24.4.14

The Way Things Are Supposed To Be (Parte 2)

SérieIn His Sights
Resumo da Série: Série de histórias pós-Warrior.
Resumo da história: Quando Lois tem que cuidar de uma Chloe devastada após o desaparecimento de Oliver, ela descobre que tem um monte de coisas que não sabia sobre o trabalho e os amigos de sua prima.
Autorafickery
Classificação: PG-13
Spoilers: Salvation
Nota: tradução sugerida pela Ciça e pela Sam.

Histórias anteriores:
The Way Things Are Supposed To Be (parte 1)


Assim que viu que Chloe não ficava pior na Watchtower, e estava fazendo algo útil, ela parou de resistir e permitiu que ela voltasse ao trabalho.

Lois e o time faziam turnos para cuidar de Chloe durante os dias na Watchtower, mas na maioria das vezes era Victor. Emil foi ver Chloe novamente e falou a Lois para manter comidas ricas em nutrientes e de fácil digestão e bebidas na frente dela. Então ela vinha fazendo shakes de proteínas, aveia enriquecida, sanduíches de manteiga de amendoim, sopa. Ela estocou a cozinha da Watchtower e instruiu Victor sobre o cuidado e alimentação de sua prima. Ele fazia um bom trabalho, ela tinha que admitir. Ainda partia seu coração ver Chloe voltar ao estado de fuga toda noite quando a pegava, mas -- ela tinha certeza que não era sua imaginação -- parecia demorar um pouco mais para ela desligar a cada noite. E fazê-la se mover nas manhãs era mais fácil agora -- Lois podia falar sobre o café e o banho e Chloe faria tudo sozinha ao invés de ter que ser levada passo-a-passo. Ela estava esperançosa.

Nesse meio tempo, Lois ainda tinha que enfrentar cada dia. Seu novo editor -- devido aos últimos eventos, ela estava começando a pensar que ser editor chefe do Planeta era tão seguro e permanente como uma posição de baterista para o Spinal Tap, ou ser o segundo no comando da Al Qaeda -- tinha sido inesperadamente simpático, dando-lhe flexibilidade de horário e a possibilidade de trabalhar de casa contanto que estivesse desenvolvendo suas tarefas. Mas ele ainda esperava vê-la no trabalho. Ele vinha lhe passando tarefas mais fáceis, coisas que ela podia pesquisar online ou pelo telefone, eventos que ela podia atender durante o dia. Ela estava conseguindo, mais ou menos. E Clark lhe dava bastante cobertura.

Clark. Ela suspirou. Esse era um problema que ela estava quase agradecida por não ter tempo para pensar. Porque se havia uma palavra para descrever suas interações desde a noite em que Ollie desapareceu, era: Estranho.

Quando Perry lhe mandou aquela passagem e lhe ofereceu realocá-la e seu novo trabalho era do outro lado do mundo, ela nem chegou a de fato levar em consideração. Não até ela dizer a Clark que ia ficar, por ele, se ele parasse de guardar segredos, e ele simplesmente... a deixou partir. Fácil assim. Mais tarde naquela noite quando o Blur a beijou e ela percebeu que ele era Clark, muitas coisas finalmente começaram a fazer sentido. E então ela descobriu sobre Ollie. E então Chloe desligou. E então sua decisão foi tomada por ela, de verdade.

Ele era solícito, perguntando como ela estava várias vezes ao dia e sobre Chloe. Ele lhe escrevia um monte das suas histórias, a cobria durante as reuniões de equipe. Ele passava em seu apartamento com guloseimas e buquês de flores. Algumas vezes ele se sentava no quarto de Chloe e falava com ela, sempre longe dos ouvidos de Lois. Chloe parecia nem notar as visitas dele. Ele sempre conseguia estar no apartamento quando outros não estavam, presumivelmente para evitar perguntas inconvenientes sobre como ele conhecia um grupo inteiro de vigilantes combatentes do crime com identidades secretas.

De fato, ela não tinha certeza se ele sabia que ela sabia sobre a Liga. Ela só disse a ele que os amigos de Chloe a tinham convencido a deixar Chloe voltar ao trabalho e tinham prometido ficar de olho nela. E Clark era um tópico que os outros se recusavam a discutir com ela; ela deduziu que eles decidiram que não era um segredo deles para revelar.

Ela sabia que ele não sabia se ela tinha ficado por ele ou por Chloe, e a incerteza parecia paralisá-lo. Ele sempre lhe dava um beijo de despedida quando saía do apartamento, mas era rápido, superficial. Ele não a pressionava ou fazia perguntas, já que claramente não sabia que tipo de respostas teria.

*-*-*-*

Ela vinha monitorando o telefone e e-mail de Chloe, corretamente deduzindo que Chloe os ignoraria. Um dia ela viu uma chamada perdida de um David Drummond, listado na agenda de Chloe como um Conselheiro Geral da Queen Industries. Ligando para a caixa-postal, ela recuperou uma mensagem dele pedindo que Chloe fosse a uma reunião. Ela ligou de volta para ele e tamborilou os dedos impacientemente enquanto esperava que sua assistente passasse a ligação. "Sr. Drummond. Eu sou a prima de Chloe, Lois Lane. Eu gostaria de avisar que Chloe não está de fato em condições de participar de reuniões de negócios."

"A não ser que ela esteja completamente incapacitada, eu receio que terei que insistir, Srta. Lane", ele disse educadamente. "Tem algumas questões legais sobre o desaparecimento do Sr. Queen que envolvem a Srta. Sullivan e podem impactar diretamente no futuro da empresa. Você também é bem-vinda a acompanhá-la, claro."

Certo. Isso é TUDO que precisamos. Ela concordou de má vontade em levar Chloe. No dia seguinte, elas se apresentaram na recepção e foram acompanhadas até um escritório com uma mesa de reuniões, no final do corretor do escritório de Ollie. Alguém perguntou se elas queriam uma bebida. Claro, querida, que tal um uísque? É muito cedo pra isso? Ela recusou. Não planejava ficar ali muito tempo.

Dois engravatados entraram na sala. "Srta. Sullivan, é bom vê-la novamente. Nos conhecemos há seis meses num evento da empresa. Gostaria que nossa reunião acontecesse em melhores circunstâncias. E esta deve ser a Srta. Lane? Eu sou David Drummond, vice-presidente e conselheiro geral da Queen Industries. Falamos ao telefone. Este é Peter Hawthorne, nosso chefe de operações. Ele está segurando as pontas na ausência do Sr. Queen."

Apertos de mãos por todo lado. Ele se sentou na frente de Lois. Hawthorne se sentou na frente de Chloe. Enquanto Drummond parecia relativamente amigável e aberto -- para uma advogado, pelo menos -- algo no jeito de Hawthorne sugeria que ele estava sendo obrigado a ser educado. Lois não gostou dele logo de cara.

"Eu vou direto ao ponto. O Sr. Queen deixou uma série de instruções comigo -- na verdade, seria mais correto chamar de documento legal -- que deveriam tomar efeito no evento de ele ou falecer ou desaparecer por mais de vinte e sete dias. Hoje, como vocês devem saber, é o dia 27 desde seu desaparecimento." Chloe olhava para a mesa como se estivesse tentando memorizar os detalhes da madeira. "É um documento longo e denso, mas para resumir do modo mais sucinto possível, Srta. Sullivan, o Sr. Queen autorizou-a a agir como sua representante de voto no Conselho Diretor da Queen Industries e também como acionista majoritária. Embora o Sr. Hawthorne continue a agir como Diretor Administrativo, você tem a palavra final sobre todas as decisões. Você tem Nível 1 de acesso a todas as informações financeiras, você não tem mais que assinar autorizações. Resumindo, embora você não tenha que correr operações diárias na QI, você controla a empresa, e continuará a fazê-lo até ou ao menos que o Sr. Queen retorne." Ele cuidadosamente fechou o arquivo em sua frente.

Chloe levantou a cabeça devagar para olhar para o advogado, então sua surpresa encontrou os olhos de Lois. "Você sabia...?" Chloe balançou a cabeça. Lois se virou para Drummond. "Eu acho que falo por nós duas quando digo O QUÊ?!"

Ele sorriu gentilmente para Chloe. "Aparentemente ele confiava muito em você, Srta. Sullivan."

"Ei", Lois falou. "Tempo presente, por favor."

Hawthorne apertou os lábios. "Por mais prematura e estranha que essa confiança possa ser."

Lois olhou para ele. "Como é?"

"Sem querer ofender, mas Oliver Queen tinham uma bela reputação com as mulheres. Eu entendo que você mesma saiu com ele por um curto espaço de tempo, Srta. Lane." Ele sorriu sem nenhuma vontade. "Infelizmente, como um dos solteiros mais ricos do mundo, o Sr. Queen era frequentemente alvejado por mulheres interessadas em seu dinheiro. Claro que você sabe disso."

"Para começar, eu pedi para usar o tempo presente quando falar do Sr. Queen. E não me chame de Shirley." Ela sabia que Hawthorne não compreenderia uma piada do filme Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu!, mas Drummond mordeu o lábio. "Segundo, de onde estou sentada, parece que o Sr. Queen confiou em você para correr a empresa dele, mas não para controlar", Lois disse docemente. Chloe estava examinando Hawthorne como se ele fosse um inseto no pára-brisas do carro.

Hawthorne ficou vermelho e se dirigiu a Chloe. "Com todo o respeito, Srta. Sullivan, você é muito jovem. Eu sei que nem tem diploma universitário. O que você poderia possivelmente saber sobre correr uma corporação do tamanho da Queen Industries?"

"Como Chefe de Tecnologia de Informação e Especialista em Segurança, acredite quando eu digo que eu sei tudo sobre a Queen Industries", disse Chloe lentamente.

Oooh, isso foi uma ameaça velada? Muito bem, prima.

"Não é nada pessoal, Srta. Sullivan. Eu simplesmente não acredito que esta operação seja de interesse da empresa. Eu planejo convocar uma reunião de emergência para discutir este documento e ver qual a melhor decisão a ser tomada."

Lois olhou para Drummond. "Ele tem autoridade para fazer isso?"

"Ele tem autoridade para pedir uma reunião de emergência. A Srta. Sullivan tem o poder de vetar. Como alternativa, ela pode permitir a reunião e mostrar a diretoria que ela é competente para assumir essa responsabilidade; ou simplesmente vencer no voto, porque ela tem controle da maior parte das ações."

Hawthorne olhou feio para ele de uma maneira que dizia claramente Cala a boca. Cala a boca agora.

"Corrija-me se eu estiver errada", Lois disse. "VOCÊ elaborou este documento, certo?"

"Sim", ele disse simplesmente.

"Então eu devo acreditar que ele não pode ser dissolvido muito facilmente."

Ele olhou de lado para Hawthorne. Estava evidente que não havia amor entre eles. "Correto."

"Esplêndido. Agora, Sr. Hawthorne", ela disse, inclinando-se sobre a mesa. "Já que você sente a necessidade de falar de idade e experiência de vida e outras questões pessoais, eu espero que você não se importe de eu perguntar algumas coisas neste contexto. Qual a sua situação? Solteiro? Casado? Família?"

"Eu estou noivo. Minha noiva e eu planejamos ter filhos. Não vejo como isso possa ser relevante", ele disse secamente.

"Maravilha. Moça de sorte. E aqui vai a relevância. Se você alguma vez disser novamente, ou insinuar que minha prima é uma golpista que enfeitiçou Oliver Queen para que pudesse tomar conta de sua empresa, e então ter bolas suficientes para dizer que 'não é pessoal', eu vou pessoalmente arruinar seus planos de ter uma família com uma modelo de saltos. Estamos claros?"

Ele olhou para ela, estarrecido. "Eu não gosto do seu..."

"Cala a boca", ela disse. Virando-se para Drummond, que parecia ter dificuldade em manter a expressão séria, e disse, "Você, por outro lado, pareceu uma pessoa mais racional. Por que não saímos e conversamos em particular por um minuto?"

Enquanto saíam pela porta, ela disse a Hawthorne por sobre o ombro. "Seria melhor se você não falasse enquanto estamos fora."

No corredor, ela olhou para Drummond. "Chloe não tem interesse em controlar esta empresa. Tudo que ela quer é encontrar o homem que ela ama" -- sua voz falhou na última palavra -- "e trazê-lo de volta pra casa para que ele possa correr sua maldita empresa. Ela, e eu, e os amigos deles, não perdemos a esperança. Tudo que ela precisa é acesso a segurança, algum fundo e o jatinho da empresa para continuar a busca. Tirando isso ela quer que a QI continue no auge. Se você precisar da aprovação dela para aprovar coisas ou assinar coisas, se você puder apenas resumir tudo numa reunião semanal ou algo assim, seria maravilhoso. E se aquele pequeno idiota começar a deixar a ambição tomar conta, um aviso seria apreciado. Tudo bem pra você?"

Ele sorriu pra ela. "Acho que temos um acordo, Srta. Lane."

Eles voltaram para a sala, onde Hawthorne parecia carrancudo e impotente. "Sr. Drummond?" Chloe perguntou.

Ele olhou pra ela. "Pode me chamar de David." Hawthorne bufou.

"Você pode me dizer qual a data deste documento?"

Ele abriu o arquivo. "Escrito e executado em 10 de abril de 2010. Isso é importante?"

Era um dia depois -- literalmente um dia depois -- de terem sido sequestrados pelos agentes Checkmate. Levando a mão à boca, ela assentiu, olhos brilhando com as lágrimas. De jeito nenhum ela ia chorar na frente de Hawthorne.

Levantando-se, Drummond estendeu a mão. "Isso é tudo que precisamos por agora, mas haverá relatórios de progresso regulares e coisas assim. Eu estou ansioso para trabalhar com você, Srta. Sullivan."

"É Chloe", ela disse, apertando sua mão.

Ele se virou para Lois. "Srta. Lane, foi um prazer."

"Lois", ela disse, sorrindo para ele. Apenas para esfregar na cara dele, ela se inclinou sobre a mesa. "Sr. Hawthorne." Ele apertou a mão dela sem graça.

No carro, Chloe olhou para Lois. "Enfeiticei Oliver? Arruinar seus planos de família?"

Lois deu de ombros, secretamente gostando de ver Chloe tão alerta fora da Watchtower. Ela podia terminar tendo que mandar um agradecimento ao idiota, por ser tão idiota que irritou Chloe. Ou talvez ela tivesse que agradecer a Ollie, por ter demonstrando sem nenhuma sombra de dúvida como confiava completamente em Chloe.

"Ei, ele achou que pudesse mexer com as garotas Sullivan-Lane? Se enganou."

Chloe apertou o braço dela gentilmente. "Eu te amo, Lo."

Ela sentiu os olhos encherem de lágrimas. Para se prevenir de chorar, ela deu um beijo na bochecha de Chloe. "Também te amo." Ela estendeu a mão com o dedo mínimo esticado. "Eu preciso que você me prometa uma coisa, Chloe. E é muito importante, eu preciso que você jure." Chloe olhou pra ela, então entrelaçou seu dedo no dela. "Prometa-me -- que quando Oliver voltar, você vai fazê-lo rebaixar aquele idiota e transferi-lo para Poughkeepsie."

Chloe sorriu. "A Queen Industries não tem nenhum escritório em Poughkeepsie."

"Melhor ainda", disse Lois.

__________________________________________________________
PRÓXIMA HISTÓRIA: The Way Things Are Supposed To Be (Parte 3)

_______________________________________________________________________________

10 comentários:

  1. Gente bate uma dor no coração imaginar o sofrimento da Chloe eu preciso que o Oliver volte logo pfv pfv diz que ele volta no próximo :,( eu amei a Lois defendendo a Chloe <3
    Quero maaaaais!
    Jami

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jami, ele volta no próximo! :D

      Excluir
  2. que tristeza coitadinha da chloe adoreiiii a lois colocando david no lugar dele
    tomara que o oliver volte logo pra cuidar da chloe ......ela ñ é a mesma sem ele


    é muito amor minha gente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ela precisa dele né, Emilia? E bota amor nisso aí!

      Excluir
  3. Amando a fic!!
    Muito bom ver a Lois interagir assim com Chloe porque li uma fic que me deixou com muita raiva dela kkk Muita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sou muito fã da Lois, mas nessa fic ela merece todos os elogios! Que bom que está gostando, Paula!

      Excluir
  4. Esse capítulo merece apenas uma salva de palmas para Lois, e todos em pé! #adoro

    ResponderExcluir
  5. Esta Lois me lembra muito aquela que veio a Smallville pra investigar e em busca de justiça pela 'morte' de sua amada prima... a verdade é que quanto mais ela se aproximava do Clark, mais distante da Chloe...

    Que bom que próximo capítulo o Oliver está de volta!!

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, GIL, a Lois legal foi só no começo mesmo... Ele volta sim... :D

      Excluir

Google Analytics Alternative