11.12.11

Trick or Treat? (5/10)

Especial: Chlollieween
Título: Travessuras ou Gostosuras?
Nota: Esta história começa no episódio Thirst e segue AU depois disso, Chloe não está com Jimmy e Ollie nunca esteve com Lois. Começa no Halloween, mas o tema não é somente esse.
Autoras: chloeas e dl_greenarrow
Classificação: PG-13
Anterior: Um - Dois - Três - Quatro




Ele nem sabia que horas eram quando finalmente voltou para o Planeta Diário. Tudo que sabia era que o sol estava brilhando e que pra proteger sua identidade, ele precisava se esconder. Felizmente, as coisas tinham se acalmado nas ruas. Era como se o surgimento do sol assegurasse a todos que o mundo continuaria mesmo que não tivessem eletricidade. Seus músculos e ossos estavam cansados de todo trabalho que tinha feito, todas as lutas que tinha separado, todos os crimes que tinha impedido. Mas ele tinha prometido a repórter loira que voltaria para vê-la, e não ia desapontá-la.

Ele desceu pelas escadas na direção da sala da editora chefe onde a tinha deixado, fazendo uma pequena careta com o brilho do sol que entrava pelas janelas. Seu peito apertou quando não a viu, mas então avistou o cabelo loiro no chão. Ele franziu a testa e deu a volta na mesa e a encontrou dormindo embaixo da mesa. Sua expressão se suavizou ao vê-la e ele se ajoelhou ao lado dela, puxando o capuz mais pra frente. "Ei", ele disse baixinho, sem tocá-la, não querendo assustá-la.

Chloe acordou assustada mesmo ssim, arregalando os olhos e se sentando, mas felizmente se lembrando que estava embaixo da mesa antes que batesse a cabeça. Ela piscou e olhou pra ele. "Você voltou."

"Devagar." Ele a observou cuidadosamente, estendendo a mão para ajudá-la a sair dali. "Sobrevivemos a noite."

Ela pegou a mão dele e engatinhou pra fora da mesa antes de se levantar. "Que bom, como estão as coisas lá fora?"

"Mais calmas", ele disse. "O sol nasceu. Isso ajudou."

"Você deve estar exausto", ela disse baixinho, observando-o com atenção, bem, com o máximo de atenção que era possível, afinal.

Um sorriso puxou a boca dele. "Olha só quem fala." Sua voz estava distorcida, mas ainda brincalhona. "Como está o ombro?"

"Dolorido, mas melhor", ela disse sinceramente, então deu um risinho. "E não fui eu quem passou a noite lá fora ajudando as pessoas, só fiquei sentada aqui."

Ele deu um risinho de volta. "Algumas vezes isso é exaustivo. Especialmente se você pensa que o mundo está realmente acabando."

"É, mas eu podia dormir quando quisesse, e fiz isso, você não podia." Ela foi até a pequena geladeira no canto da sala, mesmo sem eletricidade, ainda estava mais fria que o lado de fora. "Eu vasculhei algumas salas e encontrei comida."

"Alguma coisa boa?" ele perguntou curioso, observando-a.

"Pão e congelados", ela disse. "Achei que seriam seguros pra você."

Ele assentiu um pouco, indo até ela e pegando um lanche com um risinho satisfeito. "Obrigado."

Chloe sorriu pra ele e assentiu. "E, suco de laranja e achocolatado, as pessoas aqui se alimentam como crianças de sete anos aparentemente."

Ele deu um risinho a isso. "Vai servir por agora", disse a ela.

Ela pegou duas garrafas e colocou sobre a mesa. "Ainda estão um pouco frias."

Oliver olhou pra ela. "Qual você quer?"

"Eu já tomei uma garrafa de suco, estou satisfeita", ela assegurou. "Pode tomar as duas."

Ele assentiu, pegando a garrafa de suco de laranja, abrindo a tampa e tomando um longo gole. Ele piscou quando as luzes de repente voltaram. "Bem, isso quebra o clima."

Chloe piscou e olhou pra cima, seus olhos arregalando, seu peito ficando apertado. Seja lá o que Clark tenha feito, tinha funcionado.

Ele parou, observando-a. "Você está bem?"

"Sim", ela disse baixinho, tentando um sorriso enquanto se virava para olhar pra ele. "As pessoas provavelmente vão começar a chegar logo..."

Ele fez uma careta. "Eu preciso sair-"

Os olhos de Clark estavam arregalados quando abriu a porta, tinha ouvido a voz de Chloe e não pensou duas vezes antes de segui-la.

Chloe se virou, seus próprios olhos arregalados quando o viu, e sem pensar duas vezes ela foi até ele e jogou os braços ao redor de seu pescoço. "Você está vivo", ela arfou.

Oliver se virou para olhar a troca, observando o homem cautelosamente. Silenciosamente ele colocou a garrafa de suco sobre a mesa e foi em direção a porta.

"Você está bem?" Clark perguntou enquanto a abraçava com força.

"Eu estou bem", Chloe disse, aliviada enquanto se afastava para olhar pra ele, mas pelo canto dos olhos viu Oliver, quer dizer, o Arqueiro Verde saindo. "Espera", ela falou, "está tudo bem."

Ele realmente não concordava com isso, então balançou a cabeça. "Eu preciso ir. Dê uma olhada nesse ombro." Ele voltou para o corredor, indo em direção às escadas.

"Obrigada", ela disse, soltando Clark e olhando na direção da porta.

Ele assentiu pra ela. "Te vejo por aí." Um risinho surgindo em seus lábios.

Chloe sorriu um pouco a isso. "Assim espero", ela disse.

Clark o observou sair, então olhou para Chloe. "Você conheceu o Arqueiro Verde?"

Ela parou por um momento, mordendo o lábio inferior antes de se virar para olhar para Clark. "Ele me salvou."

Ele arregalou um pouco os olhos. "Do quê?"

"Eu tentei voltar para o dormitório, estava um caos lá fora, alguns caras me agarraram mas ele me ajudou antes que o pior acontecesse", ela disse, sorrindo um pouco.

Ele franziu a testa preocupado. "O que ele quis dizer sobre o seu ombro?"

Ela levou a mão até o ombro inconscientemente. "Eu desloquei, mas ele colocou no lugar pra mim."

Clark olhou pra ela preocupado. "Ele poderia ter te machucado!"

"Eu estou bem", ela assegurou, sorrindo. "Estava doendo muito, está melhor agora.

"Deveríamos ir a um hospital pra ter certeza", ele disse preocupado.

Chloe balançou a cabeça. "Os hospitais estarão cheios de pessoas que precisam de médicos mais do que eu, Clark."

Ele engoliu em seco a isso. "Eu deveria ter estado aqui."

"Você estava salvando a todos nós", ela disse baixinho. "Você está bem?"

"Eu estou bem", ele disse, procurando seus olhos. "Só estou feliz que você esteja bem."

"Eu estou", ela disse olhando pra ele e sorrindo embaraçada. "Embora eu te deva um pedido de desculpas."

Ele franziu a testa a isso. "Pelo quê?"

"Por, bem", ela apertou os lábios. "Te dar um beijo quando achei que o mundo ia acabar."

"Certo." Ele engoliu em seco, parecendo incerto de repente. "Quer dizer, não foi nada de mais. Só uma daquelas coisas. Sabemos que não significou nada."

"Certo", Chloe repetiu, seu peito apertando. "Não significou nada", ela disse baixinho, então balançou a cabeça, respirando fundo e pegando a bolsa. "Acho melhor irmos embora antes que os funcionários apareçam", ela disse, hesitando um segundo antes de guardar um envelope dobrado dentro da bolsa.

"Quer dizer, como você disse, você achou que o mundo fosse acabar." Clark engoliu em seco nervosamente, olhando em direção a porta. "Vamos embora daqui."

Ela assentiu um pouco. "Sim, vamos embora e vamos apenas, esquecer o que aconteceu, ok?"

"Boa ideia", ele concordou, assentindo também e indo em direção a porta. "Eu acho que você não descobriu muita coisa sobre o cara verde?"

"Nada além do fato de que ele é definitivamente um dos caras bonzinhos", ela mentiu, sorrindo um pouco pra si mesma enquanto saía da sala.

"Bem, se ajudou você, isso faz com ele ganhe alguns pontos no meu conceito." Clark olhou de lado pra ela.

"Que bom", ela disse baixinho, olhando pra ele também. "Ele merece."

Percebendo que ela estava um pouco estranha, ele franziu a testa. "Tem certeza que você está bem, Chlo?"

"Eu estou bem", ela assegurou. "Só... exausta e descafeinada."

"Vamos te levar pra casa então e arranjar um pouco de café", ele sugeriu.

"Obrigada, Clark", ela disse baixinho. "E você também deveria descansar", ela disse. "A cidade provavelmente vai precisar de você até que tudo esteja de volta ao normal."

Ele assentiu levemente a isso, passando um braço ao redor dos ombros dela e puxando-a contra seu lado protetoramente enquanto desciam as escadas juntos.

Oliver observou do telhado do Planeta enquanto Chloe e o cara misterioso saiam do prédio alguns momentos depois. Então ele atirou um cabo para a Torre do Relógio, fazendo uma careta quando a dor atravessou seu ombro. Felizmente, ele estava bem perto de casa.

***

Chloe sabia que era estúpido sair do campus só para comprar um café e o jornal, mas não pôde se impedir, ela tinha algum tempo antes da próxima aula e o café do velhinho perto da banca de jornal era o melhor, além do mais, isso a colocava no coração de Metrópolis e ela amava essa parte da cidade, especialmente durante a semana onde todo mundo andava de terno.

"Obrigada", ela disse ao homem com um sorriso enquanto pegava o café e colocava a cópia dobrada do Planeta embaixo do braço.

"Te vejo amanhã, senhorita", ele respondeu com um sorriso.

Oliver estava olhando para o outro lado da rua enquanto virava a esquina, trombando com alguém e fazendo uma careta quando sentiu a dor em seu ombro ferido. Ele rapidamente estendeu a mão para equilibrar a outra pessoa e seus olhos arregalaram um pouco quando percebeu que tinha trombado com Chloe. De novo.

Ela também fez uma careta quando alguém trombou em seu ombro ruim, que tinha melhorado bastante nos últimos dias, mas ainda estava dolorido. "Desc--" ela começou, então parou, seu coração pulando uma batida quando olhou pra cima e viu a pessoa com quem vinha esperando se encontrar. "Oliver?"

Ele lhe deu um sorriso fácil. "Há quanto tempo", ele disse levemente. "Como você está, Chloe?"

Não tanto tempo assim, ela pensou, então sorriu, assentindo um pouco. "Eu estou bem, e você?"

"Eu estou bem." Ele fez uma careta quando olhou pra baixo e viu que tinha feito o café dela cair quando trombou com ela. Descansando uma mão em seu braço machucado sem perceber, ele olhou para o velho vendedor de café. "Seja lá o que ela tenha pedido, por minha conta." Ele pegou uma nota de dez e passou para o homem.

Chloe estava tão distraída pelo fato de ter encontrado com Oliver de novo, que mal percebeu que o copo de café tinha caído de sua mão, ela balançou um pouco a cabeça. "Você não precisa fazer isso."

"Sim, eu preciso. Eu derrubei." Ele sorriu e passou o novo copo a ela, se recusando a receber o troco que o homem lhe devolvia. "Você está bem?"

"Obrigada", ela disse a ele, sorrindo para o velhinho e olhando para Oliver de novo. "Eu estou bem."

Oliver assentiu um pouco, procurando seus olhos. "Como estão indo as coisas?"

Chloe deu um gole no café e deu de ombros. "Na mesma, ainda trabalhando na Tribuna", ela disse a ele. "Como estão indo as coisas pra você?"

"Também na mesma." Ele parou por um momento. "Estou na cidade de novo por causa de alguns negócios da Queen Industries."

"Está tudo bem?" Ela perguntou, erguendo as sobranclehas. "Quer dizer, com os blecautes e tudo que aconteceu..."

"Ah. Sim, está tudo bem", ele disse assentindo um pouco e oferecendo a ela um pequeno sorriso. "Você ficou bem?"

"Sim", Chloe mordeu a parte interna do lábio e sorriu suavemente. "Eu conheci o Arqueiro Verde durante o caos."

"Oh?" Ele ergueu as sobrancelhas a isso. "Então ele é real?"

"Muito", ela disse a ele, seus olhos brilhando. "Mas não diga a ninguém que eu te contei."

"Seus segredos estão a salvo comigo", ele disse com um pequeno sorriso, encontrando seus olhos.

"Bom saber", ela disse, sorrindo pra ele e mantendo o olhar.

Oliver ficou em silêncio por um momento, observando-a atentamente. "Eu estava indo almoçar", ele começou.

"Oh", ela parou, erguendo as sobrancelhas. "Negócios?"

"Não, só almoço." Ele sorriu. "Será que você gostaria de me acompanhar?"

Chloe parou e olhou pra ele por um momento. "Oh", ela ergueu um pouco as sobrancelhas. "...claro."

"É?" Oliver sorriu um pouco mais a isso. "Alguma comida em particular parece boa?"

"Bem, onde você estava indo?" Ela perguntou, tomando o café, feliz que tivesse pedido um copo pequeno.

"Na verdade eu não tinha um lugar específico em mente", ele admitiu. "Eu ia andar até encontrar algum lugar."

"Eu conheço essa área muito bem", ela disse, apertando os lábios, imaginando se ele de algum jeito sabia que ela sabia, mas não tinha como ele saber. "Que tipo de comida você está com vontade?"

"Qualquer coisa, na verdade", ele disse honestamente, sorrindo enquanto olhava pra ela de lado. "Não tenho muita frescura."

"Tem um restaurante italiano legal a algumas quadras daqui", ela sugeriu, tentando parecer calma embora estivesse realmente nervosa porque Oliver Queen, não, o Arqueiro Verde, queria almoçar com ela. E claro, isso não significava nada, mas mesmo assim, era uma grande coisa.

"Eu jamais diria não a comida italiana", ele disse com um sorriso, oferecendo o braço a ela.

Ela trocou o copo de mão e sorriu pra ele, pegando seu braço, e mesmo sabendo que tudo isso era sua persona playboy, ele o fez extremamente bem.

"Então, como vai indo a escola?" ele perguntou curiosamente enquanto caminhavam, olhando pra ela.

E agora ela se sentia uma criança. Com um longo gole em seu café, ela deu de ombros novamente. "Nada mal, com sorte termino em um ano e meio mais ou menos."

Oliver ergueu as sobrancelhas a isso. "Deixe-me adivinhar. Nada de férias de verão e aulas excessivas a cada semestre?"

"Sim", ela disse com um pequeno sorriso. "Terei uma vida quando terminar."

Ele deu risada. "Estou vendo."

"Falando em ter uma vida", ela disse, olhando pra ele curiosa. "Você normalmente frequenta festas de irmandades?"

Isso o pegou de surpresa. "Ocasionalmente eu gosto de fingir que sou normal?"

E pegá-lo de surpresa era exatamente o que ela queria, embora não fosse a resposta que esperava, ela imaginava que entre bancar o rico e famoso playboy, o administrador e super heroi, a vida era bem corrida pra ele. "Acho que festas a fantasia deixam tudo mais fácil pra você."

"Bem, ninguém me reconheceu", ele admitiu, assentindo um pouco.

"Isso é verdade", ela concordou, então ergueu as sobrancelhas. "Embora, sem ofensa, mas eu não acho que muitas delas saberiam quem você é pra começar."

Um sorriso puxou os lábios dele a isso. "Você está provavelmente certa sobre isso. Mas eu não conseguiria me misturar tão bem se não tivesse uma fantasia, conseguiria?"

"Não, provavelmente não", ela disse, erguendo as sobrancelhas. "Além do mais, Robin Hood combina com você."

Oliver parou a isso, olhando pra ela de novo. "Você acha?"

"Sim", ela disse, sorrindo e fingindo que suas palavras não tinham uma segunda intenção. "Você ficou bonito."

Um sorriso puxou sua boca. "Bem, aquele uniforme que você estava usando..." Ele ergueu as sobrancelhas. "Dizer que ficou bonito em você não chega nem perto."

Ela arregalou os olhos e seu rosto ficou quente, mas ela balançou a cabeça. "Não era um uniforme qualquer, eu era Buffy, sabe, a caça-vampiros?"

Oliver olhou pra ela, ainda sorrindo. "É, bem, você é bem mais bonita que a Buffy."

Chloe balançou a cabeça novamente e sorriu pra ele. "Obrigada", ela disse, ficando ainda mais vermelha e tomando um gole de seu café novamente, terminando-o.

Ele ficou em silêncio por um momento, muito alerta da mão dela segurando seu braço. "Ei uh - alguma coisa acabou acontecendo com o Zorro?"

Ela ergueu as sobrancelhas a isso. "Como assim?"

Ele deu de ombros. "Parecia que você estava interessada nele", ele disse casualmente, olhando pra ela pelo canto dos olhos.

Chloe olhou pra ele por um longo momento, então balançou a cabeça, apertando os lábios e desviando o olhar. "Não, Clark é meu melhor amigo, qualquer coisa a mais seria... uma bagunça."

Clark. Então esse era seu nome verdadeiro. E a julgar pela reação, ela definitivamente tinha mais do que sentimentos platônicos pelo cara. "Deve ser difícil." Sua voz ficou mais suave.

"Não é nada de mais", ela disse, sorrindo.

Por alguma razão ele tinha a sensação que ela estava mentindo.

"Aqui", ela disse, jogando o copo num cesto de lixo e parando na frente do restaurante. "É pequeno e familiar, mas é muito bom."

"O cheiro está bom", ele disse com um sorriso, abrindo a porta pra ela.

"Com sorte você vai gostar", ela disse sinceramente, respirando fundo e entrando. Com sorte ela ia sobreviver ao almoço sem ele perceber que ela sabia demais.

"Se for metade bom quanto a companhia, será fantástico", ele disse.

Chloe sorriu suavemente a isso e apertou o braço dele sem pensar, era difícil se relembrar que essa era parte de sua persona playboy quando ele soava tão convincente.

Ele sorriu de volta pra ela, encontrando seus olhos e então a seguindo para dentro e em direção a recepcionista. "Mesa pra dois, por favor", ele disse educadamente.

A jovem arregalou um pouco os olhos. "Cla-claro", ela gaguejou. "Por aqui."

Ela sorriu diante da reação da mulher e balançou a cabeça. "Isso sempre acontece?" Chloe sussurrou, olhando pra ele.

Oliver sorriu, mas não tão abertamente. "Não sempre."

Apertando os lábios, ela o observou e se sentou na frente dele. "Deve ser um saco."

Ele deu de ombros, olhando pra ela. "Algumas vezes", ele concordou baixinho. "Mas não vou mentir. Tem suas vantagens também."

"Como conseguir uma mesa num restaurante não importa o quanto esteja lotado?" Ela perguntou, sorrindo pra ele.

Ele sorriu um pouco, assentindo. "Sim, também. E poder ajudar as pessoas."

"Bem, isso você faz bastante", Chloe disse, sorrindo e erguendo as sobrancelhas.

Oliver parou a isso, então assentiu levemente. "Eu tento", ele falou baixinho.

"Tem um monte de gente por aí que tem o mesmo tanto de dinheiro que você e não faz nem metade, Oliver", ela disse sinceramente.

Ele relaxou mais uma vez, expirando lentamente enquanto olhava pra ela. "Algumas vezes ainda não parece ser o bastante."

"É", ela disse baixinho, assentindo. "Eu posso entender isso."

Ele manteve o olhar por um longo momento.

Chloe piscou e ergueu as sobrancelhas, olhando pra ele, seu coração disparado, ela não podia deixar de imaginar se ele estava prestes a lhe contar a verdade.

"Isso uh - isso pode parecer inapropriado e se for, sinta-se a vontade pra me dizer, mas... eu venho pensando em você desde aquela festa de Halloween", ele admitiu.

Não estava prestes a lhe contar seu grande segredo, mas por alguma razão isso era melhor. "Oh?"

Ele assentiu um pouco, observando-a e imaginando o que ela deveria estar pensando.

"Isso é, hm", ela começou, sabendo que ele estava esperando por uma resposta. "Inesperado", ela ficou vermelha.

"Inesperado de um jeito bom ou ruim?" Oliver perguntou incerto.

"Bom", ela disse, piscando e balançando a cabeça. "Bom, lógico que é bom."

Ele sorriu a isso. "Eu gosto de você", ele disse baixinho.

Chloe sorriu e também balançou um pouco a cabeça. "Eu também gosto de você", ela respondeu, se sentindo boba enquanto tentava processar o fato de que Oliver Queen, também conhecido como Arqueiro Verde, estava lhe dizendo isso...

O sorriso dele brilhou um pouco mais. "Bom, isso... isso é bom." Ele abaixou um pouco a cabeça.

"Eu definitivamente não esperava que você lembrasse meu nome", ela admitiu.

"Talvez eu possa te ensinar a esperar o inesperado." Seus olhos brilhavam.

"Você meio que já está", ela disse a ele, seus próprios olhos brilhando também.

_______

__________________________________________________________________

3 comentários:

  1. *_*

    Cada vez mais melhor...
    Quero maiisss!!!!

    GIL

    ResponderExcluir
  2. Daqui a pouquinho, GIL. :D

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative