6.2.11

Never Have I Ever (7/9)

TítuloEu Nunca
Resumo: Universo Alternativo, metade da sétima temporada. Depois de um dia ruim, Chloe e Oliver se encontram no Ace of Clubs e um jogo com bebida os aproxima.
Classificação: NC-17
Banner: kyra_and_co
Anteriores: Um - Dois - Três - Quatro - Cinco - Seis


untitled[3]




"Oliver!?" Clark chamou, seus olhos arregalados enquanto corria pela Torre do Relógio, olhando ao redor por um segundo e então, instintivamente, indo até o quarto principal, seu coração disparado contra o peito. "Oliver?" Ele chamou de novo enquanto entrava no corredor em sua velocidade normal.

Oliver se assustou e levantou a cabeça, fazendo uma careta quando o movimento rápido fez a dor explodir. Ele mal havia se sentado quando Clark entrou no quarto. "Clark?"

Chloe gemeu em seu sono com o repentino barulho e movimento, mas ela só se virou de costas para a porta e não acordou.

"Chloe está--" Clark paralisou quando viu a pessoa que ele estava procurando e achava que estava desaparecida bem ali na cama, ao lado de Oliver, "--aqui?"

Oliver olhou para a loira dormindo ao lado dele, descansando a mão no estômago por um momento, então colocando os cobertores em cima dela antes de lentamente descer da cama. "Aparentemente."

"O que ela está fazendo aqui?" Clark perguntou, travando a mandíbula sem se incomodar em manter a voz baixa para não acordá-la.

"Shh", Oliver disse, estreitando os olhos, sua própria voz baixa enquanto apontava para o corredor.

Fazendo uma cara feia pra ele, Clark se virou e caminhou pelo corredor, de volta para a sala e então cruzou os braços sobre o peito, esperando por uma explicação.

"Ela não queria dirigir de volta até Smallville, então ela veio pra cá", Oliver o informou, indo para a cozinha.

"Por que ela está na sua cama?" Ele perguntou.

"Porque ela estava cansada", ele disse simplesmente.

Clark olhou pra ele por um longo momento. "O que está acontecendo? Por que a mesa dela está vazia?"

Oliver já estava cansado dessa atitude. "Quer saber? Por que eu não peço para Chloe te ligar quando acordar e você conversa com ela?"

"Você está dormindo com ela?" Clark perguntou, estreitando os olhos.

Não regularmente, ele pensou, sua mandíbula travando. "Não, mas se eu estivesse, não era da sua conta."

"É melhor você não machucá-la, Oliver."

"Não se preocupe, meu nome não é Jimmy Olsen." Ou Clark Kent.

"Você magoou a Lois", Clark pontuou. "E ela é prima da Chloe, e vai sofrer ainda mais quando ficar sabendo disso."

Ele travou um pouco mais a mandíbula. "Primeiro, Chloe e eu somos amigos, Clark. Segundo, Lois e eu terminamos há muito tempo. Foi ela quem decidiu não me dar uma segunda chance, mas continuamos amigos."

"E de qualquer jeito, você não vai falar nada sobre isso para Lois", Chloe disse quando apareceu na sala, sua cabeça latejando, seu estômago revirando, mas quando ela ouviu a voz de Clark, sabia que não podia deixar Ollie lidar com ele sozinho.

Clark olhou de Oliver para Chloe, sua expressão indo da raiva para a preocupação. "Eu estou procurando por você."

A expressão de Oliver se suavizou quando ele olhou para Chloe também. Ele ficou em silêncio, recostando-se contra o balcão.

"Eu estou bem", ela assegurou. "Só tive uma noite ruim."

"Sua mesa estava vazia", ele disse a ela preocupado. "Eu fui te levar café e suas coisas não estavam mais lá."

O estômago de Chloe apertou com a lembrança e ela assentiu um pouco, apertando os lábios. "Lex me demitiu."

Oliver olhou pra ela por um momento, então silenciosamente voltou seu olhar para Clark, sua expressão neutra. Sem falar nada ele ligou a cafeteira e tomou três remédios para dor de cabeça.

Clark arregalou os olhos ao ouvir. "Por minha causa?"

"Porque ele queria me mostrar que ele pode fazer isso", Chloe disse, encolhendo os ombros. "Está tudo bem", não estava. "Eu vou dar um jeito", mesmo não fazendo a mínima ideia de por onde começar.

Oliver não pôde deixar de se sentir como um intruso, então ele apertou a mão de Chloe gentilmente enquanto passava, indo de volta para o quarto.

"Eu sinto muito, Chloe", Clark falou baixinho.

Chloe olhou para Ollie e respirou fundo. "Obrigada, mas nós dois sabemos que você tem coisas mais importantes para se preocupar. Conversamos depois?"

Clark apertou os lábios e assentiu. "Eu vejo você depois", ele disse, ainda lhe dando um olhar de desculpa enquanto saía.

Oliver passou a mão no rosto quando voltou para o quarto e se deitou, fechando os olhos enquanto expirava devagar.

Chloe suspirou profundamente e voltou para o quarto. "Ele foi embora", ela disse a Ollie, então parou quando viu que ele estava deitado.

Ele levantou a cabeça e lhe deu um sorriso. "Como você está se sentindo?"

"Como se tivesse sido atingida por um caminhão", ela disse, dando a volta na cama e se deitando também.

Ele fez uma pequena careta. "Quer que eu pegue alguma coisa pra você? Aspirina?"

"Eu pego", ela disse mas não se moveu. "Como você está se sentindo?"

"Bem", ele disse, virando a cabeça para olhar pra ela. "Sem ressaca. Eu pego a aspirina."

"Não, Ollie", ela abriu os olhos e se sentou. "Eu pego."

"Eu liguei a cafeteira. Não sei se você ia querer café ou não."

Seu rosto se suavizou e ela sorriu pra ele. "Você é um Deus", ela disse enquanto se levantava. "Você quer alguma coisa?"

"Não. Eu estou bem", ele assegurou, sorrindo com as palavras dela.

"Ok, eu já volto", ela falou baixinho antes de desaparecer pelo corredor novamente.

Oliver a observou sair, ainda sorrindo. Ele balançou a cabeça um pouco e se deitou contra o travesseiro, esperando ela voltar.

Chloe voltou um momento depois, apagando as luzes no caminho e voltando para debaixo dos cobertores depois de colocar sua caneca na mesinha ao lado da cama. Ela deveria estar se perguntando porque voltou para o quarto dele, porque ela preferia dormir na cama dele, mas ela já tinha muito com o que se preocupar agora, então ela só ia seguir seus instintos quando o assunto fosse o Ollie. "Ok, agora eu estou bem."

"Ótimo. Que horas são afinal?" ele perguntou, bocejando.

"Não faço ideia", ela disse baixinho. "Mas se Clark ia me levar café, provavelmente por volta das nove e meia."

"Oh. Cedo." Ele se deitou de lado para ficar de frente pra ela, então colocou uma mão em seu braço. "Como você está?" E dessa vez ele não falava fisicamente.

Ela virou a cabeça para olhar pra ele e respirou fundo, entendendo o significado das palavras dele. "Eu estou bem, eu acho."

"Vamos dar um jeito", ele sussurrou.

"Eu sei", ela disse baixinho antes de voltar o rosto pra ele. "Só vou me sentir estranha por um tempo."

Oliver olhou pra ela por um momento. "Você tem muitas opções, mas não tem pressa em tomar nenhuma decisão até se sentir pronta."

"Como quais?" Ela perguntou, sinceramente curiosa para descobrir o que ele estava pensando.

Ele a considerou por um momento. "Depende do que você quer fazer. Eu ficaria mais do que feliz em ajudar você a entrar em qualquer jornal do país, pra começar."

Chloe assentiu levemente e apertou os lábios. "Isso se Lex já não acabou com meu nome."

"Eu vou te contar um segredo." Ele se aproximou, sorrindo. "Eu tenho mais influência que ele."

"Sério?" ela perguntou, inconscientemente se aproximando dele um pouco mais e erguendo as sobrancelhas.

"Absolutamente." Ele sorriu, procurando seus olhos. "Têm muitas dúvidas e perguntas ao redor do nome Luthor."

"Bom, nesse caso", ela falou, sorrindo um pouco. "Eu vou aceitar sua oferta."

Ele assentiu levemente, ainda olhando pra ela.

De repente, ela sentiu algo mudar nos olhos dele e ela se encontrou prendendo a respiração, sem pensar duas vezes, ela levou uma mão até seu rosto.

Oliver inclinou-se ao toque, prendendo a respiração por um momento, e cobrindo a mão dela com a sua.

Ela manteve o olhar por um longo momento e se aproximou, roçando os lábios suavemente contra os dele, seu coração batendo mais rápido contra o peito, ela os tinha deixado no território da amizade, era ela quem tinha que tirá-los de lá.

Ele fechou os olhos e a beijou de volta lentamente, mordendo gentilmente seu lábio inferior e o acariciando com a língua.

Chloe relaxou um pouco enquanto o beijava de volta e segurou atrás de sua cabeça, partindo os lábios pra ele.

Oliver roçou o nariz levemente no dela, levando a mão até seu rosto enquanto lentamente aprofundava o beijo.

Ela se mexeu na cama, se aproximando mais dele e fazendo um barulho baixinho enquanto roçava sua língua na dele.

Aquele barulho suave fez com que ele se aproximasse ainda mais dela também, deslizando a mão em seu cabelo enquanto sua boca e língua exploravam as dela. Ele gemeu suavemente com a intensidade, a familiaridade.

Um arrepio correu por sua espinha quando ele gemeu e ela ficou o mais colada nele que conseguiu, pressionando seu corpo contra o dele, mas se impediu de passar a perna ao redor dele como queria, porque estava bem consciente do ferimento em seu estômago.

Oliver deslizou a mão lentamente em sua nuca, parando o beijo para respirar, mas pressionando um beijo na linha de sua mandíbula.

Chloe respirou fundo e manteve os olhos fechados. "Ollie", ela sussurrou, se forçando a abrir os olhos.

Ele parou, engolindo em seco e se afastando para olhar pra ela, incerto. "Sim?", ele sussurrou.

"Eu não quero machucar você", ela sussurrou, segurando o rosto dele.

Ele relaxou um pouco ao ouvir isso, assentindo levemente e olhando pra ela.

Ela roçou o nariz no dele e deu um pequeno sorriso. "Um mês inteiro."

Oliver beijou o canto de sua boca suavemente. "Isso significa que...?"

Chloe mordeu o lábio inferior e sorriu timidamente, encolhendo um pouco os ombros. "Acho que é estupidez negar o que nós dois queremos, você não acha?"

Ele sorriu suavemente ao ouvir isso. "Você estava assustada", ele disse baixinho. "Você passou por muita coisa. Eu entendo."

"Eu acho que esse é um jeito melhor de começar, de qualquer jeito", ela deu de ombros. "Devagar, até porque não temos outra escolha."

Ele assentiu um pouco, observando-a. "Só pra constar, eu teria esperado", ele sussurrou.

"Eu venho querendo nos tirar do status de amigos já há algum tempo", ela admitiu.

Um sorriso surgiu em seus lábios e ele assentiu um pouco. "Vamos devagar enquanto você precisar, Chloe. Você determina o ritmo aqui."

Chloe sorriu suavemente e balançou a cabeça. "Com o que você está confortável?"

"Com você", ele disse suavemente, levando uma mão até o rosto dela e acariciando gentilmente com o polegar.

Sua expressão se suavizou e ela assentiu devagar, virando a cabeça e dando um beijo em seu polegar.

Oliver se inclinou e beijou sua testa suavemente, fechando os olhos.

Ela relaxou e passou o braço ao redor dele, sorrindo. "Deveríamos dormir um pouco?"

"Eu gosto desse plano", ele disse, assentindo e descansando a cabeça no travesseiro dela.

"Ótimo", ela disse, roçando o nariz no dele. "E eu vou ao mercado assim que acordarmos."

"Ou podemos... pedir comida pronta", ele disse com um sorriso.

"Bem, para o almoço", ela disse a ele, erguendo uma sobrancelha. "Mas me prometeram uma lasanha caseira para o jantar e eu não vou abrir mão", ela sorriu.

Oliver deu risada. "Certo." Ele assentiu. "Lasanha caseira será."

"Ótimo", ela disse, sorrindo e beijando seu rosto.

Ele se mexeu na cama, deslizando um braço embaixo dela e puxando-a pra perto. "Descansa um pouco."

Chloe o beijou suavemente mais uma vez, acariciando suas costas devagar e assentindo. "Você também."

"Definitivamente." Ele encostou a cabeça na dela, deslizando o outro braço ao redor dela gentilmente.

Ela suspirou profundamente e assentiu um pouco, fechando os olhos enquanto acariciava as costas dele e se sentia relaxar, começando a adormecer.

Oliver relaxou ainda mais, um suave sorriso em seus lábios enquanto ele voltava a dormir.

____

___________________________________________________________________

4 comentários:

  1. Hummmmm.... sinto que hot moments estão por vir...

    ResponderExcluir
  2. dedos cruzados Fê...

    Li@h

    ResponderExcluir
  3. Dedos cruzados Fê...

    Li@h

    ResponderExcluir

Google Analytics Alternative