25.1.18

Don't You Know Who You Are (1/5)

 
 
Título: Você Não Sabe Quem É?
Autora: ihearttvsnark
Banner: geek_or_unique
Resumo: Esta história acontece no mundo de Everybody Loves Me. É a primeira de uma sequência de cinco histórias anteriores aos eventos de Everybody Loves Me. Conta como Chloe e Oliver se conheceram na realidade alternativa.
Classificação: PG-13


Chloe ia matar Lois.

Ela aceitou a bebida do garçom, assentiu em agradecimento e então atravessou o clube extremamente cheio até a mesa no canto do fundo, que Lois havia conseguido reservar mais cedo. Ela insistiu que seria um bom lugar para conhecer a cena local e ao mesmo tempo ter uma noite divertida na nova cidade. Infelizmente Lois havia sumido do clube menos de trinta minutos depois porque recebera pistas sobre uma história. Mas insistiu que voltaria logo e implorou que Chloe esperasse por ela e tentasse se divertir no processo.

Isso havia acontecido há quase duas horas. Chloe voltou ao banco com sua bebida e deixou os saltos desconfortáveis caírem de seus pés. Ela mal ouviu o som deles atingindo o chão por causa da música alta que balançava as paredes. Se Lois não voltasse antes de terminar aquela bebida, chamaria um táxi e voltaria para o apartamento, e não estava preocupada se Lois lhe passasse um sermão por não saber se divertir. Chloe gostava da ideia de se divertir, mas preferia fazer isso num lugar mais calmo e preferivelmente com sua prima de fato presente para lhe fazer companhia.

Chloe tomou um gole de sua bebida enquanto olhava ao redor do clube. Apesar da música, era na verdade um lugar de luxo que atraía a elite da cidade. Um dos colegas de Lois do jornal em que estava trabalhando havia colocado o nome delas na lista de convidados depois de Lois tê-lo livrado de uma bronca do editor. Chloe não conseguia deixar de se sentir deslocada apesar do novo vestido verde escuro que estava usando e no qual havia gasto muito dinheiro, também por insistência de Lois. O clube era o tipo de lugar para pessoas com dinheiro e esta era uma categoria na qual Chloe definitivamente não se encaixava, considerando que tinha se formado há apenas três meses e ainda não tinha encontrado um emprego. Suspirando, Chloe tomou outro gole de sua bebida quando uma sombra cobriu sua mesa.

"Ei, gatinha, você está na minha cabeça há horas."

"Uau", Chloe murmurou. Ela colocou o copo na mesa e olhou para o homem alto que estava parado em sua frente. Ele usava uma roupa muito cara e seu cabelo preto parecia ter custado uma fortuna para ficar naquele formato. Seus olhos tinham um bonito tom de azul, mas Chloe decidiu que o fato de ele estar olhando para seu decote acabava com qualquer chance que ele pudesse ter. "Você percebe que está atrapalhando, certo?" ela perguntou.

O cara encontrou o olhar dela e sorriu, ignorando completamente sua pergunta. "Dança comigo, gatinha", ele disse. E estendeu a mão para ela.

"Não, obrigado", Chloe respondeu. Ela não retribuiu o sorriso e esperou que ele se tocasse e fosse embora. Mas claro que ele era o tipo que entendia rejeição como encorajamento, porque a noite terrível que ela estava tendo não parecia ter fim. Ele se aproximou, descansando as mãos sobre a mesa enquanto se inclinava.

"Vamos, gatinha. Vou te mostrar porque chamam este lugar de Star Ciry." Ele correu os olhos por seu corpo novamente e correu a mão por seu braço.

Chloe se afastou imediatamente. "Uau, achei que você não pudesse piorar, mas me enganei. Não estou interessada. Vai encher o saco de outra pessoa", disse firmemente. Chloe decidiu que era hora de abandonar a bebida e sair dali. Já havia tido 'diversão' suficiente por uma noite. Ela pegou a bolsa e começou a descer do banco, mas o cara bloqueou sua passagem.

"Gatinha, acho que você não me ouviu. Eu quero dançar com você." Ele se inclinou novamente e aproximou o rosto do dela. "Eu sempre consigo o que quero."

"Bem, a não ser que você queira ser atingido por um taser e preso por assédio, eu sugiro que você saia da minha frente", Chloe devolveu. Ela deslizou a mão dentro da bolsa para pegar o taser, mas tudo que conseguiu foi o celular e a carteira. Chloe percebeu que deveria ter esquecido de pegá-lo enquanto estava se arrumando. Ela engoliu em seco e se perguntou quão alto teria que gritar para que alguém pudesse ouvi-la.

O cara deu um risinho. "Qual é o problema, gatinha?" Ele começou a sentar no banco ao lado dela, mas foi puxado para trás antes que tivesse a chance. De cara feia, ele se virou para ver quem o havia puxado e arregalou os olhos.

Oliver ergueu uma sobrancelha enquanto dava ao cara um olhar entediado. "Acho que você sabe quem eu sou." Ele esperou um segundo e o cara assentiu. "Bom. Some daqui e se eu te ver neste clube novamente, sua vida vai virar um inferno. Entendeu?" ele perguntou. Ele empurrou o cara com mais força do que o necessário e apontou a direção da saída. O cara desapareceu e Oliver deu um risinho enquanto o observava praticamente correr porta a fora.

Ele olhou para Chloe e inclinou a cabeça na direção do banco. "Importa-se se eu sentar? Todas as mesas boas estão ocupadas e detesto sentar no balcão."

"Claro", Chloe disse. Ela estava um pouco zonza com tudo que havia acontecido. Observou Oliver se sentar no banco em sua frente e nem dois segundos depois havia uma garçonete parada ao lado da mesa entregando a ele um copo de uísque e perguntando se ela queria um refil. Chloe apenas balançou a cabeça e olhou para o homem em sua frente enquanto ele exibia seu famoso sorriso à garçonete e então tomou um gole da bebida.

Ele a estudou e correu o olhar por ela rapidamente, em silêncio por um momento e então estendeu a mão e a colocou sobre a dela. "Você está bem, senhorita?"

Chloe assentiu enquanto puxava a mão e a colocava sobre o colo. Ela não sabia o que fazer ao olhar intenso que ele lhe dava, então decidiu que ia ignorar o arrepio que descera por sua espinha ao toque. "Ele era só um idiota com uma péssima cantada." Ela deu de ombros. "Achei que este lugar servisse clientes de classe, mas talvez a música devesse ter me servido como pista."

"Eu venho aqui porque eles têm um bom uísque, mesmo que a música seja uma droga." Oliver girou no assento e viu alguém do outro lado da sala. Ele fez um gesto apontando para o ouvido e o homem assentiu. Um minuto depois, o volume da música havia diminuído consideravelmente.

"Impressionante", Chloe admitiu.

"A maior parte das coisas sobre mim são", Oliver disse a ela com um risinho. Ele colocou o copo na mesa e deu uma olhada em Chloe antes de sorrir. "Oliver Queen."

"Eu sei", Chloe respondeu. Ela poderia estar em Star Ciry há apenas três meses, mas todo mundo sabia quem era Oliver Queen. O homem era um bilionário e dono da maior empresa da cidade, e aparecia nas manchetes com frequência. Claro que a maioria das manchetes tinha mais a ver com seus hábitos de playboy bêbado do que com a empresa e por essa razão Chloe tinha dificuldade em compreender porque ele tinha vindo lhe salvar e agora estava tentando conversar com ela num tom indiferente.

"Esta é a parte onde você me diz seu nome", Oliver continuou. Ele voltou a tomar um gole da bebida.

"Chloe Sullivan", ela disse. "Acho que é também o momento onde eu te agradeço por ter me livrado daquele idiota e então caio nos seus braços?" ela perguntou. Chloe só podia deduzir que era esse o objetivo, porque ela não conseguia ver outra razão para ele aparecer e ajudar uma completa estranha.

"Você é sempre cínica assim?" Oliver perguntou. Ele terminou a bebida e mal teve tempo de colocar o copo sobre a mesa antes da garçonete aparecer com um refil. Ela não se importou em perguntar se Chloe precisava de mais alguma coisa e logo desapareceu.

Ele parecia estar se divertindo, mas Chloe não gostava de pessoas que respondiam perguntas com outras perguntas. Normalmente significava que tinham algo a esconder ou não queriam responder a pergunta porque era verdade. "Eu prefiro a palavra 'prática', Sr. Queen, e sim, eu sou. Eu agradeço sua ajuda, mas estou dizendo que não vou pular em cima de você", ela disse.

Oliver gargalhou. "Anotado." Ele tomou um longo gole de sua bebida. "Eu nunca vi você aqui antes. É nova na cidade?" perguntou.

Chloe ergueu uma sobrancelha. O homem era lindo e era um bilionário, mas estava tendo dificuldade em acreditar em sua reputação de playboy se era assim que ele cantava as mulheres. Então, talvez as mulheres da cidade é que fossem muito idiotas. "Eu devo dizer que sua cantada foi melhor que a do outro, mas ainda é fraca, Sr. Queen." Ela pegou seu copo e tomou um pequeno gole da bebida.

"Era uma pergunta, não uma cantada, mas é bom saber no que você está pensando", Oliver disse. Ele se recostou, jogando um braço sobre o banco ao lado. "Posso garantir que entendi a mensagem: você não está interessada e tudo bem. Eu aceito. Agora, você é nova na cidade?" ele perguntou de novo.

Ele parecia levemente exasperado com ela e Chloe decidiu que podia responder a pergunta, já que ele a ajudara. "Relativamente", Chloe respondeu. "Eu me mudei pra cá há alguns meses." Oliver assentiu e Chloe podia dizer ver que ele esperava que ela continuasse a conversa, mas ela parou aí e tomou outro gole de sua bebida.

"Você é sempre assim tão difícil ou eu é que desperto o melhor em você?" Oliver perguntou.

Chloe não pode deixar de rir a isso. Ela sabia que ele era o tipo de cara acostumado a ter as mulheres caindo aos seus pés. Desde que ele se sentara, ela viu quatro mulheres passarem pela mesa tentando chamar sua atenção. Chloe sabia que deveria se sentir lisonjeada que ele estivesse prestando atenção a ela em vez das outras, mas não ia cair em nenhuma fantasia onde de fato acreditasse que um bilionário lindo fosse se interessar por alguém igual a ela.

"Desculpe, Sr. Queen. Sei que esta não é a reação com a qual está acostumado, mas vou apenas terminar minha bebida e liberar a mesa pra você", Chloe disse.

"Sabe que para alguém que é tão contra a ideia de eu dar em cima, você certamente está pensando muito sobre o assunto", Oliver comentou. Ele se inclinou para a frente, descansando os braços sobre a mesa e olhando dentro dos olhos dela. "O que se diz sobre protestar demais?" Ele deu um risinho pra ela enquanto pegava a bebida.

Chloe revirou os olhos. "Também há um ditado sobre um rio no Egito, mas isso também não se aplica aqui." Ela sorriu docemente e brindou a ele com o copo antes de tomar outro gole.

Oliver riu de novo. "Talvez eu devesse chamar meu advogado para escrever um acordo que diz que só estou tentando conversar amigavelmente. Posso assinar com sangue e talvez eu consiga que você responda algumas perguntas simples sem sentir que está num interrogatório."

"Parece que alguém é um pouco dramático", Chloe disse. Ela se inclinou para a frente, imitando a pose dele. "Eu sei que você não está acostumado a ouvir a palavra 'não', mas honestamente, nós dois sabemos que você não tem nenhum interesse em mim se isso não significar que terminaremos nus e suados juntos, o que não vai acontecer."

Oliver abriu e fechou a boca algumas vezes, então balançou a cabeça e terminou seu uísque num gole. A garçonete cuja única função era servi-lo apareceu mais uma vez e desta vez também serviu outro copo a Chloe. "Você definitivamente não é o tipo de mulher com que estou acostumado a beber", ele disse enquanto erguia o copo e o estendia na direção de Chloe.

Divertindo-se, Chloe pegou sua nova bebida e brindou com Oliver. "Tomarei isso como um elogio, Sr. Queen." Chloe tomou sua bebida, observando Oliver enquanto ele fazia o mesmo. "Mas eu me pergunto porque está sentado aqui comigo. É um desafio? Se é, posso garantir que é melhor desistir." Ele lhe deu outro sorriso e tomou mais um gole da bebida.

"Eu de fato gosto de desafios, Srta. Sullivan e é muito raro um aparecer na minha frente numa embalagem tão apelativa", Oliver disse. Ele correu os olhos por ela novamente e riu quando Chloe revirou os olhos. "Mas já que estamos tendo uma conversa honesta, a verdade é que eu estava apenas procurando um lugar tranquilo pra beber hoje."

Chloe ergueu uma sobrancelha e apontou para a pista de dança. "O que neste lugar grita paz e tranquilidade, Sr. Queen?" ela perguntou.

"As pessoas não me incomodam aqui", Oliver disse com um dar de ombros. Ele tomou outro gole de sua bebida enquanto a observava. "Hoje não foi dos melhores dias no trabalho então vim pra cá relaxar e não pensar no assunto."

Sua resposta pareceu genuína, mas Chloe não podia deixar de acreditar que ele ainda tivesse segundas intenções. Talvez ele quisesse que ela o visse como um pobre garotinho rico. Ela decidiu testar a teoria. "O acordo com a empresa japonesa não deu certo?"

Oliver ergueu as sobrancelhas boquiaberto. Ele a estudou por um momento então perguntou com a voz controlada. "Como você sabe sobre isso?"

"Eu leio a seção de negócios", Chloe respondeu com um dar de ombros. De fato ela lia todos os jornais locais e os grandes nacionais porque gostava de saber o que estava acontecendo no mundo e ela tinha muito tempo para matar já que não tinha um emprego remunerado e seu hobby, por falta de uma palavra melhor, era mais do que sair para beber. Ela viu que Oliver a olhava com desconfiança.

"Relaxa", Chloe disse. Ela ergueu as mãos num gesto de rendição. "Não sou uma espiã nem nada. Eu li sobre o potencial negócio e como os analistas diziam que seria ótimo para as ações. Pessoalmente, acho que você deveria esperar porque não tenho certeza de que essa empresa seja um investimento sólido. Há alguma coisa no CEO deles que eu não gosto", ela disse. Chloe o tinha visto no noticiário algumas vezes na última semana e ele lhe dava uma má impressão que não sabia exatamente explicar.

Oliver assentiu. "Eu também não gosto dele, mas minha mesa diretora discorda de mim. Eu fui voto vencido", ele disse parecendo chateado enquanto terminava a bebida.

Chloe franziu a testa, mas ela não disse nada enquanto esperava pela garçonete vir servi-lo uma nova bebida. Assim que ela se afastou, Chloe empurrou o copo dele de lado antes que Oliver pudesse pegá-lo. "Você não é o CEO? Achei que você pudesse revogar os votos deles ou pelo menos convencê-los de que estão tomando a decisão errada." Ela viu algo brilhar nos olhos dele, mas sumiu rapidamente.

"A maioria deles não gosta de mim", Oliver disse. Ele correu os dedos pelos dela por mais tempo que o necessário para que pudesse pegar o copo de volta. Chloe afastou a mão e a colocou no colo de novo, fazendo Oliver dar um risinho. "E você, Chloe?" ele perguntou enquanto levava o copo aos lábios.

Ela sorriu. "Eu também não gosto de você, Oliver."

Ele riu a isso e então balançou a cabeça. "Eu quis dizer o que você faz. Além de insultar pessoas que saem de seus caminhos para ajuda-la", ele acrescentou.

Chloe revirou os olhos. "Primeiro, eu te agradeci e segundo, você realmente não saiu de seu caminho. Você mesmo disse que estava ganhando alguma coisa, embora não seja o que estava esperando. Mas já que você perguntou tão educadamente vou te dizer que estou entre um emprego e outro." Ela parou enquanto pensava em sua situação. "Tecnicamente seria meu primeiro emprego pós-faculdade, mas não tive sorte desde que cheguei aqui", ela esclareceu.

Oliver assentiu. "O mercado de trabalho pode ser difícil. Talvez eu tenha a solução para o seu problema", ele disse.

"Sério?" Chloe perguntou ceticamente. "Esta é a parte onde você diz que pode conversar com alguém se eu fizer algo em retorno? Como ir para casa com você?" ela acrescentou com tom desagradável.

Oliver olhou feio para ela enquanto devolvia o copo à mesa com força. "Eu sou muitas coisas, Chloe, mas não forço mulheres a irem pra casa comigo ou troco favores sexuais. Caso não tenha notado houve um desfile de mulheres pela nossa mesa nos últimos trinta minutos. Eu tenho muitas opções", ele devolveu.

Chloe mordeu o canto do lábio, instantaneamente arrependida de suas palavras. "Desculpe", ela disse rapidamente. "Às vezes eu esqueço de pensar antes de falar. Qual seria sua solução?" ela perguntou, desejando mudar de assunto e pular a parte onde o havia insultado.

Oliver não disse nada por um momento e Chloe se perguntou se deveria se desculpar novamente. Então ela seguiu o olhar dele e o viu observando uma loira alta num vestido ridiculamente apertado. Chloe revirou os olhos. Obviamente ele não estava com o ego nenhum pouco ferido. "Talvez ela vá pra casa com você", ela disse.

Ele deu um risinho enquanto encontrava os olhos dela novamente. "Tenho certeza de que iria", ele respondeu convencido. "Mas como eu te disse, quero uma noite tranquila e ela parece ser do tipo que grita bastante." Oliver riu quando ela fez cara de nojo. "Como eu estava dizendo, eu posso te ajudar a conseguir um emprego." Oliver puxou um cartão de dentro do bolso. Ele o deslizou para Chloe por sobre a mesa. "Você pode começar amanhã?" perguntou.

Confusa, Chloe pegou o cartão e viu que era o de Oliver. "Você quer que eu trabalhe pra você?" Ela olhou para ele, esperando que ele dissesse qual era a pegadinha ou que ele começasse a rir dizendo que era tudo uma piada. Mas ele continuou apenas olhando para ela como se estivesse falando sério. "Você nem sabe se sou qualificada para fazer seja lá o que você quer que eu faça", ela pontuou.

"Eu gosto de me arriscar", Oliver respondeu. Ele terminou a bebida e pegou a carteira, jogando algumas notas sobre a mesa. "Vamos, eu te acompanho e peço um táxi", ele disse enquanto se levantava.

Chloe balançou a cabeça e não se mexeu. "Você não pode estar falando sério." Ela ouvira dizer que Oliver Queen era impulsivo, mas também ouvira que apesar da bebedeira, era um empresário implacável e ela não conseguia acreditar que ele estava de fato lhe oferecendo um emprego no meio de um clube sem ao menos ver seu currículo ou perguntar no que ela havia se formado.

"Estou falando muito sério, Chloe", Oliver disse. Ele sorriu para ela enquanto estendia a mão para ajudá-la a se levantar. "Você precisa de um emprego e eu tenho uma vaga de emprego. Parece uma situação em que nós dois ganhamos, a não ser é claro que você esteja com medo de que se trabalhar comigo acabe se apaixonando perdidamente por mim." Ele deu um risinho enquanto erguia uma sobrancelha em sua direção e Chloe soube que ele estava lhe desafiando.

Ela estreitou os olhos enquanto calçava os sapatos e se levantou, pontualmente ignorando a mão que ele lhe estendera. "Qual é o salário? Quais são os benefícios?" Chloe perguntou.

O risinho de Oliver aumentou e Chloe gemeu. "Eu estava falando sobre seguros e férias. Coisas assim", ela disse enquanto iam até a porta.

"Eu vou pedir para o RH preparar um contrato para você e estará em sua mesa amanhã de manhã", Oliver disse. Ele assentiu para o segurança enquanto saía do clube e apontava para a limusine esperando na calçada. "Quer uma carona?" ele perguntou.

"Não", Chloe respondeu. O ar da noite estava gelado e ela correu as mãos pelos braços enquanto parava na calçada e olhava para Oliver. Ele havia tomado algumas bebidas, mas parecia sóbrio o suficiente para saber o que estava dizendo. "Que tipo de trabalho é?" ela perguntou.

"Falaremos amanhã", Oliver garantiu. Ele olhou para o motorista que esperava na limusine com a porta aberta. "Kevin, preciso que consiga um táxi para a dama", ele instruiu antes de encontrar os olhos de Chloe novamente. "Vejo que você está considerando minha proposta. Venha ao escritório amanhã e conversaremos." Ele deu um risinho. "Qual a pior coisa que pode acontecer?"

Chloe podia pensar em quinhentas coisas, mas não disse nada. A verdade é que ela estava curiosa sobre o que Oliver realmente queria com ela, e ela era a primeira a admitir que a curiosidade era seu ponto fraco. Ela deduziu que não doeria encontrar com ele no dia seguinte e descobrir mais sobre o trabalho. Não era como se estivesse tendo alguma sorte por conta própria.

"Certo", Chloe concordou. Ela ergueu a mão quando ele começou a sorrir. "Eu estou concordando em olhar a proposta de trabalho. É isso", pontuou.

"Claro", Oliver disse. Ele apontou para o táxi que havia parado atrás da limusine. "Eu me ofereceria para te acompanhar até o carro, mas não quero dar a ideia errada, então te vejo amanhã. Passe no escritório por volta das dez." Sem esperar por uma resposta, ele se virou e foi para a limusine, deslizando no banco do trás e desaparecendo de vista quando o motorista fechou a porta.

Chloe ficou onde estava por um momento e se perguntou que diabos havia acontecido. Nada sobre aquela noite havia saído como esperado. Ela foi até o táxi, deu seu endereço ao motorista e se recostou no banco perguntando-se como Lois iria reagir quando soubesse que Oliver Queen havia lhe oferecido um emprego.

___________________________________________________________________
Próxima história: GOT LOVE FOR THE PEOPLE THAT HAVE WARNED YOU

_________________________________________________________________________________


2 comentários:

  1. Obrigada, Lois!! hahaha

    Como esperado, começando muito bem Sofia!! =DD

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, GIL. Essa sequência é muito legal...

      Excluir

Google Analytics Alternative