24.2.14

Chasing Illusions (9/15)

TítuloPerseguindo Ilusões
Resumo: Esta fic segue os acontecimentos até Fortune e começa dez anos no futuro.
Autoraschloeas e dl_greenarrow
Classificação: R
Bannergeek_or_unique
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04 :: 05 :: 06 :: 07 :: 08



Oliver correu uma mão pelo rosto cansadamente enquanto descia do carro em frente a Escola Fundamental Star City's Meridian. Culpa o atravessando enquanto procurava sua filha. Ele estava atrasado -- só alguns minutos, mas atrasado com certeza -- porque tinha adormecido no sofá da sala e dormido quase cinco horas naquela tarde. "Casey", ele chamou, indo até o pequeno parque no fundo.

Ainda havia alguns pais conversando por perto e todos os três olharam pra ele, mas não disseram nada.

Ele passou por eles e foi até as crianças brincando no parque. Dois garotinhos, uma morena uns dois anos mais velha que Casey, e uma ruiva que ele tinha visto antes. Como diabos era o nome dela? Rachel. Ele ergueu a mão num aceno. "Rachel! Você viu Casey?" ele perguntou esperançoso.

"Oi, Sr. Queen!" Rachel o cumprimentou. "Casey já saiu."

Ele franziu a testa. "Ela foi com o transporte escolar?" Merda. Ele ia ter que ligar para Mia e pedir pra ela esperar Casey em casa porque ela estava bem mais perto que ele. Se ela estivesse em casa.

Rachel balançou a cabeça e foi até ele. "Ela saiu com uma mulher loira, elas foram naquele caminho", ela pontuou.

"Uma mulher loira?" ele repetiu confuso, olhando pra ela.

A garota assentiu. "Ela estava abraçando a Casey e eu acho que ela estava chorando."

O coração de Oliver pulou uma batida. "Obrigado, Rachel", ele disse, afastando-se e indo na direção do carro já pegando o celular do bolso, ligando para Mia.

Mia respondeu depois de alguns toques. "Oi?" Ela perguntou como cumprimento.

"Uma mulher loira pegou Casey na escola hoje", ele disse com urgência.

"O quê?" Ela arfou, levantando-se da cadeira imediatamente. "Quem você acha que é?"

"A amiga dela disse que Casey abraçou a mulher, que ela estava chorando. Eu não sei, a não ser..." Sua voz falhou e ele correu uma mão pelo cabelo.

"A não ser?" Mia pressionou. "Eu estou indo pra sua casa."

"A não ser que foi Chloe, mas o cabelo dela está castanho agora. Então a não ser que ela tenha descolorido--" Ele entrou no carro, passando o cinto sobre o peito.

"Você disse que viu Chloe esta manhã, certo? E ela nem se lembrava de Casey." Mia pontuou, saindo do elevador.

"Certo. Mas Casey é esperta. Ela não sairia com qualquer pessoa." Ele ligou o carro e começou a  dizer alguma outra coisa quando houve um estalo na linha. "Mia, eu tenho outra ligação. Eu te ligo depois." Ele mudou a ligação. "Alô?"

"Ollie", Chloe arfou no telefone. "Ollie, você precisa correr."

"Chl-Laura?" Seu coração acelerou. "Onde você está?"

"Não, Ollie, sou eu." Chloe disse a ele. "Eu me lembro, eu sei quem está atrás de nós", ela disse com urgência.

"Quem? Quem está atrás de nós? Onde você está? Você está com a Casey?" Seus olhos estavam arregalados enquanto começava a dirigir.

"Você precisa me encontrar perto das docas. Não é seguro eu falar pelo telefone, Casey está comigo." Ela disse. "No armazém quinze."

Ele franziu um pouco a testa. "Tudo bem. Fique aí. Eu chego em alguns minutos." Engolindo seco, ele ultrapassou um farol vermelho e virou a esquina sem diminuir. Ele chegou no local em menos de cinco minutos, jogando o carro no estacionamento e saindo, aproximando-se do armazém numa corrida cega, sem nem pensar no fato de que estava sem armas se encontrassem algum problema. "Chloe! Casey?"

"Querido", Chloe cumprimentou, um risinho frio nos lábios enquanto surgia das sombras. "Você está em casa."

Choros abafados vinham de algum lugar dentro do armazém, mas Chloe não se moveu.

Oliver parou e seu coração apertou ao som do choro de sua filha. Esta não era Chloe. Também não era Laura. Ele estreitou os olhos pra ela, sua mandíbula travando. Ele fez o melhor para não reagir ao ver o familiar cabelo loiro, as roupas pretas que ela estava usando. Pelo menos não uma reação visível. "Eu tenho que dizer. Você definitivamente fica melhor loira", ele disse casualmente.

"Fico feliz que você tenha aprovado", ela disse, puxando uma faca que estava escondida em sua roupa e aproximou-se dele. "Agora, porque não nos juntamos e começamos esta reunião de família?"

Ele olhou a faca, erguendo a sobrancelha. "Então este é o plano, huh? Me pegar sozinho e me matar? Eu tenho que dizer, você teve muitas chances até agora."

"Oh", ela balançou a cabeça. "Mas não seria completo sem Casey aqui, Ollie. Eu queria que ela assistisse."

Casey chorou mais forte no canto, puxando contra as algemas que a seguravam em um cano.

"Casey", ele chamou, sua voz calma. "Vai ficar tudo bem, querida. Sua mãe não é ela mesma agora, ok? Ela está um pouco doente. Mas vamos sair daqui e buscar ajuda pra ela."

"Doente?" Chloe gargalhou e com um rápido movimento, se virou, chutando-o no peito.

Oliver segurou o pé dela antes do golpe, empurrando-a pra trás. "Eu acho que me lembro como isso terminou da última vez."

Ela cambaleou pra trás. "O que você vai fazer, Oliver? Me bater? Na frente da sua filha?"

"Eu não bati em você da última vez", ele pontuou com sobrancelhas erguidas.

"Não? Como eu acabei inconsciente então?" Ela deu um risinho, girando a faca na mão.

"Você bateu a cabeça na mesa", ele a informou. "Depois de deslocar seu ombro." Ele a circulou lentamente, pronto para bloquear quaisquer movimentos que ela pudesse tentar.

Ela manteve os olhos nele enquanto se movia devagar. "Ou esta é sua versão", ela deu um risinho. "Você não deveria confiar em seu pai, Casey!" Chloe falou. "Ele não é quem parece ser."

As algemas de Casey clicavam contra o cano enquanto ela gritava e chorava.

Ele travou um pouco a mandíbula enquanto se circulavam mais uma vez. "Gravações de vídeo não mentem, Chloe. Ou Laura. Ou quem diabos você seja."

"Fetiche", ela deu um risinho, ainda se movendo e então sem aviso ela se abaixou de um lado, levantando a faca com a mão oposta e golpeando-o abaixo da costela.

Um barulho alto o escapou e ele olhou para a faca agora cravada em sua lateral, sangue já ensopando sua camisa.

Casey gritou por seu pai, tentando se libertar enquanto soluçava alto.

Chloe puxou a faca um momento depois e deu um risinho, então seu rosto tomou uma expressão horrorizada. "Não!" Ela gritou e então um momento depois. "Cala a boca!" A mandíbula travada e ela levantou um braço, atingindo com força a mandíbula de Oliver com o cotovelo.

Ele atingiu o chão com força, cada osso de seu corpo sentindo o impacto, dor explodindo em sua lateral enquanto fechava os olhos, inspirando bruscamente. "Lute contra", ele sussurrou. "Você pode lutar contra, Chloe."

Ela se inclinou e prendeu os braços sob os dele, arrastando-o na direção de outro cano e o algemando ali. "Pronto", ela disse secamente. "Agora vocês podem se assistir enquanto eu mato os dois."

"Você não é a fraca aqui", ele disse com toda força que conseguiu, mesmo já vendo pontos pretos dançando diante dos olhos.

"Não", ela disse, limpando a faca com os dedos. "Você é."

Casey soluçou e tentou se aproximar do pai, lágrimas descendo por seu rosto.

"Lute contra, Chloe", ele sussurrou mais uma vez. "Essa não é você." Ele revirou os olhos enquanto a consciência começava a lhe deixar.

"Cala a boca!" Ela gritou, chutando-o com força então se virando para Casey. "Acho que agora somos só você e eu, você sempre soube lá no fundo que o papai era um perdedor, não é?"

Casey se moveu para trás, o máximo que conseguiu, puxando os pulsos contra as algemas sem sucesso. "Ele não é! Ele é o Arqueiro Verde!"

"Foi isso que ele te disse?" Chloe perguntou, aproximando-se dela e levantando a faca. "Ele não é um Super Herói, olhe pra ele. Ele não consegue nem salvar a própria filhinha."

"Mamãe, por favor", ela sussurrou, lágrimas descendo por seu rosto.

O rosto de Chloe se transformou. "Casey", ela sussurrou, então balançou a cabeça. "PÁRA!" Ela ordenou, ajoelhando-se e levantando a faca na direção do rosto da garotinha, mas parando em seguida. "Não!" Ela disse de novo, passando a outra mão sobre a que segurava a faca e empurrando-a para longe de Casey.

Casey virou o rosto para o outro lado, tremendo.

"Eu não vou machucar minha filha!" Chloe disse, suas mãos tremendo enquanto empurrava a faca para longe, lágrimas turvando sua visão enquanto seu corpo todo começava a tremer.

"Mamãe!" Ela gritou, olhando para o pai, e então de volta para Chloe.

Ela fechou os olhos com força, respirando fundo antes de abri-los novamente, arregalados e olhando para Casey.

Casey olhou de volta pra ela assustada, sua respiração cortada.

Chloe se concentrou nela por mais um momento, as duas mãos fechadas ao redor da faca, tremendo com força e então parando. Ela arfou e se virou, jogando a faca para longe e se virando para olhar para Casey, então para Ollie. Seu estômago revirando. "Oh, Deus." Ela sussurrou, olhando para os dois novamente, seu coração acelerado enquanto se aproximava de Casey. "Eu sinto tanto", ela disse, balançando a cabeça enquanto levava as mãos até a algema, pegando a chave do bolso da jaqueta e libertando a garota.

A garota imediatamente foi até o pai. "Ajude-o", ela sussurrou com lágrimas brilhando nos olhos. "Por favor, mamãe."

Assentindo, Chloe fungou e soltou as algemas dele também. "Ele vai ficar bem", ela prometeu, procurando pelo celular de Oliver e entregando a Casey. "Peça ajuda para alguém", ela disse, levantando-se e segurando os braços de Oliver mais uma vez, então puxando-o na direção da SUV que estava parada a alguns metros.

Casey pegou o telefone com mãos trêmulas e ligou para a polícia.

Chloe ouviu os três dígitos sendo discados e arregalou os olhos. "Casey, não!" Ela gritou, cuidadosamente deitando Ollie no chão. "Desliga!"

Ela arregalou os olhos e desligou o telefone. "Você disse pra pedir ajuda", ela sussurrou.

Ela assentiu e respirou fundo. "Clark!" Ela gritou o mais alto que conseguiu e então chamou de novo antes de ir até Casey e pegá-la, abraçando-a com força. "Está tudo bem, só precisamos de ajuda mais rápida."

Um segundo depois, Clark entrou voando, vestido em roupa azul e uma capa vermelha, olhos arregalados diante da cena. "Chloe?" ele sussurrou.

Chloe ficou olhando pra ele, mais especificamente para as roupas dele, mas não era hora pra isso. "Oliver precisa de ajuda, rápido", ela disse, abraçada a Casey.

Ele olhou para onde Oliver estava inconsciente no chão, seus olhos arregalando ainda mais. "Oh, Deus." Ele foi até Oliver rapidamente, pegando-o o mais cuidadosamente possível. "Eu volto logo." Sem esperar por uma resposta, ele desapareceu.

Ela respirou fundo e fechou os olhos por um momento antes de olhar para Casey. "Você está ferida em algum lugar?" Ela perguntou num sussurro.

Ela balançou a cabeça sem falar nada, olhando pra ela.

Chloe deu um beijo em sua testa e então olhou pra ela de novo. "Ele vai ficar bem", ela prometeu.

"Por que você o machucou?" ela sussurrou, balançando a cabeça de novo.

"Eu não queria machucá-lo", ela disse sinceramente, seu peito apertado, "alguém estava me controlando, me dizendo pra machucar vocês dois. Eu tive que lutar contra." Ela estava muito abalada e as coisas estavam tão confusas em sua cabeça, que nem lhe ocorreu mentir para sua filha.

Ela engoliu seco, mas não teve chance de responder antes de Clark reaparecer.

Sem falar nada ele puxou Chloe para um abraço, tirando-a do chão.

Chloe piscou e olhou para Clark, mas manteve os braços ao redor da filha enquanto ele as abraçava. "Obrigada", ela sussurrou.

"Vamos. Vou levar vocês para o hospital. Segurem-se."

"Segure em mim, ok?" Ela disse a Casey. "Com força."

Casey assentiu levemente, olhando incerta para seu tio.

Ele deu um sorriso a ela antes de voar com as duas do armazém e pelo céu, segurando-as com força.

Chloe arregalou os olhos enquanto Clark voava com elas, ela olhou pra baixo e então pra ele.

Com uma expressão idêntica no rosto, Casey olhou pra ele por um momento mais e então olhou pra baixo. "Uau..."

Ele não pôde deixar de sorrir ao ver as expressões delas, indo até o hospital e cuidadosamente as colocando no chão. "Eu volto logo", ele disse, antes de desaparecer.

Chloe assentiu e respirou fundo, olhando para Casey mais uma vez. "Você está bem?"

"Acho que sim." Ela engoliu seco, olhando para a mãe por um minuto, e então para o hospital. "Vamos, eu quero ver o papai."

Ela assentiu, então apertou os braços dela mais uma vez antes de ir até o prédio e a estação das enfermeiras. "Eu estou procurando pelo quarto de Oliver Queen", ela pediu, correndo uma mão nas costas de Casey.

A enfermeira olhou pra cima, então olhou de novo. "Oh. Oh, ok, uh... deixe-me encontrá-lo." Seu rosto um pouco pálido.

"Obrigada", Chloe disse, franzindo um pouco a testa ao ver a reação da mulher.

Casey olhou para a mãe enquanto a enfermeira se afastava. "Eu tenho que ligar para a Mia."

Chloe parou a isso e piscou algumas vezes antes de mexer Casey em seus braços e colocá-la no chão antes de entregar o telefone a ela.

Ela rapidamente ligou para o número que sabia de cor e o pressionou contra o ouvido.

"Oliver, onde diabos você está!?" Mia respondeu, sua voz em pânico.

"Mia?" Casey disse ao som da voz dela.

"Casey?" Mia perguntou, sua voz mais baixa. "Onde você está? Está tudo bem?"

Ela fungou. "Estamos no hospital. Um que tem a sorveteria. Você pode vir pra cá?"

O coração de Mia despencou. "Estou indo. Eu estou na sua casa, então chego aí em quinze minutos, ok?"

O peito de Chloe apertou um pouco e ela pressionou um beijo no alto da cabeça de Casey.

"Ok", ela sussurrou, desligando o telefone e passando os braços ao redor da cintura de Chloe.

"Está tudo bem", Chloe disse. "Vai ficar tudo bem, ele é forte."

Assentindo, ela soluçou, enterrando o rosto na barriga de sua mãe.

Chloe se ajoelhou, passando os braços com força ao redor da filha, a puxando mais perto.

"O que aconteceu?" Clark perguntou enquanto se aproximava, agora em roupas normais, jeans e camiseta.

Ela não soltou Casey, apenas se virou para Clark. "A enfermeira foi procurar o quarto dele."

Ele olhou pra ela, uma expressão zonza no rosto. "Você está bem? Foi ferida?"

Ela engoliu, segurando Casey e balançando a cabeça enquanto desviava o olhar.

"Você sabe quem eu sou?" ele sussurrou, aproximando-se.

Chloe respirou fundo e deu um beijo na testa de Casey, ela se levantou e então olhou para Clark. "Eu sei quem você é, eu sei quem ela é, eu sei quem é Oliver, Lois e Mia, mas não consigo me lembrar de mais nada", ela admitiu.

Ele expirou, então deu um passo a frente, abraçando-a novamente enquanto fechava os olhos. "Eu não acredito que você está mesmo aqui."

Ela passou um braço ao redor dele, mantendo o outro ao redor de Casey e suspirando. "O que aconteceu comigo?"

"Eu não sei", ele admitiu. "Mas você voltou agora. Isso é o que importa."

"Sra. Queen?" A enfermeira de antes chamou, seu rosto ainda pálido, olhos arregalados.

Chloe não olhou, mas Casey levantou a cabeça e olhou para a enfermeira.

"Chloe?" Clark olhou pra ela enquanto se afastava. Ele assentiu na direção da enfermeira.

"Sim?" Chloe disse para Clark, então piscou, olhando para a enfermeira.

"Sr. Queen está no quarto 1134, você pode entrar agora", ela se virou para Clark, "somente membros da família, eu receio."

"Claro", ele disse baixinho. Ele olhou para Chloe. "Vocês vão vê-lo."

Ela olhou confusa para Clark. Talvez ele tivesse dito a elas alguma coisa quando trouxe Oliver. "Ok", ela prendeu a respiração e pegou a mão de Casey antes de seguir a enfermeira pelo corredor. "Ele está acordado?"

"Acho que não. Ele está sendo preparado para a cirurgia enquanto falamos. Eu pensei que vocês o quisessem ver antes de o levarmos." Ela tentou um sorriso, mas não conseguiu.

Chloe prendeu a respiração, seu estômago revirando. "É muito ruim?"

"Não sabemos a extensão dos danos ainda", ela respondeu, falando mais baixo para Casey não ouvir.

Engolindo seco, Chloe assentiu um pouco, apertando a mão de Casey e olhando para a enfermeira. "Obrigada."

Assentindo em retorno, a enfermeira a levou para dentro da sala onde Ollie estava deitado em uma maca, preso a um soro e algumas máquinas. Ele estava rodeado de enfermeiras e médicos, que se moviam rapidamente para prepará-lo para a cirurgia.

A mão de Casey apertou a de Chloe, seus olhos grandes.

Chloe respirou fundo e seu estômago revirou, ela parou na porta e balançou a cabeça. "Não, Casey, nós vamos... vamos vê-lo quando ele estiver acordado, ok?" Ela disse, parando na frente da filha e se agachando em sua frente.

Casey tinha os olhos cheios de lágrimas. "Ele vai morrer?" ela sussurrou.

"Não", Chloe disse com firmeza. "Ele vai ficar bem, só precisamos deixar os médicos cuidarem dele e vamos vê-lo quando eles terminarem."

O lábio inferior de Casey tremeu e ela jogou os braços ao redor do pescoço de Chloe, enterrando o rosto ali.

Prendendo a respiração, Chloe segurou Casey com força e levantou a mão, olhando para Oliver e um dos médicos com uma questão no olhar.

"Vamos fazer tudo que pudermos, Sra. Queen", um deles disse baixinho.

Chloe piscou ao título, de novo. Ela mal conseguiu assentir enquanto olhava para Oliver mais uma vez, paralisando completamente enquanto percebia a mão dele caindo da cama, uma aliança no dedo, refletindo o brilho da lâmpada acima. Familiares apenas, a enfermeira disse a Clark e ainda assim ela estava ali com Casey. Casey, sua filha e ela não se lembrava de ter ficado grávida ou de quem era o pai. Casey que estava morrendo de preocupação por Oliver.

Porque Oliver era o pai de Casey. Chloe estava casada com ele. E agora ele podia não sobreviver por causa do que ela tinha feito.

____
DEZ

_______________________________________________________________________________

10 comentários:

  1. É muito sofrimento oh god quero logo a parte boa!! Kkk

    Jami

    ResponderExcluir
  2. A.I.M.E.U.D.E.U.S!!
    Por essa eu não esperava... Wow!!
    Que capítulo é esse? Então não era a Chloe, era a ninja assassina? E agora nem ninja, nem Laura, mas metade da Chloe? Oo
    Geente que fic empolgante... o família pra sofrer, viu?

    Ansiosa por mais!!

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Surpreendente, né, GIL? Mais logo...

      Excluir
  3. OMG...não to acreditando. A memoria dela vai e volta, coitada da Casey.
    Eles tem que descobrir quem tá fazendo isso com ela, e rápido.
    O estranho é que, seja que for tem ódio só do Oliver.
    Ansiosa........

    ResponderExcluir
  4. Ai santa mãe de Deus!!!!! Vou acabar com uma arritmia se o nível da adrenalina continuar assim!!!!

    Gente, quanta frustração, não consegui comentar no cap anterior... Que saco esse Safari!!!! [tava usando um iPad, desculpa quem gosta, mas não me adaptei...]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estava pensando em comprar um iPad... Calma, Ciça, em breve tudo se resolve, segura o coração!

      Excluir

Google Analytics Alternative