13.9.13

Beauty In The Breakdown X - Snow Angel (parte 2)

TítuloAnjo da Neve
Resumo da série: Com Oliver ao seu lado, Chloe aprende a se libertar, encontrar a paz e se apaixonar. 
Resumo da história: Muito cedo no casamento, Chloe e Oliver sofrem uma terrível perda. Muito angst. 
Autorababydee1
Classificação: NC-17
Bannerellashy
Nota da Autora: Antes de começar, eu gostaria de esclarecer algumas coisas nesta continuação. Na última história, alguém pontuou que eu explorei muito as inseguranças de Chloe, mas não tanto as de Oliver, então isso me fez pensar que eu deveria balancear as coisas. Até agora, Oliver tem sido o Cavaleiro em Armadura Brilhante de Chloe e ele não fez nada errado (nem vai fazer). Mas para mostrar um pouco mais detalhadamente sua psiquê, eu preciso assustá-lo, com algo que balance suas crenças e reviva seus piores medos... e é aí que começa Snow Angel. Agora, é bom mencionar que há bastante angústia nesta história, mas o plano sempre foi - e continua sendo - um final feliz. Dito isso, por favor leia os avisos, para que ninguém seja pego de surpresa pelo assunto desta continuação.
Avisos: Muito angustiante. A história lida pesadamente com o aborto. Por favor não leia se o assunto te incomoda. Obrigada. 

Histórias anteriores:
Beauty In The Breakdown IX - 'Fessing Up

Beauty In The Breakdown X - Snow Angel: parte 1



Se a Dra. Lola Johnson tivesse de repente desenvolvido chifres e dançado em cima de mesa, Chloe não teria ficado mais atônita.

"Grávida?" ela repetiu. "Mas eu... não, eu - O quê?! Como? Como isso é possível?"

Lola lhe deu um olhar e balançou a cabeça. "Sério? Não me faça fazer uma pergunta óbvia."

"Lola, eu - ei sei que você deve fazer isso o tempo todo, mas sério: eu não posso estar grávida."

A médica suspirou. "Certo, eu vou perguntar. Você vem tendo relações sexuais com seu marido?" Enquanto perguntava, ela pegou um kit de teste de gravidez avançado de um armário próximo e começou a abri-lo.

"Claro que temos, regularmente - mas estamos usando proteção!"

"Ah sim, a pílula." Ela desceu a ponta de um palito de plástico na amostra e estreitou os olhos observando. "Algo mais?"

"Não usamos preservativos, mas eu tomo anticoncepcional desde o começo do nosso relacionamento", ela confirmou.

A médica ergueu uma sobrancelha. "Nunca esqueceu nenhum dia?"

Chloe abriu a boca para negar, mas então percebeu.

"Bem... sim", ela admitiu. "Só uma vez, na noite do nosso casamento."

Lola sorriu. "Deixe-me adivinhar... onze semanas atrás?"

"Sim, mais ou menos", ela respondeu, surpresa. "Como você--"

Lola virou o palito e entregou a ela. Ali, no canto, havia uma pequena tela onde se lia Grávida: 11 smns +/- 3 dias muito claramente.

"Oh, Deus", Chloe respondeu. "Eu estou... grávida."

Lola assentiu. "Parabéns. Parece que você concebeu em sua noite de núpcias."

"Mas como?" ela disse, ainda em choque. "Isso é impossível!"

Lola revirou os olhos, e Chloe corou. "Quer dizer, é fisicamente impossível. Eu não posso ter ficado grávida naquela noite, porque eu tomei duas pílulas no dia seguinte. E eu menstruei duas semanas depois!"

"Que conforme você mesma falou foi incomumente leve", a doutora pontuou. "É chamado escape; é algo que acontece quando um ovo fertilizado vai até o revestimento do útero. Perfeitamente normal."

Chloe ficou boquiaberta. "Mas... mas e as duas pílulas que eu tomei?"

"Isso nunca funciona", Lola respondeu. "O corpo humano é desenhado para procriar, Chloe. Ao esquecer uma pílula, você dá ao seu corpo uma janela de 24 horas de oportunidade, e ele vai com tudo."

"Eu ainda não consigo acreditar que isso está acontecendo", ela murmurou chocada. "Eu vou ter um bebê?"

"Você será mãe em seis meses", a médica confirmou.

"Entendo." Chloe juntou as mãos para impedi-las de tremer e tentou aceitar as notícias que tinha recebido.

Um bebê.

Um bebê?

Lola estreitou os olhos e inclinou a cabeça. "Como você se sente sobre isso, Chloe?"

Chloe expirou tremulamente. "Eu não sei como eu me sinto, pra ser honesta", ela respondeu sinceramente. "Nós não planejamos, pelo menos não por um tempo. Oliver, ele..."

"Ele vai ficar muito feliz", Lola respondeu com um sorriso. "Ele pode ter sido um pouco inconsequente quando jovem, mas sempre quis uma família."

"Mas estávamos planejando esperar um ano--"

"Planos", a médica bufou. "Outra palavra que me faz dar risada." Ela começou a escrever uma receita, e então parou.

"Você vai ficar com este bebê, não é?"

"Claro!" Chloe exclamou, instintivamente cobrindo a barriga com a mão. "Com certeza."

"Então você vai começar a tomar estes suplementos de ácido fólico imediatamente", ela disse enquanto destacava a receita e entregava a ela. "Normalmente pedimos para as mulheres tomarem bem no começo da gravidez, se não antes."

"Então eu estou três meses atrás", Chloe disse incrédula. "Oh, não. Eu prejudiquei meu bebê? Ele está em falta de--"

"Calma, Chloe", ela respondeu. "Sim, você está algumas semanas atrás, mas muitas mulheres atravessam os nove meses sem saber que estão grávidas, e ainda assim nascem bebês saudáveis. Você vai ficar bem."

"Obrigada." Ela ainda estava preocupada em ter prejudicado seu bebê. Ela ia ter um bebê. Ainda era um grande choque. "Hum... mais alguma coisa que eu preciso saber?"

"Alimente-se com comidas saudáveis", a doutora alertou. "Muita fruta e vegetais vão naturalmente desintoxicar seu organismo. Você já passou do estágio das náuseas, mas tenha sempre um pacote de biscoitos por perto..."

Ela continuou com uma lista de informações, parando apenas para pesar Chloe. Ela também juntou uma tonelada de folhetos, escreveu algumas coisas neles e os entregou a Chloe.

"Esta é uma versão rápida de informações sobre gravidez, mas eu aconselho comprar alguns destes livros imediatamente", Lola disse. "Mais alguma pergunta?"

"Sim... mais cedo, você disse que eu passei do estágio da náusea, mas eu não tive nenhuma náusea", Chloe disse. "Isso é bom ou ruim?"

A médica parou por alguns segundos antes de finalmente responder.

"Pode ser - e eu estou apenas supondo - indicativo de algum problema congênito, mas é uma suposição muito geral", ela disse. "Cada mulher é diferente, e cada gravidez é diferente. Eu não tive náusea no primeiro filho, e ele nasceu forte e saudável. Minha segunda gravidez foi um pesadelo. Eu tinha náusea o dia todo durante sete dos nove meses, e estava convencida de que era por estar carregando uma menina, mas acabou que era um menino, e forte também. Então não existem regras sobre a náusea."

Ela segurou a mão trêmula de Chloe. "Eu sei que é muita coisa de uma vez, e todas essas informações podem ser assustadoras", ela disse. "Mas todas nos sentimos assim no começo. Agora que você sabe, vai perceber os sinais do seu corpo, e começar a se conectar com seu bebê enquanto ele se desenvolve."

"Você acha que tem algum motivo para preocupação?" Chloe perguntou.

"Não necessariamente, mas como você já está de três meses e teve algum sangramento no início, vamos agendar um ultrassom em sua décima segunda semana", ela respondeu. "Se quiser, eu posso te encaixar para esta tarde."

Chloe balançou a cabeça. "Não, Oliver está viajando a negócios e eu não quero fazer sem ele. Vamos ver nosso bebê juntos." Nosso bebê. Deus, isso estava realmente acontecendo. "Ele volta esta noite, podemos vir amanhã?"

Lola olhou os agendamentos no computador. "A primeira vaga que eu tenho é para amanhã na hora do almoço, que tal?"

"Perfeito", Chloe disse. "Ele pode ter alguma reunião ou algo assim, mas nada que não possa ser remarcado."

"Tudo agendado." Ela imprimiu o agendamento e entrou a Chloe com um sorriso. "Parabéns, vejo vocês dois amanhã. Se tiver mais alguma pergunta - e com certeza você terá - pode me ligar a qualquer hora, ok? Você tem meu número direto."

"Eu tenho." Chloe se levantou, nada surpresa ao perceber os joelhos trêmulos. "Obrigada, Lola."

"De nada. Parabéns de novo, até amanhã."

***

Chloe passou o dia zonza.

Grávida. Ela entrou no apartamento da Torre do Relógio e foi direto para o banheiro, olhando para sua barriga em choque. Ela foi até a pia e abriu um novo teste de gravidez que tinham pego na farmácia, junto com suas vitaminas. Chloe Sullivan-Queen precisava de uma terceira opinião sobre essa coisa de gravidez. Quarta até, já que tinha pego um teste no hospital.

Ela fez o que precisava sem perder muito tempo. Assim que terminou, sentou-se e esperou.

Claro, ter filho era algo que ela e Oliver tinham discutido a longo prazo, e ela esperava se tornar mãe em algum momento... mas agora? Ela não tinha dúvidas que seu marido estava pronto para ser pai, mas se encontrar grávida e tão perto da maternidade estava lhe deixando nervosa ao invés. Três meses já tinham se passado, muito em breve ela estaria em seu segundo trimestre.

Ela tamborilou os dedos nervosamente e pegou os dois testes. Como esperado, eles confirmaram o que ela já sabia: ela estava grávida.

Ela descansou a mão sobre a barriga e olhou para si mesma maravilhada. O bebê de Oliver estava crescendo em seu útero, o produto de uma união de amor de seus corpos e almas.

Uma inexplicável alegria se espalhou por ela, permeando cada célula, e seus olhos se encheram de lágrimas de felicidade. Ela e Ollie seriam pais. Ainda era uma surpresa, mas uma boa, e ela mal podia esperar para contar a ele.

Uma rápida olhada em seu relógio fez seus olhos arregalaram. O avião dele já deveria ter pousado e ele provavelmente estava no tráfego, voltando pra ela. Rapidamente ela pegou os dois novos testes e saiu do banheiro, determinada a dar a Oliver uma recepção que ele jamais esqueceria.

_________
Continua...

________________________________________________________________

13 comentários:

  1. Hehehe, caiu a ficha!!!! Ai, deixa eu curtir a ideia enquanto dá, né? =/
    É estranho saber que vai acontecer algo ruim, dá uma sensação amarga quando leio essa alegria toda... Sou só eu que me sinto assim???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não é só você...

      Excluir
    2. Verdade, mesmo sabendo o que vai acontecer, estou curtindo a ideia do bebê...

      Excluir
    3. Estamos curtindo juntos com eles...

      Excluir

  2. Verdade, mesmo sabendo o que vai acontecer, estou curtindo a ideia do bebê...(2)
    E seria um bebê lindo demais!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ah, que lindo e triste ao mesmo tempo...

    Edicleia

    ResponderExcluir
  4. Chloe gravidinha sempre me deixa com um sorriso no rosto *_*

    Por que vcs acham que vai dar alguma coisa errada???
    Fé gente!! hehe

    ResponderExcluir
  5. Sabe, a cada capítulo sinto um misto de alegria e tristeza... um baby Chlollie é um ingrediente certo pra uma fic perfeita, mas o quanto me dói ler frases como: "você será mãe em seis meses" e "o bebê de Oliver estava crescendo dentro de seu útero, o produto de uma união de amor de seus corpos e almas." =/

    GIL

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative