8.11.12

The End Where I Begin (1/13)

Título: O Fim Onde Eu Começo
Resumo: Universo Alternativo - Oliver faz parte da SJA há anos e está constantemente discordando de Carter. Mas quando Carter se recusa a fazer parte da missão de Oliver para investigar a aparição do último Luthor no radar, Oliver procura a ajuda de Chloe. Ou o Arqueiro Verde procura e ele promete a Carter que Chloe jamais descobrirá sua identidade.
Classificação: NC-17
Banner: aradira




Metrópolis não era a mesma cidade em que ele esteve da última vez e isso era bom. O som das sirenes ainda atravessava o ar ocasionalmente, mas no geral, as ruas estavam bem mais tranquilas e Oliver ficou ali no telhado do prédio de apartamentos, esperando. Ele sabia que o Blur estava fazendo seu trabalho em manter as ruas seguras e tirando algumas pedras pelo caminho, as coisas andavam bem melhores depois que Lionel e Lex tinham morrido. Claro que o corpo de Lex nunca foi encontrado, então não havia nenhuma prova de que ele estivesse de fato morto, mas Oliver sabia que não havia sinal dele há mais de seis meses. Claro que havia um novo Luthor na cidade para causar preocupação e era esse o motivo de sua volta.

Ele tinha chegado naquela manhã e ido direto para a cobertura na Torre do Relógio. Até onde Oliver sabia, ninguém fazia ideia de que ele estava na cidade e ele queria continuar assim. Não podia deixar ninguém fazer uma conexão entre Oliver Queen e o Arqueiro Verde e era por isso que ele mandou mais de um plano de voo para seu piloto. O mundo podia pensar que Oliver Queen estava em Nova Iorque enquanto o Arqueiro Verde cuidava das coisas em Metrópolis.

Ele olhou para as ruas abaixo novamente, observando o vendedor de café solitário se preparar pra fechar o carrinho. Oliver viu o homem olhar no relógio antes de correr os olhos nas duas direções da rua em busca de sua última cliente. Pelo que Oliver havia conseguido com suas fontes, a mulher normalmente aparecia bem antes de o vendedor fechar a banca.

O som de saltos contra a calçada chamou sua atenção e Oliver assistiu a pequena loira apressar-se na direção do carrinho de café. Ele sorriu pra si mesmo e foi até a outra ponta do telhado. Atirou uma flecha para o outro lado e deslizou pelo cabo até a calçada. Guardando o arco, ele esperou na esquina, fora de vista enquanto a mulher se aproximava do vendedor.

Chloe parou na frente do vendedor e sorriu para o senhor. "Ei, Henry", ela disse enquanto apertava a jaqueta ao redor do corpo. Estava um pouco frio para a primavera em Metrópolis. Ela observou o homem sorrir em sua direção e gratidão a preencheu ao fato de que ele obviamente estava esperando por ela antes de fechar.

"Eu estava começando a achar que você não fosse vir", ele disse enquanto preparava o café dela, brevemente olhando para a loira que frequentava sua banquinha nas horas mais estranhas da noite. Ele se perguntava o que uma mulher tão jovem fazia pelas ruas a esta hora.

Chloe deu risada. "Estou um pouco atrasada, espero não ter feito você esperar muito", ela disse, um tom de preocupação em seu rosto. Sabia que embora as coisas estivessem melhores em Metrópolis desde que Clark começou a patrulhar, ainda havia muitos crimes e ela odiaria se algo acontecesse a ele por sua casa.

O som da voz do homem a puxou de seus pensamentos. Ele perguntou a ela o que a mantinha acordada até tão tarde. "Eu trabalho com informática e  trabalho voluntário. As empresas me pagam pra consertar as coisas e mostrar a elas como podem... ajudar as pessoas", ela disse, deduzindo que era o mais perto que podia falar do que fazia. Não era como se pudesse dizer a ele o que fazia durante a noite. Ah sim, eu ajudo super herois a salvarem o mundo, ela podia ver o casaco branco agora.

Henry lhe entregou um copo fumegante de seu café favorito e assentiu em sua direção. "Bem, ajudar as pessoas é sempre uma profissão admirável. Agora tome cuidado no caminho de volta e boa noite, Chloe", ele disse, a voz amigável.

Chloe assentiu. "Obrigada, Henry. Até a próxima", ela disse antes de acenar pra ele e se virar pra voltar pela rua por onde tinha vindo. Sua prima e seu melhor amigo ainda estavam no trabalho no Planeta Diário e ela estava pronta pra voltar para seu apartamento para que pudesse correr Clark em sua patrulha quando chegasse em casa.

Ela virou a esquina e seguiu pelo beco. Chloe mal tinha dado alguns passos quando ouviu um barulho atrás dela e isso a fez parar. Ela engoliu em seco e cada instinto seu dizia para se mover rápido, mas não fez isso. Ao invés, se virou e olhou ao redor do beco.

Chloe franziu as sobrancelhas quando não viu ninguém então começou a andar novamente quando ouviu outro barulho. Apertando os lábios, olhou ao redor novamente. "Olá?" chamou, deduzindo que se precisasse de ajuda poderia chamar por Clark.

Oliver ligou o distorcedor antes de entrar no beco, mantendo uma distância respeitável entre eles para que ela soubesse que ele não ia machucá-la. Ele sabia que isso não era exatamente uma aproximação ideal, mas não era como se pudesse aparecer em seu equipamento em plena luz do dia pedindo alguns minutos de sua atenção. "Desculpe assustar você", ele disse enquanto esperava que ela virasse e o encarasse. "Eu preciso falar com você, Srta. Sullivan."

Chloe girou e piscou, sua boca abrindo levemente, seus olhos tomando o homem em sua frente. Ele estava coberto dos pés a cabeça em couro verde e o distorcedor de voz que ele usava mandava um arrepio por sua espinha. Demorou um segundo pra ela focar em suas palavras e se endireitar imediatamente, já franzindo a testa. "Como você sabe meu nome?"

"Vamos dizer que temos inimigos em comum", Oliver respondeu. Ele estava satisfeito que ela parecesse mais curiosa do que assustada. Era um grande risco vir até ela e ele não queria ter que lidar com seu amigo super poderoso, por quem ela podia gritar facilmente quando ele se aproximou. "Eu sei que você ajuda super herois e acho que podemos nos ajudar."

Chloe ergueu uma sobrancelha, incapaz de esconder sua diversão. Sabia que deveria estar assustada, o homem em sua frente podia ser algum tipo de vilão, mas ele sabia quem ela era, e se ia arrancar alguma informação dele, tinha a sensação que chamar Clark o afastaria e colocaria um fim a tudo.

Não, ela precisava ser esperta. Além do mais, herois tipicamente não a procuravam; normalmente era o contrário, então ela podia satisfazer sua curiosidade. "Você parece saber muita coisa sobre mim, Robin Hood; parece que estou em desvantagem", ela disse enquanto trocava o café de mão para que pudesse arrumar a bolsa sobre o ombro. "Você sempre embosca mulheres inocentes em becos? Porque eu tenho que dizer, isso realmente não é uma boa imagem pra se carregar", ela disse casualmente.

Oliver deu risada ao sarcasmo dela. "Que gracinha, mas considerando que você é ajudante de um super heroi, não tenho certeza que 'inocente' realmente se aplica. Além do mais, eu não te embosquei." Ele parou, refletindo. "Ok, talvez um pouco, mas não é como se houvesse outro jeito de chamar sua atenção. Mas pra constar, normalmente eu não procuro por ajuda, na verdade eu não preciso."

Ele deu um risinho. Oliver sabia que provavelmente soava arrogante, mas estava orgulhoso de tudo que tinha conseguido como Arqueiro Verde e não era como se pudesse se vangloriar por causa do aspecto 'secreto' de sua identidade.

"No entanto, eu estou fazendo uma exceção neste caso porque eu tenho alguma informação que pode ser do seu interesse e do seu amigo Clark", ele disse.

O sorriso nunca deixou o rosto de Chloe, mas ela de repente não estava se divertindo tanto. "Eu não acho que poderia me chamar de ajudante e acredite em mim, todo mundo precisa de ajuda às vezes, mesmo herois usando couro verde e meia-calça", ela brincou. "Mas eu acho que você misturou um pouco as coisas. Meu amigo Clark não tem nada a ver com minhas atividades extracurriculares que você parece conhecer tão bem. Como isso é possível afinal?" A mentira rolou de seus lábios calmamente. Ela tinha um rosto perfeitamente neutro e algumas vezes lhe incomodava como mentia tão facilmente, mas com o tipo de vida que levava, a mentira era um protocolo.

Oliver franziu a testa. "Primeiro, não é meia-calça. Não é", ele estressou quando ela lhe mandou um olhar duvidoso. "Segundo, eu nunca disse que não tinha nenhuma ajuda. Eu só não saio procurando pela ajuda de pessoas com as quais eu já não trabalhe. E é óbvio que você aperfeiçoou a mentira com o passar dos anos, o que é admirável, mas não é realmente o tipo de coisa para a qual nós dois temos tempo no momento", ele disse. Oliver entendia porque o primeiro instinto dela era negar que Clark Kent era qualquer coisa além de um inocente fazendeiro e estava tudo bem, mas ele queria ir direto ao assunto.

"Olha, Sidekick", ele disse propositadamente usando o termo em retaliação a piada dela sobre sua calça. "Eu sei que Clark é o homem por trás do Blur. Eu sei que ele é um alienígena que caiu em Smallville e tudo o mais e agora ele está por aí trabalhando para salvar o mundo. E isso é legal. Estamos todos do mesmo lado."

A expressão de Chloe não mudou. "Olha, Heroi", ela disse, enfatizando a palavra. "Se tem algo que você queira me falar, seja rápido. Alguns de nós temos coisas pra fazer, como eu sei lá, garantir que alguém proteja a cidade. Eu vou ter que dizer que se você está procurando por alienígenas, vá para Roswell, mas enfim, ou qualquer outro lugar."

Ela não estava feliz com o rumo dos eventos. Não fazia ideia de quem era o cara, mas ele certamente a conhecia e Clark, e ela não gostava disso, especialmente porque não o conhecia. Isso ia mudar no segundo que chegasse em casa no entanto. "Bem, que informação é essa que eu preciso saber?" perguntou enquanto o estudava, tentando ler sua expressão. Era difícil sem conseguir ver seus olhos.

"Paciência não é seu forte, é?" Oliver perguntou. Ele tinha que lhe dar crédito. Como alguém que tinha uma excelente expressão neutra, Oliver podia admirar esse talento em outra pessoa. Chloe nem mesmo piscou e o tom de sarcasmo na voz dela não significava que ela não o estivesse levando a sério. Mas ele sabia que ela não ia admitir. Claramente ela queria descobrir o que ele sabia.

"Lucas Luthor", Oliver respondeu, indo direto a razão que o trouxera até ali sem lhe dar tempo pra responder sobre o comentário que fez sobre sua falta de paciência. "Tenho certeza que você sabe que o último herdeiro Luthor não é melhor que os dois anteriores." Ele não se incomodou em evitar a repulsa em sua voz. Oliver sabia que Lucas Luthor existia antes de ele tomar posse da fortuna Luthor; ele sabia tudo sobre a família que tinha destruído a dele.

"Em adição a ser um pé no saco no mundo corporativo, Lucas também está visitando alguns projetos antigos de Lex. Tenho certeza que ouviu falar dos 33.1 e do legado Veritas." Oliver parou, dando a ela tempo pra processar tudo antes de continuar.

Chloe franziu a testa. "Eu ouvi, mas eu tinha a impressão que Lucas estava procurando se distanciar de tudo relacionado a Lex", ela disse, fazendo uma nota mental de checar o arquivo de vídeo da mansão Luthor. Embora Lucas tenha crescido muito desde a última vez que estivera em Smallville, ainda havia a necessidade de poder que Chloe tinha quase certeza que corria no sangue dele.

Ela vinha mantendo um olho nele e embora ele não fosse o melhor cara por aí, não estava sendo tão terrível quanto Lex. Ele tinha até lhe oferecido seu emprego de volta no Planeta, mas ela declinou. Trabalhando com ou para os Luthors não era algo que quisesse fazer novamente. Não depois de todas as coisas terríveis que Lex tinha feito com sua família e Clark.

Chloe se arrancou de seus pensamentos e mais uma vez se concentrou no homem em sua frente. "O que exatamente você sabe sobre Lucas Luthor?"

"Eu sei que ele é problema", Oliver declarou. Ele e Lucas vinham brigando no mundo dos negócios, mas essa não era a questão. Oliver esperava coisas assim de rivais nos negócios. Ele também não ia mencionar isso para Chloe já que não podia contar quem ele realmente era.

"Alguns laboratórios 33.1 que estavam desativados foram reabertos." Oliver colocou a mão no bolso de seu cinto de utilidade e pegou um arquivo. Ele aproximou-se de Chloe e entregou a ela. "Isso mostra o lugar em atividade, mas são as perguntas sobre o Viajante mencionado nos diários de Veritas que estão realmente me preocupando e eu deduzo que você saiba a razão." Ele deduziu que Chloe sabia tudo sobre o quanto Lex esteve perto de conseguir o dispositivo que controlava Clark. Oliver tinha a impressão que estava perdido no Ártico, assim como Lex, mas se havia alguma chance de Lucas encontrá-lo, precisavam pará-lo.

Chloe lentamente deu um passo a frente e pegou os papeis dele com cuidado. Ela olhou tudo e seu peito apertou. Ia ter que conversar com Clark sobre isso e não ia ser uma boa conversa. Ela pensou que tudo isso tivesse terminado com Lex desaparecendo e aparentemente estava errada.

Agora passaria a noite pesquisando sobre isso e o homem na frente dela. Ela parou por um segundo. "Qual o seu nome?" perguntou baixinho, não comentando a informação que ele tinha acabado de lhe dar, mas não informando nada também.

"Normalmente eu atendo por Arqueiro Verde. Ou Arqueiro", Oliver disse com um dar de ombros. Este era o nome que a imprensa de Star City tinha lhe dado antes de ele aprender como ficar fora do radar. Ele deduziu que serviria na situação atual. "Eu vou ficar de olho, mas queria alertar Clark. Pelo que descobri, eu deduzi que você seria mais receptiva a informação do que ele." Oliver conhecia outro super heroi teimoso que agia do mesmo jeito sobre sua identidade, então ele decidiu que se aproximar de Chloe seria a melhor maneira de manter todo mundo informado.

"Imagino que isso signifique que você vai ficar na cidade", ela disse, seus olhos novamente correndo pela papelada em sua mão. Chloe precisaria checar todas as informações e pesquisar um pouco mais sobre Lucas. Ela não confiava no  Luthor mais novo, mas ele parecia estar causando problemas apenas no mundo dos negócios, o que de fato não era problema seu. Mas se este Arqueiro Verde estava certo e ele estava reabrindo os laboratórios 33.1, então isso precisava ser resolvido.

Chloe olhou para o Arqueiro Verde e lhe deu um meio sorriso enquanto segurava os papeis. "Obrigada pelo aviso. Vou dar uma olhada."

Oliver assentiu. "Estarei por perto por um tempo", ele disse. Sabia que as notícias não seriam bem recebidas por uma certa pessoa, mas Oliver podia lidar com as consequências quando chegasse a hora. "Eu te aviso se encontrar alguma coisa mais. Nesse meio tempo, tome cuidado, Chloe", ele disse.

A expressão de Chloe se iluminou. "Eu sempre tomo cuidado." Ela parou. "Na maior parte das vezes", ela disse antes de virar e começar a se afastar. Parando brevemente e olhando por sobre o ombro. "Oh, e da próxima vez você pode escolher um lugar melhor, não um beco assustador", ela brincou. "Vejo você e sua meia-calça por aí", ela disse com um risinho antes de levar o café até a boca e voltar pelo caminho em que tinha vindo, seus pensamentos vagando até Lucas Luthor e Clark, perguntando-se o que ele ia dizer quando ouvisse tudo isso.

"Não é meia-calça!" Oliver disse. Mas estava sorrindo enquanto pegava o arco e atirava uma flecha na direção do telhado mais próximo. Chloe definitivamente tinha brio e ele estava ansioso pelo próximo encontro. Mas primeiro, teria que encarar a música. Suspirando, Oliver se deixou carregar pelo cabo através do céu.

__________

Carter grunhiu enquanto tirava outra caixa da mesa e levava pra dentro do closet. Ele empilhou tudo e deu um passo pra trás, olhando pra elas por um minuto antes de suspirar e fechar as portas com tanta força que ecoou pelo prédio vazio do museu. Ele se afastou do closet e foi para o corredor, olhando para o relógio e franzindo a testa ao ver a hora.

Não tinha a intenção de ficar no museu até tão tarde, mas era melhor do que voltar pra casa sozinho. O peito de Carter apertou ao pensamento. Fazia anos desde a morte de sua esposa e ainda assim quando da data de aniversário, que sempre chegava muito cedo, ainda doía. Ele afastou o pensamento enquanto descia as mangas e olhava para a porta no final do corredor.

Carter hesitou antes de ir até lá, segurando a maçaneta e abrindo a porta. Ele entrou na sala que costumava ser o local de reuniões de sua equipe, olhando para a mesa circular que havia no meio. Uma parte dele sentia falta ultimamente, mas ele empurrou os pensamentos de lado. Não vestia aquele uniforme desde o dia em que sua esposa foi morta e não planejava usá-lo novamente. O mundo não precisava mais dele.

Herois estavam surgindo novamente pelo país. O Blur em Metrópolis, Batman em Gotham, Lanterna Verde em Coast City. Logo os outros membros de sua equipe conseguiriam aparecer, se fosse o que quisessem, mas depois de tudo que tinha acontecido no passado, ser o Gavião Negro em Metrópolis não era algo que conseguiria fazer. Um assobio chamou sua atenção e ele se virou, franzindo a testa enquanto olhava ao redor da sala. Ele foi na direção da porta, pegando uma das armas no caminho.

Carter levantou a arma quando uma flecha passou voando por sua cabeça e alcançou a parede. Ele ergueu uma sobrancelha e franziu a testa antes de lentamente se virar para o arqueiro no final do corredor. "Isso era mesmo necessário?" resmungou enquanto abaixava a mão.

"Necessário?" Oliver repetiu. "Provavelmente não, mas colocar esse olhar no seu rosto certamente foi o melhor momento do meu dia." Ele deu risada quando Carter continuou olhando feio enquanto ele tirava o capuz e os óculos escuros. "Vamos, velhinho", ele brincou. "Você deve estar um pouquinho feliz em me ver, certo?" Ele podia ver que Carter parecia ainda mais resmungão que o normal e Oliver sabia o porquê. Mas ele também sabia que a última coisa que Carter ia querer dele era que tocasse no assunto, então Oliver deduziu que podia muito bem provocá-lo um pouco mais; como sempre.

Carter suspirou enquanto olhava para a parede e balançou a cabeça antes de olhar de volta para Oliver. "Você sabe que eu não sou tão mais velho que você, certo?" ele perguntou enquanto diminuía a distância entre eles. Ele jamais admitiria que sentia falta do outro jovem, mas era bom vê-lo depois de tanto tempo. "Você consegue fazer alguma coisa sem quebrar a lei, Calças Verdes?" Ele inclinou a cabeça para o lado.

"Invasão e destruição de propriedade privada..." Ele apontou na direção da parede antes de gesticular para Oliver segui-lo. "Você vai pagar por aquilo", ele disse enquanto entrava em seu escritório e se abaixava na frente do mini-refrigerador que havia ali. "Tenho certeza que você provavelmente está com sede depois de pular desnecessariamente de telhado em telhado", ele comentou enquanto pegava duas garrafas d'água e estendia uma para Oliver.

"Você nasceu em um século diferente, Grande Pássaro", Oliver o relembrou. "Alguns séculos diferentes, na verdade." Ele acenou com desdém na direção da flecha. "Pessoalmente, eu acho que ajuda na decoração, mas se você quiser, eu posso pagar pra remodelar o lugar." Oliver vinha tentando que Carter o deixasse fazer isso há anos. Ele realmente não achava que um museu precisava ser escuro e depressivo como este era, sem falar no pó.

Ele pegou a água que Carter lhe entregava, abriu e tomou um longo gole. "E pra sua informação, pular de telhado em telhado não é desnecessário. É divertido, mas eu sei que esta é uma palavra que não está em seu vocabulário." Oliver sorriu e tomou outro gole de água. "Como você está?" ele perguntou.

Carter se inclinou contra a mesa enquanto abria a água e tomava um gole. "Acho que você quis dizer se mostrando, e não se divertindo", ele disse, olhando para o outro homem e ignorando seus comentários sobre idade. "Eu vou bem", ele disse com um dar de ombros. "E você?" ele perguntou enquanto erguia uma sobrancelha pra ele. "Ficando longe de encrenca, eu suponho?" Ele sabia que isso era difícil para Oliver, o jovem tinha uma tendência a fazer as coisas sem exatamente pensar.

"Sim", Oliver respondeu, revirando os olhos como de hábito. "Eu sei como me manter longe de encrencas, além de fabricar boatos falsos para os tabloides imprimirem sobre mim", ele acrescentou, dando um risinho. Embora fizesse anos desde que levara de fato aquela vida, Oliver ainda gostava de bancar o playboy exagerado do qual as pessoas não suspeitariam do que ele fazia em seu tempo livre. Ele sabia que Carter não gostava dele aparecendo nas manchetes, mas era uma das muitas coisas em que os dois discordavam.

Oliver conhecera Carter alguns anos atrás, não muito depois de se tornar Arqueiro Verde. O homem mais velho o tinha estendido uma mão quando ele estava numa situação ruim e tinha lhe aberto os olhos para o mundo dos herois semi-aposentados e a geração que estava assumindo a responsabilidade de manter o mundo em segurança. Embora Carter não vestisse o uniforme a não ser que fosse estritamente necessário, ele ainda acreditava na causa. Mas raramente concordava com os métodos de Oliver e Oliver não duvidava que agora seria uma dessas vezes.

"Eu ando bem a não ser pelo fato do novo Luthor meter o nariz onde não é chamado. Ele é problema, Carter", Oliver declarou.

Carter apertou os lábios. Deveria saber que a última visita de Oliver tinha a ver com os Luthors. Diabos, tinha sido por isso que conheceu Oliver, pra começar, ou melhor, o Arqueiro Verde. Carter entendia como as coisas eram difíceis para Oliver quando se tratava dos Luthors. Eles destruíram sua família, mataram seus pais por poder, mas ele também sabia que Lionel estava morto agora e Lex desaparecera e não havia razão pra arranjar problemas com o novo Luthor da cidade.

"Oliver", ele disse, um tom de alerta na voz. "Já discutimos sobre Lucas Luthor. Eu recebi as coisas que você me mandou e entendo sua preocupação", ele disse diplomaticamente. "Mas aqui não é nosso território. Não sabemos ao certo se ele está reabrindo os laboratórios e qualquer informação que ele tenha sobre o Viajante não é problema nosso", ele disse baixinho.

Ele ergueu uma mão quando viu Oliver abrir a boca. "Olha, eu sei que você não concorda, mas se você se envolver com os Luthors de novo, vai ser igual da última vez", ele disse com seriedade. "Apenas fique fora disso e não faça nada estúpido."

Carter abriu a boca e então prontamente a fechou. Seus olhos virando fendas ao perceber Oliver escolhendo as palavras. Ele apertou os lábios e se inclinou pra frente. "Você já fez alguma coisa estúpida, não é?" ele perguntou. Quando Oliver não respondeu, Carter xingou. "Droga, Oliver, o que você fez?"

"Não foi estúpido", Oliver respondeu defensivamente. Ele ainda achava que tinha tomado a decisão certa, mas sabia que Carter não concordaria. "Eu queria avisar Clark que ele está em perigo, mas lembrei do que a pesquisa mostrou sobre ele não ser do tipo amigável, então eu procurei sua Sidekick e falei com ela", ele admitiu enquanto esperava a cabeça de Carter explodir.

Carter olhou para Oliver por todo um minuto, tentando ver se o outro homem estava falando sério. Quando percebeu que sim, ele balançou a cabeça. "Inacreditável. Você nunca pensa, não é?" ele disparou. "A única informação que temos sobre aquela mulher é basicamente coisas que o Sylvester descobriu. E se ela te rastrear até a SJA?" ele perguntou secamente enquanto se afastava da pequena mesa e começava a andar de um lado para o outro.

"Você quer ser um líder, você quer ajudar as pessoas sozinho, mas não pensa nas consequências de suas ações", ele disse enquanto batia a garrafa na mesa. Carter se virou de frente para Oliver. "Eu entendo sua perda", ele disse, seu tom baixo. "Eu entendo o quanto você está ferido e que não importa o quanto os Luthors sofram, nunca será suficiente, mas se expor a esta mulher, dar a ela informações... Ela aparentemente trabalha com outros herois; você acha que ela não vai ficar curiosa sobre você?" ele perguntou antes de expirar.

Carter suspirou enquanto voltava para a mesa e se sentava. Ele sabia que tinha sido duro com Oliver, mas era só porque o jovem o relembrava muito de si mesmo. Ele correu a mão pela nuca e encontrou seu olhar. "Bem, o que ela disse?" ele perguntou, seu tom preocupado.

Oliver travou a mandíbula e lutou contra o desejo de responder às palavras de Carter, sabendo que só provaria que ele tinha razão e que ele não pensava antes de agir. "Chloe pode ficar curiosa sobre mim, mas ela não vai descobrir nada sobre você ou qualquer outra pessoa. Não tem nada que me leve a você", ele pontuou. Eles tinham sido cuidadosos ao longo dos anos para garantir que ninguém fosse capaz de associá-los.

"Eu procurei você primeiro", ele o relembrou. "Eu procurei você e disse que deveríamos ir atrás de Lucas e você disse não. Que era sua escolha e eu fiz a minha. Eu sou capaz disso quer você acredite ou não", Oliver respondeu, soando petulante apesar de seus esforços. "Eu não vou deixar Lucas Luthor descobrir o segredo de Clark", ele disse com firmeza.

Oliver respirou fundo e tentou engolir a raiva que o atravessava. Ele não entendia porque Carter não lhe dava esse único crédito. Oliver deduziu que ele estava tentando protegê-lo do seu jeito, mas não era o que Oliver precisava ou queria e ele não gostava de Carter o menosprezando. "Chloe disse que ia dar uma olhada", ele acrescentou.

Carter podia ver a raiva tomando o melhor de Oliver e teve que lutar contra o desejo de dizer isso a ele. "Entendo, e desde quando você sabe o primeiro nome de uma mulher que acabou de conhecer?" ele perguntou e cruzou os braços sobre o peito e os descansou ali. "Não que eu não ache que você não seja capaz", ele disse. "Você tem habilidades com as quais as pessoas não sonham, mas o que te falta é a habilidade de pensar claramente em situações que significam muito pra você", ele explicou.

"É uma qualidade tanto positiva quanto negativa", ele disse com um suspiro. Não havia nada que pudesse fazer sobre o que Oliver já tinha feito. Eles só teriam que esperar e ver o que aconteceria.

Oliver não disse nada por um longo momento e então suspirou. "Acho que vamos ter que esperar e ver qual de nós dois está certo desta vez." Ele realmente acreditava que seria ele. Oliver ainda achava que tinha tomado a decisão correta ao procurar Chloe. Não era como se fosse descuidado; ele havia tomado as medidas necessárias para esconder sua identidade e se mesmo assim ela descobrisse quem ele era, isso não significava que ela descobria algo sobre ele ou a equipe. A maior parte dos membros da SJA estava vivendo escondida ou como pessoas normais do mesmo jeito que Carter.

Carter grunhiu e se afastou da mesa. "Acho que vamos", ele disse e apontou para a porta. "Vamos, aposto que você ainda não comeu e eu fiquei aqui um tempão", ele disse, sabendo que de um jeito ou de outro, ele estava agora envolvido com toda essa história Luthor, porque independente do que disse a Oliver, ele não ia desaparecer e abandoná-lo a própria sorte só porque não concordava com sua decisão.

"Eu podia comer", Oliver concordou. Ele duvidava que esta seria a última conversa que teriam sobre o assunto, mas se Carter queria deixar pra lá por enquanto, estava tudo bem pra ele. Fazia alguns meses desde que tinham se visto e embora Oliver preferisse ser torturado a ter que admitir, tinha sentindo sua falta.

_____
DOIS

_____________________________________________________________

7 comentários:

  1. Eu adorei essa fic.
    Uma com Carter \o/
    Maravilha ler traduzida!!!!
    Ótema escolha Sof!Estarei por aqui...como sempre =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Roberta, finalmente uma ideia diferente que me chamou a atenção... tendo a relação Carter/Oliver parecendo marido e mulher é sempre bom...

      Estou devendo a leitura do novo cap. de I'm In Here, mas ando tão cansada que não vou conseguir saborear todos os detalhes, então estou deixando pra amanhã ou sábado.

      Depois do último capítulo, este definitivamente não é pra 'se passar os olhos'... é pra ser desfrutado... sei que vc entende... :D

      Excluir
    2. Eu adoro Carter e fiquei fula quando o colocaram com a Lois em vez do Ollie.
      Os dois juntos era demais. Por isso essa fic é tão boa!!!

      Claro que entendo. Não se preocupe ;)
      Descanse!!

      Excluir
  2. Eu adoro Carter!! Carter e Oliver, então...
    Já me agradou!

    Próximo, sim!

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fic com o Carter não tem erro, né, GIL? :D

      Excluir
  3. Legal, eu ia ler essa fic lá mas fiquei me segurando quando vi que estaria aqui rs
    Essa relação Carter e Oliver é divertida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito... parecem marido e mulher... rs

      Excluir

Google Analytics Alternative