15.1.12

An Origin Story (Prólogo)

Resumo: Universo Alternativo onde os pais de Oliver nunca morreram.
Autora: the_bluesuede
Classificação: R
Prompt da JoyBlue: "O que aconteceria se Robert e Laura não morressem, e a razão para Oliver se tornar o Arqueiro Verde fosse porque ele tivesse ciúmes de Clark depois de descobrir sobre o 'Viajante' (sem seus pais saberem), e se ele se tornasse o Arqueiro Verde só pra se provar para os seus pais?"
Nota: 3ª lugar na categoria 'Universo Alternativo' do ChlollieAwards 2010.
Original


An Origin Story
Prólogo: Um Conto de Robin Hood E Suas Aventuras



12 de outubro de 1989

Oliver Queen, ansioso para se livrar de Alexander, e até de Patti e Jason (não que ele se incomodasse muito com os dois últimos) subiu as escadas.

Era o oitavo dia seguido que era levado até a Mansão Luthor e obrigado a 'brincar' com as outras crianças, e ele já estava cheio. Sabia que seus pais não o tinham levado porque achavam que ele era amigo das outras três crianças, mas simplesmente porque não tinham outra opção enquanto bancavam os legais para os outros pais.

Ele tinha perguntado porque tinham que ir de novo hoje, já que estava entediado com o lugar. Antigamente ele não se importava, mas então, no passado as visitas aos Luthors não eram tão frequentes. Seus pais não lhe disseram nada... nada que valesse à pena, na verdade. Mesmo ainda estando na quarta série, ele era capaz de saber quando estavam mentindo pra ele ou escondendo alguma informação. Normalmente seus pais eram relativamente honestos com ele. Ele não conseguia entender porque dessa vez estava sendo diferente.

Silenciosamente, ele atravessou o corredor até encontrar o escritório onde seus pais estavam reunidos com Lionel Luthor, Genevieve Teague e Virgil Swann. Foi nesse momento que sua vida tomou um outro rumo. Ao ouvir uma conversa, o mundo de Oliver se expandiu drasticamente, devido a inclusão de alguma coisa - ou melhor, alguém - chamado O Viajante.

Oliver era um garoto ambicioso e competitivo. Embora seus pais fossem bons pra ele e em algum nível até o mimassem, ele se vangloriava de toda a atenção e aprovação que recebia. Descobrir a história do Viajante acordou alguma coisa nele: ciúmes. Ele se tornou estranhamente invejoso de alguém que não conhecia, alguém a quem seus pais eram inquestionavelmente devotados. Ele era alguém que estava destinado a salvar pessoas, a ser um heroi, e tudo que Oliver sabia sobre seu próprio futuro era que estava destinado a fazer escola preparatória. Até aquele momento, ele estava contente com seu futuro, ou pelo menos não se importava. Não, agora, até ouvir a maravilha e respeito na voz de seus pais quando estavam falando de outra pessoa, Oliver determinou que ele seria mais.

Ele ia ser grande.

__________________________________________

14 de outubro de 1989

Oliver estava sentado em seu quarto de mau humor, olhando para o livro em sua frente, muito entediado para ler. Ele espirrou. Gemendo miseravelmente, ele jogou a cabeça contra o travesseiro.

Laura Queen entrou no quarto, abrindo só uma fenda da porta e olhando ao redor para ver se seu filho estava dormindo. Descobrindo o contrário, ela deu risada e entrou, indo se sentar na cama de Oliver, colocando uma mão em sua testa.

Oliver não disse nada, então ela falou primeiro. "Decidimos não ir."

Ele olhou pra ela, surpreso.

"Pra Seul. Seu pai e eu decidimos adiar a viagem até semana que vem."

"Por quê?"

Ela sorriu. A verdade? Não queria deixar seu filho doente sozinho. Ela balançou a cabeça. "É mais conveniente pra todos." O que era parcialmente verdade, o político que estavam indo visitar não viu nenhum problema com o adiamento, e a pista de pouso tinha reportado um comportamento estranho na noite anterior. Se estivessem determinados a ir neste dia, não teriam se importado, mas já que agora tinham tempo, ela e Robert pediram que o jatinho fosse inspecionado, para garantir que estivesse em boas condições. Ela achava que fosse possível ter sido algum ladrão de gasolina ou coisa assim. "O que você está lendo?" ela perguntou a Oliver, que parecia consideravelmente animado com o fato de que seus pais ficariam em casa. "As Aventuras de Robin Hood de Howard Pile", ela leu em voz alta, e pareceu um pouco surpresa. "Onde você encontrou esse livro?"

"Na sua estante", ele disse despreocupado. Ele sabia que podia pegar qualquer livro da casa.

"Essa é uma leitura pesada para alguém da quarta série", ela disse num tom divertido.

Oliver revirou os olhos. "Eu percebi." Ele não tinha terminado a primeira página.

Laura sorriu para o livro, passando as páginas. "Eu sempre gostei dessa história."

O que, é claro, despertou o interesse dele. "Por quê?"

Ela deu de ombros. "O bem contra o mal. Donzelas em perigo. Um heroi surgindo para defender os fracos. Nada pode ser melhor que isso", ela brincou.

Ele pareceu intrigado.

"Só por curiosidade, o que tem de errado com os livros da sua estante?" ela perguntou, olhando para a estante repleta de livros de Oliver.

"Eu já li todos."

Ela ergueu uma sobrancelha, surpresa. "Mesmo? Temos que resolver isso logo. Por enquanto, no entanto...", ela parou, se aconchegando nele e se apoiando em um travesseiro. Ela abriu o livro na primeira página e começou a ler:

"Dando conta de Robin Hood e suas aventuras com os guardas do Rei. Também contando como seu Bando se juntou ao redor dele; e a aventura que o fez conquistar seu braço direito, o famoso João Pequeno.

"Prólogo: Na Inglaterra de antigamente, quando o Rei Henry o Segundo comandava a terra, vivia na verde Floresta de Sherwood, perto da cidade de Nottingham, um famoso fora-da-lei cujo nome era Robin Hood. Nunca existiu um arqueiro com a mesma habilidade e astúcia que ele, e ninguém teve um bando como os sete homens que atravessavam a floresta com ele..."


___

___________________________________________________________________________

8 comentários:

  1. Adorei a premissa... curiosa... acho que vai ser legal ver o Ollie com os pais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Luciana... essa história é muito boa... :D

      Excluir
  2. Awww... Ollie com os pais... super cute...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super mesmo... obrigada pelo comentário, Fê

      Excluir
  3. Eu simplesmente ADORO essa história... vou amar ler de novo... é tão bom ver o Ollie com seus pais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também ADORO essa história... lê de novo com a gente... :D

      Excluir
  4. Huummmmmmm!!! Interessante...

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou GIL... :D

      Excluir

Google Analytics Alternative