9.6.12

Kiss Your Scars Tonight

Título: Curando As Feridas
Prompt: Batimento.
Autora: sxymami0909
Classificação: PG-13
Resumo: Batimentos; é uma palavra simples, a ação de um batimento cardíaco, algo tão comum, tão mundano que as pessoas nem dão o devido valor.
Aviso: Angst




Batimentos; é uma palavra simples, a ação de um batimento cardíaco, algo tão comum, tão mundano que as pessoas nem dão o devido valor. É uma palavra usada frivolamente quase todo dia para denotar todo tipo de emoção e ainda assim em um instante é uma daquelas palavras que podem irrevogavelmente mudar a vida de uma pessoa para sempre.

Oliver subiu as escadas de sua cobertura, seus movimentos lentos, elaborados, as mãos segurando cuidadosamente uma xícara quente. Ele engoliu em seco, seu peito apertado quando parou na porta do quarto que dividia com sua esposa. Seus olhos foram do líquido amarelo na xícara para a loira enroscada na cama.

Sua garganta apertou ao vê-la, pernas parcialmente coladas ao peito, mão sob o travesseiro enquanto a outra se fechava sob o queixo. Oliver não conseguia ver seu rosto daquela posição, ela estava de costas pra ele, mas sabia que quando desse a volta na cama veria as marcas das lágrimas.

Ele respirou fundo e se forçou a entrar no quarto. Seu peito doía e a visão da mulher que amava sentindo tanta dor só o fazia se sentir mais do que um fracasso. Oliver não estava acostumado a não poder consertar as coisas. No geral ele era um problema resolvido, então o fato de não poder ajudar Chloe quando ela mais precisava o matava.

Oliver deu alguns passos ao lado da cama e se agachou para ver o rosto de Chloe. Ela estava com os olhos vermelhos, lágrimas silenciosas descendo por seu rosto pálido. Ele teve que engolir para umedecer sua garganta o suficiente pra conseguir falar, mas quando o fez sua voz estava levemente rouca. "Eu trouxe chá", ele disse, tentando fazê-la olhar pra ele.

Ela não tomou conhecimento dele, o que não surpreendeu Oliver. Chloe não estava muito responsiva desde que voltaram do médico. Ele estendeu a mão para tirar o cabelo do rosto dela. "Eu vou deixar aqui no criado-mudo pra você, ok?" Ele perguntou mas ela ainda não o respondeu. Um nó se formou em sua garganta e ele assentiu e se levantou antes de colocar a xícara perto dela no pequeno criado-mudo.

Oliver se sentia impotente, com raiva, traído. Ele queria berrar, gritar com tudo e com todos. Uma dor pior do que tudo que já havia sentido tomou conta de seu peito e ele não sabia o que fazer, como agir, o que dizer. Tudo que ele podia fazer no momento era ser forte por Chloe. Ela precisava dele. Ele se virou e começou a ir na direção da cômoda quando a voz de Chloe quebrou o silêncio.

"Por que você me ama?" Ela podia ouvir o vazio em sua própria voz e fez uma careta. Não importava, no entanto; não havia razão pra esconder o que estava sentindo de Oliver, ou melhor, o que não estava sentindo. Chloe se sentia anestesiada. Seu peito estava apertado com a culpa, a perda, e uma dor que queimava como se fosse sufocá-la. O mero ato de respirar tomava mais energia do que seria confortável no momento.

Ela observou Oliver se virar rapidamente com as sobrancelhas erguidas e uma ponta de choque em seus olhos enquanto tentava entender onde ela queria chegar com isso. Chloe o observou antes de sua voz atravessar o quarto.

"Eu não sei como responder isso. Você sabe porque eu te amo... Eu te acho maravilhosa." Ele disse baixinho incerto do que mais dizer. A pergunta veio do nada e ele achou que tinham passado do ponto de ter que reafirmar a ela que seu amor era verdadeiro. Oliver voltou para a cama e Chloe observou sua testa franzida.

Ela finalmente encontrou o olhar profundo dele, castanho e repleto de dor e algo dentro dela pareceu acordar. "Eu matei nosso bebê, como você pode me amar?" Ela sussurrou enquanto outra onda de lágrimas escapava de seus olhos, mas não havia som. Chloe tinha certeza que sua garganta não podia acomodar a quantidade de tristesa que a consumia desde que tinham voltado do consultório médico na noite anterior.

Seu corpo inteiro parecia partido, usado e vazio. Chloe queria fechar os olhos e dormir até as emoções dentro dela desaparecerem. Ela se sentia oca, como uma casca da pessoa que era. Ela era uma pessoa terrível. Seu coração doía pela pequena pessoa dentro dela que ela jamais iria conhecer e sem nenhum aviso um soluço escapou de seus lábios, seu corpo tremendo enquanto Oliver olhava pra ela com uma mistura de horror e dor preenchendo seu rosto.

Ele deveria saber que ela ia se culpar. Era o tipo de pessoa que Chloe era. Ela colocava tudo em seus ombros, o bom, o ruim e tentava controlar tudo e fazer todo mundo feliz. Mas isso não era algo que ela podia controlar e Oliver podia vê-la desmoronando lentamente. Ele não tinha ideia do que fazer, então se ajoelhou na frente dela e colocou as mãos em seu rosto e enxugou as lágrimas que desciam em cascatas.

"Chloe, não é culpa sua. O médico mesmo disse que isso acontece. Não é culpa de ninguém." E mesmo enquanto dizia as palavras não podia deixar de se culpar. Ele deveria ter trabalhado menos, ter ficado mais por perto. Não deveria ter deixado Chloe trabalhar tanto ou lidar com tanto estresse, talvez assim, isso não tivesse acontecido com eles. "Você não", ele teve que respirar fundo antes de sua boca dizer a palavra, "matou nosso bebê." Ele teve que praticamente expulsar as palavras e sentiu seus olhos queimando.

"Você amava nosso bebê. Você se cuidou... você fez tudo certo." Ele sussurrou em seu cabelo e deu um beijo ali. Ele sentiu as mãos dela se mexerem e agarrarem seus braços com força enquanto os soluços escapavam de sua garganta com mais força.

"Ollie, me abraça." Ela arfou e ele imediatamente subiu na cama enquanto ela se afastava levemente. Era a primeira vez que ela tomava conhecimento da presença dele e ele não ia desperdiçar isso. Oliver passou os braços ao redor dela com força e a trouxe para seu peito.

Chloe enroscou o corpo nele e ele nunca tinha percebido a diferença de tamanho tanto quanto neste momento. Ela parecia pequena e frágil, duas palavras que ele jamais usaria para descrever sua mulher. Ela era a pessoa mais forte que ele conhecia. Oliver recostou a cabeça na parede enquanto a abraçava, sua mente voltando para a consulta médica quando tentaram encontrar o batimento cardíaco do bebê e não conseguiram.

Ele apertou os braços ao redor dela ao lembrar. Ele soube no segundo que o médico franziu a testa; pelo menos meia hora antes de ele de fato dizer a eles que o bebê não estava mais vivo. O olhar no rosto de Chloe quase o fez chorar. Ela desmoronou no consultório do médico, chorando e gritando e berrando que era mentira. Finalmente ela se calou e se fechou, o que o médico garantiu ser normal em casos assim. Eles queriam tirar o bebê antes de Chloe deixar o consultório, mas Chloe se recusou.

Oliver ficou pra trás e pegou o remédio que ela precisava. O médico explicou como o bebê seria abortado naturalmente e embora ele tivesse explicado o que esperar e o que ia acontecer, bem, não era algo que uma pessoa estivesse preparada pra ver. Era traumático e de partir o coração e Oliver estava verdadeiramente aterrorizado que sua mulher nunca mais fosse a mesma depois disso.

Assustava-o vê-la tão fechada e distante. Chloe era vibrante e obstinada, mas agora... Era com se tudo isso tivesse sido arrancado dela e Oliver não sabia como trazer de volta. O som da voz dela murmurando desculpas em seu peito fez seu coração apertar e ele simplesmente a abraçou com mais força e lhe disse que ia ficar tudo bem... era tudo que ele podia fazer.

Chloe deslizou a mão pelo peito de Oliver, sua palma parando sobre seu coração enquanto fechava os olhos, mais algumas lágrimas caindo deles. O batimento constante sob sua mão fazendo seu coração doer e seu peito apertar.

Ela enterrou o rosto no peito de Oliver tomando conforto no ritmo calmo de sua respiração enquanto sua mente divagava, a dor da culpa escapando ao sentir Oliver dando um beijo em sua cabeça. Depois de tudo que Chloe tinha passado em sua vida, quem poderia imaginar que uma coisa tão simples quanto um batimento cardíaco a faria desabar?

Batimentos; é uma palavra simples, a ação de um batimento cardíaco, algo tão comum, tão mundano que as pessoas nem dão o devido valor. É uma palavra usada frivolamente quase todo dia para denotar todo tipo de emoção e ainda assim em um instante é uma daquelas palavras que podem irrevogavelmente mudar a vida de uma pessoa para sempre.

________________________________________________________________

18 comentários:

  1. Sei que a fic é bem triste, e é mês dos namorados, mas em momentos assim que o amor de fato mostra sua força, então pensando nisso que escolhi essa fic pra postar, mas não se preocupem, só essa tristinha ok? As outras são só alegria, prometo!!!!!

    Espero que tenham gostado mesmo assim...

    ResponderExcluir
  2. Como não gostar????????????

    Simplesmente lindo!!!!!!!!


    Edicleia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom q vc também gostou, Edicleia... :D

      Excluir
  3. Ai caramba, chorei aqui.
    Tenho nem palavras pra dizer como achei tocante essa história... Apesar de triste, a sofia tem razão, mostra a força do amor deles!
    Gente, agora que vi a mudança no blog, TÁ LINDO DEMAIS!!!!!!!!!!!!!!
    Parabéns, viu?

    Um off: alguém aí se interessou pelo spin-off de Smallville, sobre o Arqueiro Verde [com a história 'original', ou seja: a Dinah]? Deve estrear na midseason nos EUA, vamos só ver a aceitação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ciça, que vê-la por aqui novamente... :D

      Linda essa história, né? Que bom que gostou e também do visual do blog, thanks...

      Humm, verdade, não estava pensando em assistir não, mas vamos ver, fiquei curiosa em ver como vai rolar essa história e se a química (se é que haverá) Oliver/Dinah vai funcionar e encantar como Chlollie, acho praticamente impossível, mas vamos ver se o casal vai fazer sucesso como o nosso e se a série vai vingar...

      Excluir
  4. Fics assim mostram a força do relacionamento dos dois. Ótima
    ************************

    Sobre Arrow, não estou com vontade de assistir, mas imagino qual vai ser a reação das pessoas. Suspeito que o casal tendo química ou não, o povo vai já vai gostar simplesmente pelo fato de serem um par real dos quadrinhos. É sempre assim.

    Mas quem sabe não conseguem fazer algo bacana... Não vai ser fácil, até Smallville quando acabou já não tinha o prestígio de antes. Veremos!
    De qualquer forma vale mais o bom entrosamento dos atores do que uma história rigidamente fiel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Vinicius, pelo menos os haters vão adorar, mas vamos ver se o casal vai 'emplacar', pq não se pode negar que Chlollie deu certo e sempre aparece em enquetes de melhor casal das séries, etc... só o fato de figurarem nas listas já diz alguma coisa, vamos ver como essa nova série vai se desenrolar, também não estou curiosa pra assistir, mas pra ver se vai fazer sucesso ou não...

      Excluir
    2. Sim, um par tão inesperado quanto Chlollie deu certo e caiu nas graças de muita gente. Só de pensar que isso tudo por mérito dos atores que decidiram ousar, porque esperar pela direção... kkkkk

      Excluir
    3. Pois então, como fã Chlollie não dou a mínima pra essa versão 'oficial'... Mas secretamente espero que os fãs Chlollie boicotem! #má
      huahuahauaauhauahauahauhauah

      Excluir
    4. kkkkkk Tô com a Ciça...

      GIL

      Excluir
    5. kkkkkk Tô com a Ciça...

      GIL

      Excluir
    6. Ah, acho muito difícil os fãs chlollie assistirem... seria impossível eu acho, quero só ver as estatísticas e comentários no geral, se vai fazer sucesso ou não, mas acho que os chlollie fans não conseguiriam assistir nem que tentassem... como imaginar o Oliver sem a Chloe? E o Arqueiro sem ser o Justin? Sei lá, acho que não vai rolar...

      Excluir
  5. LINDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Chorei, mas amei!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Heloísa... :D

      Excluir
  6. Adorei a fic, transformou algo tão simples um batimento cardíaco em algo tão profundo. E mostra a ligação deles em qualquer situação. E não só Oliver dando forças para ela, mas ela contando com a força dele.

    Vilm@

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Vilm@, os dois se dando força em um momento tão difícil... lindo, né?

      Excluir
  7. Ah, Sofia! Me lembrou Space Between e me fez chorar (de novo)... mas que bom que desta vez ao menos eles não estão se afastando, ao contrário, os fortalece e mostra o quanto o amor deles é capaz de superar todos os obstáculos... Triste, porém lindo, Sofia.

    GIL

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, GIL, desculpa ter feito você chorar (de novo), rs... mas essa é fic é muito linda, e é verdade, nessa eles estão ainda mais próximos pra enfrentar os obstáculos, que bom que vc gostou... :D

      Excluir

Google Analytics Alternative