12.10.14

Elementary Matters

Título: Questões Elementares
Resumo: Chloe e Oliver discordam sobre que escola o filho deve frequentar.
Autora: serafina19
Classificação: G


"Não."

Oliver virou a cabeça por sobre o ombro. "Como assim, não?"

Jogando o folheto no balcão, Chloe balançou a cabeça. "Eu não vou mandar nosso filho para um colégio interno."

"Eu me saí bem, não saí?"

Chloe bufou, não discutindo o ponto, mas o processo. "Depois de dois anos numa ilha, algumas experiências de quase morte e decisões questionáveis que ajudaram a apagar seu maior arrependimento daquela época." Ela não queria falar sobre Duncan, ou as lembranças que substituíram aquela, mas isso mandava a mensagem necessária. "Aquele lugar não te transformou no homem que você se tornou."

"E escola pública fez maravilhas por Lex", ele respondeu, esperando sua mulher ceder um pouco ou saber que Excelsior não era a base do problema. Em vez disso, ela começou a gargalhar. "O quê?"

"Desculpe, eu só... imaginei você como Lionel." Embora a comparação não servisse ou fosse elogiosa, a imagem em si era estranhamente engraçada, mesmo que Oliver pensasse o contrário. Ela o viu prestes a argumentar, mas ergueu um dedo para impedi-lo. "Você não pode me culpar quando foi você quem trouxe o paralelo."

Lentamente, Oliver se acalmou, eventualmente respondendo, "Você tem sorte que eu te ame tanto."

Chloe sorriu enquanto se recostava contra o balcão. "Embora seja bom ouvir isso, não significa que vai tornar nossa decisão mais fácil." Ela estava tentada a olhar o folheto novamente, pelo menos para tentar ver o que era tão bom em Excelsior, mas Chloe viu que sua cabeça estava feita. "E eu tenho medo que sejamos os dois muito teimosos para tomar uma decisão."

"Internatos fornecem certas regalias e oportunidades. Você não tem culpa que eu queira o melhor para ele." O último comentário de Oliver não foi o mais seguro a fazer, aparentemente pela reação de sua mulher, então ele inteligentemente trouxe outro ponto. "E mais, ele teria uma proteção melhor na Excelsior. Melhores protocolos e pessoal."

Isso não ia abalar Chloe, pois sua decisão se baseava em outras razões. "Ele ficaria aqui se frequentasse a Star City Central. E não importa onde ele esteja, a melhor proteção que ele pode ter é dos tios, e não de estranhos." Ela suspirou. "Mesmo com nosso status e seu alter ego revelado, eu me recuso a roubar de nosso filho um pouco de normalidade em sua infância."

"Embora eu não discorde de você, Chloe, eu duvido que normalidade será parte do vocabulário de nosso filho."

"Não será se não deixarmos." Chloe balançou a cabeça, tentando manter a voz calma antes de continuar. "Mas eu consegui ficar fora dos holofotes a maior parte do tempo desde que nos casamos e as notícias sobre a gravidez diminuíram e acho que devemos uma tentativa ao nosso filho."

"Eu não discordo, mas..." Oliver disse, pegando a mão de Chloe gentilmente na dele para diminuir a tensão na sala. "Eu acho que estamos começando a sair do assunto. Não acho que isso deveria ser tão sério... certo?"

Chloe apertou a mão dele, quase agradecida pela ação. Ela não admitiria, mas Oliver estava certo sobre as coisas estarem lentamente ficando mais tensas. Pelo menos o filho deles estava fora com Lois agora, então não teria que ouvir a conversa. No entanto, mesmo agora, ela não podia concordar completamente com Oliver. "Eu não sei... estamos soando como pais."

Ele assentiu, relembrando-se de como costumavam se preocupar em não estarem prontos para isso, mas a conversa parecia sugerir que eles estavam indo bem em se preocupar com o bem-estar do filho. Eles só precisavam chegar a um consenso.

"Olha." Oliver recostou a testa na dela, sorrindo. "A data limite para admissão é só daqui a algumas semanas. Vamos continuar conversando sobre isso e chegar a uma conclusão."

Foi a vez de Chloe assentir, o ar parecendo bem mais leve ao redor deles. Mas ela não queria terminar a conversa sem apontar, "Teremos que fazer algum progresso da próxima vez."

"Eu sei", Oliver respondeu, mas primeiro, eles tinham uma noite em família para atender assim que Lois voltasse. Era a primeira deles em três semanas, então pelo menos, ele tinha uma teoria de que a reunião ajudaria a iluminar suas ideias.

~0~

Desligando o telefone, Oliver saiu do escritório,  determinado a se juntar à sua família para a parte do filme. Era um filme infantil clichê, mas valia a pena quando via o rosto de seu filho se iluminar. Por isso ele odiava quando os negócios interferiam naquele momento, mas aquilo era um fator de sua vida.

Ele caminhou na direção do sofá, mas parou enquanto observava sua família. Era algo que ele nunca pensou que teria e era mais mágico do que tinham lhe dito. Era tudo pra ele. Era a razão para ele levantar de manhã, para trabalhar para proteger e construir a cidade em que vivia, e para lidar com qualquer obstáculo que parecia surgir em seu caminho.

Chloe pegou o olhar dele em segundos, virando a cabeça para sorrir, um gesto que ele rapidamente retornou. No entanto, só aumentou quando o filho deles se levantou do sofá para poder ver Oliver.

"Pai", ele disse. "Vem."

"Eu vou fazer melhor." Diminuindo a distância até o sofá, Oliver pegou o filho, posicionando as mãos para que pudesse simular seu filho voando no ar. Não era tão fácil como costumava ser, mas Oliver não podia resistir. Aquele rostinho era capaz de conseguir com que ele fizesse qualquer coisa.

Depois de descê-lo, os olhos de seu filho estavam arregalados enquanto pedia por mais, mas Oliver deu a volta no sofá e disse, "Mais tarde."

Quando ele se sentou no sofá, Chloe continuou o filme, mas a atenção de Oliver se manteve nas outras duas pessoas no sofá, e como ele não conseguia imaginar momentos melhores em sua vida do que aqueles.

~0~

Assim que o filme terminou, Chloe e Oliver olharam para o filho adormecido. Antes que ela tivesse a chance de pedir, Oliver o pegou nos braços e o carregou até seu quarto. Chloe pensou em segui-lo, mas decidiu limpar a sala, recolhendo as tigelas vazias de pipoca depois de desligar a TV.

Quando entrou na cozinha, Chloe sabia que os papeis das escolas ainda estariam sobre o balcão, mas passou direto. Era só uma das muitas discussões que tinham enquanto pais, um papel com o qual ainda estavam se acostumando, mesmo que não fosse mais algo exatamente novo. Chloe supôs que era normal para todos os pais, e o fato de que aquilo não os estava irritando muito era um sinal positivo. 

Voltando para a sala, Chloe sorriu enquanto se recostava contra o sofá. Aquelas noites eram suas preferidas, as poucas noites que podiam desligar e passar um tempo como família. Por isso ela estava tão determinada a não mandar o filho para longe. Suas vidas eram cheias, ela entendia isso. Era a única razão não usada por Oliver,  mas era provavelmente a que mais importava. Porém, Chloe não se importava como as coisas eram malucas, ela não queria um estranho criando seu filho, ela queria que aquela família fosse daquele jeito. Aquela noite era a prova da maravilha atrás dessa ideia.

"Eu andei pensando..."

Chloe se virou quando ouviu o marido atrás dela. Porém, a testa logo franziu ao ver o papel familiar na mão dele. "Oliver, realmente temos que conversar sobre isso agora?" A noite estava perto de ser perfeita, e embora as conversas sobre aquele assunto não tivessem virado briga ainda, Chloe não queria arriscar.

"Nós temos", ele respondeu, rasgando a pré-matrícula antes de deixá-la cair no chão. "Eu não tive pais para voltar para casa... minha casa não parecia mais minha casa. Ele tem a gente, ele tem uma família, isso é o que mais importa. Só o nome dele já vai abrir portas e com nós dois, eu tenho fé de que ele não será muito complacente."

Houve uma pausa de dois segundos enquanto as palavras eram processadas antes de Chloe sorrir. "Eu te amo." Não era o que ela esperava ouvir dele, mas estava feliz em ter ouvido Oliver dizer aquilo.

"Também te amo."

Sorriso ainda brilhando em seu rosto, Chloe se inclinou para checar a área atrás de Oliver, perguntando-se se ainda estavam sozinhos. "Ele está dormindo, certo?"

"Como uma pedra. Acho que ele puxou o seu lado da família." Verdade, o pequeno deles tinha a tendência de ouvir conversas alheias, mas quando dormia, nada o acordava. "Por quê?"

"Eu estava pensando que podemos fazer algo que eleve esse seu ego." Chloe deu de ombros antes de acrescentar. "Considerando que eu estava certa e tudo mais."

"O que você tem em mente?"

"Foi um dia longo", Chloe disse, indo para o corredor. "Então eu estava pensando que eu preciso de um banho." Parando momentaneamente, ela deslizou o casaco pelos braços. "O que você vai fazer com essa informação, você é que sabe."

Oliver não perdeu tempo em alcançar sua esposa, pois ele não ia discutir com algo que tinha deixado a noite melhor do que já estava.


~Fim~

____________________________________________________________________________

12 comentários:

  1. Muito boa! Oliver definitivamente fará pelo filho aquilo que seus pais não puderam fazer por ele, que é estar sempre presente... Adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Ciça. Ia postar outra, mas achei que essa combinava com o clima de Dia das Crianças... Mais em breve, continue por aqui... :D

      Excluir
  2. Ah! Tem como não se encantar com a família Chlollie?!! *-*

    Verdade, Ciça! Acho que o que torna tão importante pra eles ter a família como prioridade, e os motiva a isto é justamente o histórico tanto do Oliver quanto o da Chloe... o baby Chlollie tem muita sorte de ter esses dois!!!

    Adorável, Sofia!! =DD

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, GIL, que bom que também gostou, escolhi por falar de crianças e os chlolliekids são sempre os mais fofos... enfim, para combinar com a data... Beijos... :D

      Excluir
  3. Que coisa fofa! Esses pequenos momentos de família são tão gostosos de ler! DEixam o dia mais leve :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? Que bom que gostou, Paula... adivinhe qual é a próxima oneshot a ser postada? Beijos e obrigada!!!! :D

      Excluir
    2. Hum, Chloe e Ollie sendo possessivos e fofinhos? ;)

      Excluir
  4. Aiiiiii, que familia mais fofa *-*
    Já comentei em outra fic, que o Ollie como pai, não tem onde ser mais fofo!
    Chloe arrasou com a sugestão no final, hein? Haha

    Adorei, Sofia! Achei super fofa, e bem leve! Esses momentos Chollie family são ótimos mesmo, Paula!

    Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline, que bom que gostou, o Dia das Crianças me inspirou a postar esta, mas ia ser outra, traduzida pela Paula, que vocês vão amar... em breve... :D Ollie papai é sempre muito fofo, incomparável, imbatível!

      Excluir
    2. Puramente perfeitos... <3

      Excluir

Google Analytics Alternative