Aline!!!!! Adoro também esses momentos, são sempre pegos de surpresa... Ah, quem dera pudéssemos ver pessoalmente, rs... Não ia sobrar Ollie... rs...

      Excluir
  2. Laura Queen é simplesmente adorável, na verdade, em todas as fics em que ela aparece ela é encantadora, não tenho duvida de papai Queen também será!! =DDD

    Embora não tenha gostado de Vivian e Louise achei totalmente compreensível a reação delas a chegada do Oliver... muito bom! rsrs

    Eu provavelmente já mencionei isso, mas realmente adoro Oliver e Chloe no meio desse tipo de confusão, é diversão garantida... e só melhora!!

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, em todas as fics ela é uma pessoa legal, elegante, a sogra perfeita... Haha, quem não perderia as estribeiras com o Ollie passando pela porta, não é mesmo? rs... Ah, essa confusão toda é uma DELÍCIA!!!!!

      Excluir
  3. Estou meio ocupada mas acompanhando :) e doida para ver a Chloe se entregar de vez...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que está conseguindo um tempinho, Paula. Também ando tão sobrecarregada, mas vamos encontrando um tempinho né? Acho que a Chloe não deve resistir por muito tempo... rs...

      Excluir
  4. Gente, essa história é fantástica... Estou amando!!!!!!

    Patrícia

    ResponderExcluir
  5. Até eu fiquei com o estômago apertado com o turbilhão de emoções que o almoço com a "futura sogra" causou! kkkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Causou mesmo!!!! Inesperado, rs...

      Excluir

Google Analytics Alternative