24.9.12

Fate (7/11)

Título: Destino
Resumo: Universo Alternativo baseado no começo da quinta temporada. Chloe já está frequentando a MetU e ainda não conheceu Oliver até que o destino decide que é hora dela entrar na vida dele.
Autoras: chloeas e dl_greenarrow
Classificação: NC-17
Anterior: 01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06



Ela não fazia ideia de como tinham conseguido chegar ao carro de novo, ela sentia a mão dele na dela e vagamente se lembrava de ter andado, mas estava perdida em pensamentos o tempo todo. Só quando o carro começou a se mover foi que ela piscou algumas vezes e olhou pra ele. Ela deveria deixá-lo levá-la de volta e então pegar os comunicadores, pegar seu carro e dirigir de volta. Ficar perto dele deixaria tudo pior.

Ela tinha que se recompor e esquecer tudo sobre como era beijá-lo e o gosto da boca dele e como era a sensação de seus braços porque não era real e se ela se deixasse cair nessa, ia ser muito pior do que quando estava apaixonada por Clark e ela quase tinha perdido a amizade de Clark inúmeras vezes por causa de seus sentimentos por ele, não podia arriscar com Oliver, não quando estavam tão perto de ele ser quem deveria.

Ele olhou de lado pra ela enquanto os dirigia de volta para a cobertura. "Você está bem?" Sua voz era incerta.

"Sim", ela arfou, colocando o cinto. "Você não precisava ter feito aquilo."

Oliver ficou em silêncio por um momento. "Eu quis", ele disse baixinho.

O coração dela parou por todo um momento. "Bem, eu tenho certeza que a notícia vai se espalhar pelo campus, então o plano de me tornar popular pode ter funcionado."

Ele olhou pra ela de novo, mordendo a parte interna da bochecha. "Sim", ele murmurou, o peito apertado.

Chloe expirou e olhou pela janela do seu lado do carro, de repente desejando que estivesse dirigindo, assim poderia se concentrar em alguma coisa. "Eu vou pegar os comunicadores e voltar pra casa."

Ele franziu a testa a isso. "O quê? Por quê?" Havia confusão em sua voz.

Ela nem percebeu que estava girando os dedos contra a alça da bolsa e deu de ombros. "Está tarde, eu vou só programar os chips afinal, não é muito excitante."

Oliver estacionou o carro, balançando um pouco a cabeça enquanto se virava pra ela.

Ela arregalou um pouco os olhos e seu coração acelerou quando percebeu que ele estava estacionando, balançando um pouco a cabeça, ela olhou pra ele. "O que você está fazendo?"

"Estacionando pra gente poder conversar", ele disse, olhando pra ela.

"Falar sobre o quê?" Ela perguntou, engolindo em seco, sua mandíbula travada enquanto mantinha os olhos no painel do carro.

Ele prendeu a respiração por um momento. "Eu não deveria ter beijado você?"

O estômago de Chloe girou a isso e ela respirou fundo e então olhou para o colo. "Não importa", ela disse baixinho e então levantou a cabeça mas ainda não olhou pra ele. "Você estava fingindo, eu entendi."

Oliver olhou pra ela por um longo momento, então olhou pela janela. "Aquilo foi só uma desculpa."

Ela travou a mandíbula e prendeu a respiração, virando-se lentamente para olhar pra ele.

"Eu queria te beijar desde o dia que nos conhecemos", ele disse.

Ela olhou pra ele, seu peito apertado de novo, olhos arregalando lentamente em choque, coração disparado e ela desistiu de tentar respirar. "Você queria?" Ela sussurrou.

Ele se virou para olhar pra ela. "Você não sentiu?" ele perguntou, procurando seus olhos.

Apertando os lábios, ela assentiu lentamente, mantendo o olhar desta vez. "Eu não sabia se tinha sido só eu."

"Não foi", ele murmurou, estendendo a mão e colocando o cabelo dela atrás da orelha.

Prendendo a respiração, ela procurou seus olhos. "Eu não quero estragar as coisas."

Oliver expirou devagar. "Nem eu." Sua voz era baixa, e ele engoliu em seco.

"O que estamos fazendo", ela sussurrou. "Eu te ajudar, tem que ser prioridade."

"Eu sei." Ele fechou os olhos. "Eu sei que é. É só que..."

"O quê?" Ela perguntou antes que pudesse se impedir.

"Eu realmente gosto de você", ele disse, abrindo os olhos mais uma vez e olhando pra ela. "Muito. E sinto como..." Ele hesitou por um momento. "Como se talvez tivéssemos uma chance aqui. De algo maravilhoso."

Ela sentiu os olhos arderem às palavras e enquanto mantinha o olhar, podia jurar que viu algo similar ao que tinha visto nos olhos do outro Oliver. Não era tão brilhante quanto ou... satisfeito, mas estava ali. Uma ponta que podia ser mais do que já tinha visto.

Prendendo a respiração, ela se mexeu um pouco no assento, virando-se de frente pra ele mais uma vez. Ela levou a outra mão até o rosto dele e um segundo depois, inclinou-se e o beijou muito suavemente nos lábios.

Oliver a beijou de volta sem hesitar, gentilmente subindo uma mão pra segurar a cabeça dela.

O coração dela estava mais uma vez disparado contra o peito e a sensação dos lábios dele era avassaladora, desta vez por razões completamente diferentes. Foi um beijo muito mais lento e suave, mas ainda assim tão intenso quanto o primeiro.

Depois de um longo momento, ele finalmente parou o beijo para que pudesse recuperar o fôlego. "Wow", ele murmurou, atordoado de novo.

Chloe respirou fundo também, soltando a mão do rosto dele e indo até seu ombro. "Eu sei", ela sussurrou.

Ele procurou seus olhos, sentindo-se levemente tonto pela intensidade do beijo.

"Eu nunca senti algo assim antes", ela admitiu baixinho, sem quebrar o contato visual. Não achava que pudesse se tentasse.

"Nem eu", ele sussurrou, correndo o polegar pelo rosto dela.

Ela se inclinou um pouco ao toque e apertou os lábios, de repente sentindo-se culpada. "Deveríamos voltar", ela disse. "Tem muita coisa que você precisa saber."

Ele franziu a testa. "Como assim?"

"Bem", ela disse. "Todas as respostas que não te dei antes", ela disse. "Eu sinto como se devesse te contar."

Ele a olhou por um momento. "Ok." Ele beijou sua bochecha levemente, então se afastou e se endireitou no assento do motorista, ligando o carro mais uma vez.

Chloe respirou fundo e se arrumou contra o assento, sentindo-se mais calma agora, mas ainda nervosa já que ia ter que contar a verdade a ele. "Quanto daqueles artigos você leu até agora?" Ela perguntou baixinho, impedindo-se de estender a mão até a dele.

"Todos eles." Ele olhou pra ela de lado, erguendo as sobrancelhas um pouco enquanto ia na direção de seu prédio. Alguns deles duas vezes, pra dizer a verdade, ele acrescentou silenciosamente.

Ela sorriu a isso e assentiu. "Algumas daquelas coisas soam... meio que impossíveis pra você? Como uma pessoa normal jamais poderia realisticamente fazer aquilo?"

"A maior parte das coisas soa impossível", ele admitiu. "Este seu amigo Borrão Azul e Vermelho... ele realmente pode se mover tão rápido?"

Chloe respirou fundo e assentiu um pouco, ela já tinha dito a Clark que eventualmente contaria a Oliver que ele tinha poderes, mesmo que não fosse compartilhar sua identidade secreta. "Sim, ele pode se mover na velocidade da luz, e acho que ele não é o único com poderes."

"A não ser que de repente uma pessoa normal possa parar um trem com uma mão só", ele murmurou, pensando em um dos artigos que tinha lido sobre o Homem-Aranha.

Ela sorriu e assentiu, colocando o cabelo atrás da orelha enquanto o observava atentamente. "Então você acha que eu sou louca por te dizer que mutantes são reais?"

"É como eles se chamam?" Ele franziu um pouco a testa. "Mutantes?"

"Não, na verdade não." Chloe disse baixinho. "Eu não tenho certeza qual é o termo correto, mas tivemos muitas pessoas com poderes ao redor de Smallville por causa da infecção das pedras de meteoro e eu acho que mutante é um termo melhor do que aberração." Ela disse baixinho.

Ele refletiu por um momento, assentindo um pouco. "Faz sentido", ele disse.

Respirando fundo, ela assentiu. "Isso deixa tudo mais fácil."

"E não, eu não acho que você seja maluca." Ele olhou pra ela mais uma vez.

Chloe olhou pra ele e assentiu um pouco, sorrindo suavemente. "Obrigada."

Ele também sorriu um pouco a isso, assentindo e se concentrando na estrada a frente, perguntando-se o que ela ia lhe contar.

***

Eles chegaram à cobertura dele alguns minutos depois e ela se sentia um pouco mais confiante sobre contar a verdade a ele. Respirando fundo, ela colocou o laptop e a bolsa sobre a mesinha e se virou pra ele. "Podemos nos sentar?"

Ele ergueu as sobrancelhas. "É uma conversa do tipo que precisamos nos sentar?"

"Bem, você tem levado tudo numa boa até agora, mas isso é estranho, até pra mim."

Agora ele estava preocupado. Afinal, ela era amiga de um super heroi que tinha só Deus sabe que poderes. Ele foi até ela e se sentou no sofá. "Isso vai precisar de álcool de algum tipo?" 

Chloe ergueu as sobrancelhas e sorriu. "Pode ser."

Ele olhou para o bar do outro lado da sala. "Acho que teremos que ver." Ele deu um tapinha no lugar ao lado dele no sofá.

Ela sorriu e se sentou ao lado dele. "Existe uma razão pra eu ter vindo atrás de você", ela admitiu.

"Sim, eu imaginei", ele disse, observando-a com curiosidade. Na verdade, ele vinha tentando descobrir o que havia sido há semanas.

Respirando fundo ela assentiu. "Você acredita em realidades alternativas?"

Oliver piscou. "Você diz outras dimensões onde existe outro eu?" ele perguntou.

Apertando os lábios, ela assentiu.

"Eu nunca parei pra realmente pensar nisso", ele disse, erguendo as sobrancelhas.

"Nem eu", Chloe disse. "Mas eu fui para uma e um homem que se chamou Doutor Destino disse que eu tinha que te ajudar a se tornar a versão de você que eu conheci lá."

Doutor Destino", ele repetiu.

Assentindo, ela o observou atentamente. "Precisa daquela bebida agora?"

Oliver não respondeu a pergunta. "Então você conheceu meu outro eu?"

"Sim", ela disse. "Ele salvou minha vida."

Ele arregalou os olhos. "Do quê?"

"Bem", Chloe respirou fundo e se mexeu no sofá, na direção dele. "Eu meio que apareci lá, num minuto eu estava sentada no meu dormitório, no outro, eu estava parada no meio de uma rua movimentada, você--- ele me pegou e me levou para o telhado mais próximo."

Agora ele precisava de uma bebida. Ele olhou pra ela por um longo momento, então correu as mãos pelo rosto.

"Você precisa de um tempo pra processar tudo?" Ela perguntou.

Ele não sabia como responder a isso. Por mais maluco que soasse, na verdade fazia sentido pra ele. Porque ela tinha aparecido em Star City sem o conhecer, porque ela tinha sido tão confiante que ele podia fazer essa coisa de vigilante. "Eu não sei", ele disse honestamente.

Chloe respirou fundo e assentiu, era resposta suficiente pra ela. "Você quer uma bebida?"

Oliver balançou a cabeça, olhando pra ela mais uma vez.

Ela assentiu levemente e apertou os lábios mas não disse mais nada, dando tempo a ele.

Ele se recostou contra o sofá, ficando em silêncio por alguns longos momentos. "Como é que você pode ter tanta fé?" ele perguntou baixinho.

"Eu vi com meus próprios olhos, Oliver", ela disse. "Não há muito o que questionar."

"Eu quero dizer... em tudo isso. Quer dizer, esse Doutor Destino disse pra você me procurar?" Ele franziu um pouco a testa.

Ela deu de ombros. "Eu não tinha nada a perder."

"Como assim?"

"O que eu perdi vindo pra cá?" Ela perguntou, balançando a cabeça. "Eu pensei que na pior hipótese você iria me ignorar completamente e eu voltaria pra casa assim que esse semestre terminasse."

Oliver olhou pra ela atentamente, percebendo que sabia tão pouco sobre ela. "Mas e sua família, Chloe? Seus amigos?"

"Metrópolis fica a apenas três horas de voo, além do mais, eu posso pegar uma carona do Borrão se eu precisar chegar lá realmente rápido", ela disse a ele, dando de ombros.

Ele ficou em silêncio por um momento. "Você voltou pra lá desde que chegou aqui?"

Chloe respirou fundo e balançou um pouco a cabeça. "Eu não estou aqui há tanto tempo assim", ela disse baixinho.

"Você sente falta?" ele perguntou, olhando para as mãos.

Ela refletiu por um momento e então balançou a cabeça. "Eu sentia falta quando não estava fazendo nada, mas desde que você me procurou, não sinto mais."

Ele olhou pra ela mais uma vez. "Sempre que quiser fazer uma visita, use o jatinho."

Erguendo as sobrancelhas, ela o observou por um momento e sorriu. "Obrigada."

Oliver sorriu um pouco a isso, olhando pra ela atentamente. "Sabe, mais cedo você disse uma coisa..."

Chloe ergueu as sobrancelhas um pouco e olhou pra ele. "O quê?"

"Sobre querer um lugar com seu próprio banheiro." Ele ergueu as sobrancelhas de volta pra ela. "Eu tenho um monte de quarto de hóspedes."

"Oh", ela olhou pra ele, olhos arregalando um pouco. "Eu não estava querendo que você oferecesse."

"Eu sei", ele disse sinceramente, procurando seus olhos. "Mas eu tenho o espaço. E estamos passando a maior parte do nosso tempo juntos afinal. E quando começarmos a trabalhar de fato nisso e fora daqui..." Ele parou. "Eu honestamente não me importaria de ter companhia."

Ela apertou os lábios e assentiu, queria dizer sim, mas tinha que tentar ser racional. "Eu ainda tenho um mês pago de aluguel", ela disse. "Se você ainda estiver disposto a isso depois, então eu também não me importaria em ter companhia."

"É justo", ele disse.

Chloe respirou fundo e assentiu. "Então você está bem? Com o que eu te contei?"

Ele lhe ofereceu um pequeno sorriso. "Eu não vou dizer que não é bizarro."

"Eu ficaria preocupada se você achasse perfeitamente normal", Chloe admitiu, sorrindo enquanto se recostava contra o sofá.

Oliver deu um risinho a isso. "Aposto que você não esperava algo assim pra mudar completamente sua vida."

"Na verdade não", ela concordou e então sorriu. "Mas foi uma surpresa bem-vinda."

"Eu queria te conhecer melhor." Ele olhou pra ela, sua expressão séria mais uma vez.

Ela prendeu a respiração e assentiu. "Eu também gostaria disso." Ela sabia muito sobre quem ele se tornaria, sobre o heroi, mas ainda tinha muito para aprender sobre o homem.

Ele sorriu, estendendo a mão pra ela silenciosamente.

Chloe sorriu de volta e pegou a mão dele, entrelaçando seus dedos enquanto mantinha o olhar, talvez estivesse ali para tentar ajudá-lo a se tornar quem ele deveria ser, mas não podia deixar de sentir como se isso fosse exatamente o que ela deveria ser também.


______

__________________________________________________________

10 comentários:

  1. Essa fic é uma fofura, excelente pra relaxar das emoções de In Our Hands...

    Adorei esse capítulo, os dois cada vez mais próximos, mais fofos...


    Rita

    ResponderExcluir
  2. Aaah!! Gente, essa fic é uma delicia!! ;D

    GIL

    ResponderExcluir
  3. Muito legal a fic, compensa a agonia da outra. rs

    ResponderExcluir
  4. Ai galera, tenho que me concentrar nas minhas traduções. O problema é a falta de foco, começo uma e vejo outra legal, paro. Aí começo a segunda e vejo mais uma que parece bacana, pulo de história outra vez kkk e com isso estou com algumas fics pela metade, outras quase prontas...
    Mas agora vou pegar né rs

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative