27.7.13

Silver Lining (5/17)

TítuloLado Bom
Resumo: Lois e Clark apresentam Chloe e Oliver quando os dois estão lidando com muita coisa em suas vidas. Completamente AU. Sétima temporada.
Autoraschloeas e dl_greenarrow
Classificação: NC-17
Nota das Autoras: Feliz Aniversário ao Chlollie4ever! Vocês têm sido maravilhosos apoiadores das nossas histórias e o trabalho que vocês fazem compartilhando-as através das traduções é incrível. Obrigada por manter o amor por Chlollie vivo e esperamos que vocês tenham mais aniversários por vir!
Anteriores01 :: 02 :: 03 :: 04




Oliver atravessou o escuro corredor, botas silenciosas no piso enquanto se movia. Ele tinha quase certeza que estava na instalação certa, se o cheiro de medicamentos dizia alguma coisa. Lex estava usando o lugar como laboratório para seus experimentos. O que significava que Oliver precisava descobrir o que exatamente ele estava fazendo, o porquê e como colocar um ponto final. O que ele não contava era com a segunda rodada de alarmes. Nos quais ele tinha acabado de tropeçar. Merda.

Enquanto o alarme soava, do lado oposto do prédio, Chloe também paralisava. Clark deveria estar lá com ela, ele a tinha levado junto pra dar uma olhada em alguns arquivos que pensou que pudessem ajudá-los a descobrir mais sobre a próxima rodada de experimentos de Lex e também descobrir se Lex sabia alguma coisa sobre o próprio Clark. Mas houve uma emergência e Clark partiu para ajudar pessoas que ele ouviu pedindo ajuda. Ela só esperava que ele já estivesse de volta. "Clark!" Ela chamou, mas não gritou enquanto arrumava o equipamento e esperava os arquivos serem copiados com mais rapidez para seu flash drive.

Aparentemente Oliver teria que fazer desta uma sessão rápida de aquisição de informações. Ele entrou em uma sala, paralisando quando viu a loira familiar do outro lado. Que diabos Chloe estava fazendo ali?

Ela estava prestes a sair quando viu o movimento pelo canto dos olhos, mas quando se virou pra ver o que era, paralisou novamente. Ela nunca o tinha visto, nunca tinha visto fotos dele, apenas desenhos de como se acreditava que ele era. "Arqueiro Verde?" Ela arfou, olhos arregalados.

"Você precisa sair daqui", ele apressou-a, indo mais uma vez para a porta.

Chloe olhou para o computador, seu coração acelerado. "Está quase terminando", ela disse a ele, sabendo que ele roubava coisas de vez em quando, ela não pensou que ele fosse impedi-la de roubar informações dos Luthors.

"Os guardas estão vindo", ele avisou, indo para o corredor, corpo tenso.

"Eu tenho reforço", ela disse enquanto ele se afastava, virando-se para o computador enquanto pegava o telefone para ligar para Clark.

Ele tinha quase certeza que sabia quem era o reforço, e naquele momento, ficou muito feliz por ser Clark a interromper seu trabalho.

Quando Clark respondeu com um 'estou a caminho', Chloe desligou o telefone e voltou-se para o computador, prendendo a respiração enquanto observava o progresso da barra na tela. Assim que ficou verde, ela tirou o flash drive e o guardou dentro da bolsa, voltando pelo caminho de onde vieram, desejando que fosse rápida o suficiente.

Oliver acertou um dos guardas no rosto, satisfeito quando o homem caiu no chão. Ele passou por ele em direção ao outro que vinha a seu encontro.

Chloe não estava muito atrás, correndo pelo corredor, ela olhou por sobre o ombro, mas parecia que os guardas estavam ocupados seguindo o Arqueiro Verde, então tudo que ela tinha que fazer era ficar pra trás. Ela podia ouvi-los gritando entre eles e soava como se uma briga estivesse começando. Seu coração que já batia rápido pulou uma batida completamente quando ouviu um tiro.

Naquele momento, Clark apareceu em sua frente, pegando-a. Antes que ela tivesse a chance de dizer alguma coisa, ele a tirou dali e a levou para a fazenda. "Está tudo bem?" ele perguntou ansioso.

Ela arfou e olhou pra ele assentindo. "Volta, o Arqueiro Verde estava lá, eu ouvi um tiro", ela disse com urgência.

Clark arregalou os olhos e então desapareceu. Segundos depois, ele retornou, carregando o homem em couro e depositando-o no chão.

Momento em que, Oliver prontamente vomitou tudo que tinha comido naquele dia.

Chloe arregalou ainda mais os olhos enquanto observava o homem, especialmente porque viu sangue pingando de seu braço. "Ele está ferido", ela disse a Clark, hesitando antes de se aproximar.

"Eu vou preparar os curativos", Clark disse, entrando em casa.

Vagamente Oliver registrou o som da voz dela e depois de se recuperar do vômito, ele pressionou as costas da mão na boca. "Odeio quando ele faz isso", resmungou.

Ela franziu a testa às palavras e levou uma mão até seu braço ferido. "Você precisa se sentar", ela disse, sentindo-se culpada por ele ter se ferido. Embora ele não estivesse sangrando muito.

Ele virou a cabeça pra ela, o capuz e os óculos ainda escondendo seu rosto. "Provavelmente", ele concordou.

"Aqui." Ela o conduziu até um pequeno banco do lado da janela da sala, mas ela estava muito preocupada com o braço dele pra prestar atenção a seu rosto. "Parece que foi só um tiro de raspão", ela disse, tentando confortá-lo.

Ele ficou em silêncio por um momento, observando-a examinar seu ferimento. Sem aviso, ele tirou o capuz.

Chloe se afastou ao movimento repentino, seus olhos arregalando de novo quando o viu tirar o capuz. "O que você-" ela parou, olhando pra ele por todo um momento. "Oliver?"

Ele tirou os óculos e ergueu as sobrancelhas, oferecendo-a um pequeno e de certo modo, divertido sorriso. "Ei."

"Oh", ela arfou, apertando os lábios. Fazia sentido, ela suspeitava que ele fosse um vigilante e então para Clark trazer alguém para sua casa daquele jeito. "Você está bem?"

Oliver assentiu levemente, mantendo os olhos nela e tentando avaliar sua reação. "Sim. Como você disse, foi só de raspão", ele disse. "Você está bem?"

"Sim", ela sussurrou, finalmente soltando a bolsa que vinha carregando no chão. "Eu não sabia que você estaria lá também."

"Idem", ele admitiu, olhando para a bolsa e de volta pra ela.

"Você não sabia?" Ela perguntou surpresa enquanto hesitantemente sentava-se ao lado dele. Fazia muito tempo desde que tinha feito algo assim, Lois a tinha convencido a ir esta noite e ela tinha esquecido o quanto tudo isso era avassalador.

Oliver balançou um pouco a cabeça. "Eu não falo com Lois ou Clark há alguns dias."

"Normalmente você vai a missões sozinho?" Ela perguntou preocupada.

Ele inclinou a cabeça. "Normalmente? Eu não sei. Algumas vezes."

"Sem ofensa, mas não me parece muito esperto. Quer dizer, devia haver uns dez guardas ali", ela disse, franzindo ainda mais a testa.

"De acordo com as informações que eu tinha, não havia nenhum guarda na instalação", ele disse a ela.

"E quem está fazendo a pesquisa de informações pra você?" Ela ergueu uma sobrancelha, desejando que não fosse Lois.

Ele hesitou um segundo. "Lois", disse a ela.

Chloe fez uma careta e assentiu, respirando fundo. "Vou tentar ensiná-la como invadir computadores." De novo. Mas a verdade era, por mais que Lois fosse ótima nas pesquisas, ela nunca teve paciência ou gostava de tecnologia por mais que precisasse para invadir computadores.

"Então é isso que você estava fazendo? Roubando arquivos de Lex?"

"Copiando-os", ela admitiu com um dar de ombros. "Naquela noite que você ajudou Clark, ele acha que Lex pode ter alguma coisa contra ele e quer ter certeza."

Ele franziu a testa a isso, perguntando-se porque Clark não lhe disse nada. "Talvez devêssemos dar uma olhada no que você conseguiu", ele disse, assentindo na direção da bolsa dela.

"Talvez eu devesse dar uma olhada no que eu consegui e você deveria encontrar Clark para limpar esse braço. Tenho certeza que ele está explicando tudo a Lois."

A boca dele tremeu levemente. Ele podia contar numa mão a quantidade de pessoas que tinham lhe dado um não como resposta. Ele se levantou, erguendo as sobrancelhas. "Vamos."

Ela pegou a bolsa e levantou-se também. "É só seu braço?" Ela perguntou.

"Sim. Eu estou bem." Ele olhou para o braço, que estava sujo de sangue, mas não muito.

"Pelo menos não parece que ainda está sangrando", ela disse, parando na porta aberta.

"Desculpem", Clark disse, olhando pra ele e parando quando percebeu que o rosto de Oliver não estava mais escondido. "Eu arrumei tudo no banheiro aqui de baixo", ele disse ao outro homem.

Oliver apertou os lábios, assentindo. "Tudo bem. Vou sair logo", ele os assegurou, dando um tapinha no braço de Clark e indo na direção do banheiro.

"Ele vai fazer o curativo sozinho?" Chloe perguntou com uma testa franzida.

Clark franziu a testa de volta. "Sim? Que dizer, ele já se deu até pontos antes", disse desconfortável.

"Clark", ela suspirou, balançando a cabeça. "Liga meu laptop, o flash drive está aqui", ela disse apontando para o bolso de fora da bolsa enquanto a estendia pra ele. "Pede pra Lois começar."

"Ok." Sua testa franziu ainda mais e ele a observou se afastar.

Chloe parou do lado de fora do banheiro antes de bater, então tirou a jaqueta e esperou.

Um segundo depois, a porta foi aberta e ela e Oliver ficaram frente a frente. Ele tinha tirado o colete, braços e peito estavam descobertos. "Ei."

"Eu achei que Clark fosse te ajudar", ela disse a ele, olhando para seu peito incrível antes de se endireitar um pouco. "Eu posso ajudar se você quiser."

Ele refletiu por um momento, então abriu mais a porta, dando um passo para o lado pra ela entrar.

Chloe conseguiu lhe dar um pequeno sorriso enquanto entrava. "Obrigada", ela disse, rapidamente concentrando-se no braço dele. "Você já desinfetou?"

Oliver assentiu. "Sim, só preciso fazer o curativo. É a parte mais difícil." Ele sorriu fracamente, indo recostar-se à pia enquanto pegava a faixa e entregava a ela.

Chloe pegou e assentiu. "Você não acha que precisa de pontos?" Ela perguntou, desejando que não, porque não tinha ideia de como fazer isso.

"Não, não é tão fundo", ele disse a ela.

"Ok." Ela relaxou. "Você consegue levantar o braço?"

Oliver ergueu o braço conforme ela pediu, mantendo-o imóvel enquanto ela começava a passar a faixa ao redor, observando-a atentamente e prendendo a respiração.

Ela olhou pra ele por um momento, então aproximou-se e começou a cuidadosamente enfaixar ao redor do corte. "Obrigada", ela disse baixinho, olhando pra ele. "Por me contar."

Ele parou, apertando os lábios por um momento. "Eu ia te contar antes, mas... bem, eu acho que fiquei curioso sobre qual seria sua opinião sobre o Arqueiro Verde, mas... nunca houve uma grande oportunidade pra tocar no assunto."

"Bem, eu meio que suspeitava que você fizesse algo desse tipo", ela admitiu. "Quer dizer, Lois disse que havia coisas que ela não podia me contar, então você disse que ajudou Clark. Eu só não sabia quem você era."

"E agora que você sabe?" Sua voz ficou mais baixa.

"Agora... faz todo sentido. Quer dizer, você é humano, não é?" Ela perguntou. "Sem poderes especiais ou algo assim?"

"Completamente sem poder", ele disse a ela.

"Eu deduzi de tudo que ouvi que o Arqueiro Verde não tinha poderes. Eu acho que faz sentido. E teria que ser alguém com dinheiro, tanto quanto Batman, pra conseguir comprar todos os acessórios e partes do uniforme que esse tipo de coisa requer. E mais, conseguir pagar todas as pessoas que descobrissem ou que pudessem te ajudar quando você se fere", ela disse, voltando a atenção para seu braço. "Claro, deduzindo que você não tenha ninguém que te ajude sem ter que pagar."

"Lois e Clark, e... tem outra pessoa, mas..." Ele hesitou. "Eu não tenho direito de revelar sua identidade."

"Entendo", ela disse, assentindo. "Mas é bom, que você tenha pessoas que possam te ajudar se precisar. Durante muito tempo Clark não teve e então eu me mudei e Lois ainda não sabia..." E todas as brigas que ela teve com Jimmy quando ele perguntava onde ela esteve e ela tinha que inventar desculpas esfarrapadas.

Ele a observou atentamente. "Tenho certeza que foi difícil", ele concordou.

"Não foi fácil." Ela terminou o curativo ao redor do ferimento e então usou a fita pra manter tudo no lugar. "Alguém com esse tipo de vida precisa ter pelo menos uma pessoa com quem contar."

"E você também tem Lois e Clark", ele disse, mantendo os olhos nela.

"Sim", ela concordou. "No entanto, eu não faço o que você faz", ela disse enquanto se recostava na pia. "Terminamos."

Oliver refletiu por um momento, olhando para o braço e então pra ela de novo. "Obrigado", ele disse sinceramente. "E você meio que faz o que eu faço. Pelo menos em parte. Quer dizer, você invadiu o laboratório de Lex pra roubar os arquivos..."

"Sem problema", ela disse, então deu de ombros. "Mas não para lutar e resgatar pessoas. Eu só estava  lá porque não conseguimos acessar os arquivos de uma rede externa e eu sabia que se eu desse o equipamento para Clark, ele não saberia como ativar, então, foi o jeito mais fácil."

Ele assentiu levemente. "Faz sentido."

"Mas eu não vinha fazendo coisas assim", ela disse, olhando pra baizo. "Não desde que Lois começou a ajudá-lo."

Oliver apertou os lábios. "Bem, sem ofensas a Lois, mas ela precisa de séria lições sobre pesquisa de informações."

"Ela é muito boa com pesquisa", Chloe disse, sorrindo pra ele. "Mas, já que estou por perto, não me importo de ajudar se ela precisar."

"Não se importa, ou você meio que gosta?" ele questionou, procurando seus olhos.

Chloe parou à pergunta, endireitando-se. "Bem, demora um pouco pra se acostumar, a fazer isso de novo..." ela admitiu, então balançou a cabeça. "Mas, eu acho que é bom para Lois e Clark fazerem isso juntos, quer dizer, eu acho que a faz se sentir parte da vida dele e isso o faz sentir que ela está bem com o que ele é. Eu não quero entrar no meio."

"Eu não estava falando necessariamente de Clark", ele admitiu.

Erguendo as sobrancelhas, ela inclinou a cabeça. "Então, você se referia a quem?"

"A mim", Oliver disse a ela, apertando os lábios.

Ela sabia disso, é claro. Mas considerando que se conheciam há apenas alguns dias, não queria fazer deduções. "Eu poderia te dar uma mão quando você precisasse?"

A isso, ele sorriu, estendendo a mão pra ela. "Seria legal", ele concordou.

Chloe olhou para a mão dele por um momento, estendeu a dela, então parou, afastando a mão. "Mas como uma experiência?"

"Se você não quiser continuar, não vou te obrigar", ele garantiu. "Sem contratos ou acertos pedindo sua alma em troca." Agora sua voz tinha um tom brincalhão.

"Ah, melhor do que meu último contrato", ela brincou de volta, sorrindo e então apertando a mão dele. "Feito", ela disse, tentando controlar sua animação.

Ele sorriu, os olhos brilhando enquanto apertava a mão dela também, não tendo o mesmo sucesso em controlar seu entusiasmo quanto ela. "Feito."

____

_________________________________________________________________________

9 comentários:

  1. Por alguma razão misteriosa, eu imaginei que a descoberta do Oliver/Arqueiro iria demorar mais... Adorei que foi assim, sem intriga, sem neura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que essa fic não nos fará sofrer...

      Excluir
  2. Eles conseguem ser mais queridos??? *_*

    Chloe dizendo não a ele: Go girl!!!!

    ResponderExcluir
  3. E a Chloe espertinha como é não tardou a notar o corpinho do Oliver! rs

    Sabe que adorei essa demonstração de confiança do Oliver, pensei que a Chloe ia descobrir sozinha...

    E ela cuidando do ferimento dele foi uma fofura! *-*

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, também gostei da Chloe já descobrindo tudo no começo...

      Excluir

Google Analytics Alternative