3.11.10

Father And Daughter (Prólogo)

Título: Pai E Filha
Resumo: Universo 'Two of Us'. Gabe precisa reavaliar sua opinião sobre Oliver. Com exceção do Prólogo e do Epílogo esta história será narrada do ponto de vista de Gabe. Esta história pretende preencher o buraco sobre a participação de Gabe em Smallville. Pra onde ele foi? Esta série inteira é sobre família, então agora é hora de resolver os problemas na família de Chloe. Definitivamente tem um tom mais sério que as outras histórias. Acontece seis meses depois de Nightblindness.
Autora: newbatgirl
Classificação: PG-13

Histórias Anteriores:
Shout Out Loud
Silver Lining
Question
How Soon Is Now
Want
Have
Beautiful Side Of Somewhere
Nightblindness




...Arredores de Star City... Residência Queen... começo da manhã...

Chloe desligou o telefone e se recostou no balcão da cozinha, suspirando. O telefonema tinha sido melhor do que ela imaginava. Agora tinha que explicar para Oliver.

Alguns segundos depois ela o ouviu descendo as escadas.

"Sou eu..." ele perguntou, entrando na cozinha com um dos gêmeos de quatro meses em cada braço. "...ou as roupas das meninas têm botões menores que as roupas dos meninos?"

Chloe deu risada e pegou Connor de seus braços. "Pensamentos muito profundos pra essa hora da manhã, Arqueiro."

"Estou falando sério", ele insistiu, erguendo Moira para que Chloe pudesse ver suas costas. "Eles são menores e muito juntos. Não consegui fechar nem a metade. Eu não tenho esse problema com as roupas dele."

Envolvendo Connor em seus braços, Chloe estendeu a mão e fechou os botões que Oliver não conseguiu. Com uma mão. Ele revirou os olhos pra ela. "Chega de show. Não é culpa minha se meus dedos são muito grandes para as roupas dela."

"Não, é culpa do estereótipo genético da indústria da moda que aparentemente começa na idade zero", Chloe respondeu, e acrescentou piscando. "E eu acho que seus dedos são ótimos."

Oliver pressionou um dos dedos contra seus lábios sorridentes e balançou a cabeça. "Shhhh, não na frente das crianças."

"Eu vou te mostrar o 'não na frente das crianças'..." Chloe deu risada, puxando-o pela camisa e lhe dando um beijo. Com vontade.

"Mmmmm, bom dia. Quem era no telefone?" Oliver perguntou quando se separaram.

Chloe moveu seu olhar, fixando-o nas meias de Connor. "Meu pai."

"Mesmo? O que ele queria?"

"Saber se podia fazer uma visita... no próximo fim de semana."

"Ok... isso é novidade. Por que ele quer vir?"

Chloe mexeu Connor em seus braços. Ele deu um choramingo de insatisfação. Seu filho realmente não era uma pessoa matinal. Na verdade, ele dormia o dia inteiro se o deixassem. Ele parecia naturalmente noturno e não gostava do esforço de seus pais para mudar seus hábitos. "Calma docinho..." ela sussurrou. Para Oliver ela encolheu um ombro. "Ele quer conhecer as crianças."

"Isso é um bom sinal, certo? Então, ele quer que a gente mande o avião buscá-lo?"

"Não, ele virá num vôo comercial. Já comprou a passagem."

"Tudo bem, então ele precisa que o peguemos no aeroporto?"

Chloe balançou a cabeça novamente. "Ele está alugando um carro."

Um músculo na mandíbula de Oliver - aquele músculo - tremeu levemente. "Ele vai comer e dormir aqui ou vai trazer a comida e acampar na frente dos portões?"

"Ollie--"

"Tá bom, tá bom... eu exagerei. Eu devia estar feliz por ele estar vindo afinal." Oliver levantou a mão em sinal de rendição e olhou pra baixo fazendo uma cara quando viu a grande mancha de baba que Moira deixou em sua gravata.

Chloe jogou uma toalha pra ele. "Aqui. Você não está exagerando. Meu pai tem sido... um idiota nessa história toda. Digamos assim. Mas é um passo na direção certa. E, só pra constar, ele vai ficar aqui então temos que resolver como vamos fazer nosso trabalho noturno."

Oliver assentiu e se recostou no balcão na frente dela. "Próximo fim de semana? Eu vou ligar para o Carter e ver se ele está livre pra cobrir minhas patrulhas. Victor não tem nenhuma missão em vista. Ele deve estar livre para cuidar das comunicações por algumas noites."

"Ótimo, eu vou ligar pra ele... Você está bem com isso, certo?"

"Não, mas ele tem o direito de ver os netos, mesmo que ele não goste muito do pai deles."

"Se ele for estúpido, eu peço pra ele ir embora, você sabe. Essa é nossa casa."

"Eu não estou pedindo pra você fazer isso. Ele é seu pai", Oliver deixou Moira pegar a ponta da toalha em suas mãos minúsculas depois que ele enxugou a gravata.

"Você não está pedindo mas eu faço do mesmo jeito."

"Defendendo minha honra. Que fofo, Sidekick." Oliver brincou. "Mas a verdade é, ele tem razão. Se eu fosse ele e tudo o que eu soubesse sobre mim é o que aparece escrito nos jornais... eu também não ia querer você envolvida comigo."

"É exatamente isso. Tudo o que ele sabe é o que está nos jornais. Ele nunca fez nenhum esforço em conhecer você de verdade."

"O que faz com que ele seja igual a um monte de gente lá fora."

"Um monte de gente que não é seu sogro."

"Olha, eu só estou dizendo que não espero braços abertos e cigarros dele. Ele está vindo, ele vai conhecer as crianças, passar algum tempo com você, eu vou ser educado, e é isso. Fim da história. Eu não preciso de mais nada."

Chloe franziu a testa e gentilmente balançou Connor na tentativa de acalmá-lo. "Eu posso ligar pra ele..."

"E dizer o quê? Que ele não pode conhecer os netos a não ser que ele seja bonzinho comigo? Isso é ridículo. Além do mais, ele nunca foi grosseiro."

Oliver estava certo. Gabe nunca havia sido grosseiro ou insultou Oliver. Só era... frio.

"Eles têm um avô e eles devem conhecer e conviver com ele. Isso é o mais importante. Ao contrário da opinião popular, eu sou um adulto. Eu posso lidar com seu pai por alguns dias. Vamos, eu distraio ela enquanto você alimenta o Sr. Reclamão aí", ele disse acenando em direção a Connor, que aparentemente havia decidido que já tinha esperado tempo suficiente pelo café-da-manhã e estava começando a chorar.

Chloe o seguiu para o quarto dos bebês, e se sentou em sua grande cadeira, que era seu lugar preferido no quarto. Ela estava com Connor em seu peito e em poucos segundos ele se acalmou. Ela observou enquanto Oliver se sentava no sofá de frente pra ela, mantendo Moira ocupada com um suave chocalho que ela ficava tentando colocar na boca.

"Veja por esse ângulo", Chloe disse depois de um momento. "Quanto mais educado você for com meu pai, mais pontos você ganha no seu carma para quando ela começar a namorar."

Oliver lhe lançou um olhar tão feio, que ela teve que dar risada. "Podemos esperar eles saírem das fraldas antes de ter uma conversa sobre namoro? Eu adoraria, muito obrigado."

"Eu só estou dizendo, você e eu sabemos muito bem que eles serão adultos um dia. Nós os vimos com nossos próprios olhos. Isso significa que eles terão relacionamentos."

"E ela vai ter seu próprio arco com muitas e muitas flechas", Oliver respondeu secamente. "E a mim e um monte de tios mal-encarados para protegê-la."

"De caras como você costumava ser?" Chloe acrescentou.

Oliver virou Moira em seus braços e a levantou para que o rosto dela ficasse na altura do dele. "Mamãe acha que é engraçada, mas não é." Moira lhe deu um sorriso sem dentes em resposta, mas sabiamente se manteve fora da discussão.

"Connor acha que eu sou engraçada", Chloe provocou, olhando para o garotinho. que se alimentava feliz e alheio a tudo o mais no universo.

"Você é a única fonte de alimento dele, é lógico que ele concorda com você."

Chloe deu risada. Esse era um assunto em que eles não entrariam em acordo tão cedo.

_________________________________
Fim do Prólogo. Capítulo Um.

_________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Hummm... Ollie papai é muito fofo...

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative