13.1.18

Everybody Loves Me (4/4)

 
 
Resumo: Um pouco de Chlollie no episódio Luthor, em que Oliver vai parar em outro mundo onde ele não está com Chloe e ela o odeia.
Classificação: PG-13
Anteriores: 01 :: 02 :: 03
 

 
IV - Look So Good I Might Die
 
 
"Quanto tempo você planeja se esconder aqui?"
 
Chloe levantou o olhar do laptop enquanto Lois entrava no loft. Ela sabia que sua prima tinha boas intenções, mas realmente queria ficar sozinha. "Não estou me escondendo", disse defensivamente. "Só estou tentando trabalhar um pouco." Ela se voltou para o computador novamente desejando que Lois saísse e não lhe fizesse mais perguntas.
 
Lois cruzou os braços sobre o peito e olhou desconfiada para Chloe. Ela mal havia dito uma palavra nas duas horas em que Lois estava ali. Tentou dar espaço a sua prima, mas Lois não achava uma boa ideia ela ficar mais tempo sozinha, especialmente com todo o barulho que Oliver estava fazendo no andar de baixo. No momento ele estava gritando com AC sobre como ele deveria estar mais preocupado em protegê-lo do que em jogar videogame. AC respondeu aumentando o volume do jogo.
 
"No que exatamente você está trabalhando?" ela perguntou.
 
"Em alguns arquivos da LuthorCorp que Tess me mandou", Chloe respondeu. Ela não conseguiu evitar a testa franzida. Vinha fazendo o possível para ignorar Oliver e apenas se concentrar nos documentos em sua frente para que pudesse fingir que estava tendo um dia normal. Mas toda hora que via algo com o nome de Tess e Oliver listados como donos da empresa, não conseguia deixar de lembrar do fato de que Oliver e Tess eram casados numa realidade alternativa. Não importava quantas vezes dissesse a si mesma que eles eram, obviamente, pessoas diferentes, que ainda assim doía.
 
Lois percebeu o olhar em seu rosto, mas decidiu não comentar. Ela sabia exatamente o que a estava incomodando e já havia mandado uma mensagem para Tess alertando que não era uma boa ideia aparecer na Watchtower até que Oliver voltasse. "Por que você não vem comigo um pouco? Bart foi até Chicago pegar pizza. Ele volta a qualquer segundo", ela disse.
 
Chloe pensou em declinar, mas mudou de ideia. Ela não podia deixar de pensar em Oliver e se perguntar se ele estava bem em qualquer realidade em que estivesse preso. O Oliver que estava no momento ameaçando mandar seus amigos para a cadeira não estava sendo exatamente o Sr. Cooperação, mas talvez se ela se esforçasse mais e o fizesse entender que eles não eram as pessoas com quem estava acostumado, ela pudesse fazê-lo comentar algo sobre onde Oliver estava para que pudesse ao menos saber com o que ele estava lidando.
 
"Tudo bem", Chloe disse. Ela rapidamente salvou o que estava trabalhando e fechou o laptop. Seguiu Lois pelas escadas a tempo de ver as portas se abrirem e Bart entrar carregando seis caixas enormes de pizza.
 
"A comida chegou!" Ele anunciou enquanto as colocava sobre a mesa. Ele jogou uma fatia num prato e ofereceu a Oliver. "Com fome?" perguntou.
 
Oliver fez cara feia, mas estendeu a mão o máximo que conseguiu com as cordas ao seu redor na direção do prato. Bart começou a entregar a ele e Oliver o jogou no chão. Bart ficou boquiaberto e enquanto se abaixava para pegar a comida, Oliver fechou os dedos ao redor da besta que estava presa em sua perna e soltou uma flecha na direção de Bart.
 
Bart acelerou para fora do caminho da flecha e esta se alojou no sofá. "Cara, isso não foi legal!" ele gritou.
 
Enquanto Chloe e Lois observavam horrorizadas da escada, AC e Victor partiram para a ação e prenderam as mãos de Oliver para trás, apertando mais a corda para que ele não pudesse se mover. Mas a atenção de Oliver estava em Bart enquanto o jovem se movia para pegar uma fatia de pizza.
 
"Como você fez isso?" ele exigiu. "Você estava bem na minha frente e de repente desapareceu."
 
"Você está imaginando coisas", Bart respondeu. Ele deu de ombros e pegou sua pizza. "Foi você quem tentou me matar."
 
"Você me sequestrou", Oliver disparou. Ele estreitou os olhos enquanto olhava ao redor da sala para o time. "Vocês vão todos para a prisão por isso. Meus advogados cuidarão disso."
 
Bart fez cara de desdém e se sentou no sofá, pegando o controle de vídeo que AC havia soltado. "Cara, você pode nos ameaçar o quanto quiser, mas você é de outra realidade. Você não é daqui."
 
Oliver revirou os olhos. "Se o objetivo é alegar insanidade, estão fazendo um bom trabalho", ele sibilou.
 
"Sério, tem como desligar você?" Lois perguntou enquanto ia até a mesinha pegar uma fatia de pizza. Ele vinha reclamando sem parar e se sua mão não estivesse doendo ainda, consideraria a ideia de socá-lo novamente.
 
"Qual dos seus colegas você acha que cobrirá sua prisão?" Oliver respondeu.
 
"O que podemos fazer para que você acredite no que estamos dizendo?" Chloe perguntou. Ela se aproximou de Oliver, fazendo o melhor para ignorar o olhar feio que ele lhe dava.
 
"Você poderia começar me desamarrando", Oliver respondeu. "Não é muito tarde pra você voltar para o lado certo, Chloe. Isto aqui não vai acabar bem pra quem está contra mim", ele alertou.
 
Victor bufou e soltou a besta sobre a mesa antes de se servir de pizza. "Como você pode ver, estamos todos aterrorizados", respondeu.
 
"Aproveitem a pizza agora porque não vão ter nada disso quando estiverem presos", Oliver disparou.
 
Chloe correu as mãos pelo rosto, mal resistindo ao desejo de gritar. Discutir com Oliver não os levaria a lugar nenhum, mas ele era obviamente muito teimoso para ouvir. Ela abriu a boca para tentar novamente justamente quando as portas se abriram e Clark entrou, a expressão preocupada.
 
Oliver virou a cabeça na direção da porta, seu interesse obviamente despertado pela nova chegada. "Estou aqui contra minha vontade! Se me ajudar, eu posso pagar. Eu tenho dinheiro!" ele falou enquanto lutava contra as cordas.
 
"Cala a boca!" Chloe gritou. Ela viu o choque no rosto dele, mas ignorou e foi até Clark. O olhar no rosto dele lhe dizia que ele não trazia boas notícias, mas tentou manter a esperança de que talvez houvesse algo que pudessem fazer para consertar tudo. "O que aconteceu com Jor-El?" perguntou.

Clark balançou a cabeça. "Sinto muito, Chloe. Ele disse que não há nada que possamos fazer sem a caixa espelhada", respondeu.

"O que isso significa?" Chloe exigiu. Ela mal sentiu Lois deslizar o braço ao redor de seus ombros enquanto mantinha o olhar em Clark. "Você está me dizendo que não tem como  trazer Ollie de volta?" Seu estômago despencou e ela se forçou a respirar fundo enquanto sentia as lágrimas se acumulando em seus olhos.

"Sinto muito", Clark disse novamente. Ele trocou um olhar com Lois. "Oliver vai ter que usar a caixa espelhada para voltar para esta realidade", ele disse. "É a única maneira."

"Do que vocês estão falando?" Oliver perguntou. "Eu estou bem aqui", ele resmungou.

Chloe suspirou. Sabia que não tinha outra opção a não ser esperar e torcer para que Oliver encontrasse logo o caminho de volta. Ela só desejava que não tivesse que ficar por perto de sua versão alternativa.

***

Depois de encontrar Clark e Lois discutindo no celeiro, Oliver juntou todos na sala dos Kent para propor um plano para entrar na mansão Luthor. Ele havia entrado no lugar tantas vezes ao longo dos anos que conhecia todas as passagens secretas como a palma de sua mão. O problema era que ele estava acostumado a fazer isso como Arqueiro Verde, com todo seu equipamento e o apoio da Watchtower para acessar as câmeras de segurança, e assim estar sempre um passo a frente de Lex e seus guardas.

Chloe se oferecera para invadir o sistema de segurança e Clark trouxe o laptop de sua mãe para que ela fizesse isso. Ela explicou que precisaria invadir o servidor da Queen Industries primeiro para garantir que Lex não fosse capaz de rastrear a intrusão e isso demoraria algum tempo. Oliver sabia que não havia outra opção a não ser esperar porque não era uma boa ideia ir sem apoio. A última coisa que precisava era encontrar com Lex enquanto estivesse preso em uma realidade diferente.

Assim que Chloe conseguiu acessar o sistema, ela invadiu as câmeras e puxou uma imagem de Lex sentado em seu escritório. Clark imediatamente começou a repensar todo o plano, sugerindo que esperassem até a manhã seguinte quando Lex estivesse no trabalho. Lois perguntou como alguém que era feito de aço podia ter medo de um bilionário careca e os dois voltaram a discutir. Oliver estava seriamente considerando a ideia de ir sozinho até a mansão apenas para ficar longe deles, antes de Chloe intervir novamente e perguntar a Clark se ele tinha algum aparelho de comunicação que pudessem usar para guiá-los pela mansão.

Clark desapareceu escada acima e vinte minutos depois Oliver estava impaciente enquanto continuava a andar pela sala. A atenção de Chloe estava no computador enquanto Lois caminhava pela casa, provavelmente bisbilhotando coisas que não eram de sua conta. Oliver estava prestes a ir atrás de Clark quando a voz de Lois o arrancou de seus pensamentos.

"Fazendeiro!" Lois gritou. Ela parou ao pé da escada, batendo o pé contra o chão de madeira. "Não estamos ficando mais jovens aqui."

"Lois, você está sendo grosseira", Chloe pontuou. Ela apontou para a TV. "Por que não tenta encontrar alguma coisa para assistir?", sugeriu.

"Isso é mais divertido", Lois respondeu.

Oliver revirou os olhos e voltou sua atenção para Chloe. Além do que via no computador, ela não havia dito muita coisa desde que haviam voltado do celeiro. Ele se perguntou se tinha exagerado ao sugerir que ela se envolvesse com um homem que abertamente parecia detestar. Mas era tarde demais para retirar o que havia dito. Ele só desejava que o pobre bastardo percebesse a sorte que tinha se Chloe decidisse ajudá-lo.

Clark desceu as escadas carregando uma blusa com capuz e walkie talkies para a comunicação. Ignorando Lois, ele entregou a blusa a Oliver. "Provavelmente este não é o disfarce com o qual está acostumado", disse.

"Você ficaria surpreso", Oliver murmurou, pensando no tempo em que corria pelas ruas com um capuz e óculos escuros, quando estava se escondendo do ARV. Ele vestiu a blusa e puxou o capuz sobre a cabeça. "Obrigado."

Clark assentiu e entregou os aparelhos a Chloe. "Eram do meu pai. Acho que ainda funcionam", ele disse.

"Vamos torcer", Chloe respondeu. Ela configurou o canal e entregou um a Oliver.

Ele hesitou, sua mente voltando ao momento na Watchtower quando Chloe lhe entregou um walkie talkie e suas vidas viraram um desastre pouco depois. "Obrigada." Guardando-o no bolso, ele se virou para Clark. "Pronto?"

"Sim", Clark respondeu. Ele olhou para Lois mais uma vez antes de ir até Oliver e o segurar desajeitadamente ao seu lado e desapareceu.

Segundos depois, Clark o colocou no chão e Oliver se inclinou para a frente, descansando as mãos nos joelhos enquanto o mundo girava ao seu redor. Seu estômago girava e ele lutou contra a ânsia de vômito. Preferia mil vezes pular pelos telhados pendurado em uma linha do que viajar em alta velocidade. Sua visão estava levemente borrada quando se endireitou e respirou fundo algumas vezes até a náusea finalmente passar.

"Tudo bem?" Clark perguntou.

"Sim", Oliver respondeu. Ele virou o rosto para o outro homem enquanto se viam parados na floresta atrás da mansão Luthor. Clark parecia apreensivo, mas isso não era novidade, não importava em que realidade estivessem. Oliver não tinha tempo para confortá-lo. Ele só queria acabar logo com tudo aquilo. "Siga-me", disse.

O plano era bastante objetivo. Eles entrariam na mansão por meio de uma das muitas passagens secretas e procurariam pela caixa espelhada. Oliver deduziu que estaria num cofre que havia no quarto de Lex. Já que não tinha nenhum equipamento, teria que se apoiar em Clark para quebrar a porta, algo que ainda não havia compartilhado. Ele estava tendo dificuldade em lidar com o fato de que estavam invadindo uma mansão.

Oliver encontrou a entrada escondida para o túnel que os levaria até o quarto de hóspedes que Lana ocupara em sua realidade. Ele olhou novamente para Clark, momentaneamente se perguntando se Lana era parte da vida dele naquele mundo. Rapidamente decidiu que não queria saber. "Pronto?" perguntou.

Clark parecia mais incerto do que nunca. "Como você conhece esta entrada?" Apontou para o túnel.

Oliver deu um risinho. "Eu conheço todas as entradas e saídas deste lugar. Normalmente quando invado, estou com todo meu equipamento e uso as janelas, mas o que você pode fazer?" ele brincou. Como o Clark que conhecia, aquele não deu nenhum sorriso. Oliver deduziu que o senso de humor estava na genética alienígena.

"Talvez devêssemos repensar e esperar até amanhã. Há menos chances de sermos pegos se Lex estiver no trabalho", Clark sugeriu novamente.

Oliver contou até dez, tentando o melhor para controlar o temperamento. Ele estava muito perto de voltar para Chloe e não ia deixar nada ficar em seu caminho, especialmente a consciência de Clark. "Sem querer ofender, mas já cansei desta realidade. Eu diria pra você ficar aqui e esperar até eu voltar, mas vou precisar da sua ajuda para abrir o cofre."

Clark arregalou os olhos. "Você não falou nada sobre cofre", ele disse.

"Porque eu não queria perder mais tempo", Oliver respondeu. Ele suspirou, descansando o queixo sobre o peito. Podia ver que Clark não ia ceder até que lhe desse mais informações. Estava começando a pensar que deveria ter trazido Chloe e Lois com eles. Chloe o ajudaria a acessar o cofre enquanto Lois irritaria Clark até ele aceitar fazer o que era preciso.

"Olha, cara, eu sei que tudo isso é estranho para você. É estranho pra mim também. Mas eu preciso pegar aquela caixa para voltar para a minha realidade, e sinto muito que isso vá contra sua ética ou sua moral ou seja lá o que for, mas eu não vejo outra opção. Eu preciso da sua ajuda", Oliver disse.

Clark assentiu, sem dizer nada por um momento. "Você faz coisas assim em sua realidade com a outra versão de mim?" ele perguntou.

Oliver riu. "Trabalhamos juntos, mas demorou um tempo até isso acontecer. Somos muito teimosos e, igual a você, o outro Clark tem uma visão diferente da minha até o ponto onde podemos ir. Batemos cabeça muitas vezes durante os anos", ele disse.

"Mas vocês devem ser bons amigos se você conhece o segredo dele", Clark pontuou.

"Ele me convidou para ser padrinho em seu casamento, então sim, somos bons amigos", Oliver respondeu. Ele riu ao olhar chocado de Clark. "Eu deveria me sentir ofendido?" brincou.

"Não", Clark respondeu imediatamente. "Só é difícil a ideia de haver outra versão de mim por aí, e casado ainda por cima."

"Com Lois", Oliver completou.

"Lois?" Clark repetiu. Seus olhos se arregalaram dramaticamente e Oliver começou a rir. "Lois, você quer dizer a Lois que está na fazenda agora?" perguntou.

"A primeira e única", Oliver respondeu. Ele deu um tapinha no ombro de Clark em simpatia. "Posso te dar um conselho? Você deveria tentar conhecer Lois melhor. Chloe também", disse. "Sua vida vai ficar bem melhor com elas fazendo parte."

Clark continuou olhando para ele abismado. "Eu só deduzi que elas voltariam para Star City depois disso e poderíamos fingir que nada aconteceu", ele disse.

"Você pode fazer isso", Oliver concordou. "Ou pode parar de trabalhar sozinho e ver como é trabalhar com pessoas que estarão sempre ao seu lado. Chloe tem todo um time de heróis com quem trabalha e Lois é bem intensa, mas jamais te desapontaria. É só algo para você refletir."

"Talvez seja melhor entrarmos", Clark sugeriu.

Oliver assentiu. Ele pegou a lanterna do bolso e a ligou, entrando no túnel com Clark logo atrás. Ele não tinha certeza se tinha o direito de aconselhar Clark, tal qual fizera com Chloe. Mas se aquela experiência havia lhe ensinado alguma coisa, era que queria que seus amigos naquela realidade tivessem a mesma chance que em seu mundo.

Os dois homens atravessaram o longo corredor em silêncio. Quando alcançaram a porta, Oliver prendeu a respiração, abrindo-a lentamente. Ficou aliviado ao ver o quarto vazio. Entrando, ele pegou o walkie talkie do bolso enquanto Clark fechava a porta do túnel atrás deles.

"Entramos", ele disse baixinho.

"Entendido", Chloe respondeu. "Lex ainda está no escritório e o corredor está vazio", ela disse. "Estou colocando as câmeras em repetição por quinze minutos."

"Obrigado."

Oliver abriu a porta a gesticulou para Clark segui-lo até o quarto no final do corredor. Eles entraram e ele mostrou a porta do cofre que ficava na parede do closet. "Você consegue abrir?" perguntou.

Clark assentiu. Ele segurou a maçaneta em suas mãos e a girou com força, quebrando-a e abrindo a porta do cofre. Antes que um dos dois pudesse entrar, o walkie talkie bipou.

"Vocês devem ter disparado um alarme silencioso. Lex está indo na direção de vocês", Chloe alertou.

Oliver engoliu em seco, rapidamente pesando suas opções. O cofre estava cheio de coisas e demoraria até encontrar a caixa espelhada, mas sabia que não podia deixar Lex vê-lo. "Você tem que impedi-lo de chegar aqui", disse a Clark.

Clark arregalou os olhos. "O que eu devo fazer?" ele perguntou.

"Eu não sei, use a imaginação", Oliver respondeu. Ele entrou no cofre e começou a mexer nas coisas enquanto procurava pela caixa. Quando viu Clark ainda parado, Oliver olhou feio para ele por sobre o ombro. "Vai!"

O outro homem olhou feio de volta e desapareceu num borrão. Oliver ouviu um barulho alto e segundos depois Clark estava de novo em sua frente. "Eu o atingi na cabeça com um vaso. Não sei quanto tempo ele vai ficar apagado", disse nervosamente.

Oliver teve que sorrir ao ver a expressão no rosto dele. Era uma mistura de horror e um pouco de orgulho. "Ainda há esperança pra você", ele brincou antes de voltar sua atenção às prateleiras.

"É bom andar logo", Clark disse. Ele olhou para a porta como se esperasse Lex entrar a qualquer segundo.

Oliver revirou os olhos, mas decidiu não falar nada. Em vez disso, concentrou sua atenção nos itens do cofre, deixando obras de arte e peças de herança de lado em busca da caixa prateada.

Ele a encontrou alguns minutos depois, suspirando aliviado enquanto a pegava da prateleira. Oliver ainda não tinha certeza de como havia parado ali, mas não estava preocupado com isso. Tudo que queria era voltar para sua realidade e para Chloe.

"Tudo bem, cara, faça sua mágica." Oliver entregou a caixa para Clark.

"Dê-me um minuto", Clark respondeu. Ele estudou os símbolos na caixa espelhada, girando-a em suas mãos. "O livro explicava que eu preciso ter certeza de que o alinhamento está correto para que você vá para a realidade certa."

Oliver assentiu, tensão aumentando em seus ombros ao pensamento de ir parar na realidade errada e ter que passar por tudo aquilo de novo. "Sem pressa", disse.

"Achei", Clark disse. Ele começou a girar a caixa, mas Oliver estendeu a mão e segurou a de Clark.

"Espera, antes de fazer isso, eu preciso garantir que você tire o outro Oliver daqui quando trocar de lugar comigo. Leve-o até Chloe não importa o que aconteça", Oliver insistiu. Ele não fazia ideia de como o outro Oliver reagiria quando se descobrisse na mansão Luhtor com Clark.

"Eu levo", Clark prometeu.

"Ótimo, vamos fazer isso", Oliver respondeu. Ansiedade fazendo seu coração martelar contra o peito enquanto observava Clark, silenciosamente rezando para que ele soubesse o que estava fazendo.

Clark girou a caixa espelhada até a combinação certa e rapidamente a jogou para Oliver enquanto ela começava a brilhar. Oliver a agarrou e o mundo começou a girar de novo. Ele percebeu que estava de fato se movendo, seu corpo girando numa velocidade alarmante. De repente, ele parou de girar e começou a ouvir vozes familiares ao seu redor.

"O que você disse?"

"Victor, não!"

"Acerte ele, Microchip!"

"Para!"

"O baixinho está certo. Acerta ele!"

Oliver piscou. Demorou um segundo para perceber seus arredores e sua mente lentamente registrou que estava na roupa de Arqueiro Verde e seus braços estavam presos para trás. Antes que pudesse se sentir aliviado em estar na Watchtower, viu Victor se aproximando com um olhar furioso. Ele rapidamente jogou seu peso para o lado fazendo a cadeira cair meros segundos antes do punho de Victor quase acertar sua mandíbula.

"Chloe!" Oliver gritou. De sua posição no chão, ele podia vê-la perto do computador central. "Chloe, preciso de você!" ele gritou enquanto Victor se voltava em sua direção.

"Não fale com ela", Lois disparou. Ela se moveu para bloquear sua visão. "Victor, levante-o e bata nele", ela encorajou.

"Espera." Chloe passou por Lois e Victor e se ajoelhou ao lado de Oliver. Ele havia pedido sua ajuda antes, mas havia algo diferente desta vez. Ela inclinou a cabeça para o lado e olhou dentro dos olhos dele. "Ollie." Aliviada, ela jogou os braços ao redor dele, abraçando-o apesar do ângulo estranho.

"Ei, Sidekick", Oliver respondeu. Ele virou a cabeça e deu um beijo em seu cabelo enquanto lutava contra as cordas, desesperado para finalmente poder abraçá-la. "Alguém pode me ajudar a abraçar minha namorada?"

"Temos certeza de que é ele?" Bart perguntou desconfiado. Ele cruzou os braços sobre o peito e olhou para Oliver. "Talvez seja bom bater nele só pra ter certeza", ele sugeriu.

Oliver revirou os olhos e Chloe levantou a cabeça e olhou feio para Bart. "É ele", disse firmemente. "AC, ajude-o."

"Desculpe por isso, Ollie", AC disse envergonhado. Ele se ajoelhou e rapidamente o desamarrou. "O outro Oliver era insuportável", explicou.

"Ouvi dizer", Oliver respondeu secamente. Assim que ficou livre da cadeira, ele se sentou, puxando Chloe ainda mais perto e passou os braços ao redor dela. "Deus, senti sua falta." Ele enterrou o rosto no cabelo dela, sentindo o familiar cheiro do xampu.

"Eu também senti sua falta", Chloe respondeu. Ela apertou os braços ao redor dele, não querendo soltá-lo de novo. Ele havia ficado fora menos de um dia, mas parecia muito mais tempo depois de todos aqueles meses separados.

Clark deu um passo a frente, pegando a caixa espelhada que Oliver havia derrubado quando a cadeira virou. "Você está bem?" perguntou.

"Sim", Oliver respondeu. Mantendo os braços ao redor de Chloe, ele se levantou, puxando-a junto. "Ficarei ainda melhor quando você se livrar dessa coisa de uma vez por todas", ele disse.

"Já era hora de você voltar, Queen", Lois disse. Sorrindo, ela abraçou Oliver e Chloe. "O outro você é um saco", ela disse.

Bart deu um tapinha no ombro de Oliver. "Sério, Chefe, não nos deixe de novo. Eu sei que você nos dá alguns gritos de vez em quando, mas o outro cara era louco", ele reclamou.

"Eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas Bart está certo", Victor concordou. Ele sorriu para Oliver. "Eu prefiro você ao outro você sem pensar duas vezes."

"Estou emocionado, de verdade", Oliver respondeu. Ele abraçou Chloe mais forte quando ela descansou a cabeça em seu peito e sorriu para seus amigos. "Na verdade, as outras versões de vocês o odeiam também e a mim por consequência, então é muito bom ver vocês também", admitiu.

Chloe se afastou lentamente, mantendo as mãos nos braços dele enquanto o olhava. "O outro Oliver disse que e a última coisa de que se lembrava era de estar em Star City. Você estava lá também?" perguntou.

Oliver assentiu. "Acordei no meu carro, no estacionamento da Queen Industries." Ele deu a seus amigos um resumo de seus encontros com Lois, AC, Bart e finalmente Chloe. "Demorou um tempo para conseguir conversar com ela, mas quando consegui, nós dois e Lois voamos para Metrópolis e encontramos Clark. Invadimos a mansão Luthor, pegamos a caixa espelhada e vocês sabem o resto", ele finalizou.

"Estranho", AC disse. Ele sorriu para Oliver. "Pelo menos agora eu entendo porque o Oliver ficava me dizendo que eu deveria protegê-lo. Avise se precisar de um guarda-costas, Chefe", ele brincou.

"Engraçadinho", Oliver respondeu. "Por que você não continua com seu emprego diurno, Isca de Peixe?", ele sugeriu.

AC deu de ombros. "A oferta está feita. Agora eu preciso voltar para Miami. Bem-vindo de volta, Ollie", ele acrescentou antes de ir para a porta.

"Acho melhor irmos também", Clark disse. "Eu quero voltar para a fazenda e me livrar disto." Ele estendeu a mão para Oliver. "Desculpe por tudo isso."

Oliver revirou os olhos enquanto apertava a mão de Clark. "Não é culpa sua", disse. "Bart foi quem pensou que era um cubo mágico."

"Não pensei", Bart respondeu defensivamente. "Achei que era um quebra-cabeça."

"O cubo mágico é um quebra-cabeça, Baixinho", Victor disse.

"Ninguém pediu sua opinião, Hard Drive", Bart respondeu.

Oliver revirou os olhos e se inclinou contra Chloe, roçando o nariz no dela. "O que você acha de irmos embora daqui?" perguntou baixinho.

Ela sorriu pra ele. "Acho que é uma boa ideia. Mas você precisa se trocar primeiro", sugeriu. Ela pegou as roupas do sofá e entregou a ele.

"Como o outro Oliver reagiu ao uniforme?" perguntou.

"Nada bem", Chloe respondeu. "Ele pensou que tudo era parte de um plano orquestrado por Tess para ferrar com ele. Acho que você sabe que eles são casados", ela disse.

Oliver fez uma careta. Havia pulado esse detalhe propositalmente quando resumiu o que havia acontecido na outra realidade. Deduziu que como Tess não estava na Watchtower, havia uma chance do outro Oliver não ter mencionado o assunto. "Sim, mas é um acordo de negócios para tirar o controle da LuthorCorp das mãos de Lex. Tess detesta Oliver tanto quanto as outras pessoas", ele disse.

Chloe segurou o rosto dele. Ela podia ver que o incomodava a opinião dos outros em relação ao outro Oliver. "Sabíamos que ele não era você, Ollie. Mas acabou agora. Eles vão continuar a vida no mundo deles e nós vamos fazer o mesmo aqui. Juntos", ela acrescentou.

Ele não disse nada por um momento enquanto refletia sobre o conselho que havia dado a outra Chloe. Não tinha ideia se ela iria ou não segui-lo, mas realmente desejava que ela o fizesse. Sabia que Chloe estava certa, no entanto. Ele estava de volta e era hora de seguir em frente. "Vou me trocar para irmos embora." Oliver pegou as roupas e foi para o banheiro.

Chloe franziu a testa, observando-o se afastar e se perguntou o que não havia entendido. Um barulho alto chamou sua atenção e ela se virou para ver Victor e Bart brigando no chão enquanto Lois incentivava a briga. Clark tentou afastar Lois e Chloe ia tentar separar a briga, quando Oliver voltou e passou o braço ao redor da cintura dela.

"Vamos, Sidekick", ele disse enquanto a levava até as portas duplas e dali direto ao elevador.

"Ollie, talvez devêssemos..."

Oliver segurou o rosto dela em sua mãos, parando a frase com um beijo. Levemente surpresa, ela passou os braços ao redor dele, retribuindo o beijo.

Ele só se afastou quando sentiu os pulmões começarem a queimar. Arfando, Oliver descansou a testa contra  dela. "Desculpe, Sidekick, você estava dizendo alguma coisa?" ele brincou.

Chloe deu risada. "Nada importante." Ela ficou na ponta dos pés e deu outro beijo nos lábios dele. "E você? Antes de se trocar, você parecia chateado", disse.

"Eu só estava pensando em algo que disse a outra Chloe", Oliver respondeu. Ele roçou o nariz no dela, antes de beijá-la suavemente. "Disse pra ela encontrar um jeito de fazer Oliver acordar." Ele deu um beijo em sua mandíbula. "Até sugeri que ela utilizasse o método do cão raivoso e do caminhão." Ele moveu a boca até o pescoço dela.

Chloe emaranhou os dedos no cabelo dele, inclinando a cabeça para lhe dar mais acesso. "Ollie, eu sei que sua intenção foi boa, mas ele não é você. Como você pode ter certeza de que ele quer ser salvo?" ela perguntou.

Oliver se afastou levemente para que pudesse encontrar seus olhos. "Ele ainda é Oliver Queen, Sidekick e acho que isso significa que ele pertence a Chloe Sullivan mesmo que ela precise chutar o traseiro dele primeiro", respondeu.

Chloe sentiu o coração pular e pressionou os lábios contar os dele. "Eu te amo", disse.

"Eu te amo", Oliver respondeu. As portas do elevador se abriram e ele passou os braços ao redor dela enquanto saíam do prédio. "Se eu me lembro bem, você concordou em dizer que está doente amanhã."

Chloe o abraçou com força. "Concordei. Na verdade, acho que pode ser alguma coisa que dure alguns dias", disse.

Oliver sorriu. "Acho que você está certa."

Fim.
 
 
__________________________________________

Próxima história: THEY GOT WHAT YOU NEED

_____________________________________________________________________________
 

4 comentários:

  1. Nem sei como começar a me desculpar pela demora...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, essa história fez bastante sucesso e a autora transformou em um Universo. Então há outras histórias que compõem este universo e que eu pretendo postar aqui, ok? Só não posso prometer nada quanto ao tempo que terei pra traduzir, mas farei o meu melhor, prometo!!! <3333333

      Excluir
  2. Oh, Sofia!! \o/

    Nossa, como me sinto grata por você continuar, mesmo o ritmo não sendo como o de antes que maravilha saber que mais postagens virão... e melhor ainda saber que esse universo continua...

    Muito, muito obrigada!! :D

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. GIL, que bom que ainda está por aqui!!!!! Esse universo é muito legal. Há muito tempo eu queria traduzir e postar. Chegou o momento, finalmente. <3333

      Excluir

Google Analytics Alternative