7.7.14

Vale Tudo Entre Uma Luthor E Um Queen, Do Amor Ao Ódio (1/?)

Pessoal, tenho a enorme felicidade de apresentar a vocês a Grazielle. Ela nos procurou para compartilhar conosco a primeira história Chlollie que ela está escrevendo. É uma multi-chapter e tenho certeza que vocês a receberão de braços abertos. Grazi, só posso agradecer sua confiança. Muito obrigada!!!!

Resumo: Às vezes, para fazer o certo, temos que deixar de lado o caráter e se juntar ao inimigo para derrotá-lo. Mas alguns sentimentos são mais fortes que o ódio.
Autora: Grazielle
Classificação: R


Quando era criança sempre tive os mesmos pesadelos, sempre com aquela chuva de meteoros que cortavam o céu; e acordava achando que ainda estava naquele hospital sozinha sem meus pais.

Mesmo depois de 20 anos eles ainda me assombravam, mas acordo lembrando-me da sorte que tive de ter sido resgatada pelo meu pai de criação Lionel e de ter um irmão tão protetor e carinhoso como Lex.

Que mesmo tão longe deles ainda assim me passam amor e carinho, mesmo que tenha hora que acho que eles estão exagerando, estou há mais de seis anos longe de casa estudando e me preparando.

No começo quando me mudei para Londres achei que podia curtir minha liberdade cursando uma faculdade longe de casa, poderia viver as coisas mais simples sem o peso do meu sobrenome Luthor, mas me enganei, mesmo aqui ainda o sobrenome tem força, estou sempre com seguranças, quase nunca podendo aproveitar a vida em liberdade.

Agora que terminei a faculdade e o mestrado de jornalismo estou de volta em casa, bem a casa de meu pai, mas logo terei meu apartamento pronto e começando a trabalhar no jornal vou conseguir viver com minhas próprias regras, logo desembarco em Metrópolis, não vejo minha cidade nesses seis anos.

O piloto nós avisa que vai pousar, meu pai desliga o telefone e retoma o seu assento ao meu lado, segura minha mão e sorri como se eu ainda fosse aquela garotinha que tinha medo.

L= Choe querida, logo estaremos em casa. A senhora Smithy preparou seus pratos preferidos.

C= Obrigada pai, ela não deveria ter se incomodado com isso, tanto tempo sem comer das suas comidas, qualquer coisa seria perfeito.

Logo estamos taxiando e tudo pronto para o desembarque.

Assim que saio do jato vejo meu irmão parado como sempre no seu carro esporte, logo ele abre um sorriso.

Abraça-me bem forte desejando boas vindas.

Ele avisa meu que vai me levar no seu carro, meu pai faz cara de desaprovação, mas ignoramos.

Lex pisa fundo no acelerador pegando a autoestrada, é quando digo a ele pra dirigir, então ele encosta e sai do carro, passo para o banco do motorista e também piso fundo. A cada quilometro que passa me vem a imagem dos anos que vivi aqui, então passa uma caminhonete que há anos não via, dos Kents. Buzino achando que poderia ser a senhora Kent, mas me engano, é apenas uma pessoa que em nada lembra a sra. Kent.

C= Achei que era a caminhonete dos Kents, mas me enganei, é uma mulher que nunca vi.

X= Ah, você não a conhece, é Lois Lane, a namorada do Clark, ela acha que é jornalista. Escreve pra aquele lixo do Inquisidor.

C=Não vejo o Clark há anos. Será que ele ainda continua o mesmo, com raiva de nós por causa dos nossos pais?

Noto o rosto de Lex tenso como se tivesse mais nessa história que não sei.

Logo vejo a entrada da mansão, puxo o carro pra frente da entrada e vejo Maria, a nossa governanta parada na porta, desço e a abraço, senti tanta saudades dela nesse anos todos, ela foi tão amorosa como uma mãe.

M=Nossa querida, como você está linda. Vejo que a Europa fez bem a você, querida, mal posso esperar para saber de tudo, agora vamos, vou te ajudar a se instalar e assim que seu pai chegar o almoço será servido.

Entro de novo em casa e não mudou nada. Tudo igual como sempre, como um castelo tão frio e impessoal. Vou então ao meu quarto, Lex já foi para a biblioteca fazer alguns telefonemas.

Maria me conta dos últimos acontecimentos de Pequenópolis, sobre a morte do senhor Kent, como a senhora Kent resolver virar senadora, dos acontecimentos bizarros envolvendo moradores infectados por meteoros.

Entro na ducha e começo a sentir o cansaço do voo, tenho que ser breve, pois logo o almoço será servido.

---

Enquanto isso em Metropólis, especificamente na torre do relógio, Oliver Queen e a Liga da Justiça traçam novos rumos para deter os Luthors.

OQ= Tentamos de tudo e parece que os Luthors estão sempre passos na nossa frente, já não tenho ideia de como podemos manter supervisão neles.

Victor Stone, um membro da liga, estava segurando seu computador prestando muita  atenção, foi quando ele teve uma ideia.

VS= Acho que tenho uma ideia -- virando a tela do computador para todos mostrando uma foto de algum site de fofoca de Lex Luthor sorrindo de orelha a orelha para uma loira muito bem vestida.

OQ= Ela é muito linda, não se parece em nada com as mulheres com quem ele sai, mas roubar sua namorada não vai ajudar nada.

VS= Só que você está enganado, essa não é uma das namoradas do Lex, essa é Chloe Luthor, irmã dele que chegou hoje de Londres depois de anos na Europa.

CK=Ela não é como eles, não deveríamos envolvê-la nisso, ela não tem culpa de ter sido adotada pelo Lionel quando os pais dela faleceram num acidente.

Lois olhou pra ele pensando como Clark podia defender uma Luthor, sabendo do rancor que ele sente por eles ela não gostou nada disso.

LL=Eu vi ela hoje de manhã, ela conduzia o carro do Lex, ela me parece como qualquer Luthor, gosta de se exibir por aí.

VS=Foi só uma ideia, não precisamos envolver ela então.

A reunião continua e o assunto sobre Chloe Luthor não foi mais tocado.

---

Passaram-se três dias, era segunda e Chloe foi conhecer seu novo local de trabalho, na verdade ela trabalhara ali num verão e usara o nome de Anne Sullivan, o qual ela também usaria outra vez, o sobrenome Luthor lhe trazia muitos benefícios e muitas dificuldades no que ela não queria enfrentar.

Ela teve uma conversa com Perry White sobre o seu trabalho, lhe apresentou algumas reportagens e se despediram, ela começaria no dia seguinte e estava ansiosa.

Atravessado a rua, avistou uma cafeteria, entrou e pediu um café com creme; quando se sentou e estava lendo o jornal da manhã escutou uma voz que não escutava há anos.

CK=Velhos costumes nunca mudam não importa quanto tempo passe.

Quando olhei pra cima tive uma surpresa, lá estava Clark Kent com aqueles olhos azuis de sempre, mas estava diferente, mais velho, ainda mais bonito e mais forte com roupas diferentes, usava calça social e uma camisa linda azul, formal, eu estava acostumada a vê-lo sempre com aquela jaqueta vermelha e camisas xadrez então sorri ao ver quão bem ele estava.

CS=Nossa, acho que não te reconheceria, você está tão diferente sem aquele xadrez.

Falei sorrindo de nervosa me lembrando de que agora não era mais aquela boba e apaixonada por ele e mais, ele tem uma namorada.

CK=Não vai levantar e me cumprimentar de acordo ou perdeu os modos em Londres? -- me disse sorrindo.

Levantei e o abracei, tinha que me manter focada pra não parecer envergonhada.

Do outro lado duas pessoas assistiam a tudo e uma delas estava claramente irritada com isso.

Estávamos conversando quando alguém raspa a garganta fazendo a gente notar duas pessoas na nossa frente, uma era aquela mulher da caminhonete e o outro pareciam ser familiares, mas não me lembrava de onde, mas ele era lindo, alto loiro e com um sorriso que faria qualquer mulher se derreter.

CK=Lois e Oliver quero lhes apresentar uma amiga, Chloe Luthor.

Lois me olhou de baixo a cima como se me avaliasse, então estendeu a mão e disse somente 'prazer'.

Já o homem sorriu, me fazendo corar e meu peito se aquecer e estendeu a mão quando eu estendia a minha. Ele levou minha mão até os lábios e disse 'Oliver Queen' e então vi porque ele era tão familiar. Ele tinha uma desavença de negócios com a Luthorcorp, sorri sem jeito e eles se sentaram com a gente.

Logo Lois resolveu me encher de perguntas, eram tantas que nem deu pra responder, Clark falou para ela ir com calma.

LL=Então, o que a trouxe de volta a Metrópolis?

CL=Família e trabalho -- respondi rápido e direto olhando fixamente pra ela.

LL=Então estudava onde?

CL=Londres.

LL=Então vai trabalhar na Luthorcop com o legado Luthor?

Comecei a me levantar e respondi a ela: "Senhoria Lane que tal deixarmos essa entrevista pra depois, sei que o Inquisidor realmente publica qualquer coisa, mesmo eu dando ou não entrevista."

CL=Foi um prazer rever você Clark e um prazer conhecer vocês dois.

Levantei e fui embora entrando no meu carro, um Audi R8 novinho, logo vejo um SUV me seguindo, sabendo que tenho que andar com meus guarda costas pelo menos podia ir sozinha no meu carro. Pensei em ir ao Talon pra relaxar.

---

Enquanto isso na cafeteria...

CK=Você foi muito rude com ela Lois, eu te disse que ela não é nada como o pai e o irmão, você deveria ter pegado mais leve.

LL=Eu deveria né? E você deveria não flertar com ela -- disse furiosa.

CK=Eu não flertei com ela, só estava sendo educado, não a vejo há tanto tempo.

Oliver interrompeu logo.

OQ=Vocês briguem em casa e  pensando bem, acho que vou seguir o conselho do Victor e quem sabe conseguimos saber algo mais dos Luthor por meio dela.

Clark olhou feio, se levantou e se despediu bem chateado.

Lois Lane estava claramente irritada com tudo.

---

A noite logo chegou e a reunião da Liga na cobertura de Oliver começava. Cada com sua própria opinião, mas Oliver ignorou algumas e disse:

OQ=Vamos tentar, é nossa melhor chance, mas preciso entrar nessa preparado, Victor precisa saber de tudo sobre ela e Bart, você vai agora instalar escutas no quarto dela.

CK=Você não acha isso um pouco demais?

LL=Lá vem você de novo bancando o herói dela.

Clark olhou para Lois frustrado.

OQ=A escuta vai ser só no quarto dela e precisamos saber de tudo.

Bart já estava pronto pra ir quando Oliver teve uma ,pegou os óculos e mandou Bart usar, queria ver o quarto dela através da câmera dos óculos.

---

BA=Estou dentro chefe.

O quarto era amplo com tons claros, uma cama enorme com uma colcha lilás claro, as paredes de um verde muito claro, havia fotos nos portarretratos de quando eram crianças, outras em Londres e o closet era repleto de roupas e sapatos de várias marcas, o que era de se esperar de uma bilionária.

Logo em seguida Bart voltou e logo Victor configurou os links de escuta.

Já na mansão Chloe estava com seu pai e seu irmão na biblioteca, eles estavam tentando convencê-la a não se mudar para Metrópolis, mas era inútil, ela já tinha se decidido. Depois de tudo eles acabaram cedendo e ela também e concordou que o apartamento recebesse um sistema de segurança melhor.

Depois do jantar ela estava exausta e foi para seu quarto, tinha muitas coisas para se preparar, amanhã seria seu primeiro dia de trabalho, entrou e foi direto para o banho. Depois de muito tempo em seu roupão ela foi separar uma roupa para o trabalho, escolheu um terno preto e uma blusa verde escuro e saltos pretos, então resolveu ligar para sua amiga Christine que morava em Londres.

Enquanto isso o programa se acendeu no computador de Oliver indicando que havia áudio no quarto de Chloe, ele pediu a todos silêncio para escutar.

__________
CONTINUA

____________________________________________________________________________

16 comentários:

  1. Grazielle, parabéns pela iniciativa. É preciso ter coragem para escrever e compartilhar... Continue escrevendo! Quero ver como oódio dentre as famílias vai se transformar em amor.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Grazielle!!
    Que maravilhosa iniciativa... muito obrigada por compartilhar sua fic, mesmo... espero que continue escrevendo!

    Também estou curiosa para ver como o amor vencerá o ódio... =D

    Aguardando...

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aguarde, Gil espero que goste as vezes o ódio e amor anda lado a lado, e estou amando escrever, espero que essa seja a primeira fic de muitos.

      Excluir
  3. Fantástico ter pessoas escrevendo Chlollie. Obrigada por compartilhar, Graziele e no aguardo por mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Chlollie é sempre inspiração e aguarde vem muito mais por ai...

      Excluir
  4. jesus!!!!!!!! a chloe uma Luthor gente que fic é essa ....já adorei Graziele amorr e ódio ....e o oliver será que ele vai se aproximar da chloe e usa-lá ....tomara que ñ neh tadinha

    enfim ....pensamento a mil aqui ...super ansiosa

    Emilia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entre essa duas famílias pode ter de tudo e Oliver tem muitas facetas escondidas por tanto pode esperar por tudo.....

      Excluir
  5. Parabéns Grazielle já amei essa historia e achei incrível essa ideia e espero que venham muitas outras :D
    Já quero maaaais!
    Beijooo
    Jami

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jami, obrigada os comentários de vocês só me inspiram mais a escrever e aguarde vai ter muitooo mais.beijos

      Excluir
  6. Obrigada, Luciana é um prazer compartilhar com vocês. Espere ainda tem muito amor e ódio por vir....

    ResponderExcluir
  7. Essa fic já me fisgou. Obrigada por compartilhar conosco e bem vinda!!!! Espero que vc escreva muitas e muitas fics para nós eternos amantes Chlollie.
    Abraço Karol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber Karol e obrigada e sempre Chlollie.

      Excluir
  8. Parabéns Grazielle!!!! Tenha certeza que sua história vai bombar aqui no blog!!!! [Já tá bombando, né???]
    Queremos maaaaais!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ciça, espero que todos gostem vai vir muito mais aguardem....

      Excluir
  9. Parabéns Grazielle! Esta fanfic é bem diferente, com a Chloe como uma Luthor. Já estou doida para o desenrolar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada,Paula não vejo a hora de vocês descobrirem mais dele.

      Excluir

Google Analytics Alternative