22.9.17

Everybody Loves Me (3/4)

 
 
Resumo: Um pouco de Chlollie no episódio Luthor, em que Oliver vai parar em outro mundo onde ele não está com Chloe e ela o odeia.
Classificação: PG-13
Anteriores: 01 :: 02


 
III - Feel Just Like I Don't Try
 
 
"OLIVER!"

Chloe sentiu o sangue gelar quando ouviu o grito de Clark pelo comunicador. "Escoteiro, status", exigiu. Ela olhou para as imagens inúteis da câmera de segurança que só mostrava o corredor do lado de fora do apartamento de Lionel e não dava nenhuma pista do que estava acontecendo lá dentro.. "Escoteiro", ela repetiu quando ele não respondeu.

Ele não respondeu novamente e Chloe se forçou a respirar fundo. "Arqueiro, responda", ela chamou. Seu peito apertou quando não ouviu nada do outro lado. Oliver não a ignoraria a não ser que algo estivesse muito errado. Sua mão tremeu enquanto buscava o botão no console que a permitira acessar todos os comunicadores de uma vez. "Alguém me diga o que está acontecendo imediatamente", ela ordenou.

Uma rajada de vento atravessou a sala e Chloe rapidamente se afastou do computador, olhos arregalados quando viu Clark colocando Oliver no sofá. "Ollie!" Chloe correu até seu lado, mas Clark estendeu o braço, impedindo-a de se aproximar. "O que você está fazendo?" Olhando feio pra ele, Chloe tentou tirá-lo de seu caminho.

Clark não cedeu, as mãos segurando os ombros dela. "Ele está inconsciente, Chloe, mas não está ferido", ele insistiu.

Chloe franziu a testa, tentou novamente passar por Clark. "Eu preciso ver por mim mesma", ela pediu.

Ele hesitou, olhando por sobre o ombro para o homem no sofá, antes de se voltar para Chloe. Os olhos repletos de incerteza. "Ele pode não ser o Oliver", começou.

"Do que você está falando?" Chloe olhou ao redor de Clark. O capuz do uniforme do Arqueiro Verde estava puxado para trás e ele não estava usando óculos. A não ser que seus olhos estivessem lhe enganando, Chloe podia ver que era Oliver deitado no sofá e ela não entendia porque Clark estava tentando mantê-la longe dele.

Clark segurou seus ombros com mais força. "Chloe, Bart encontrou a caixa espelhada nas coisas de Lionel e ele a ativou antes que eu pudesse impedi-lo. Ele jogou-a para o lado e Oliver acabou pegando", ele explicou.

"Caixa espelhada?" Choe repetiu. Percebendo o que havia acontecido antes que pudesse perguntar o que era uma caixa espelhada. Ela olhou para Clark, olhos arregalados, medo tomando seu estômago. "Você está me dizendo que este é um Oliver diferente e que meu Oliver está preso em outra realidade?" ela perguntou.

"Eu não sei", Clark admitiu. Ele olhou por sobre o ombro para o homem desmaiado no sofá. "Ele definitivamente não é o Oliver que conheci quando fui para a realidade de Lionel. Aquele Oliver era moreno."

Chloe abriu a boca enquanto tentava processar o que estava acontecendo. Oliver poderia estar em um plano de existência diferente e Clark estava falando sobre cor de cabelo. "Por que ele seria moreno? Isso não faz sentido. E não é importante", ela disparou antes que Clark pudesse responder.

Ela olhou para o homem no sofá. Ele certamente parecia com seu Oliver e o desejo de passar os braços ao redor dele e garantir que ele estava bem era quase insuportável. Mas se Clark estivesse certo e ele fosse um Oliver diferente, ela precisaria manter distância e encontrar um jeito de trazer o Oliver certo de volta. Mas não podia deixar de se preocupar. "Tem certeza que ele não está ferido?"

Clark assentiu. "A luz da caixa espelhada derrubou a todos nós, mas Oliver foi o único que perdeu a consciência. Achei melhor trazê-lo pra cá por precaução."

Ele parou de falar, mas Chloe sabia o que ele estava pensando. Se não fosse o Oliver certo, provavelmente seria melhor que ele não acordasse no meio de uma missão. Claro que o uniforme verde também seria difícil de explicar. "O Oliver da realidade para onde você foi era o Arqueiro Verde?" ela perguntou.

"Não sei", Clark admitiu, franzindo a testa. "Ele tinha um plano para parar o outro Clark e sabia sobre kriptonita." Ele olhou para seu próprio uniforme. "Talvez eu devesse ir para casa e me trocar, e dizer aos rapazes para fazerem o mesmo antes de virem para cá. Você fica bem por alguns minutos?" ele perguntou.

"Sim", Chloe respondeu, embora não estivesse nem perto de estar bem e não fosse ficar até saber se o Oliver que amava estava ou não em segurança e na mesma realidade que ela.

"Volto o mais rápido possível", Clark prometeu. Ele olhou para o homem no sofá mais uma vez, desejando que ele realmente fosse seu melhor amigo e não um estranho, e desapareceu da Watchtower.

Suspirando, Chloe deu um passo na direção do sofá, seus olhos procurando algum sinal que pudesse lhe dizer se era ou não seu Oliver que estava ali. Embora Clark tivesse sido cuidadoso com as palavras, ela podia dizer que ele estava esperando o pior. Não podia culpá-lo já que era assim que a vida deles funcionava. Mas ela ainda desejou com toda sua força que aquele Ollie abrisse os olhos e dissesse que não havia nada com o que se preocupar.

Ela sabia que precisavam estar preparados para o pior cenário possível e isso significava tirá-lo do uniforme de Arqueiro Verde. Chloe subiu as escadas até o armário onde os membros da equipe mantinham roupas extras. Ela pegou uma calça jeans de Oliver e uma de suas camisetas e começou a descer as escadas. Ela pediria para Clark trocar a roupa dele quando voltasse, porque se houvesse a menor chance de aquele não ser seu Oliver, a situação seria estranha demais para ela.

Assim que Chloe chegou ao último degrau, ela ouviu um gemido vindo do sofá. Ela viu Oliver se sentar, correndo a mão pela cabeça. Engolindo em seco, ela cruzou a sala até ele. "Ollie?" ela chamou baixinho, seu coração batendo forte contra o peito.

Ele olhou pra cima enquanto continuava a esfregar a cabeça. "Chloe, o que está acontecendo?"

Antes que Chloe tivesse a chance de ficar aliviada que ele soubesse quem ela era, Oliver se mexeu, os olhos arregalando quando viu o uniforme verde que cobria seu corpo. "Que diabos estou vestindo?" Ele virou a cabeça de repente e olhou feio pra ela. "Isso é algum tipo de brincadeira? Onde eu estou?" ele exigiu.

Chloe sentiu o estômago despencar. Ele definitivamente não era Oliver, pelo menos não o Oliver que ela queria, o que significava que seu Oliver estava preso em algum outro lugar e precisavam encontrar um jeito de trazê-lo de volta imediatamente. Mas neste meio tempo, ela precisava lidar com o homem que olhava feio para ela. Não podia deixar de sentir uma dor no peito com o olhar frio que ele lhe dava.

"O gato comeu sua língua?" A voz de Oliver interrompeu seus pensamentos.

"Oliver, eu sei que vai parecer loucura, mas você está em Metrópolis", Chloe começou. Ela não tinha certeza de como deveria explicar a situação. "Provavelmente não é a cidade com que você está acostumado, mas..."

"Metrópolis?" Oliver a interrompeu. "A última coisa de que eu me lembro é de sair do escritório em Star City." Ele estreitou os olhos. "Minha mulher está envolvida nisso?"

"Mulher?" Chloe quase engasgou; de repente sentindo como se alguém estivesse apunhalando seu coração. Ela tentou dizer a si mesma que ele não era o Oliver que ela conhecia e não importava que ele tivesse uma esposa, mas não estava funcionando. "Você é casado?"

Ele olhou como se ela fosse louca. "Tem certeza que você não bateu a cabeça?" Oliver perguntou. Ele se levantou do sofá e se aproximou dela. "Tess? Ruiva insuportável que gosta de te dar ordens? Chloe, o que quer que ela tenha lhe oferecido para fazer isto, eu dobro o valor. Só me diga o que ela está planejando e porque você teve que me trazer aqui", ele disse.

"Tess é sua esposa", Chloe repetiu. Ela correu as mãos pelo rosto, desejando que pudesse acordar daquele pesadelo. Ela se forçou a ignorar a dor em seu peito e se concentrou no problema em suas mãos. "Oliver, Tess não me envolveu em nada." Ela podia ver a ceticismo nos olhos dele e decidiu apenas contar a verdade. "Você veio para cá através de um portal e trocou de lugar com o Oliver que vive nesta realidade, mas vamos resolver tudo", ela disse.

Oliver olhou para ela por um minuto, sem dizer nada e então explodiu numa risada. "Tess realmente foi longe demais. Qual é o objetivo? Vamos, Chloe. Você sabe que vai contar mais cedo ou mais tarde."

"O que te faz ter certeza disso?" Chloe perguntou antes que pudesse se impedir. Ele obviamente pensava que ela era a Chloe de seu mundo e ela não podia deixar de querer saber como eles eram conectados. Ela podia apenas deduzir que ele não era o Arqueiro Verde, a julgar pela sua reação ao uniforme, então não achava que eles trabalhassem juntos em nenhum tipo de projeto do tipo herói/ajudante.

"Sou eu que pago seu salário, pra começar", Oliver disse. Ele deu um risinho pra ela.

Chloe revirou os olhos à expressão arrogante que ele apresentava. Era tão Oliver, mas ao mesmo tempo não era. Ela sabia que se fosse Oliver em sua frente, ela diria algo engraçadinho sobre diminuir o tamanho do ego e ele devolveria dizendo que ela gostava (o que ela negaria mesmo que fosse verdade). Talvez seu cérebro ainda estivesse em choque, mas ela não fazia ideia do que dizer àquele Oliver.

Ele continuou falando; não parecendo se importar com o fato de ela estar calada. "Eu também sei que você não é fã de Tess e teve reservas quando ela veio trabalhar na Queen Industries. Sem mencionar que você me perguntou se eu estava usando drogas de novo quando eu disse que havíamos nos casado." Oliver revirou os olhos. "Então pode tratar de me dizer o que ela disse ou fez para te obrigar a fazer isso e podemos resolver antes que você faça algo do qual se arrependa."

Ela não se importava com o tom de voz que ele usava, mas Chloe se relembrou de que esse não era o Oliver que ela conhecia e ele estava apenas confuso. Ela tinha que manter seu próprio temperamento sob controle. "Oliver, isto não é uma brincadeira", ela recomeçou, incerta do quanto deveria contar a ele.

"Que lugar é este?" Oliver passou por ela, indo até os computadores. "Tudo isto é tecnologia Queen Industries?" Ele olhou pra ela. "É pra cá que você vem quando desaparece? Eu sei que te pago bem, Chloe, mas isto parece caro de mais para o seu salário." Ele estreitou os olhos. "Você tem trabalhado para Tess esse tempo todo?"

"Não", Chloe repetiu. "Eu trabalho para você, mas um você diferente." Ela podia dizer que ele não estava ouvindo enquanto continuava andando pela sala, examinando o equipamento. "Oliver, por favor."

"Eu não sei o que está acontecendo aqui, Chloe, mas não vou ficar para descobrir. Realmente pensei que pudesse confiar em você", Oliver murmurou enquanto ia para a porta.

"Oliver!" Chloe chamou. Ela correu atrás dele, sabendo que tinha que impedi-lo de sair. "Por favor, não vá embora", pediu. Mesmo que ele não fosse seu Oliver, ainda doía vê-lo tão desesperado para se afastar dela.

Ele se virou para ela novamente, com olhos frios. Chloe engoliu em seco, fazendo o melhor para ignorar a dor em seu peito. "O quê?" ele perguntou. "Você tem mais mentiras para me contar? Eu esperava mais de você, Chloe."

"Não é uma mentira, Oliver", Chloe respondeu. Ela podia ver que ele não acredita numa palavra do que ela estava dizendo e não fazia ideia de como deveria fazer para convencê-lo. Sua mente estava tendo dificuldade em lidar com a acusação de traição.

Ele continuou olhando pra ela com frieza enquanto ela lutava para encontrar as palavras certas para explicar tudo. Neste momento as portas se abriram e Bart entrou junto com AC e Victor. Os três homens traziam expressões incertas enquanto olhavam de Chloe para Oliver.

"Está tudo bem, Chefe?" Bart perguntou.

Oliver se virou, surpreso antes de olhar feio para Bart. "Eu sei que você é mal qualificado até para ser entregador, mas quantas vezes tenho que dizer que você tem que me chamar de 'Sr. Queen'?" ele exigiu.

Bart ergueu as sobrancelhas. "Cara", ele murmurou.

Oliver revirou os olhos, mudando sua atenção para AC. "Qual sua desculpa?"

AC franziu a testa. "Como assim?"

"Você é pago para ser meu guarda-costas e ainda assim, de alguma maneira, fui sequestrado por uma loirinha. Você vê o problema ou eu tenho que desenhar?" Oliver perguntou.

Chloe só conseguia olhar enquanto ouvia Oliver tratar mal seus amigos mais próximos. Ele obviamente os conhecia em seu mundo, mas ela não entendia porque parecia odiá-los tanto. Não fazia sentido. Ela vira Oliver em seus piores momentos e ele nunca fora frio assim com ninguém. Não podia deixar de se perguntar porque aquele Oliver era tão mau.

"Bem, acho que isso responde a pergunta sobre que Oliver é este", Victor murmurou. Ele se virou para Chloe, sua expressão mais suave quando viu o horror no rosto dela. "Onde está Clark?"

"Ele deve estar de volta a qualquer minuto", Chloe respondeu. Ela se forçou a se concentrar nisso e não no fato de que não sabia onde seu Oliver estava e se ele estava bem ou não. Clark voltaria logo e ele teria que encontrar um jeito de consertar tudo. Ela não aceitaria nada menos que isso.

Oliver olhou para Victor. "Você também trabalha para mim. Chloe contratou você." Ele estreitou os olhos e mandou outro olhar frio para Chloe. "Ela contratou todos vocês, eu deveria ter imaginado", ele murmurou antes de se voltar para o time. "Estão todos demitidos. Espero que minha mulher esteja pagando bem, porque não vou pagar nenhuma indenização", ele alertou.

"Mulher?", os três homens disseram ao mesmo tempo.

"Tess", Chloe respondeu. Falar em voz alta doía mais do que ouvir Oliver dizer. Ela se virou para se recompor, correndo a mão pelo coração e piscando para segurar as lágrimas.

"Cara, você se casou com a Tess em vez da 'Licious? Seu mundo deve ser estranho", Bart comentou.

"Bart", Victor alertou. Ele assentiu na direção de Chloe. "Tente não piorar as coisas."

Chloe se virou para eles novamente, forçando-se a sorrir para Bart. "Está tudo bem, ele não é o Ollie. Vamos trazê-lo de volta", ela disse, a voz repleta de falsa confiança.

"Eu já cansei desse jogo", Oliver disse. Ele olhou feio para os três homens em sua frente, gesticulando para que saíssem de seu caminho. "Saiam da minha frente", ele ordenou.

"Não o deixem sair!" Chloe gritou.

AC deu um passo e tentou segurar um dos braços de Oliver, mas ele foi mais rápido. Ele se esquivou com facilidade, indo até a porta. Victor entrou em sua frente e Oliver tentou tirá-lo do caminho. Ele arregalou os olhos surpreso quando não conseguiu. Victor pegou um de seus braços e AC pegou o outro e os dois o arrastaram pela sala.

"O que vocês estão fazendo? Eu vou mandar prender os dois por agressão!" Oliver gritou enquanto os homens o empurravam sem nenhuma gentileza contra uma cadeira.

Bart se certificou de que estivesse fora da linha de visão de Oliver antes de desaparecer, voltando em menos de um segundo com uma corda. Ele a entregou a Victor para que pudesse amarrar Oliver à cadeira.

"Vocês não podem fazer isso! Eu sou Oliver Queen!" ele gritou. "Chloe! Chloe, me solte e vou fingir que você não teve nada com isso quando a polícia chegar."

"Talvez devêssemos amordaçá-lo também", AC sugeriu.

"Apenas o observem", Chloe disse. Ela não podia mais aguentar e subiu para o loft, se ordenando a não desabar. Seu Oliver estava em algum lugar e eles precisavam encontrar um jeito de trazê-lo de volta. Ela se sentou em sua mesa e pegou o telefone quando Clark apareceu em sua frente.

"Desculpe", ele disse.

"Dê um jeito", Chloe disparou, a última gota de autocontrole escorrendo pelo ralo. Ela podia ver que Clark estava sentido com seu tom e fez uma nota mental de se desculpar quando tivesse Oliver de volta.

"Eu posso ir até a fortaleza e ver se Jor-El pode nos ajudar", Clark disse. Ele hesitou. "Você vai ficar bem aqui?"

Ela assentiu brevemente. Chloe não queria Clark perdendo tempo preocupado com ela. Ficaria bem assim que tivesse Oliver de volta. "Os rapazes vão ficar de olho no outro Oliver. Rápido, Clark", ela disse.

"Já vou", Clark disse. Ele desapareceu de novo e Chloe foi até seu computador. Não havia nada que pudesse fazer exceto esperar, então talvez trabalhar um pouco ajudasse a tirar sua mente do fato de que Oliver estava desaparecido e o que tinha aparecido em seu lugar estava ameaçando jogar AC e Victor na cadeia por sequestro.

Vinte minutos depois, Lois entrou correndo na Watchtower. Ela arregalou os olhos levemente quando viu Oliver amarrado na cadeira. Victor estava sentado perto do computador enquanto AC e Bart o observavam com desconfiança do sofá.

"E a história só piora", Oliver murmurou.

Lois cruzou os braços sobre o peito e olhou feio de volta para ele. Victor a tinha contado sobre a versão má de Oliver quando ele ligou e pediu que ela fosse até lá tentar distrair Chloe. "Deixe-me adivinhar, eu também trabalho pra você e agora você pensa que eu o traí."

Oliver revirou os olhos. "Eu não tenho nenhum cargo para uma intrometida como você."

"Você é divertido", Lois respondeu. Ela olhou na direção do loft onde deduziu que Chloe estivesse escondida para evitá-lo. Não que pudesse culpar a prima. Ela sabia muito bem como era ter o homem que amava em outra realidade enquanto seu outro eu destruía tudo em seu lugar. Pelo menos Oliver não tinha super poderes e não estava tentando matá-los, apenas os irritava, aparentemente. "Você deveria tentar calar um pouco a boca, colega", ela sugeriu.

"Você deveria tentar não se vestir como uma prostituta se quer que as pessoas te levem a sério como jornalista", Oliver respondeu.

"Como é?" Lois gritou. Quando Oliver deu risada, ela jogou o braço para trás e voltou com o punho contra o rosto dele. Ele falou alguns palavrões enquanto ela se virava e subia as escadas até o loft, onde encontrou sua prima no computador. "Precisamos trazer Ollie de volta porque este aí é um imbecil", ela disse.

Chloe revirou os olhos. Ela ainda conseguia ouvir Oliver gritando e ameaçando processar todos eles. Ela não entendia porque Clark estava demorando tanto na fortaleza, mas sabia que não podia aguentar mais. Ela olhou para Lois e viu a simpatia em seus olhos. "Diga-me alguma coisa que eu não sei", respondeu desanimada.

***

"Já estamos chegando?" Lois choramingou. "Estamos neste carro há quatro horas."

Oliver olhou para ela pelo retrovisor do carro alugado enquanto navegava pelas estradas familiares que levavam a fazenda Kent. "Não faz nem duas horas. Só parece quatro porque você está reclamando o tempo inteiro." Ele girou os ombros, tentando mais uma vez aliviar um pouco da tensão que havia se instalado no momento em que percebeu que o Oliver Queen que todos odiavam estava em sua realidade.

As três horas de viagem até a Metrópolis pareciam uma eternidade. Lois disparava perguntas o tempo todo, tentando descobrir como e porque ele era diferente do Oliver Queen que ela conhecia. Sabendo que ela ainda duvidava dele, Oliver tentava ser o mais paciente possível, mas depois de um tempo cansou e estava distraído pensando em como as coisas estavam em seu mundo e se Chloe estava bem. A Chloe daquela realidade finalmente tivera dó dele e convenceu a prima a deixá-lo em paz por um tempo.

Ele deduziu que seus amigos já soubessem do acontecido. Era bom que Clark estivesse na missão com eles, uma vez que já tinha experiência com aquele tipo de situação e reconheceria os sinais. Mas então, se as opiniões de seus amigos neste realidade fossem consideradas, não demoraria muito a perceberem que estava lidando com um Oliver diferente.

Pelo canto do olho, Oliver notou Chloe observando-o do banco do passageiro. "Alguma coisa errada?" ele perguntou. Tirando o fato de ter controlado Lois, ela estava bem quieta desde que deixaram Star City. Ele sabia que aquilo tudo estava sendo um pouco demais para ela.

"Eu ia te perguntar isso", Chloe admitiu. "Você parece tenso. Bem, muito tenso", ela acrescentou.

Oliver assentiu. Ele obviamente não estava disfarçando bem. Claro, aquela ainda era Chloe, mesmo que não fosse a que ele queria ao seu lado. "Só estou ansioso para voltar", ele disse. Hesitante em fazer as perguntas que o atormentavam, ele manteve os olhos na estrada.

Eles dirigiram em silêncio pelos quilômetros seguintes e Oliver ainda podia ver que Chloe o observava e ele sabia que ela queria que ele dissesse o que estava em sua mente. Ele considerou deixar tudo de lado, mas tinha que saber.

"Como você acha que ele vai reagir quando descobrir o que aconteceu? Ele não é violento, é?" perguntou. Enquanto dizia as palavras, Oliver soube que estava sendo irracional. Mesmo que ele fosse, sabia que Clark e os outros o manteriam na linha.

"Oliver?" Chloe perguntou, sua voz repleta de surpresa. Ela balançou a cabeça. "Não. Ele é difícil e tende a falar demais e provocar as pessoas a discutirem com ele, mas não machucaria ninguém fisicamente." Ela refletiu. "Bem, talvez Lois."

Oliver sabia que ela estava brincando, mas não conseguiu sorrir. Ele olhou para ela de novo, encontrando seu olhar. "Mas ele não machucaria você, certo?" A lembrança da dor que sentira quando Chloe lhe deu um tapa enquanto ele tentava beijá-la ainda estava muito clara em sua mente. Ele não queria que sua Chloe tivesse que passar por aquilo com Oliver.

Chloe pareceu confusa com a pergunta, mas balançou a cabeça novamente. "Acho que você não precisa se preocupar com isso. Conhecendo Oliver como conheço, ele vai só reclamar e achar que alguém está tramando contra ele."

"Ele é só um bastardo mimado", Lois completou. Ela se inclinou para a frente, obviamente sem querer perder nenhum detalhe da conversa dos dois. "Por que você está tão preocupado sobre como ele trata Chloe? Tenho certeza que minha prima é tão dura em seu mundo como é neste."

Oliver sorriu orgulhoso. "Ela definitivamente é", concordou.

"Então qual é o problema?" Lois perguntou desconfiada.

Ele olhou para Chloe de novo. Ela o observava, olhos repletos de curiosidade e ele sabia que ela queria uma resposta tanto quanto Lois. Oliver não queria deixá-la desconfortável, mas sabia que não conseguiria fugir do assunto. "Eu só não o quero chateando minha Chloe. Ela já deve estar muito preocupada com o que aconteceu."

"Sua Chloe?" Lois perguntou. "Sua Chloe querendo dizer a Chloe do seu mundo ou..." Ela parou de falar e ergueu as sobrancelhas, a implicação clara.

"Os dois", Oliver respondeu. Ele se encolheu ao choque no rosto de Chloe. Era bom saber que Lois tinha facilidade em criar situações desconfortáveis em qualquer mundo.

"Uau", Lois disse. Ela se virou para Chloe. "Você sabia que seu outro eu estava com ele?"

"Não", Chloe respondeu. Ela olhou para Oliver. "Você disse que vocês se conheciam bem, mas não passou pela minha mente que fosse dessa maneira."

"Por que passaria?" Lois perguntou antes que Oliver pudesse responder. "Já é ruim suficiente que você continue trabalhando para aquele imbecil, mas já imaginou deixá-lo tocá-la? Nojento", ela disse.

Oliver olhou feio para ela pelo retrovisor. "Sério?"

Lois revirou os olhos e se recostou no assentou. "Você pode parar de levar as coisas de modo tão pessoal? Você também me irrita assim na sua realidade?"

Ele teve que sorrir. "Sim, o sentimento é recíproco." Oliver viu-a dar um risinho antes de se virar para a janela. Ele voltou sua atenção para Chloe. "Desculpe não ter dito nada. Eu achei que você já estava com muita coisa na cabeça."

Chloe lhe ofereceu um pequeno sorriso, mas ele podia ver que ela estava desconfortável. "Está tudo bem. Dois mundos diferentes, certo?" Ela se voltou para observar a janela também.

Ótimo, Oliver pensou. A tensão no carro de repente começou a pesar. Ele pisou fundo no acelerador. Quanto mais cedo chegassem ao destino, mais cedo poderia voltar à sua realidade. Ele precisava desesperadamente que aquilo tudo terminasse.

Dez minutos depois, ele estacionou em frente à fazenda. Desligou o carro, mas não fez nenhum movimento de sair do carro. Agora que tinham chegado, ele não estava exatamente certo se daria certo. Ele ficou perturbado pelo fato de Chloe e Lois não conhecerem Clark em seu mundo. Se aquele Clark fosse parecido com o que ele conhecia, ele não ficaria feliz em ter três estranhos que sabiam de seu segredo aparecendo em sua porte.

"Você vai ficar esperando um convite formal para entrar?" Lois perguntou. "Por que estamos sentados aqui?"

Oliver encontrou seu olhar pelo retrovisor, nada surpreso em ver a irritação familiar no rosto dela. Paciência nunca foi o ponto forte de Lois e aquela parecia ter ainda menos que a Lois de seu mundo. "Eu não tenho certeza de como ele vai reagir", ele admitiu.

Chloe finalmente se virou da janela para olhar para ele. "Você disse que vocês dois são amigos em sua realidade. Você deve saber o jeito certo de falar com ele", ela disse.

"Somos bons amigos agora, mas demorou muito para chegarmos a este ponto", Oliver admitiu. Ele se recostou no banco, desejando que tivesse pensado melhor sobre aquele plano. Ele não pensou duas vezes antes de compartilhar o segredo de Clark com Chloe e Lois, mas estava começando a se perguntar se seria melhor se tivesse ido sozinho.

"Bem, só tem um jeito de saber", Lois anunciou. Ele abriu a porta e saiu do carro antes que Oliver tivesse tempo de reagir.

"Ela está certa", Chloe disse. "Esperar não vai facilitar as coisas." Ela ofereceu a Oliver um breve sorriso e abriu a porta.

Oliver assentiu e a seguiu até a varanda onde Lois já estava batendo na porta. Que foi aberta segundos depois por um claramente irritado Clark. Ele olhou de Lois para Chloe, seus olhos arregalando quando viu Oliver parado atrás delas.

"Estão perdidos?" ele perguntou incerto.

"Pode-se dizer que sim", Oliver respondeu. Clark pareceu ainda mais confuso com sua presença e ele só podia deduzir que isso se devia a seu status de 'celebridade'. "Já nos conhecemos?" ele perguntou. Talvez houvesse outro lado daquele Oliver afinal.

"Não pessoalmente, mas todo mundo conhece Oliver Queen", Clark respondeu.

"Certo", Oliver murmurou desapontado. Parecia que teria que seguir pelo caminho mais difícil.

"Ele não é quem você está pensando." Lois disse. "Você deveria estar feliz por não conhecer aquele cara. Vai nos convidar para entrar ou vamos ficar aqui o dia todo?" ela perguntou.

Clark ergueu as sobrancelhas ao tom. "Quem é você?"

"Lois Lane. Esta é minha prima Chloe Sullivan e você já conhece a outra versão de Oliver Queen. Você é Clark Kent. Sério, agora que já brincamos de adivinhar os nomes, podemos entrar?" Lois perguntou novamente.

Oliver se divertiu com o jeito que Clark olhava para Lois como se ela fosse louca. Ele estava tão acostumado a Lois e Clark estarem apaixonados que quase tinha esquecido de como as coisas eram antes deles ficarem juntos. Ele olhou para Chloe e podia ver que ela estava tentando não rir do olhar no rosto de Clark.

"Como vocês sabem quem eu sou?" Clark perguntou.

Chloe deu um passo a frente. "Eu sei que vai parecer loucura e é uma longa história, mas..."

Lois acenou para sua prima. "Por que você está enrolando?" Ela se virou para Clark. "Oliver aqui estava brincando com alguma joia alienígena e foi trazido para esta realidade, e o idiota com quem estamos acostumados está na realidade dele e ele está preocupado que ele chateie sua namorada que é minha prima, mas não a versão da minha prima que está aqui. Enfim, ele precisa da sua ajuda para voltar, uma vez que você é um alienígena e sabe como essas coisas funcionam."

"Lois!" Chloe sibilou.

"O quê?" Lois perguntou. "É a verdade."

Clark arregalou os olhos. "Eu..." Ele murmurou, claramente chocado. "Como vocês sabem disso?" ele perguntou.

Suspirando, Oliver abaixou a cabeça. Ele deveria ter ido sozinho. Ou pelo menos ter impedido Lois de acompanhá-los. Melhor ainda, ele não deveria ter saído da cama no dia anterior. Ele silenciosamente xingou Lionel Luthor e toda a tecnologia alienígena do mundo. "Você e eu somos amigos em meu mundo. Bons amigos", ele acrescentou. "Eu sei sobre seus poderes. Podemos entrar?"

"Acho melhor", Clark disse. Ele abriu espaço para todos entrarem em sua casa. Fechando a porta em seguida, ele gesticulou para que eles o seguissem até a cozinha. "Vocês todos sabem sobre mim?" ele perguntou.

"Não se preocupe, não vamos contar para ninguém", Chloe garantiu. Ela cutucou Lois.

Lois revirou os olhos. "Você quer que eu jure? Eu sei guardar segredo." Ela pegou uma maçã do balcão e se sentou à mesa.

Clark apenas balançou a cabeça e se sentou na frente dela. Ele olhou para Oliver enquanto ele e Chloe tomavam as cadeiras restantes. "Talvez seja melhor você começar do começo", sugeriu.

Oliver explicou tudo para Clark. Explicou sobre a caixa espelhada e a troca de lugares com o Oliver que vivia naquela realidade. Ele fez um resumo sobre seu dia e como havia sido estranho encontrar diferentes versões das pessoas que conhecia. Lois sentiu necessidade de interromper e pontuar mais uma vez que ele estava namorando Chloe em sua realidade e Chloe olhou feio para ela, e Oliver deduziu que ela a tinha chutado sob a mesa porque Lois deu um grito e então ficou em silêncio.

Clark ouviu, sem dizer nada. Oliver não fazia ideia do que ele estava pensando, mas sabia que não tinha opção além de colocar todas as cartas sobre a mesa e esperar pelo melhor. "Eu imagino que você conheça Lex Luthor." Ele parou, curioso em ver como Clark reagiria. Ele sabia que Clark e Lex haviam sido amigos por um tempo em seu mundo e não tinha certeza se o mesmo acontecera ali.

"Eu o conheço", Clark respondeu secamente. "Ele causa muitos problema aqui", disse.

"Porque ele é o mal em pessoa", Lois murmurou.

Clark olhou para ela brevemente antes de se voltar para Oliver. "O que Lex tem a ver com isto?" perguntou.

"Em minha realidade, a caixa espelhada estava em posse de Lionel. Clark a destruiu depois de voltar de uma outra realidade, mas Lionel tinha outra, e é por causa dela que vim parar aqui. Não estava comigo quando acordei, então preciso ir até a mansão Luthor e procurar por ela. É aí que você entra", Oliver explicou.

Clark franziu a testa. "Não tenho certeza de porque você precisa da minha ajuda. Você não é casado com a irmã de Lex?" ele perguntou.

Oliver se encolheu ao pensamento. "O Oliver daqui é, mas ele e Lex se odeiam tanto que não vejo Lex o recebendo de braços abertos. Além do mais, eu preciso da sua ajuda para ativá-la", ele disse. Não era exatamente um expert em ler símbolos kriptonianos e a última coisa que queria era acabar na realidade errada de novo.

Clark ainda tinha a testa franzida. "Você está falando em invadir a casa de Lex e roubá-lo", ele disse.

Oliver se forçou a não revirar os olhos ao senso moral de Clark. Mais uma vez, algumas coisas obviamente não mudavam, não importava qual fosse a realidade. "Não é tão preto no branco. Tecnicamente, a caixa espelhada pertence a você. Jor-El a mandou para cá para mantê-la em segurança e Lionel colocou as mãos nela."

"Você sabe sobre Jor-El?" Clark perguntou.

"Sim", Oliver respondeu. "Olha, eu sei o quanto tudo isso parece loucura e se você aparecesse na minha porta assim, eu também ficaria confuso. Mas vamos lá, cara. Esta não pode ser a coisa mais estranha que você já viu em sua vida."

Clark ficou em silêncio novamente, tentando processar tudo.

"Certo, Fazendeiro, sabemos que você é o Borrão Azul e Vermelho. Ajudar as pessoas não é seu forte?" Lois perguntou. "Oliver precisa da sua ajuda e eu posso já garantir que nenhum de nós vai embora até você concordar em ajudá-lo, então vamos logo com isso."

"O Borrão Azul e Vermelho é só um nome que a imprensa inventou", Clark respondeu defensivamente. "Eu não me chamo de Borrão Azul e Vermelho", ele insistiu.

"Todos os super-heróis precisam de codinomes", Lois respondeu com desdém. "Quanto tempo você acha que vai precisar para se convencer? Eu tenho o dia todo, mas vou precisar comer algo mais que esta maçã. Você tem algum donuts?"

Clark apenas a encarou por um momento antes de se voltar para Oliver. "Eu vou te ajudar", ele disse. "Eu tenho um livro de símbolos kritponianos no celeiro. Já volto."

"Espera." Lois se levantou e o seguiu até a porta. "Deveríamos conversar sobre seu guarda-roupa. Tem algum motivo especial para o vermelho e azul?" ela perguntou.

Chloe balançou a cabeça enquanto os observava. "Acho que seria melhor segui-los e bancar o juiz", ela disse enquanto se levantava.

"Eles também são assim em minha realidade", Oliver disse. Ele também se levantou, mas não fez menção em segui-los. Se eles eram como os que ele conhecia, amariam cada minuto juntos e jamais admitiriam.

Chloe ergueu uma sobrancelha. "Estou surpresa que eles não tenham se matado em seu mundo." Ela refletiu. "Na verdade, estou surpresa que as pessoas ao redor deles não os tenham matado. Eles brigam assim o tempo todo?"

"Brigaram por um tempo, mas estavam só mascarando os sentimentos", Oliver disse. "Eles estão noivos agora."

"Sério?" Chloe deu risada. "Mal posso esperar para contar a Lois."

Sua óbvia diversão o fez sorrir. Era bom vê-la relaxar depois da tensão no carro. "Obrigado por fazer isso", ele disse. "Sei que pedi muita coisa."

"De nada", Chloe respondeu. Ela sorriu para ele. "Eu sei o quanto você está ansioso para voltar para sua realidade e sei que seus amigos estão ansiosos para se livrar de Oliver."

"Sim, sobre isso", Oliver começou. Ele sabia que provavelmente era a última vez que ficaria sozinho com Chloe e era sua única chance de dar a ela um conselho que ela não queria. "As coisas ficarão estranhas quando o outro Oliver voltar devido a tudo que você sabe e seja lá o que ele descubra em meu mundo", ele disse.

Chloe assentiu. "Tenho certeza que Oliver vai dizer que tudo não passou de um pesadelo e vai fingir que nada aconteceu", ela disse.

"Ele provavelmente é bom nisso", Oliver concordou. Ele colocou as mãos nos bolos, de repente sentindo-se estranho de novo. Não havia modo delicado de falar e ele sabia que Chloe provavelmente gostaria que ele falasse logo o que estava em sua mente. "Olha, eu sei que o cara parece um idiota com nenhuma qualidade que o redima, mas o que ele realmente precisa é de um chute no traseiro", ele disse.

Chloe deu um risinho. "Vai precisar de alguns", ela respondeu.

"E precisa ser de você", Oliver disse. Ele viu a surpresa nos olhos dela, mas continuou falando antes que ela tivesse a chance de dizer alguma coisa. "Você é a única pessoa que pode ajudá-lo, Chloe. Ele vai te ouvir."

Chloe balançou a cabeça. "Você está se confundindo, Oliver. Eu sei que você e Chloe têm um bom relacionamento em seu mundo, mas Oliver e eu não temos. Eu não tenho nenhum controle sobre ele", ela insistiu.

"Eu discordo", Oliver argumentou. "Ele obviamente valoriza sua opinião ou não teria contratado os rapazes quando você pediu. Ele também não confiaria em você para tomar as maiores decisões pela empresa."

"São só negócios", Chloe disse.

"Os negócios do pai dele", Oliver a corrigiu. "Chloe, ele ainda sou eu ou eu sou ele ou seja lá de que forma você prefira, mas de qualquer jeito, eu sei como a mente dele funciona. Ele nunca superou a perda dos pais e está determinado a se autodestruir porque acha que não vale nada. Acredite em mim, eu estive lá e talvez estivesse ainda se não tivesse feito escolhas diferentes."

Chloe ficou em silêncio por um momento. "Eu nem saberia por onde começar", ela disse.

Ele sorriu, satisfeito em ver que ela estava pelo menos considerando a ideia. Se ele conhecia Chloe, ela iria adiante. Era quem ela era. "Eu recomendaria um caminhão e um cão raivoso."

Ela franziu a testa em confusão. "O quê?" ela perguntou.

"Você vai encontrar um jeito", Oliver disse confiante. "Eu vou lá ver porque Clark está demorando." Ele queria dar a Chloe alguns minutos para pensar sobre o que ele havia dito.

"Como pode ter tanta certeza?" Chloe falou.

Oliver parou na porta, virando-se para ela novamente. "Porque eu sei, sem sombra de dúvida, que Oliver Queen e Chloe Sullivan pertencem um ao outro em todas as realidades."

_________
QUATRO

________________________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Impressionada como Lois continua sendo tão Lois em qualquer realidade rsrs .

    Pobre Chloe, que barra não foi ouvir do próprio Oliver que Tess é sua esposa... e o Oliver, que amor, como não se encantar com a convicção com que ele afirma que Chloe e Oliver pertencem um ão outro em todas as realidades... *-*

    Encantada, Sofia!!

    GIL

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative