12.11.12

The End Where I Begin (3/13)

Título: O Fim Onde Eu Começo
Resumo: Universo Alternativo - Oliver faz parte da SJA há anos e ele está constantemente discordando de Carter. Mas quando Carter se recusa a fazer parte da missão de Oliver para investigar a aparição do último Luthor no radar, Oliver procura a ajuda de Chloe. Ou o Arqueiro Verde procura e ele promete a Carter que Chloe jamais descobrirá sua identidade.
Classificação: NC-17
Banner: aradira
Anteriores: 01 :: 02







Oliver saiu do carro, caminhando na direção do lugar em que combinaram e mentalmente revisou a lista de coisas que não podia mencionar a Chloe; os Luthors estando no topo da lista. Oliver sabia que tinha dificuldade em controlar o temperamento quando o assunto surgia e a última coisa que precisava era estragar sua identidade.

Ele sorriu para Chloe quando a viu. "Bem, agora que conseguimos evitar mais desastres ao estacionar, talvez possamos recomeçar", Oliver disse com um sorriso enquanto começavam a sair do estacionamento. "Você mora em Metrópolis?" ele perguntou. Oliver sabia que ela não morava, mas era uma coisa normal sobre a qual estranhos conversavam.

Chloe lhe deu um olhar de lado. "Eu sou de Metrópolis, mas não vivo aqui", ela comentou, não falando onde vivia. Enquanto caminhava ao lado dele, ela percebeu que de vez em quando as pessoas pareciam olhar na direção deles. Ela deduziu que a maioria deveria estar olhando pra ele e ela se encontrou fazendo o mesmo.

Ela tinha lido coisas sobre Oliver Queen na seção de negócios antes e tinha dado uma olhada nos tabloides que sua prima lia, mas estava claro como o dia que as fotos não lhe faziam justiça. Ele era maravilhoso. Chloe sentiu as bochechas ficarem quentes ao pensamento e se concentrou na conversa que estavam tendo. "Eu perguntaria de onde você é, mas isso implicaria que eu já não saiba", ela brincou. "Como é viver na Califórnia?" ela perguntou enquanto apontava na direção da esquina em que tinham que virar.

Oliver não ficou surpreso que ela soubesse quem ele era; a maioria das pessoas sabia e pelo que ele sabia sobre Chloe, ela tinha feito sua pesquisa. "A Califórnia é legal. O clima é a melhor parte na maioria do tempo, quando não é época de queimadas ou deslizamentos. Eu viajo bastante a negócios então não fico lá tanto quanto eu gostaria", ele admitiu. "E você?" ele perguntou. "O que você faz?"

"Eu trabalho com computadores", ela disse enquanto arrumava a bolsa no ombro. "É uma carreira meio freelance", ela comentou antes de apontar para o pequeno restaurante na esquina. "O restaurante é ali. Eu sei que não parece grande coisa, mas a sobremesa é fantástica", ela disse a ele com um pequeno sorriso.

"Eu acredito em você", Oliver disse. Ele segurou a porta aberta pra ela e então pediu uma mesa pra dois. A recepcionista os levou até uma mesa no canto, entregou a eles o cardápio e prometeu que seriam servidos logo após pegar os pedidos de bebida. Oliver olhou o cardápio, discretamente observando Chloe por sobre ele. "Freelance é legal", ele comentou, voltando a conversa. "É sempre bom ser seu próprio chefe se for possível."

Chloe assentiu. "É verdade. Eu gosto de poder fazer meu próprio horário de trabalho e ter todas as noites livres", ela disse enquanto abria o cardápio e ia direto até a parte das sobremesas. "E você?" ela perguntou, olhando pra ele. "Tirando hoje, você gosta do que faz?" ela perguntou.

"Algumas vezes", Oliver respondeu. Ele percebeu que era a primeira vez que alguém lhe fazia essa pergunta. "Eu gosto de manter o legado dos meus pais vivo, e algumas vezes a competição é divertida, mas na maior parte dos dias, é só um trabalho", ele disse, dando de ombros e voltando a olhar para o menu.

Chloe o observou por um minuto antes de sorrir. "Posso ver o quanto isso é legal. Eu mesma sou bem competitiva", ela admitiu. "E é legal saber que você tem algo dos seus pais pra dar continuidade, e mais, você parece muito bom no que faz, senão a Queen Industries não estaria entre as três melhores empresas em avanços tecnológicos", ela disse casualmente quando o garçom voltou para pegar os pedidos.

Ela esperou Oliver fazer seu pedido e entregar o menu antes de ela pedir uma sobremesa e fazer o mesmo. Quando o garçom se afastou, ela se inclinou levemente pra frente e sorriu. "Eu tenho que fazer uma confissão", ela disse enquanto mantinha o olhar. "Pode ser que eu já tenha almoçado."

"Oh, desculpe", Oliver disse. Ele percebeu o quanto já era tarde. A reunião tinha durado pra sempre. Ele mandou a ela um sorriso tímido. "Você podia ter falado, embora eu não esteja reclamando em ter companhia. Está definitivamente melhorando o meu dia." Ele se perguntou porque ela concordou  em almoçar com ele se já tinha comido e a voz de Carter voltou a surgir no fundo de sua mente, sugerindo que talvez ela já soubesse quem ele era.

Mas isso era ridículo. Não era como se não fosse comum as mulheres concordarem em passar tempo com ele. Oliver decidiu que estava pensando demais e vendo coisas onde não havia. "A Queen Industries é número um em seu campo de atuação", ele pontuou. "Temos sido há quatro anos e obrigado", ele acrescentou. Não era comum alguém lhe parabenizar por fazer um bom trabalho na empresa, embora Oliver soubesse que ele era muito bom no que fazia.

Chloe deu um risinho. "Eu estava me perguntando se você iria me corrigir, eu deveria saber que sim", ela brincou. "Não se desculpe, meus planos para a tarde não eram nada demais, e se eu não quisesse almoçar, acredite, eu teria dito não", ela comentou enquanto encontrava seu olhar. Chloe não sabia o que tinha lhe dado. Ela não planejava dizer isso a ele, mas enfim, também não tinha planejado aceitar o convite pra almoçar.

Ela também não conseguia espantar a sensação familiar que tinha ao conversar com ele, o que era estranho já que nunca havia estado com ele antes. Ou ela com certeza se lembraria. "Então, Oliver, o que você faz pra se divertir?" ela perguntou.

"Depende do meu humor", Oliver respondeu. Ele sorriu enquanto mantinha o olhar. Ele sabia que provavelmente esse não era o melhor caminho para uma conversa, mas um pouco de flerte não machucava ninguém. "E você, Chloe? O que você faz no seu tempo livre?" ele perguntou.

Chloe ergueu a sobrancelha e se inclinou pra frente. "É segredo", ela sussurrou conspirativamente antes de sorrir e se recostar. Ela pegou a água e tomou um gole enquanto mantinha o olhar, um tom de humor nos olhos. Ela devolveu o copo e deu de ombros. "Também depende do meu humor. Algumas vezes fico perfeitamente feliz em ficar em casa e aproveitar uma noite tranquila e outras vezes, procuro algo um pouco mais... aventuroso", ela disse. Era verdade afinal. Chloe não podia dizer que sua vida era chata.

Oliver deu um risinho. Ele tinha uma boa ideia do que ela queria dizer com o aventuroso. "Eu gosto de aventura embora, não possa dizer não a uma noite tranquila em casa também. Infelizmente, essas são bem escassas pra mim. O trabalho me mantém muito ocupado", ele acrescentou, embora não estivesse falando da Queen Industries.

Ele pegou sua água e tomou um gole, se perguntando o que seria necessário pra fazer Chloe baixar a guarda. Não podia de fato culpá-la, ele era uma pessoa fechada também, mais até do que as pessoas esperavam. Mas na visão de Oliver, não havia razão em deixar as pessoas se aproximarem. Ele sempre acaba sozinho, afinal.

O garçom voltou com a comida e Oliver pegou o guardanapo, abrindo e colocando-o sobre o colo enquanto agradecia o garçom e ele desapareceu na direção da cozinha. Ele pegou o garfo, sorrindo ao olhar no rosto de Chloe. "Parece uma delícia", ele disse, assentindo na direção da sobremesa dela e se servindo de um pouco de seu macarrão.

Chloe sorriu enquanto olhava para a sobremesa. "Muito deliciosa, eu totalmente mereço depois de hoje", ela disse, percebendo que Oliver tinha de fato um belo sorriso. O pensamento a assustou e ela o empurrou de lado enquanto pegava uma fatia do bolo. Ela fechou os olhos para desfrutar do sabor em sua língua.

Quando ela abriu os olhos, Oliver a estava observando e ela sorriu. "Quer provar?" ela perguntou enquanto empurrava o prato um pouco pra frente antes de continuar a falar. "Então Oliver, tirando o fato de administrar uma empresa de sucesso, bater no carro de mulheres inocentes e então convidá-las pra almoçar, o que mais eu deveria saber sobre você?" ela perguntou brilhantemente.

"Não, obrigado", Oliver respondeu. "Eu tento ficar longe do açúcar. Sou uma dessas pessoas", ele acrescentou antes de ela ter chance de fazer alguma piada. Ele vinha treinando muito ultimamente, determinado a estar pronto para o caso de Lucas Luthor tentar alguma coisa. Também era uma boa maneira de acalmar sua agressividade, que era forte graças ao Luthor.

"Eu achei que tivéssemos concordado que foi um acidente", Oliver acrescentou, dando um risinho ao comentário sobre os carros. "O que mais você quer saber? Minha vida não é exatamente como os tabloides dizem que é. Na verdade acho que não sou tão interessante", ele brincou.

"É bom saber, eu odiaria achar que estou almoçando com um mulherengo", ela brincou, diversão dançando em seus olhos. "Por que você não me diz porque está tendo um dia ruim?" ela perguntou, curiosa. Ele parecia bem irritado quando saiu do carro.

"Uma reunião que não correu do jeito que eu queria", Oliver respondeu cuidadosamente. Ele sabia que essa conversa era perigosa. "Mas eu não quero te chatear com conversa de negócios. Ou falando de mim" ele acrescentou enquanto se servia de mais massa.

Algo sobre o jeito como ele evitou falar sobre a reunião a fez se perguntar com quem havia sido a reunião, mas ela deixou pra lá. "Você ficaria surpreso com as coisas que me interessam", ela disse casualmente enquanto se servia de mais sobremesa. Chloe ainda não conseguia acreditar que estava almoçando com Oliver Queen. Parecia surreal, mas ele era definitivamente interessante. "Que tal sua comida?" perguntou enquanto pegava a água novamente.

"Ótima", Oliver respondeu com um sorriso, aliviado que ela tivesse abandonado o tópico. "Vou ter que manter esse lugar em mente para o futuro, caso eu fique algum tempo na cidade", ele disse. Oliver não sabia quanto tempo ficaria ali, muita de sua decisão dependia de Chloe e seu amigo, Clark, mas não era como se pudesse dizer isso. "O que vocês fazem pra se divertir nesta cidade?" ele perguntou.

Chloe lhe deu um olhar pensativo. "Tem o Ace of Clubs, Club Zero, Club Atlantis, The Windgate Club, se stripers de alta classe for seu negócio", ela brincou. "Na verdade é um lugar legal. Hum, tem a Metrópolis Play House, temos um museu e também um estádio de futebol para os Sharks, se você gosta de esportes", ela disse com um dar de ombros. "Mas basicamente só isso... não somos nem de perto tão divertidos como deve ser na Califórnia", ela disse enquanto se servia de mais sobremesa.

"Stripers de alta classe", Oliver repetiu, erguendo uma sobrancelha. "Acho que tem uma história aí e provavelmente uma que eu não quero saber", ele brincou. A verdade era que ele queria conhecer Chloe melhor, ela parecia uma mulher fascinante, mas Oliver sabia que não era uma boa ideia. Este almoço tinha sido arriscado e ele ainda não tinha certeza do que o fez convidá-la pra começar. Carter teria um ataque se descobrisse, o que jamais aconteceria se dependesse de Oliver.

"Existem boas opções na Califórnia, mas na verdade eu passo a maior parte do meu tempo ao ar livre quando estou lá. As praias são maravilhosas e eu gosto das trilhas em meio a montanhas e penhascos. E mais, eles fazem muitos festivais durante a primavera e verão. Clubes não são meu negócio, de strip elegante ou não", ele acrescentou, piscando pra ela enquanto terminava sua comida.

"É uma história que eu nunca vou contar", ela brincou. "Ser uma repórter nesta cidade foi divertido enquanto durou", ela disse antes de inclinar a cabeça para o lado. "Ficar ao ar livre parece bom, sabe, eu não sei se já vi a praia antes." Ela se perguntou porque um homem de negócios como Oliver fazia trilhas e escalava montanhas. Ele era diferente do que ela tinha imaginado, não que já tivesse imaginado almoçar com ele.

"Praias foram meus locais menos preferidos durante muito tempo", Oliver admitiu, franzindo a testa à lembrança. "Mas eu superei e recomendo que você tente algum dia. Não vai se arrepender." Ele sorriu enquanto erguia a mão para chamar o garçom e pedir a conta. Ele se voltou para Chloe assim que o garçom saiu. "Uma repórter, huh?" ele perguntou distraidamente. "O que te fez parar?"

"Lex Luthor me demitiu", ela disse com um dar de ombros. "E então quando Lucas Luthor veio pra cidade e me ofereceu meu trabalho de volta, eu já estava fazendo outra coisa", ela disse, um pouco de tensão surgindo em seus ombros. "E mais, trabalhar com ou perto dos Luthors é algo que eu fiz desde que tinha quinze anos e não é algo que eu gosto de fazer, então ser demitida foi ótimo", ela disse, seu tom seco. "Mas estou feliz com o que faço agora, então isso é o que importa, eu acho." Ela lhe deu um sorriso tenso.

Oliver colocou a mão sobre a dela em cima da mesa. "Você está melhor assim", ele disse. Foi preciso todo seu auto-controle para manter a voz normal, fazendo tudo que podia pra deixar as emoções de lado.

Chloe viu algo brilhar nos olhos dele mas não sabia o que era, e sumiu com a mesma rapidez que apareceu. O tom genuíno da voz dele fez sua expressão se suavizar no entanto e ela mandou um pequeno sorriso em sua direção. "Eu sei, acredite", ela disse baixinho enquanto corria o polegar contra a mão dele inconscientemente. Ela tinha passado por muita coisa com Lex no passar dos anos pra saber o quanto ele era terrível.

Ele decidiu que ia ignorar a faísca que sentiu quando o polegar dela roçou sua pele. Oliver abriu a boca pra dizer alguma outra coisa, mas o garçom retornou antes que ele tivesse a chance. Relutantemente soltou a mão de Chloe, pegou o cartão de crédito e entregou junto com a conta. "Quais são seus planos para o resto da tarde?" Oliver perguntou a Chloe, tentando levar a conversa de volta a um assunto neutro e que não fizesse sua pressão sanguínea aumentar.

Chloe abriu a boca e parou. Quais eram seus planos mesmo? Certo, Bart, ela pensou enquanto clareava a garganta. "Eu preciso entregar alguns papeis a um amigo e então vou pra casa. E você... grandes planos?" ela perguntou.

Oliver balançou a cabeça. "Eu tenho que voltar para o escritório e então vou passar a noite trabalho provavelmente." Ele queria dizer patrulhando, mas obviamente não ia dizer isso. O garçom voltou e ele assinou o recibo do cartão, acrescentando uma gorjeta e pegando o cartão de volta. Ele sorriu para Chloe enquanto se levantava. "Posso te acompanhar de volta até o carro?" ele ofereceu.

Chloe pegou a bolsa no braço da cadeira e se levantou enquanto assentia. "Pode sim", ela disse, retornando o sorriso, em seguida caminhando com ele até a saída. "Obrigada pelo almoço, foi um belo gesto", ela disse, perguntando-se porque sentia uma coisa estranha agora que a tarde estava terminando.

"De nada", Oliver disse. "Era o mínimo que eu podia fazer depois de quase roubar sua vaga", ele brincou enquanto caminhavam de volta até o estacionamento. Ele estava mais do que tentado a perguntar se ela queria jantar com ele ou talvez ir até um dos lugares que ela tinha mencionado no fim de semana, mas sabia que era uma má ideia. E ainda estava desapontado quando chegou ao carro. "Foi bom conhecer você, Chloe", ele disse, dando-lhe um sorriso verdadeiro. "Obrigado pela companhia."

Chloe retornou o sorriso mais uma vez e assentiu. "Também foi bom conhecer você, Oliver. Tente não roubar mais nenhuma vaga em estacionamentos", ela brincou enquanto pegava as chaves na bolsa e se virava para o carro. Estava prestes a abrir a porta quando algo a fez virar e encarar Oliver.

Ela engoliu em seco e encontrou seu olhar. "Escuta, isso pode soar um pouco estranho já que acabamos de nos conhecer e até onde você sabe eu posso ser uma daquelas garotas loucas e grudentas, mas minha prima tem dois ingressos para um evento no Jardim Botânico que acontece anualmente em Metrópolis e quando eu almocei com ela mais cedo, ela os passou pra mim", ela explicou.

"Alguma chance de você estar interessado em dar uma olhada? É no sábado", ela disse com um dar de ombros, sem saber o que a tinha possuído pra convidá-lo em primeiro lugar. Chloe nunca fazia coisas assim.

Ele sabia que deveria declinar. Deveria dizer a ela que tinha algo pra fazer naquele dia ou que não era de seu interesse ou algo assim. Mas ao invés, Oliver sorriu e assentiu. "Seria ótimo, Chloe", ele concordou. "Você tem meu cartão então me ligue e me passe os detalhes." Oliver sabia que estava abusando da sorte, mas só teria que ser cuidadoso e evitar se aproximar dela como Arqueiro Verde novamente. Além do mais, talvez se eles se conhecessem melhor, ele pudesse lhe contar a verdade. Oliver sabia que Carter não aprovaria isso, mas Carter não aprovava a maior parte das coisas.

"Eu realmente preciso ir agora, mas te vejo no sábado." Oliver estendeu a mão pra ela, apertando por um momento antes de se afastar, olhando de volta pra ela mais uma vez enquanto se perguntava que diabos estava fazendo.

Chloe o observou se afastar, surpresa que ele tivesse concordado. Ela fechou a boca e se virou para o carro, abrindo a porta e entrando. Ela ficou sentada ali por um minuto antes de acordar do estupor e ligar o carro. Ela precisava mandar uma mensagem para Bart e dizer que estava pronta para encontrá-lo. Enquanto ela saía da vaga e ia na direção da estrada, não pôde deixar de pensar que tinha uma história interessante pra compartilhar com sua prima.

________

Passava um pouco das sete da noite de sexta quando Oliver entrou no museu, ainda vestido na roupa do escritório, mas tinha deixado a gravata no carro. Andava tão ocupado na empresa que não teve tempo de ir falar com Carter e deduziu que era melhor fazer isso antes de ir para a patrulha. Embora Oliver soubesse que Carter cortaria sua língua antes que ele pudesse admitir, era óbvio que o homem estava solitário. Oliver deduziu que alguma discussão faria bem a ele.

"Piu-piu, onde você está?" Oliver perguntou enquanto atravessava os corredores silenciosos. "Eu trouxe pizza e um monte de coisas nada saudáveis, do jeito que você gosta." Ele parou no corredor, seus olhos correndo pela foto de Carter e Shiera. Era a única foto deles no museu e Oliver não pôde deixar de reparar no quanto eles pareciam felizes. Fez com que ele relembrasse da foto que tinha de seus pais quando era um garoto. Era bom saber que amor verdadeiro existia, embora ele não acreditasse nem por um segundo que fosse encontrar um pra si mesmo. Oliver afastou o pensamento e adentrou o corredor em busca de Carter.

Carter suspirou quando ouviu a voz de Oliver pelo corredor. O garoto nunca aprendia, ele pensou enquanto balançava a cabeça. Ele se afastou da mesa e pegou a garrafa de Jack Daniels antes de colocá-la de volta na primeira gaveta de sua mesa. "Pode parar de tagarelar", ele gritou mal-humorado enquanto se levantava.

Ele saiu no corredor e ergueu uma sobrancelha. "Cala essa sua boca, Ervilha." Ele olhou para a caixa de pizza e apontou para Oliver segui-lo até uma sala menor. "Só porque você é um entusiasta da vida saudável não significa que o resto de nós não possa apreciar uma boa pizza", ele disse com um grunhido. "Você está vindo do escritório?" perguntou enquanto pegava alguns pratos de papel.

"Você deveria experimentar algum dia", Oliver disse enquanto colocava a pizza sobre o balcão e tirava o terno. "Talvez você fosse menos rabugento se fosse um pouco mais saudável", ele brincou enquanto se sentava. Ele podia ver que Carter estava mais genioso que o normal e isso provavelmente não era um bom sinal. "Sim, eu saí mais tarde do que pretendia, mas a semana tem sido cheia", ele disse.

Carter assentiu enquanto colocava os pratos na mesa e caminhava até a geladeira pra pegar duas águas. Ele sabia que Oliver provavelmente sairia para patrulhar depois que comessem e provavelmente não beberia outra coisa antes de sair. Ele sentou e deu um risinho. "Daqui a pouco você vai me mandar parar de comer carne", ele brincou enquanto abria a caixa de pizza.

"Você vem trabalhando muito desde que chegou a cidade, as coisas não vão bem?" ele perguntou enquanto servia uma fatia de pizza e entregava a Oliver antes de se servir.

"As coisas andam caóticas", Oliver disse. "Lucas Luthor está tentando sabotar alguns dos meus contratos e eu preciso ficar de olho bem aberto pra ele não conseguir. E mais, as pessoas não estão acostumadas a me ter em Metrópolis, então ainda estão um pouco atordoadas." Ele deu de ombros. "Vai melhorar, mas estou ansioso pelo fim de semana", ele admitiu enquanto pegava a fatia de pizza.

Carter ergueu uma sobrancelha enquanto se servia da pizza, mastigava e engolia. "Oh?" Ele devolveu a pizza, estendendo a mão para a água. Ele abriu e tomou um gole enquanto observava Oliver. "O que vai acontecer no fim de semana?" ele perguntou antes de voltar a comer.

Oliver percebeu o que tinha feito. Ele não podia exatamente contar a Carter sobre Chloe, pelo menos não especificamente. "Acredite ou não, eu tenho um encontro", ele disse. Oliver se perguntou se Chloe aprovaria que ele chamasse de encontro. Era o que era ou pelo menos o que ele tinha certeza que era. Ele se sentia um idiota debatendo isso, então deixou pra lá e esperou pra ver o que Carter ia dizer.

Carter parou de comer por um segundo e olhou para Oliver. Ele não ouvia o outro homem falar em encontros há muito tempo. Ele ergueu uma sobrancelha. "Um encontro de verdade? Ou as coisas que vocês garotos chamam de encontro hoje em dia, mas não estão nem perto de serem um?" ele perguntou curioso. Não era sempre que Oliver tinha um encontro e quando tinha, nunca era nada sério.

"Sim, um encontro de verdade", Oliver respondeu, sentindo como se tivesse doze anos. "Ela tem ingressos para um evento no Jardim Botânico." Ele ergueu a mão. "Sim, eu sei o que você vai dizer e está certo; árvores não me interessam, mas parece que será uma bela exibição e é melhor do que tudo que eu ia fazer no fim de semana." Oliver percebeu que parecia mais na defensiva do que o necessário e fez uma nota mental para evitar isso.

Carter fez o melhor pra não dar um risinho a postura defensiva de Oliver enquanto continuava a comer sua fatia de pizza. Ele observou o homem por um minuto, divertindo-se. "Então, eu acho que você realmente gosta dessa mulher se vai olhar árvores só pra passar o tempo com ela", ele disse, incapaz de esconder o risinho. "Onde você a conheceu? E o que há de errado com ela pra concordar em sair com você?" ele disse com uma risada e tomou outro gole de sua água.

"Muito engraçado", Oliver murmurou, olhando feio para Carter antes de Carter continuar comendo sua fatia de pizza, ganhando algum tempo pra inventar uma história decente.    De jeito nenhum ele ia contar a Carter que era Chloe. Ele jamais ouviria o final disso. Oliver deduziu que meia verdade teria que servir. "Eu estava indo almoçar no centro da cidade depois de uma reunião e tivemos um incidente num estacionamento. Eu posso ter batido nela ou ela ter batido em mim, tentando conseguir a mesma vaga." Ele ainda não tinha certeza sobre quem tinha batido em quem, provavelmente a culpa era dos dois já que estavam distraídos.

"Enfim, nós conversamos e ela parecia uma pessoa legal e não alguém que só queria ser vista com Oliver Queen." Ele deu de ombros, fazendo uma cara a sua própria imagem pública. "Depois, ela me perguntou se eu queria ir com ela já que tinha um ingresso extra."

Carter deu risada enquanto se inclinava pra frente. "Ela te chamou pra sair?" Ele riu de novo. "Agora isso não é algo que eu esperava ouvir", ele brincou, provocando o jovem, embora fosse legal ver que ele estava concentrado em algo que não fosse Lucas Luthor. "Então pelo menos você vai ser cavalheiro e buscar essa mulher misteriosa ou você esqueceu completamente como é um encontro?" ele perguntou com um risinho.

"Eu sou Oliver Queen", ele o relembrou. "Eu sei como é um encontro, muito obrigado." Oliver mandou outro olhar feio na direção de Carter enquanto pegava sua água. "Não que isso seja da sua conta, mas ela perguntou se podíamos nos encontrar lá. Ela não mora em Metrópolis e achou que seria mais fácil assim, mas eu ofereci." Ele foi muito cavalheiro, mas Chloe insistiu que não havia razão pra ele pegá-la quando ela morava tão longe da cidade. "E pare de dar risada. Eu a convidei para o almoço primeiro. Eu dei o primeiro passo." Talvez não tivesse sido exatamente um encontro, mas Oliver ia contar como um.

Carter sorriu. "Não tem nada errado com uma mulher forte disposta a dar o primeiro passo. Quem sabe, ela pode te colocar na linha", ele disse antes de terminar sua pizza. Sua esposa, Shiera tinha sido esse tipo de mulher. Seu peito apertou e ele clareou a garganta. "Eu acho que é bom que você esteja tirando um tempo do trabalho", ele disse referindo-se aos dois trabalhos.

"Não é bom ficar constantemente focado nas coisas negativas que te rodeiam. É preciso haver um balanço", ele explicou antes de abrir a caixa de pizza e pegar outra fatia.

Oliver percebeu o olhar longe no rosto de Carter e sabia que ele estava pensando em sua esposa. "Eu concordo que não há nada de errado com uma mulher forte. É sexy. Mas não vamos nos apressar", ele disse. "É um encontro num Jardim Botânico. Não estamos correndo para um juiz de paz nem nada, então não começa a planejar maneiras de ela me manter na linha. Nunca vai ser tão sério assim", ele disse. Não poderia ser. Oliver achava que relacionamentos sérios eram um erro e só terminavam com um coração ferido. Ele não ia passar por isso.

Carter grunhiu. “Ah, então eu estava certo. Você vai sair com ela algumas vezes, possivelmente dormir com ela e então sumir para um lugar exótico sozinho”, ele comentou. “Só pra constar, isso não é namorar”, ele disse antes de dar outra mordida em sua pizza. “E sério, você pode me culpar? Alguém precisa te manter na linha e você com certeza não vai me ouvir”, ele pontuou.

“Eu sou adulto”, Oliver o relembrou. “Eu não preciso que ninguém me mantenha na linha. Eu sei o que estou fazendo, mesmo que você não goste”, ele acrescentou pontualmente. Oliver odiava quando Carter o irritava porque ele se divertia muito com isso. “Só pra constar, eu não estou planejando dormir com ela. Vai ser apenas um encontro casual, eu não moro em Metrópolis e tenho muito o que fazer", acrescentou.

Carter bufou. "Entendo", ele disse enquanto se recostava contra a cadeira e estudava o rosto de Oliver. "Então, se você já decidiu que isso não vai seguir em frente, por que ir a um encontro pra começar?" ele perguntou, curioso em saber os motivos de Oliver. "E isso significa que você não planeja ficar mais tempo em Metrópolis?" perguntou casualmente, querendo saber até onde ele estava disposto a ir com essa história Luthor. Até agora as coisas andavam bem quietas pelo lado dos Luthor.

"Desculpe, Grande Pássaro, você não vai se livrar de mim tão facilmente", Oliver respondeu. Ele não tinha intenção de ir a lugar nenhum até que o problema Luthor estivesse resolvido de um jeito ou de outro. "Eu só estou dizendo que esta mulher é legal e merece coisa melhor que eu. Eu não tenho nada a oferecer", ele pontuou enquanto finalizava sua pizza e se levantava pra jogar o prato de papel no lixo. "Mas eu achei que passar um pouco de tempo com ela e conhecê-la melhor seria bom. Não precisa ser mais do que isso."

Carter revirou os olhos. "Sorte a minha", murmurou antes de assentir. "Contanto que esta garota saiba no que está entrando, sim, amigos são uma boa coisa pra se ter", ele disse enquanto olhava para o relógio. "É melhor você ir, está ficando tarde."

Oliver assentiu. "Eu preciso ir mesmo. Alguém tem que manter essas ruas a salvo." Ele se virou para Carter novamente, recostando-se contra o balcão. "Você deveria sair também. Não só trabalhar e beber a semana toda. Vai ver um filme ou algo assim", sugeriu. Oliver não gostava da ideia de Carter ficar sozinho com suas lembranças.

Carter assentiu e se levantou, um risinho puxando seus lábios. "Se eu não te conhecesse melhor, diria que está preocupado comigo, Calças Verdes." Ele nunca admitiria, mas era bom que Oliver se importasse. "Eu já estava indo pra casa mesmo. Obrigado pela pizza e tome cuidado lá fora. Não faça nada estúpido", ele disse.

"Eu não vou fazer nada estúpido. E não deixe minha preocupação subir à cabeça. Só estou cuidando dos idosos", Oliver brincou. "Te vejo por aí, Carter", ele disse e voltou pelo corredor até a porta da frente, sua mente já na patrulha. As coisas andavam tranquilas com o Blur por perto, mas as noites de sexta pareciam chamar os criminosos, especialmente quando o tempo estava bom. Oliver desejava que não fosse uma noite ruim, no entanto. Não queria ter que explicar nenhum ferimento a Chloe no dia seguinte.

_________
QUATRO

_____________________________________________________

14 comentários:

  1. Fiquei achando que o Oliver ia dar um vacilo durante a conversa com Carter e dizer o nome da Chloe...

    Tem alguma coisa em particular nessa Chloe que está me agradando muito mas nem sei dizer o que é :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Ollie por enquanto conseguindo guardar os segredos direitinho...

      Excluir
  2. Não é?! É uma Chloe mais leve, decidida, que não deixa suas inseguranças a controlar...

    Bem, e Oliver cheios de segredos, Chloe certamente descobrirá que ele é o Arqueiro, e Carter não vai ficar nada feliz quando descobrir que a 'mulher forte' é a Chloe... Ollie em apuros!!

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é isso, é a Chloe sem dramas de antes... e o Ollie coitado, rendido! rs...

      Excluir
  3. Estou gostando muito desta Chloe ela não se esconde do Ollie , acho que é porque é UA então ela não esta tão sobrecarregada com a historia Davis e Jimmy parece aquela das primeiras temporadas , tambem adoro o Oliver com o Carter ;)

    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Alice, Chloe sem estar carregando o peso do mundo nos ombros... que bom relembrar que ela já foi assim...

      Excluir
  4. É isso mesmo, nas últimas temporadas eu já nem lembrava direito do quão solta ela tinha sido. Foi uma pena com a personagem, aliás como a maior parte dos acontecimentos na série.
    Mas quem gosta não tem jeito, meu carinho pela personagem só cresceu mesmo ela perdendo o jeito leve de antes...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vinícius, mandei um pedido de ajuda via email :DDD

      Excluir
    2. Sim, verdade... essa Chloe existiu... difícil acreditar né?

      Excluir
  5. Adoro quando tem esses capítulos, primeiro encontro, primeiro jantar ou almoço.
    E Chloe corajosa, chamando Ollie pra sair. Assim é que se faz garota. Minha heroína.

    E meu deus, daria tudo pra ter escutado Ollie chamar Carter de Piu-piu em Smallville. hahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha... teria sido engraçado mesmo... Roberta, esperando a continuação de I'm In Here, viu? Mas sem pressão... :D

      Excluir
    2. Seria épico!!! LOL
      Ah, ok!! Sem pressão!! hahaha
      Estou terminando aqui, juro, se tudo der certo amanhã de manhã tá no JC ;)

      Excluir

Google Analytics Alternative