25.12.13

A Married Little Christmas

EspecialChlollieChristmas
Título: Um Natal de Casados
Resumo: Chloe se deu a missão de criar o clima perfeito para o primeiro Natal deles juntos.
Autora: fickery
Classificação: PG-13
Linha de tempo: Finale


Ia ser o primeiro Natal deles juntos como um casal, ponto final, casados e Chloe estava determinada a torná-lo especial. Mas ela estava tendo um pouco de dificuldade em se ajustar ao clima de alegria do sul da Califórnia.

Não tinha a sensação de Natal. Ou parecia Natal, pelo menos não para uma pessoa nascida no meio-oeste. Deveria estar frio, senão nevando. Pessoas deveriam estar enroscadas em casacos e cachecóis e chapéus e luvas e botas, não andando por aí em bermudas e camisetas. Ela deveria conseguir enxergar sua respiração.

Nada de vinho quente e passeio de trenó. Ao invés de estar sentada na frente de uma lareira com um copo de chocolate quente, ela e Ollie se sentavam na varanda à noite, com suas taças de vinho, olhando as estrelas.

Ela não podia verbalizar nada disso a ninguém, muito ciente de que esta era a definição de um problema idiota. Oh coitadinha. Pobre esposa de um bilionário, sua vida é tão difícil, por que você não entra em seu jatinho e vai para um lugar mais frio? Conte mais. Seus sapatos de diamantes estão muito apertados?

Ela não podia dizer nada para Ollie também. Desde que tinham mudado para Star City, ele tinha renovado o senso de propriedade de sua cidade, orgulhosamente mostrando a ela todos os seus lugares favoritos. Ele ficaria devastado se soubesse quanta saudade ela sentia do Natal de Metrópolis.

Não era que não gostasse de morar ali. Ela amava muitas coisas: a praia, o clima ameno, a vibração positiva, a casualidade de tudo.

E ela amava seu marido e compartilhar um lar com ele.

Era só um pouco estranho, só isso. Natal envolvia muitas lembranças, umas que faltavam ali, e tudo isso a deixava um pouco desorientada. Mas ela não ia deixar isso arruinar seus planos.

*-*-*-*

Oliver estava um pouco preocupado com a seriedade com que Chloe se dedicava ao feriado, começando a decorar a casa. Guirlandas, velas, festões, luzes. Ela tinha meio que enlouquecido, mas o lugar estava lindo. Muito festivo. Ela até convenceu Clark a voar até o Nordeste do Pacífico para trazer uma árvore fresca.

Ele quase teve um ataque cardíaco um dia quando a encontrou debruçada na grade da varanda, tentando prender as luzes, e rapidamente ele tomou a tarefa para si. Ele pensou que tivesse sido claro que aquela tarefa era dele, até chegar em casa umas duas noites depois e pegá-la na sala, equilibrando-se precariamente no banquinho da cozinha, tentando pendurar uma guirlanda na porta.

Ele não disse nada, apenas passou o braço ao redor dela e a puxou do banco, os braços dela e pernas abrindo-se comicamente.

"Oliver! O que..."

Ele a colocou no chão e a virou pra ele. "Nova regra. De agora em diante, pendurar luzes ou guirlandas, ou colocação de visco ou ponteiras de árvore de Natal ou qualquer coisa que envolva (a) subir em alguma coisa ou (b) debruçar-se sobre alguma coisa - duas atividades que, devo te lembrar, eu faço toda noite em patrulha, em adição a ser muito mais alto que você - são meu trabalho. Meu. Não seu. Certo?"

Ela começou a fazer bico com aquela expressão adoravelmente teimosa que ela assumia às vezes. "Mas e se você não estiver por perto..." ela começou. Ele inclinou a cabeça pra ela. "...quando eu precisar..." Talvez ouvir a pergunta saindo de sua boca a fez titubear e então parar quando ele ergueu uma sobrancelha.

"Chloe", ele disse pacientemente. "É sério que você vai mandar um E se eu tiver uma emergência de decoração como uma possibilidade?"

"Certo", ela disse, resignada, sabendo que tinha perdido aquela. "Mas uma reclamação sobre como você está muito cansado ou ocupado e eu volto ao banquinho, sem argumentos."

Ele a pegou nos braços, sorrindo pra ela. "Soamos muito casados agora, não foi?" Afundando-se no abraço, ela teve que rir ao perceber a satisfação em sua voz.

*-*-*-*

Não era só a decoração; ela estava ocupada na cozinha também. Ela passou um dia inteiro fazendo diversos tipos de doces; outra noite fazendo bolo de frutas e biscoitos de chocolate. Ele chegou de uma breve viagem de negócios para ser recebido por uma pesada e agora familiar fragrância de coisas assadas pela casa. Deixando a maleta e seguindo seu nariz até a cozinha, ele encontrou sua esposa cantando junto com uma estação de rádio que só tocava canções natalinas enquanto tirava outra assadeira do forno.

"Ei", ele falou mais alto que a música. "Eu acho que você não sabe onde um cara pode encontrar um bom biscoito doce, sabe? De repente estou morrendo de vontade."

"Você voltou!" Ela foi abraçá-lo e parou no meio do caminho. "Eu não quero sujar seu terno. Estou uma bagunça."

"Uma bagunça linda. Vem cá, mulher. Eu não te vejo há três dias, e não quero esperar mais. O terno vai sobreviver. É pra isso que servem as lavadoras."

Ela realmente estava adorável. Apesar do ar condicionado, suas bochechas estavam rosadas do calor do forno, ela vestia um avental com desenho de doces, e tinha sujeira de farinha no rosto e todo o avental.

"Hmm. Você está cheirando bem", ele disse, cheirando o pescoço dela depois de um longo beijo. "Como baunilha."

"Que surpresa", ela disse, sorrindo pra ele.

"Quantos biscoitos você está fazendo afinal? Parece que um caminhão de farinha explodiu aqui", ele observou por sobre a cabeça dela.

"Oito dúzias, eu acho? Algo assim. Eu dobrei a receita." Ela saiu dos braços dele e pegou um homem de gengibre decorado em um prato próximo. "Aqui, você tem que experimentar um."

Ele mordeu o que ela estava oferecendo, então pegou dela. "Está bom."

"Sério? Você não está só querendo me agradar?"

"Não. Eu gosto de biscoitos e este está realmente bom." Ele pensou em sentar em um dos bancos, mas viu a quantidade de farinha que havia neles e decidiu continuar em pé. "Espero que você não ache que vamos comer oito dúzias sozinhos, ou vou ter que dobrar meu treino também."

"Claro que não. Alguns eu vou levar para o trabalho, e alguns vou levar com a gente quando formos para o jantar em Metrópolis. Como todas as outras coisas que eu fiz."

Isso fazia sentido. Lois e Clark estavam dando um jantar na fazenda no dia depois do Natal. Ele e Chloe ficariam na cobertura por alguns dias, e então Chloe e Tess dariam uma festa na Watchtower para o time. Chloe, Lois e Martha vinham trocando mensagens e e-mails constantemente, e mesmo Tess, por mais estranho que parecesse, parecia ter sido mordida pelo bichinho do Natal. Ou talvez o entusiasmo de Chloe fosse contagiante.

Chloe desligou o forno e foi até o balcão. "Eu estava pensando no fim da semana, em uma noite sem patrulha, que poderíamos dar uma volta para vermos as luzes de Natal. E haverá um concerto de Natal; talvez possamos dar uma olhada e ver ser tem alguma coisa pra gente assistir. E tem um coral procurando por novos membros para a próxima semana."

Ok. Hora de encarar a realidade. "Chloe." Ele se debruçou sobre o balcão - ah, sim, este terno estava perdido - e pegou as mãos dela nas dele. "O que está acontecendo?" Vendo o olhar confuso que ela lhe deu, ele elaborou. "Eu sei que você gosta do Natal, mas eu não me lembro de alguma vez você estar assim antes. Toda essa decoração e a comida e os planos e... O que está te deixando assim este ano?"

Ela pareceu um pouco desencorajada. "Eu sei que feriados não foram legais quando você estava crescendo", ela disse, sua voz de repente tão baixa que ele teve que se esforçar para ouvi-la por sobre a música. "Este é nosso primeiro Natal juntos. Eu queria que fosse perfeito pra você."

Oh, Chloe. Ele se derreteu a isso, mas antes que pudesse dizer alguma coisa, ela continuou.

"E estamos casados agora. É quando deveríamos começar nossas próprias tradições natalinas."

Ele deu a volta no balcão e a pegou nos braços novamente. "Você está certa sobre como o Natal era ruim pra mim. Mas você precisa entender que este já é perfeito. Porque eu estou celebrando com minha esposa, o que eu nunca fiz antes. E com minha família. O que eu não pude fazer durante duas décadas. Acredite, não importa o que comemos ou bebemos ou vestimos ou que música estamos ouvindo ou que tipo de decoração fizemos. Será perfeito porque estou passando com as pessoas que eu amo."

Ela sentiu os olhos encherem de lágrimas enquanto o abraçava de volta. "Ok."

"E você está certa, temos que ter nossas próprias tradições. Mas não acho que isso pode ser forçado, ou planejado. Tradições acontecem porque você faz algo uma vez e no ano seguinte você pensa, 'ei, deveríamos fazer aquilo de novo, porque foi tão legal'." Ela pensou sobre isso enquanto ele acariciava seu cabelo. 

"Tradições mudam também. Podemos ter uma dúzia de rotinas para os feriados que sairão voando pela janela quando começarmos a ter filhos. Mas então surgirão outras. Ou daqui a cinco anos podemos nos cansar de cozinhar na noite de Natal, então decidimos ir a um restaurante que tenha acabado de abrir. E vai ser tão bom que vamos decidir fazer de novo todos os anos. Eu só... Eu acho que tem que acontecer naturalmente, sabe? E perceber depois de ter feito a mesma coisa durante uns três anos seguidos que se tornou uma de suas tradições, acho que assim é mais divertido."

Ela suspirou. "Acho que você tem razão."

"Decoração e biscoitos e jantares em família são um bom começo no entanto." Ele sorriu pra ela e a beijou novamente, porque ela continuava muito linda. "Que tal eu trocar de roupa e te ajudar a limpar a cozinha?"

*-*-*-*

Ele pensou melhor, tirando o casaco e dobrando as mangas da camisa enquanto arrumavam a bagunça, concluindo que o dano já estava feito no terno, mas ele teve que se trocar de novo quando ficou todo sujo de farinha e manteiga, não só na camisa, mas também na calça.

Juntos os dois terminaram rápido e então tomaram banhos separados em seguida.

Ele estava sentado no sofá olhando os e-mails quando as luzes diminuíram consideravelmente. Toda a iluminação da sala vinha das luzes coloridas da árvore de Natal, e de algumas velas. "Chloe?"

"Eu sei que é cedo, mas pensei que você poderia abrir um dos seus presentes agora." Ela deu um passo a frente, deixando o robe se abrir e então o deslizou pelos ombros, deixando-o cair no chão.

Ela estava brilhando. Literalmente. Não só do banho; sua pele estava brilhando, perolada. As luzes da árvore refletiam pontos microscópicos de brilho aqui e ali. Seu cabelo loiro parecia um halo. Diabos, se ela vestisse o robe novamente poderia passar como árvore de Natal viva.

Exceto que cobri-la era a última coisa que ele queria fazer agora. Ele clareou a garganta. "Você está... brilhando."

"É uma nova loção corporal", ela explicou. "Achei que seria legal usar na noite de Ano Novo, mas estou fazendo um teste primeiro."

Teste. Ela o matava algumas vezes, realmente o matava. "Ok, então o que eu disse antes sobre como as tradições evoluíam gradualmente ou algo estúpido assim? Esquece. Porque eu posso te dizer agora, eu quero te ver assim no ano que vem também, e todos os anos. Tradição instantânea."

Ela deu risada. "Cuidado com o que deseja. Você pode mudar de opinião daqui a uns dez ou vinte ou trinta anos."

Saber que ele ia celebrar Natais com esta mulher por mais trinta anos o aqueceu quase tanto quanto vê-la nua. Ele se levantou do sofá. "Não", disse com certeza. "Não, eu não vou."

Enquanto ela se movia para seus braços, sussurrou. "Feliz Natal, Ollie."

"Deus nos abençoe, cada um de nós", ele disse, antes de descer os lábios sobre os dela.

_________________________________________________________________________________

7 comentários:

  1. Um Natal iluminado, cheio de paz, amor, felicidade... a todos!!

    Feliz Natal!!

    GIL

    ResponderExcluir
  2. Sofiaaaa melhor presente de Natal impossível <3
    Que historia mais fofa bem a cara da Chloe pirar no primeiro Natal deles msm Ollie perfeito como sempre e eu quero mais kkkk
    Feliz Natal pra todos que deus ilumine todos vcs sempre que esse fim de ano seja mais que abençoado e que venha muito mais natais pro nosso site preferido beijooo :D
    Jami

    ResponderExcluir
  3. ahh achei muito cute!!!
    FELIZ NATAL pra todos!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Que coisa linda!!! Amo esses pequenos momentos do dia a dia deles, as conversas leves e tudo. Fofos!
    Fiquei querendo mais porque quando o Oliver se levantou para beijar a Chloe depois dela falar em 20, 30 anos, eu ainda não tinha percebido que a fic estava acando rs

    E estou atrasada, mas espero que todos tenham passado um bom Natal :-)

    ResponderExcluir
  5. Ohhhhhhhh que fofo!!!!!!

    Também tô atrasada, mas o que vale é a intenção: desejo a todos um Natal de saúde, paz e muita luz!!!

    ResponderExcluir
  6. Amo esse blog de paixão. A vida anda uma correria mas estou sempre passando por aqui. Parabens por mais um ano de sucesso e que continuem conosco. Boas festas a todos.

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative